fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Marion Bartoli, Wimbledon, ombro Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Marion Bartoli, Wimbledon, ombro Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Marion Bartoli, Wimbledon, ombro tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/topspin/bartoli_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/topspin/bartoli_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Em Londres, Bartoli diz que parar foi decisão certa
23/06/2014 às 17h54
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/topspin/bartoli_int.jpg" title="Bartoli ainda tem problemas com o ombro direito." />

Bartoli ainda tem problemas com o ombro direito.

Foto: Site oficial
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Londres (Inglaterra) - Marion Bartoli, campeã de Wimbledon no ano passado, não vai defender o título, uma vez que se aposentou aos 28 anos, menos de dois meses depois de ganhar seu único título de Grand Slam. Mas a francesa está em Londres e deu entrevista aos jornalistas. Ela é a primeira campeã a não voltar para a defesa do título em 17 anos.

Bartoli abaixou a blusa para mostrar aos jornalistas o suporte que está usando no ombro direito, motivo de sua decisão de parar. "Literalmente, não posso erguer meu ombro a cada manhã. Foi a mesma coisa no ano passado e não melhorou... Então, definitivamente, não tenho nenhum remorso." 

Agora, ela está voltada para outras coisas como comentar para TVs, lançar uma linha de calçado esportivo e de jóias. Mas tem muito orgulho de seu título. "De vez em quando, as pessoas me perguntam quem sou e eu respondo: ‘Sou a campeã de Wimbledon.' Isso fala por si só. Eu nem mesmo preciso dizer meu nome." 

A francesa também se orgulha muito de ter conquistado o título sem ceder um único set em sua caminhada rumo à final, em que fechou a partida contra Sabine Lisicki com um ace em cima da linha a 163 km/h. Naquela ocasião, sua técnica era Amelie Mauresmo, que recentemente foi contratada por Andy Murray. 

A última campeã a não voltar no ano seguinte para defender o título foi a alemã Steffi Graf em1997, pouco depois de operar o joelho. "Eu não sinto falta de acordar e não conseguir erguer meu braço; sentir dores terríveis em todo o corpo; ter de viajar; fazer e desfazer malas; todos aqueles treinos", comentou.

Mas nem todo mundo parece saber que ela já está aposentada. No mês passado, pouco antes do início do Aberto da França, pessoas a paravam nas ruas de Paris e lhe desejavam um bom torneio. A mesma coisa aconteceu neste domingo em Wimbledon, quando lhe perguntaram: "Como você se sente? Acha que vai ser difícil defender seu título?" Ao que ela respondeu: “Hummm, realmente, não, porque não vou defendê-lo.”

Últimas notícias
Comentários