fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Ernests Gulbis, Roger Federer , Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Ernests Gulbis, Roger Federer , Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Ernests Gulbis, Roger Federer , tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/gulbis/0601_rolandgarros_punhocerrado_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/gulbis/0601_rolandgarros_punhocerrado_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Gulbis esbanja confiança após sua 'maior vitória'
01/06/2014 às 16h37
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/gulbis/0601_rolandgarros_punhocerrado_int.jpg" title="Gulbis diz que não pediu atendimento para atrapalhar" />

Gulbis diz que não pediu atendimento para atrapalhar

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Paris (França) – Ernests Gulbis não escondeu sua felicidade ao falar com a imprensa depois de eliminar Roger Federer em Roland Garros. O letão de 25 anos denominou o triunfo nas oitavas de final como o principal de sua vida. Nas quartas, Gulbis terá pela frente o tcheco Tomas Berdych.

“É a maior vitória da minha carreira. Sei que todos adoram Roger. Foi um jogo duro, mas o esporte é assim. Tenho jogado bem na França, ganhei torneios em Marselha e Nice. Espero que Paris seja o próximo”, disse Gulbis, que chegou a Paris um dia após levantar o troféu em Nice, seu primeiro título no saibro.

“Para a minha confiança como jogador, vencer Federer em cinco sets é algo muito grande. Acho que vou acreditar mais em mim mesmo dentro da quadra”, acrescentou o letão, que já havia vencido Federer em 2010, mas no Masters 1000 de Roma. Ele está de volta às quartas de final de Roland Garros após seis anos.

Após o jogo, Gulbis revelou qual era a sua estratégia para derrubar o suíço: “O plano era jogar mais no backhand dele e atacar com o meu backhand na paralela. Queria evitar o forehand dele, porque é o mais perigoso do mundo. E o plano também sempre é sacar bem. Às vezes funciona, outras não. Mas, para mim, o saque é metade do caminho”.

Gulbis também afirmou que o tempo médico requisitado no final do quarto set não teve como intenção desestabilizar Federer. “Não sou fã de tempo médico. Não gosto de usar, mas às vezes é necessário. Foi provavelmente a terceira vez na minha vida. Não queria pedir no quinto set, então foi no final do quarto. Infelizmente, foi antes do saque dele. Tinha medo de ter uma lesão muscular, porque já tive uma no mesmo lugar antes. Estava sendo cauteloso”, concluiu.

Últimas notícias
Comentários