Notícias > Dia a dia
A-  A+
Federer quer voltar ao topo, mas não foca recorde
14/05/2012 às 18h34

Madri (Espanha) - Depois de superar o espanhol Rafael Nadal no ranking, voltando a ocupar a vice-liderança, o suíço Roger Federer mira agora voltar a alcançar a ponta na ATP. Com o título do Masters 1000 de Madri, conquistado no domingo, o atleta da Basileia ocupa pela primeira vez o número 2 desde a semana do dia 14 de março do ano passado.

Sua ascensão no ranking se deu muito em função da ótima fase em que se encontra, tendo vencido 45 dos últimos 48 jogos que disputou. Aproveitando o embalo, Federe já pensa em retomar a dianteira, onde figurou por 285 semanas. "Não é segredo para ninguém que eu prefiro ser o número 1 a ser o número 2", disse o suíço após a vitória sobre o tcheco Tomas Berdych na final em Madri.

Quando foi ultrapassado na liderança do ranking por Nadal, em junho de 2010, o suíço estava a uma semana de igualar o recorde como número 1 do mundo que pertence ao norte-americano Pete Sampras, que comandou a lista da ATP por 286 semanas. "Seria inacreditável", comentou Federer sobre a possibilidade de ultrapassar Sampras e ficar como novo recordista.

"Eu nunca dei muita atenção a esse recorde. Se eu não fui bom o suficiente para quebrá-lo, talvez eu nunca seja. Acho legal, pois eu não preciso bater todas as marcas de Sampras. Ele é meu ídolo e já estou feliz de estar perto o suficiente", comentou o novo vice-líder da ATP. Uma boa notícia para Federer, se quiser voltar à ponta, é que ele é quem menos pontos defende entre os três primeiros.

De agora até Wimbledon, o suíço precisa salvar 1.560 pontos, bem menos do que os 2.720 do sérvio Novak Djokovic, ou até os 3.200  de Nada, que foi vice na grama do All England Club e campeão de Roland Garros no ano passado. "Teremos momentos emocionantes pela frente. Ganhei muitos torneios jogando bem e realmente me sinto qualificado para ganhar os próximos Grand Slam", disse.

comentariosCOMENTÁRIOS