Instrução | Medicina esportiva
O que é chamado de câimbra?
Por Dr. Rogério Teixeira da Silva
10/05/2011 às 14h20
instrucao/instrução/placa_motora.jpg

Em amarelo| a terminação nervosa que causa a contração

A câimbra é uma contração involuntária súbita do músculo ou de diversos grupos musculares simultaneamente. Nestes casos, a região costuma ficar enrijecida (em virtude da grande contração muscular das fibras, quase que simultaneamente) e com muita dor, fazendo com que a pessoa tenha que cuidar imediatamente desta condição.

Por que esse tipo de dor acontece?
A câimbra ocorre porque as placas motoras (estruturas anatômicas que transmitem o impulso nervoso ao músculo, para que ele se contraia) ficam com um acúmulo de ácido lático que posteriormente tornam os músculos mais excitáveis, gerando assim a grande contração muscular. Ocorre mais frequentemente nas panturrilhas e na musculatura da coxa, mas, dependendo do desgaste do atleta, pode atingir até mesmo a musculatura do abdômen, podendo, se não tratada, causar problemas graves. É muito mais freqüente em atletas, mas pessoas que não tem uma boa alimentação e que estão pouco hidratadas podem também ter isso.

É possível prevenir as câimbras?
Normalmente, a prevenção das câimbras se dá por meio de uma boa hidratação, incluindo a ingestão de sais minerais e vitaminas antes do exercício. Uma pessoa bem hidratada normalmente não tem câimbras. Outra recomendação é que sempre se faça alongamento dos músculos das pernas, pois é aí onde as câimbras são mais freqüentes.

A alimentação pode influenciar em algo para a melhora e/ou prevenção?
Normalmente, alimentações balanceadas e com uma boa quantidade de sódio, magnésio e potássio agem como um protetor para evitar as câimbras. O grande problema é que nem sempre uma boa alimentação resolve, principalmente quando a temperatura externa é muito alta (acima de 32 graus Celsius) e o ambiente é muito úmido (acima de 80% de umidade). Nestas condições, se o esporte é praticado com muita intensidade, causando grande desgaste físico, as câimbras podem aparecer até mesmo em quem é bem treinado e bem nutrido.

Como amenizar a dor no momento da câimbra e iniciar o tratamento?
O melhor na hora é colocar gelo e iniciar uma hidratação. Normalmente atletas com câimbras estão com a sua temperatura central alta e isso deve ser abaixado através do resfriamento com gelo, inicialmente. Devemos retirar a pessoa do sol, ventilar o ambiente e aplicar o gelo na musculatura afetada, alongando o músculo para aliviar a dor e evitar as contrações continuadas.

Depois de passar a dor, o que devo fazer para melhorar a câimbra?
Quando a sua atividade física acabou e você já se resfriou um pouco, o melhor a fazer é tomar bebidas que contenham eletrólitos e sais minerais. De acordo com McArdle WD e colaboradores (2006), exercícios prolongados (geralmente corridas e maratonas) provocam suor excessivo e podem fazer com que você perca de 13 a 17 gramas de sal (2.3 a 3.4 g/litro de suor). A reposição de sódio pode ser feita pela adição de 1/3 de uma colher de chá para cada litro de água. O objetivo após os exercícios é repor o que você perdeu. Por isso, outra boa dica é ter uma idéia do seu peso antes do exercício e se pesar depois para saber o quanto perde, em média, em cada atividade.

Há alguma relação entre aterosclerose e câimbra em pessoas com mais de 60 anos?
Pessoas com aterosclerose tem maior tendência a problemas de constrição vascular em virtude das placas que podem se formar nos vasos sanguíneos. Isso pode ser um fator de alteração da circulação local no músculo, principalmente nas pernas, e pode propiciar câimbras com maior freqüência.

A câimbra pode estar relacionada a situações de estresse?
Sim. Muitos atletas têm câimbras em jogos e partidas simplesmente por estarem ansiosos e nervosos. O estresse relativo a uma grande competição geralmente é a principal causa de câimbras em atletas profissionais e muita gente estranha isso. Mas não devemos esquecer que tudo que acontece de movimentação na nossa massa muscular é coordenada pelo córtex cerebral e qualquer alteração de ansiedade ou estresse em excesso pode piorar a condição de excitabilidade muscular.

Dr. Rogério Teixeira da Silva é Mestre e Doutor em Ortopedia e Medicina Esportiva pela Unifesp; é coordenador do NEO - Núcleo de Estudos em Esportes e Ortopedia e diretor da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte da SBOT e médico do grupo de ortopedia e traumatologia esportiva do Hospital São Luiz - Morumbi
Blog: http://docroger.blogspot.com

rogerio@neo.org.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis