Instrução | Aprendendo e ensinando
Tenha consciência de seus erros
Por Henrique Terroni Filho
03/10/2010 às 14h20
instrucao/instrução/aprendendo_ferrer_nervoso.jpg

Davi Ferrer reclama de seus erros na Malásia

Certa vez um aluno me fez a seguinte observação: "O adversário lança uma bola curta e quando percebo... já é tarde! Ou quando a bola vem nos cantos, quando vou rebater, não dá mais tempo. Onde estou errando?"

Respondi: "Você não está cometendo nenhum erro". Ri da expressão incrédula dele e complementei: "Quando isso acontece com um jogador experiente, provavelmente é porque ele está desconcentrado. No seu caso, pela sua pouca experiência, você não está fazendo a leitura da trajetória e peso da bola no tempo certo". Ele entendeu e se tranqüilizou.

No tênis, perdemos o ponto ou por mérito de nosso adversário, através de um "winner" (bola vencedora), ou nos induzindo ao erro ou por um erro nosso não forçado. Estes, os não forçados, podem ser enquadrados em dois grupos: os erros concretos (técnicos) e os erros abstratos (de "leitura", concentração e emocionais).

Os erros técnicos (concretos) podem ser oriundos de um aprendizado deficiente ou de vícios adquiridos e não corrigidos. São facilmente visíveis, por isso ditos "concretos". São as posições erradas, empunhaduras inadequadas, dificuldades de direcionamento (cruzadas e paralelas) e regularidade em decorrência de posicionamento deficiente, problemas nas deslocações laterais ou em profundidade, irregularidades no lançamento da bola para o saque e tantos outros. São problemas de correção imediata. Detectado o problema, o professor orienta o aluno sobre a maneira certa de executar o fundamento e daí em diante o aprimoramento dar-se-á pelo treinamento e repetição do golpe. São erros que independem do tempo que o jogador tem no tênis e se não corrigidos tendem a se perpetuar.

Os erros abstratos ("leitura", concentração e emocionais) acometem os mais iniciantes do tênis, mas não poupam os mais experientes. A "leitura" é a antecipação do fato, é o deslocamento lateral ou em profundidade, antes que a bola ultrapasse a rede. Desta forma o jogador está pronto a devolver a bola em qualquer local da quadra. Para tanto, a concentração, o estar focado no jogo, é condição fundamental para uma perfeita "leitura". A questão emocional envolve a euforia ou o desânimo exagerado por um acerto ou um erro. A irritabilidade, apatia, descontrole são fatores que devem ser observados e trabalhados.

Ao contrário dos erros concretos, de correção imediata, os abstratos tendem a ser minimizados na razão direta que o tenista vai adquirindo maior experiência. Como envolve características pessoais, o tempo para atingir um nível satisfatório é relativo para cada um.

É importante que o tenista tenha consciência dos seus erros. Saber distinguir aqueles que podem e devem ser corrigidos de imediato e aceitar os que somente serão eliminados ou minimizados através da gradual incorporação da experiência e cuja atuação depende do melhor professor: o tempo!

Henrique Terroni Filho; 1ª classe da Federação Paulista; participou de competições oficiais nacionais e internacionais até meados de 1970. Professor de tênis para adultos e crianças há 25 anos. Autor do Programa "Tênis: terapia para crianças"; em conjunto com psicólogos. Consultor para clubes e academias nas áreas administrativa; financeira e técnica. Formação em Administração de Empresas; pós-graduação em Administração Financeira e Marketing; curso em Psicologia do Esporte.

hterroni@ig.com.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis