Instrução | Equipamento
Qual é a melhor raquete?
Por Fabrizio Tivolli
01/08/2007 às 14h20
instrucao/equipamento/agassi_novaraquete_20010731_instr.jpg

Qual é a melhor raquete de todas? Comumente em minha loja os tenistas disparam essa pergunta, que aparentemente deveria ter uma resposta simples e rápida, porém provavelmente essa seja uma das questões mais complexas do mundo dos equipamentos tenísticos.Para os jogadores que têm mais tempo de estrada, ao se depararem com a enorme variedade de marcas e modelos hoje felizmente existentes em nosso país, talvez achem muito complicado escolher uma nova raquete e ter a real noção dos benefícios e avanços tecnológicos que podem trazer ao jogo. Alguns certamente sentem saudades dos tempos que só existiam duas marcas no nosso mercado! Certamente não é tão fácil, mas também não é tão difícil quanto parece.Todos nós queremos na medida do possível o melhor equipamento, para que consigamos extrair o máximo que eles podem render ao nosso jogo. Porém não existe a melhor raquete do mundo, nem a  melhor corda ou o melhor calçado. Posso garantir isso a vocês, pois a melhor raquete é a que melhor se encaixa no seu jogo. A raquete deve ser a extensão do seu braço como uma "peça" única para que possa render o máximo de acordo com a necessidade e características pessoais do jogo de cada tenista.

Certamente, as tecnologias desenvolvidas para o ramo tenístico, que vamos conhecer nas próximas matérias, acrescentam e muito ao jogo. Os fabricantes têm se aplicado na busca da raquete mais "perfeita" possível, ou seja, um misto entre potência, controle e conforto. Pessoalmente acho que esse é o grande desafio das empresas esportivas. Num passado não muito distante, era difícil imaginar uma raquete "genérica" ou seja, adequada para variados estilos de golpes e swings. Até que foram desenvolvidas raquetes consagradas justamente por sua versatilidade, até então desconhecidas.

Existem também tenistas que pensam que os modelos que os profissionais usam sejam a melhor opção ao jogo. Pode ser um egano, já que as raquetes que os profissionais usam exigem muitas vezes movimentação perfeita e muita agressividade nos golpes, o que é difícil de acontecer entre amadores. Portanto, aquele modelo do tenista profissional não é necessariamente o melhor, apesar de serem raquetes atuais e de tecnologia avançada.

Para os que afirmam que "raquete é tudo igual", como ouvi inúmeras vezes, posso garantir que não é bem assim, pois nesse caso ainda estaríamos jogando com raquetes de madeira! Porém as tecnologias em alguns casos não garantem melhora instantânea no rendimento no jogo. O espanhol Juan Carlos Ferrero, por exemplo, ainda é fiel a sua raquete Prince Graphite oversize (quem não se lembra daquela raquete preta com verde do início das anos 90!?). É a raquete que ele melhor se adaptou e as tecnologias não renderam o bastante para ele se convencer que deveria trocar de modelo. Claro, casos como esse são isolados e muito raros.

Podemos concluir então que é importante procurar a raquete ideal que para seu estilo e características de jogo. Mas antes disso se torna fundamental priorizar o que você deseja para o seu jogo e o que pretende mudar para então usufruir de todos benefícios e tecnologias existentes para seu equipamento. Se você tem dificuldades nisso, o diálogo com seu professor e com um consultor de equipamentos de uma loja especializada são imprescindíveis. Mas lembre-se: não é você que deve mudar seu jogo em virtude da raquete, é a raquete que deve se encaixar no seu estilo! A menos que você queira realmente mudar tudo.

Atualmente, algo muito requisitado também é o serviço de "customização" e balanceamento de sua raquete, o que consiste em deixá-la mais potente, proporcionando mais controle ou até mesmo mais pesada sem interferir na distribuição de peso da raquete, através de máquinas cada vez mais modernas e precisas existentes no mercado. Esse serviço é válido quando o acerto a ser feito é sutíl. Experimentem!

Fabrizio Tivolli foi o encordoador oficial do Brasil Open; atuando também em torneios estaduais e brasileiros. Formado em encordoamento e análise técnica de raquetes por Lucién Nogues na convenção Babolat. É técnico e consultor de equipamentos tenísticos; encordoador e proprietário da Tivolli Sports; de Alphaville. Escrevendo sobre equipamentos também para a Federação Paulista. Encordoador oficial do Australian Open 2017.

fabrizio@tivollisports.com.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis