Instrução | Infantil
Voleio backhand: ataque e defesa com estilo
Por Suzana Silva
26/05/2008 às 14h20
instrucao/fotos_destaques/grip_voleioback_canhoto_int_instr.jpg

Neste sexto artigo da série sobre tênis infantil, daremos dicas de jogos simples e divertidas que podem ser realizados entre pais e filhos ou entre professores e alunos, para facilitar o aprendizado do voleio backhand.

O leitor que vem acompanhando nossa série aprendeu vários fatos sobre voleios na introdução do artigo sobre o voleio forehand da edição anterior.

A razão principal da existência de um artigo especial para o voleio backhand é curta e grossa: muitos dos nossos melhores juvenis não dominam este fundamento (temo algumas honrosas exceções, como a brasiliense Raphaela Borges e....).

Com a disseminação em massa do estilo "golpes potentes de fundo de quadra seguidos de swing volleys devastadores", nosso velho e bom voleio de backhand parece uma lembrança romântica e nostálgica que persiste entre aqueles que cresceram assistindo Rod Laver, Arthur Ashe, Martina Navratilova, John McEnroe, Thomaz Koch e Carlos Kirmayr.
Só nos resta fazer nossa parte: o voleio contra-ataca! Ou melhor: ataca e defende em grande estilo!

Algumas razões para aprender o voleio backhand com uma mão:
1. é uma excelente preparação para aprender o efeito slice (aquele em que a bola é golpeada de cima para baixo, gerando uma rotação na bola para trás), e todos os golpes especiais que derivam dele: a curtinha, o golpe de aproximação e o lob defensivo;

2. aumenta sua capacidade de defender e atacar à partir do lado não dominante, pois volear com uma mão aumenta o seu alcance tanto para o lado, para baixo e para o alto;

3. para defender bolas que vêm direto no seu corpo quando jogar junto à rede, o voleio com uma mão - colocando a raquete à frente da parte do corpo que quiser proteger - é a opção mais rápida.

Agora, algumas razões para não aprender a volear com uma mão:
1. você vai volear muito melhor do seu lado não dominante e será convidado por todos os seus amigos para ser parceiro de duplas nos torneios, o que poderá causar constrangimentos por não poder atender a todos;

2. você fará jogadas de grande efeito moral, como drop-volleys, voleios angulados e voleios bate-pronto. Isto o tornará muito popular no clube, o que pode causar inveja em jogadores menos habilidosos;

3. você irá fortalecer a musculatura do seu antebraço praticando os voleios e, como conseqüência, seu backhand de uma mão com efeito slice ficará ainda mais penetrante. Isto irritará muito seus adversários adeptos de empunhaduras extremas no forehand, que detestarão suas bolas rasantes e escorregadias.

Se o leitor é um pai ou professor de tênis, espero que a esta altura eu tenha conseguido vender a idéia de que aprender, praticar e aperfeiçoar este fundamento é muito importante. Se você é um tenista mirim, espero que esteja considerando a idéia de que volear é superdivertido!

E VAMOS AOS JOGOS!
5, 6, 7 anos. Antes, mais uma informação: se a criança pequena estiver com raquete de tamanho adequado à sua altura, dá para aprender o voleio com uma mão, sim. Mas, de qualquer forma, há um jogo pré-desportivo que pode ajudá-la a entender melhor esta relação entre voleio "palma da mão" e voleio "costas da mão": o jogo se chama Caça às Borboletas. O professor lança bolas por cima da rede (as "borboletas") com a mão, devagar, de baixo para cima. Do outro lado, há duas crianças: uma segurando um arco com a mão dominante, e a outra segurando um cone pequeno ou tubo de bolas com as duas mãos. A que está com o arco captura a "borboleta" (bola deve passar no ar através do arco) e a que está com o cone, deve prendê-la no cone (depois de passar pelo arco, a bola pode quicar no chão uma ou duas vezes e ser "presa" pela criança que segura o cone). O professor estimula que a criança com o arco na mão capture a bola dos dois lados do corpo, simulando voleios forehand e backhand. Depois de dez borboletas capturadas e presas as crianças trocam suas posições.

FACILITANDO: este jogo é bem fácil, mas jogar algumas bolas em seguida do lado dominante e depois algumas em seguida do lado não dominante vai indicando como ela vai volear quando pegar a raquete na mão.
DIFICULTANDO: aumentar a distância entre professor e crianças, aumentar a velocidade das bolas.
DICAS: numa aula em grupo com no mínimo seis crianças, você pode fazer uma competição para ver, de dez bolas, qual time consegue "capturar e prender mais borboletas". Todos devem participar em todas as posições (teríamos então três rodadas).

8, 9, 10 anos: Se o seu filho ou aluno já brincou de tênis anteriormente, provavelmente já consegue combinar os voleios com diferentes tipos de deslocamentos. Você pode fazer este jogo de Salta e Joga, que estimula o saltito de antecipação. Coloque um elástico - dos brancos e finos, que se encontra em loja de armarinhos - de um lado ao outro da quadra, na altura da metade dos quadrados de saque. A criança deverá, ao seu comando, saltar o elástico, executar um voleio de esquerda com uma mão, e aí o ponto começa, apenas dentro dos quadrados.

FACILITANDO: o elástico pode ser preso bem rente ao chão e o jogo ser disputado apenas usando um dos quadrados de saque.
DIFICULTADO: o elástico é preso pouco acima da altura dos tornozelos da criança e os dois quadrados são usados no jogo
OBSERVAÇÃO ÓBVIA MAS IMPORTANTE: não há perigo de tropeçar no elástico e cair, pois ele é flexível.

10, 11, 12 anos: a criança já deve conseguir se deslocar melhor e controlar direção e profundidade em seus voleios. Você e seu filho ficam frente à frente, atrás das linhas de saque, e devem colaborar, trocando quatro voleios de esquerda com uma mão por cima da rede, sem deixar cair a boa no chão e sem entrar para frente das ditas linhas. Depois das quatro bolas trocadas no ar sem errar, "abre" para um jogo normal. Ao final do primeiro game, troca quem começa lançando a bola (para os dois terem oportunidade de atacar ao final das bolas de colaboração).

FACILITANDO: se a criança não consegue alongar tanto os voleios ainda, fiquem mais próximos um do outro para iniciar a troca de voleios no ar.
DIFICULTANDO: aumente cada vez mais a distância. Este treino é excelente para melhorar o primeiro voleio.
DICA: numa aula em grupo podem ficar dois ou três jogadores de cada lado, colaborando de quatro a seis bolas antes de iniciar o ponto competitivo.

13 anos em diante: o jovem já deve estar familiarizado com voleios de diferentes pontos da quadra. Pode fazer então o jogo Nunca Fora: jogue um set em que, após o saque e a resposta, os jogadores não podem sair das linhas de fundo. Este jogo estimula os jogadores a rebater as bolas na subida e a usar mais os voleios também.

FACILITANDO:
este jogo é muito fácil, não tem como facilitar...
DIFICULTANDO: após o saque e após a resposta, ambos devem rebater as próximas bolas de voleio. Este é irado!

Você tem mais perguntas? Nós temos muitas respostas e mais perguntas...
O e-mail da Suzana é contato@suzanasilvapromocoes.com.br, fique à vontade.

Suzana Silva Promoções/Caminhos divertidos para o bem estar
Nossa bola oficial é Wilson
(11) 3167-7863

contato@suzanasilvapromocoes.com.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis