Instrução | Ciência
Entenda o fim do estilo saque-voleio
Por Prof. Dr. Ludgero Braga Neto
11/07/2015 às 08h58

Ao longo das últimas décadas, presenciamos a decadência do estilo “saque e voleio” durante os jogos de simples. Isso é fato. Como explicar o desaparecimento desta estratégia que consagrou grandes tenistas, como John Mcenroe, Boris Becker, Stefan Edberg, Patrick Rafter, Tim Henman, Pete Sampras entre tantos outros?

Na figura abaixo, com alguns simples tratamentos de imagem, procuro demonstrar este “desinteresse” pelo jogo próximo à rede ao longo dos anos.


Sem muito me alongar na análise, citarei três fatores – de diferentes aspectos -  que podem explicar esse fenômeno:


1. Equipamentos
Com o desenvolvimento da tecnologia, o conjunto raquete/encordoamento passou por grandes mudanças, melhorando a relação potência x controle dos golpes. Em um primeiro momento, esses equipamentos auxiliaram o desenvolvimento do golpe que inicia o ponto, ou seja, o saque. Obviamente, esse acontecimento facilitou o estilo saque e voleio.


2. Métodos de treinamento

Com a melhora do saque, no início da década de 1990, surgiram os chamados “big servers”, como Goran Ivanisevic, Boris Becker, Pete Sampras e Andy Roddick. Os treinadores então passaram a buscar um “antídoto” para combater essa arma da nova geração de grandes sacadores. Assim surgiram novos métodos de treinamento enfatizando a devolução de saque, o que pode parcialmente explicar o declínio do estilo “saque e voleio”. Andre Agassi é um ótimo exemplo de excelente devolvedor de saque na década de 90, e assim derrubou muitos tenistas adeptos do estilo “saque e voleio”.


3. Técnica
Simultaneamente ao desenvolvimento do saque, percebemos o aumento de tenistas golpeando o backhand com duas mãos. Essa variável contribuiu bastante como fator de proteção aos tenistas que insistiam em subir à rede. Explico: o backhand com duas mãos é um movimento mais circular se comparado ao backhand com uma mão, com sua fase de terminação mais próxima ao corpo. Essa característica biomecânica favorece o efeito topspin, que faz a bola descer mais rápido, se comparado aos outros efeitos. Essa descida mais rápida da bola dificulta o voleio do adversário.

Além disso, o backhand com duas mãos facilita a devolução de dois tipos de saque que são muito utilizados no tênis moderno:

A. Saques potentes – Com duas mãos, o tenista tem mais chance de manter a cabeça da raquete firme na devolução.

B. Saque altos – Com duas mãos, é mais fácil devolver saque altos (kick serve), através da flexão do punho não-dominante.

Prof. Dr. Ludgero Braga Neto é mestre e Doutor em Biomecânica do Tênis pela USP. Tenista 1ª Classe pela Federação Paulista de Tênis; é Coordenador Técnico da Academia Slice Tennis. Também é professor da disciplina Tênis na Escola de Educação Física e Esporte da USP e realiza Consultoria para clubes e academias.
Contatos pelo fone (11) 9281-2177

ludgero@usp.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis