Instrução | Equipamento
Conheça as diferenças entre os tipos de bola
Por Fabrizio Tivolli
07/07/2015 às 09h12
instrucao/equipamento/bolinhas_jankovic.jpg

Salve-salve amigos tenistas!  Cada vez mais têm sido frequentes perguntas sobre, talvez, o principal item do jogo de tênis: as bolas. Tendo em vista que esse item também divide muitas opiniões e gostos e tem despertado crescentemente um nível de exigência dos jogadores (amadores ou profissionais), resolvi fazer um guia das principais bolas presentes no mercado para que possamos entender também o motivo das variações de preço e as consequências que determinados níveis de bolas trazem para a quadra! 

Podemos dividir os tipos de bola em 3 níveis principais: bolas de treino (Practice); tradicionais (Championship) e as tops de linha (Premium). Esses níveis trazem diferenças significativas em tecnologias e qualidade de materiais de feltro e borracha. Isso modifica a sensação de conforto, a durabilidade e principalmente a garantia de bolas homogêneas dentro do mesmo tubo. É muito importante frisar que independente do nível da bola, é essencial que ela tenha ao menos o selo da ITF (Federação Internacional de Tênis), que garante que esse tipo de bola passou pelo controle de qualidade, tendo o tamanho, circunferência, pressão, etc., dentro dos padrões e é uma segurança a mais de que as bolas estarão em estado praticamente idêntico dentro do tubo. 

Bolas para treino: são denominadass bolas de treino os modelos que são feitos para terem o mais baixo custo possível. Dentro dessa linha de bolas (muitas com o selo da ITF), o feltro e a borracha são mais simples, o que faz com que esse tipo de bola dure menos. As bolas de treino são ideais para jogadores que buscam uma grande quantidade de bolas para usar nos treinamentos. Importante: nada impede que esse tipo de bola seja usado para jogos. Em geral, todas as marcas têm bolas dessa linha. Exemplos comuns no mercado brasileiro: Babolat First e Gamma Practice; essas bolas podem ser usadas em qualquer tipo de quadra.

Bolas tradicionais (Championship): Toda marca tem a tradicional Championship, que se trata de uma bola que respeita todas as normas de qualidade de sua marca, possuindo bons materiais e controle de qualidade em sua produção (mas não os tops). São as bolas mais comuns de vermos dentro da quadra para nossos jogos com amigos ou torneios regionais. Esse tipo de bola, apesar de ter permissão de ser usado em torneios profissionais, não costuma ser usado em grandes torneios. Seria a melhor relação custo x benefício para os tenistas amadores ou para treino de tenistas competitivos. Exemplos: Wilson Championship (já foi usada no Brasil Open), Head Championship, Babolat Championship, Tretorn Championship (usada pela Federação Paulista) e Dunlop Championship All Court. Em geral, essas bolas podem ser usadas em qualquer superfície. 

Bolas Top de linha (Premium): Essa linha de bolas reúne as principais tecnologias e materiais de feltro e borracha de suas marcas. Em geral, essas bolas são usadas nos principais torneios do mundo e oferecem ao jogador, além de ótima durabilidade, uma sensação única de batida. São as bolas mais procuradas pelos tenistas com grau de exigência elevado, que em geral não usam bolas em grandes quantidades. Exemplos: Tretorn Micro X, possui tecnologia única de partículas internas (que deixam a bola maciça) fazendo com que esse modelo nunca murche (todos os tipos de quadra), além de acompanhar um imponente tubo; Slazenger Wimbledon, bolas usadas no Grand Slam inglês, vem em tubo de lata com a logomarca do torneio (ideal para quadras rápidas); Babolat Roland Garros Clay Court: considerada uma das melhores bolas para saibro, mesmo modelo usado no Aberto da França; Dunlop Fort Clay: usada no torneio de Roma e Monte Carlo, ambos no saibro; Head ATP: ideal para quadras duras, usada no Master finals; Wilson US Open e Australian Open, usadas nos torneios que levam seus nomes. A bola premium de melhor custo é a Dunlop Grand Prix. 

Para conhecer todos os modelos citados, acesse o link abaixo:
http://www.raquetemania.com.br/index.php/produto/62/todas-as-marcas 

Para os que ainda não conhecem muito sobre o assunto, recomendo que leiam também nessa coluna, matérias anteriores que abordam as bolas de tênis. Será um ótimo complemento e poderão entender de forma mais ampla as diferenças e dados básicos entre as bolas. Fico à disposição, como sempre, para esclarecer mais dúvidas. Recomendo que, na medida do possível, possam testar os modelos de bolas para saber, dentro da quadra, os benefícios que podem trazer ao seu jogo. 

Forte abraço e até a próxima!

Fabrizio Tivolli foi o encordoador oficial do Brasil Open; atuando também em torneios estaduais e brasileiros. Formado em encordoamento e análise técnica de raquetes por Lucién Nogues na convenção Babolat. É técnico e consultor de equipamentos tenísticos; encordoador e proprietário da Tivolli Sports; de Alphaville. Escrevendo sobre equipamentos também para a Federação Paulista. Encordoador oficial do Australian Open 2017.

fabrizio@tivollisports.com.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis