Instrução | Equipamento
Os melhores equipamentos do ano
Por Fabrizio Tivolli
04/12/2014 às 23h35
instrucao/equipamento/asics gel resolution 5.jpg

Resolution 5 da Asics

Inspirado pela tradicional votação dos melhores do ano do site TênisBrasil, resolvi também escrever sobre os produtos que tiveram maior destaque, procura e que foram mais comentados no mundo dos equipamentos de tênis, uma espécie de "Melhores equipamentos do ano". Abaixo, vamos conhecer um pouco mais sobre eles e entender os motivos que fizeram esses produtos se destacarem dos demais dentro de uma gama tão vasta como a do esporte que adoramos. 

Começando com os pés, vamos falar do "hors concours" dos calçados: o tênis Asics Gel Resolution. Em 2006, um dos anos em que fui o encordoador oficial do Brasil Open, vi com curiosidade pela primeira vez alguém de ponta usando esse tênis e não poderia vir com melhores credenciais: Gustavo Kuerten e Larri Passos. Como naquela época o Guga estava sem patrocínio de calçados, percebi que ele escolhera estar com aquele tênis. Foi então que comecei a olhar mais de perto. Hoje, quase 9 anos depois, esse é de longe o melhor e mais procurado calçado para a prática do tênis, um dos mais usados entre os profissionais e amadores e disponível para mulheres e homens. Seu modelo atual, o Resolution 5, é um grande sucesso, pois tem o mesmo sistema de amortecimento consagrado pela marca japonesa nos calçados de corrida, mas adaptada ao tênis (amortecimento em todo o solado), combinado com barra anti-torsão extremamente eficiente, pontos de ventilação e inúmeras outras tecnologias que fazem com que o tênis "abrace" seus pés. Para finalizar, existe um grande trabalho da marca de deixar o calçado totalmente estiloso, mudando aquele mito de que os calçados para tênis são muito sérios e sem variação de cores. Esse tênis tem versão para qualquer tipo de superfície e um modelo exclusivo para saibro (Resolution 5 clay). Esses e outros motivos fazem com que o Resolution 5 seja praticamente uma unanimidade e um dos calçados mais vistos nos pés dos jogadores profissionais e recreativos.

Quanto às raquetes, dividirei em três partes, pois neste ano tivemos 3 marcas que se destacaram muito não apenas em nosso mercado, mas também no mundo todo - no circuito profissional e amador-, sobretudo alguns modelos específicos: Wilson, Head e Yonex, fazendo um breve panorama do circuito profissional masculino (apesar de ter também muito destaque no feminino). Wilson e Head praticamente dominaram o segundo semestre dos grandes torneios, enquanto a Yonex ocupou lugar de grande destaque, "vencendo" o primeiro Grand Slam da temporada pelas mãos de Stan Wawrinka e chamando a atenção nas mãos de Nick Kyrgios. 

Wilson: A marca americana apostou na inovação da furação (número de cordas x tamanho do aro), revolucionando essa característica com furações mais abertas, fazendo com que o spin gerado aumentasse em até 200 as rotações por minuto da bola. Isso fez com que os tenistas pudessem bater mais forte com uma margem maior de acerto e segurança. A Wilson, que também é uma raquete conhecida pela sua firmeza, passou a chamar ainda mais a atenção em 2014 após o "ressurgimento" de Roger Federer, que teve melhora absolutamente significativa após trocar de modelo (que ele usava desde o início da carreira), provando que trocas são muito bem vindas, desde que com estudo e sabendo o que cada tenista busca acrescentar em seu jogo. Como a nova raquete de Federer irá chegar em janeiro de 2015, coloco entre as melhores do ano o modelo BLX Blade 98s, que possui as melhores tecnologias da marca e oferece a inovação "spin effect" citada anteriormente. Esse foi um dos modelos mais procurados e comentados do ano! 

Head: Vencedora de Wimbledon e do US Open nas mãos de Novak Djokovic e Marin Cilic, respectivamente, entre vários outros torneios. A marca austríaca apostou no material Grapheno, um material extremamente firme (é o material mais forte e mais leve do mundo), mas que não deixa a raquete "dura". Ou seja, o tenista tem maior "feel" e controle dos golpes, com maior conforto, o que antigamente era praticamente impossível de se aliar em apenas uma raquete. Coincidência ou não, essa qualidade de material se refletiu nos torneios profissionais e vimos inúmeros tenistas Head obtendo maior sucesso, o que ajudou a chamar a atenção dos amadores. Unindo o material à inovação, a Head modificou um de seus modelos (se não o mais) lendários, a Radical, que já passou pelas mãos de mitos como Guga, André Agassi e Andy Murray. Após décadas, a marca modificou as configurações dessa raquete, fazendo com que a área de batida aumentasse e o jogador ganhasse maior velocidade nos golpes. 

Yonex: A marca japonesa ganhou o troféu revelação no Brasil neste ano como uma das marcas mais procuradas. Nunca se falou tanto da marca, de sua qualidade já conhecida no mundo todo (única marca a ter os modelos de ponta fabricados exclusivamente no Japão) e por ser uma das mais comentadas em firmeza e redução de vibração. A Yonex vem de excelentes resultados no circuito profissional e amador. Esse sucesso se dá pelo fato de que a cabeça da raquete é praticamente quadrada (formato isométrico), o que aumenta muito a área doce de batida, aliada a sutis, mas decisivas tecnologias. A marca japonesa alia tradição a tecnologia quando não modifica drasticamente a raquete, mas usa artifícios em pontos-chave da raquete, como o "Micro core", que fica na cabeça da raquete, o que resulta em extrema estabilidade e o mínimo de vibração. Estabilidade versus Vibração também é o que a Yonex tem ofertado (e conseguido com sucesso) ao seu público cada vez mais fiel. Como principal modelo, destaco a nova Vcore SI 98, que oferece firmeza e ótima relação entre controle e conforto. 

Nas cordas "melhores do ano", separo um modelo de multifilamento e um de monofilamento (entenda melhor sobre tipos de cordas nas edições anteriores da coluna sobre equipamentos) e outra inovação que não se encaixa em categorias de filamentos como veremos a seguir: 

Multifilamento- Corda Yonex Tour Super 850 - extremamente multifilamentada (quanto mais filamentos uma corda tem, mais complexa sua construção e menos impacto ao braço), essa corda é indicada para jogadores que buscam o máximo de conforto e que queiram combater o "tennis elbow". Ficou ausente do mercado brasileiro por alguns anos e agora voltou. Ela ajuda a gerar potência/energia na batida. 

Monofilamento - A marca americana Gamma inovou criando uma corda para ser usada híbrida (em conjunto com outra corda), mas apenas nas horizontais (crosses) da raquete, trata-se do monofilamento Gamma Glide Cross string, uma corda que em combinação com outra corda de qualidade na mains (vertical), de preferência um co-polímero, oferece ao jogador uma variação positiva perceptível de efeito e aumento de rpm´s em cada golpe. Eu diria que essa é a maior inovação do ano no quesito cordas. 

Babolat Origin - Trata-se de um "monofilamento multifilamentado" para melhor definir! Essa corda é uma espécie de monofilamento tão ou mais confortável do que um multifilamento, se movimenta menos com as batidas no aro da raquete do que uma tripa sintética comum e uma das grandes inovações de 2014. Diria que é uma experiência nova e incomparável com outros modelos de cordas e vale a pena testar, para o jogador que busca firmeza com bom conforto.


Amigos, estes foram alguns dos principais produtos que acompanhei e pude conhecer em 2014. Muitos deles me surpreenderam, pois eram inimagináveis até pouco tempo atrás. Destaquei esses produtos, pois recebi treinamentos e tive feedbacks práticos de meus clientes em meu dia-a-dia, feedbacks esses muito positivos. Portanto, como tenho certeza que você, como um bom tenista curioso, quer o melhor para seu equipamento, espero que possa testar algumas dessas inovações. Como sempre falo em minhas matérias, o teste sempre é válido, pois podemos ter benefícios reais e surpreendentes em nosso jogo! 

Para quem quiser conhecer melhor e ver descrições sobre os produtos acima, acessem o site www.raquetemania.com.br.

Boa passagem de ano a todos e que 2015 seja um grande ano, com muito tênis!

Fabrizio Tivolli foi o encordoador oficial do Brasil Open; atuando também em torneios estaduais e brasileiros. Formado em encordoamento e análise técnica de raquetes por Lucién Nogues na convenção Babolat. É técnico e consultor de equipamentos tenísticos; encordoador e proprietário da Tivolli Sports; de Alphaville. Escrevendo sobre equipamentos também para a Federação Paulista. Encordoador oficial do Australian Open 2017.

fabrizio@tivollisports.com.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis