Instrução | Medicina esportiva
Entenda melhor os anti-inflamatórios
Por Dr. Rogério Teixeira da Silva
25/07/2011 às 14h20
instrucao/outros_assuntos/comprimidos2_hz.jpg

Anti-inflamatórios são muito usados no Brasil e em todo o mundo para tratar quadros de dor aguda. Mas porque será? Então podemos falar que eles também são analgésicos? Podemos sim.

Os anti-inflamatórios se dividem em hormonais (aqueles derivados de corticóides) e não hormonais (os que não afetam a parte hormonal). Anti-inflamatórios não hormonais diminuem a dor e a inflamação porque agem bloqueando a produção de prostaglandina. Quando temos uma contusão ou uma dor aguda ocorre a liberação destas substâncias (que se apresentam em vários subtipos), o que proporciona o estímulo para gerar dor. Por isso é que boa parte dos anti-inflamatórios não hormonais também tem um grande potencial analgésico, principalmente nas contusões agudas (torções, contusões, fraturas, etc).

Os anti-inflamatórios não hormonais foram objeto de muita discussão desde que o Vioxx saiu do mercado em 2004 porque descobriu-se que alguns mais modernos (que são mais seletivos para bloquear a dor e inflamação) causavam problemas cardíacos.

O que é importante lembrar aqui: tudo em medicina é baseado na relação risco/ benefício e todo médico pondera isso ao realizar uma conduta (indicar um remédio, uma cirurgia, entre outras coisas). Quando falamos de medicamentos, duas coisas são muito importantes: tempo de utilização e dose. Um anti-inflamatório usado por uma ou duas semanas pode causar algumas complicações gastrointestinais, se for não seletivo da Cox-2, mas dificilmente vai causar complicações renais ou cardíacas, se for usado por uma semana ou 10 dias. Outra coisa importante: alguns medicamentos podem ser usados em doses baixas depois de uma dose maior inicial e isso é muito importante para prevenir as complicações. Portanto, observem que mesmo um medicamento considerado comum pela população tem as suas peculiaridades e a automedicação pode ser muito prejudicial.

Discuta com seu médico esses pontos de vista e lembre que todo anti-inflamatório deve ser vendido somente com prescrição médica, independente de ser novo ou antigo. Muitas farmácias fazem vista grossa e vendem sem prescrição, o que deve ser coibido pelas agências regulatórias. As sociedades médicas estão de olho nisso e sempre fazendo campanhas para que a venda seja feita somente com receita médica.

Dr. Rogério Teixeira da Silva é Mestre e Doutor em Ortopedia e Medicina Esportiva pela Unifesp; é coordenador do NEO - Núcleo de Estudos em Esportes e Ortopedia e diretor da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte da SBOT e médico do grupo de ortopedia e traumatologia esportiva do Hospital São Luiz - Morumbi
Blog: http://docroger.blogspot.com

rogerio@neo.org.br
Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis