TenisBrasil - Tenis.Com Chiquinho
O que esperar da next gen em 2019
Por Chiquinho Leite Moreira
novembro 19, 2018 às 7:12 pm

A turma da nova geração do tênis mundial já mandou um belo aviso neste final de temporada. Karen Khachanov, em Paris, e Alexander Zverev, em Londres, derrotaram o atual número um do ranking Novak Djokovic para ganharem títulos de suma importância. Stefano Tsitsipas fez um brilhante ano, assim como seu adversário na final do Next Gen, em Milão, Alex de Munar. Os americanos, que não contam com um número um desde os tempos de Andy Roddick, podem sonhar alto com nomes como Frances Tiafoe, Taylor Fritz, entre vários outros. E até mesmo a armada espanhola, um pouco desgastada, apesar de Rafael Nadal, está vendo surgir um novo talento como Jaume Munar. Sem contar ainda com os jogadores um pouco mais experientes como Nick Kirgios, Dominic Thiem, juntos a vários outros.

A expectativa de sucesso dessa rica nova geração fica para os Grand Slam. Esta série de torneios há muitos e muitos anos vem sendo dominada pelos consagrados Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic, Andy Murray e alguns poucos intrusos como Stan Wawrinka, Marin Cilic e Juan Martin Del Potro.

Thiem chegou a final de Roland Garros este ano. Perdeu para Rafael Nadal, mas o fato de ter alcançado a decisão, pelo menos no meu ponto de vista, abre uma perspectiva enorme de se vencer. Lembro sempre de um certo ano em Paris, quando Arantxa Sanchez decidia o título diante da super campeã Steffi Graf e meus amigos espanhóis confessavam o temor de um vexame, uma bicicleta ou coisa parecida. Mas, ao final da história, a jovem espanholinha, meio rechonchuda na época, deixou a Philippe Chatrier carregando o troféu.

Outro detalhe importante é que, além das vitórias de Khachanov e Zverev sobre Djokovic, das dez derrotas de Roger Federer na temporada, quatro vieram de jogadores deste novo grupo: Thanasi Kokkinakis, em Miami; Borna Coric, em Halle e Xangai; e mais recentemente Zverev, em Londres.

O duelo de gerações promete ser uma das grandes atrações para a próxima temporada. Afinal, Novak Djokovic, apesar do vice em Londres, está em plena forma. Rafa Nadal por diversas vezes voltou de lesões com sucesso absoluto. Roger Federer, do alto dos seus 37 de vida, revela-se muito satisfeito com sua performance em 2018. E, para justificar seu sentimento, repetiu uma frase de Pete Sampras, ou seja, não se pode considerar ruim uma temporada em que se tenha erguido um troféu de Grand Slam.

Enfim, teremos muitos candidatos aos títulos dos quatro Slams. E a aposta fica para sabermos se vamos ter um novo nome da restrita lista de vencedores desta série de torneios. A contar pelo o que aconteceu em 2018, as chances são boas…

 


Comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>