RF e o número 1
Por Chiquinho Leite Moreira
fevereiro 17, 2018 às 4:17 pm

É realmente intrigante o que passa pela cabeça de alguns dos gênios do esporte, como Roger Federer. Recentemente conquistou o 20. título de Grand Slam, no Aberto da Austrália. Tem um total de 96 troféus, recordista em números de semanas na liderança do ranking e, certamente, não teria mais nada a provar a ninguém. Mas ainda assim segue com enormes ambições. E nesta semana realizou mais um sonho: recuperou o número um do mundo, sendo o tenista mais velho, 36 anos, a ocupar esta posição.

E, por incrível que possa parecer, Roger Federer não está satisfeito ainda. Seu próximo objetivo é superar o recorde de títulos de Jimmy Connors. O norte-americano ganhou na carreira 109 troféus e também teve vida longa nas quadras.

É curioso que Federer segue com essas ambições num momento em que deixou transparecer que não iria se expor muito e sim selecionar os eventos, poupando-se de contusões. Só que seu plano seguiu outro caminho e o suíço foi levado para a Holanda, disputar o ATP 500 de Roterdã e na próxima segunda feira voltará a ver o seu nome no topo da lista de classificação da ATP.

O número 1 no tênis tem um fascínio impressionante. Em outros tempos chegou a ser como o Olimpo. Jogadores que venciam o líder, em qualquer torneio, ganhavam pontos de bônus no ranking. Com o tempo e dentro das diversas alterações ao longos dos anos a ATP acabou com estes pontos de bonificação.

O ranking da ATP teve sua primeira lista divulgada em 23 de agosto de 1973. O primeiro a ocupar esta posição foi o romeno Ilie Nastase. E, como curiosidade, segue a lista completa de todos os líderes: John Newcombe, Jimmy Connors, Bjorn Borg, John McEnroe, Ivan Lendl, Mats Wilander, Stefan Edberg, Boris Becker, Jim Courier, Pete Sampras, Andre Agassi, Thomas Muster, Marcelo Rios, Carlos Moya, Yevgeny Kafelnikov, Patrick Rafter, Marat Safin, Gustavo Kuerten, Lleyton Hewitt, Juan Carlos Ferrero, Andy Roddick, Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray.


Comentários
  1. Kadu

    Chiquito, não coloco em ordem, pois acho que a comparação seria quase impossivel, mas o meu top 10 da história seria:

    Federer, Pelé, Senna, Brady, Riner, Bolt, Phelps, Slater, Jordan e Woods.

    na sua opinião, é mais ou menos por aí?

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Boa Kadu… reconheço que não tenho essa cultura esportiva que vc demonstrou. Parabéns, mas sinceramente não sei o que dizer e confio nos seus palpites…. valeu

      Responder
  2. ROBÉRIO DA SILVA DE ANDRADE

    Chiquinho, Os feitos desse mito real, estão comparado com os grandes personagens da História. O esporte como um todo, e, principalmente o tênis, tem que reverenciar esse cara, por sua determinação, compromisso exacerbado no que faz, amor ao seu esporte. Um exemplo de motivação para qualquer profissional, seja qual for a atividade que exerça. Poderia estar fazendo qualquer coisa na vida com sua família. Mas continua motivado a jogar tênis como um principiante em busca do seu primeiro título.

    Responder
  3. Gilberto

    Por que ninguém fala sobre a qualidade dos títulos? Connors tem mais títulos, mas que não chegam perto dos que foram conquistadoaspor Federer (GS, Masters 1000, etc).

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      É verdade, mas o Federer não entrou neste importante detalhe… deu de ombros e temos de respeitar as duas interpretações o

      Responder
  4. Ernesto

    Ué… não tem banner de número 1 para Federer? Tem gente que postou até banner de número 1 quando outro tenista atingiu essa posição… engraçado…

    Responder
  5. Fernando Pauli

    Olá Chiquinho!
    Faltou na sua lista o primeiro que foi Ilie Năstase de 23/08/1973 a 02/06/1974.
    E desses 26 tenistas, 17 terminaram o ano como número 1, uma lista bem pequena, e o nosso querido Guga está neste seleto grupo. E só 10 tenistas terminaram o ano como nº1, duas ou mais vezes.
    Abs!

    Responder
  6. Eduardo Feitoza dos Santos

    Bom dia. Belo trabalho feito por vocês da bandsports cobrindo os torneios pelo mundo.
    Gosto muito dos seus comentários Chiquinho.
    Quanto a Federer o cara está muito acima dos outros.
    Acredito que ano que vem irá ultrapassar o números de títulos do Connors.
    Nesse torneio de Roterdã para mim só houve uma falha ” o troféu” os diretores
    deveriam elaborar um Troféu mais bonito ,nessa forma de bandeija ou tijela não
    é compatível com o tamanho do torneio.

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>