Encontro marcado
Por Chiquinho Leite Moreira
agosto 8, 2017 às 7:38 pm

Acreditem se quiser…. Roger Federer e Rafael Nadal já se enfrentaram por 37 vezes, com 23 vitórias para o espanhol e 14 para o suíço. Mas um fato curioso chama a atenção. Estes dois jogadores, que cultivam uma espetacular rivalidade, jamais se encontraram no US Open, o festivo Aberto dos Estado Unidos, em que estamos prestes a presenciar com grande ansiedade,

Os dois tenistas esta semana estão no Master do Canadá. O torneio leva o nome de Roger Cup, mas em nada influenciou na decisão de Federer em participar da competição. Aliás, ela é p’ra lá de importante para Nadal, que pode reassumir a liderança do ranking mundial.

No atual cenário do tênis masculino, com Novak Djokovic fora de combate, Andy Murray ainda sem destino, Stan Wawrinka com destino certo, Federer e Nadal caminham para um esperado e interessante encontro marcado no US Open. Seguindo as atuais expectativas Nadal e Federer podem sair como cabeças de chave número um e dois. Tudo levando a uma espetacular final em Nova York.

Alguns detalhes devem ser levados em consideração. Nadal vence com ampla margem o retrospecto: 23 vitórias é um número p’ra lá de eloquente.Só que nos últimos encontros o espanhol tem levado a pior.Isso como poderia sugerir o romance de Fernando Sabino, obra genial escrita em 1956 pelo contista mineiro poderia nos levar a um drama existencial. Porém, o espanhol tratou logo de buscar uma saída, uma resposta a sua galinha de estimação que virou almoço de domingo. E nestes tempos de verão na Europa chamou Grigor Dimitrov, o Baby Federer, para treinar a seu lado em Maiorca. Será que não  pediu ao búlgaro para jogar exatamente como suíço nos dias de hoje? Se for assim, Nadal revela mais uma bela jogada para superar seu maior rival e reencontrar-se com as vitórias, mesmo nas quadras rápidas do circuito norte-americano.

Só que jamais deve-se esquecer de que o aniversariante Roger Federer é dono de geniais conquistas e jogadas. Um tenista para fazer história e encher os olhos de quem ama o tênis. E quem ganha com isso, sem dúvida, são os amantes do tênis…


Comentários
  1. Cynthia - Araçoiaba

    Chiquinho, boa noite! Acho q VC deu uma viajada … A mecânica DOS golpes é a mesma, a grosso modo, daí o apelido Baby … Na Auatrália este ano o Nadal não ganhou do Baby, o Baby perdeu o jogo, lembra?? Em Segundo lugar, este Federer q ganhou todas este ano, o Baby ainda não o alcançou! O jogo deles está bem diferente hoje, o Senior conseguiu melhorar o q já era quase perfeito, e, o Baby, well, ainda é um baby!!! SE assim não Fosse, OS resultados dele já seriam muuuuito melhores! Abraço

    Responder
  2. Rubem

    Será especial neste torneio, isso se um novato tipo Coric, Zverev, Thiem resolverem estragar a festa !
    Aliás, estes canadenses de 15 a 20’anos (Felix, etc) estão aprontando!
    Rogerinho coitado foi uma das vítimas.

    Responder
  3. Ernesto

    Escrito típico de quem está “secando” Federer… parece até que os titulos em quadra dura no 1° semestre não foram suficientes para provar que eh o favorito sem sombra de dúvidas nesse final de temporada , que privilegia quem eh especialista nesse tipo de quadra.
    Ganhar o Australian Open , Master 1000 de Miami , e Master 1000 de Indian Wels (e para não ficar algo tão estratosférico nem vamos considerar a grama , que foi algo monstruoso , ganhando ATP 500 de Halle , e Wimbledon)… será mesmo que Federer não eh o favorito?? Sinceramente , dá até vontade de rir , vendo os “Nadalistas” literalmente desesperados com essa ascensão na temporada do suíço… minhs sugestão eh que deixem a torcida “cega” de lado , e se deliciem em ver o maior tenista de todos os tempos voltar ao topo em grande estilo.

    Responder
  4. José Coutinho

    Chiquinho,
    Respeito muito você e por consequência as suas opiniões sobre tênis. Você “manja” muito. Mas esta hipótese do Grigor mimetizar o Roger num eventual treino com o espanhol foi uma das maiores bobagens que já li num site especializado. Você poderia ter falado outras coisa pra completar a postagem, tanto assunto vigente nesta fase de USOpen series: Zverev, Os sacadores em alta novamente, Fenix Ferrer, outras análises do H2H Fedal…etc
    Enfim, esta é apenas a minha concepção. Grande abraço

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Coutinho entendo e respeito sua concepção. Mas o fato de Nadal aproveitar as características de Dimitrov para reencontrar-se com as vitórias diante de Federer não partiu apenas da minha cabeça. Quando comentei o assunto, por exemplo, com Celso Sacomandi, um dos grandes tenistas da nossa história, ele logo reagiu da mesma forma do meu pensamento. É muito comum no circuito os tenistas buscarem “rebatedores” de características semelhantes ao seu adversário. Lembro que Federer certa vez chamou um juvenil brasileiro – que agora me foge seu nome – para treinar com ele em Roland Garros, apenas porque o garoto era canhoto. Ora, lógico que o juvenil brasileiro, por mais talentoso que possa ser, não jogaria igual a adversários canhotos, como Nadal, por exemplo. Mas, como já disse, é muito comum e se nomes como Federer agem desta forma é porque funciona.
      abs

      Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>