RF : O campeão voltou…
Por Chiquinho Leite Moreira
janeiro 29, 2017 às 1:13 pm

Se o mundo do mundo do tênis já havia celebrado com entusiasmo a participação Roger Federer e Rafael Nadal na decisão do Aberto da Austrália de 2017, agora a emoção toma conta de todos que apreciam a arte desenhada com raquetes. Com dois jogadores genais em quadra, não há como negar que esta final correspondeu plenamente as expectativas.

Qualquer um que vencesse o título deste ano em Melbourne Park já contemplaria uma façanha incrível, pelo recente passado de ambos os jogadores. Mas no caso de Roger Federer trata-se de de uma volta triunfal aos grandes momentos. Afinal, desde Wimbledon 2012, o tenista suíço não erguia um troféu de tamanha importância. E, segundo sua própria esposa Mirka, ele pensou sim em abandonar a carreira. Mas felicidade geral da nação do tênis, o campeão voltou…

Em seu discurso de agradecimento, Roger Federer voltou a relembrar o encontro com Rafael Nadal, na Espanha, na inauguração da academia do tenista espanhol. Falaram que não alimentavam muitas esperanças de estarem novamente na final de um Grand Slam. E o que parecia impossível aconteceu: fruto da genialidade destes dois contemporâneos.

Um detalhe, porém, chamou minha atenção. Entre os agradecimentos, Federer voltou-se para o staff de Nadal e pediu que sigam trabalhando com afinco para manter o espanhol em forma e em ação. Terminou com uma linda mensagem: “o mundo do tênis precisa dele”.

E esta é a grande verdade. O campeão voltou, Nadal voltou e os amantes do tênis viram o que há de melhor na modalidade neste Australian Open. E que venha Roland Garros…

 


Comentários
      1. Chiquinho Leite Moreira

        Marcia não entendi…Federe e Nadal fizeram
        Uma final que se no tênis houvesse empate este seria o resultado. Enfim, vamos curtir este lindo momento do esporte.

        Responder
        1. Ricardo

          Chiquinho,
          acho que o comentario da Marcia vei a partir do primeiro
          que alega que Federer nem gosta do Brasil.
          Enfim, não da para perder tempo com este tipo de comentario.

          Responder
        2. Emerson

          O que você não entendeu Chiquinho? A Marcia Bastos afirmou, com toda propriedade, que o Marcelo é um Nadalete sem neurônios. Basta dar uma lida no comentário dele para ver que ela está coberta de razão.

          Responder
  1. Carlos Garcia

    Belo comentário, Chiquinho.
    O ano de 2017 promete muito pois há vários Jovens jogadores jogando no mesmo nível de Federer, Nadal, Murray, Djoko & Stan
    Abraços
    Carlos

    Responder
  2. Cesar

    Marcelo, pelo visto você não tem conhecimento algum de tênis. Quanta deselegância de sua parte um comentário falando que puxam o saco do RF e que o mesmo não gosta do Brasil. Aprenda um pouco da história de tênis para depois deixar sua opinião. Grato,

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Pessoal vamos celebrar este belo momento da tênis. Esta final do AO deve dar bons frutos para os amantes do tênis. Dentro de poucos dias Nadal vai para RG com enormes expectativas … viva o tênis e todas as suas paixões

      Responder
    2. Henrique Crispim

      Acho que ele escreveu esse comentário :pq o suíço não foi nas olimpíadas . Mal sabe que ele estava machucado e foi aconselhado a não vir.

      Responder
  3. Shermann

    Na realidade esse AO foi genial. Além da gente ver a queda dos cabeça 1 e 2 de maneira precoce, vimos 2 lendas vivas do esporte fazerem uma final “inesperada”.
    Lições do AO para mim:
    1- O tênis é um esporte fantástico onde um cara bem inferior em um dia inspirado pode surpreender um Djoko, Murray…dentre outros.
    2- Não podemos aposentar tenis do calibre do Federer e Nadal. A determinação, o espírito de luta, o foco e a garra desses caras é fora do normal.

    Sou fã incondicional do Federer..fiz um esforço grande p vê-lo jogar in loco certa vez…tenisticamente estou realizado. Eu acreditei mais após a vitória contra o Nishikori.

    Que bom q esses caras existem. Nadal é um monstro sagrado…jogo histórico e resultado épico!!

    Belo texto Chiquinho. Curto o seu trabalho

    Responder
  4. ERALDO GUILLAUME

    Chiquinho, elogiar seu post é redundância, e falar de Federer também
    Apesar de torcer pelo Djoko, não ver mais Federer dentro de pouco tempo nas quadras, é péssimo para o tênis mundial. Sorte que a garotada está chegando para preencher o vazio que vai ficar. O Big Four está com os dias contados, sorte de quem pode acompanhar.

    Responder
  5. Renato

    A vitória de Federer consagra de vez o maior tenista de todos os tempos. A história mostra isso. O jornalista não sei porque sempre se esquiva de dar sua opinião. Lógico q tem mas não quer desagradar ninguém. Acho que não dá ´pra comparar o jogo refinado, técnico, habilidoso do campeão com o tosco baloeiro espanhol que só se firmou qdo os controles médicos não eram severos. Chiquinho gente boa dê uma opinião pelo menos hj!

    Responder
  6. Alexandre Magalhaes

    Esse Australian Open foi um presente para a comunidade do tênis, especialmente pelo nível incrível apresentado por Federer e Nadal durante todo o torneio. E a final, de antologia! É um excelente augúrio para este ano. Vejamos como reagem Djokovic e Murray. E Não esqueçamos do Delpo, Dimitrov, Zverev, Thiem, Nishikori.

    Responder
  7. Reinaldo Maduro

    Chiquinho, no AO vimos um Dimitrov com mais vontade e concentracao e bons nomes dos novatos como Zverev e Thiem (este nem tanto) jogando com muita personalidade. Seria muito otimismo pensar que este ano vamos ter mais candidatos reais a ganhar GS que nao sejam os representantes do Big Four? No mais, hoje e um día especial. Os dois maiores voltaram. Dale Roger.

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      É verdDe o tênis está se reformulando. Dimitrov está quase pronto para um Slam. perdeu de Nadal pq no 15-40 ele já começou a pensar que iria sacar para o jogo com 5-3. perdeu

      Responder
  8. Francisco

    Boa noite xará!

    Gosto muito dos seus comentários e análises imparciais. Creio que a rivalidade Federer x Nadal é muito saudável e lamento pelos torcedores que criam discussões tolas em torno disso sobretudo porque os próprios protagonistas desta bela história são amigos fora de quadra e se respeitam sobremaneira. Gostaria, contudo, de tecer algumas breves observações. Deus foi justo hoje! Federer deveria ganhar como, de fato, ganhou. Nadal merecia o troféu? Sem dúvida alguma. Todavia, depois de ter sido a nêmesis de Federer em tantos episódios da história dos dois, acredito que hoje deveria ser o dia de Federer como foi. Como torcedor do suíço, torci muito para que Dimitrov vencesse na sexta para que o sofrimento hoje fosse menor. Porém, passado o “perigo”, percebo que a genialidade de Nadal elevou o feito de Federer à décima potência. Até agora me pergunto como Federer conseguiu sair daquele buraco no quinto set. Quando Nadal empatou no quarto set 2-2, eu literalmente joguei a toalha. Era a história se repetindo. E de repente, voilà! Federer faz o imponderável…. Parafraseando Star Wars, a vitória de Federer hoje trouxe um pouco mais de equilíbrio à “Força”. Obrigado Nadal por ter extraído toda a genialidade que estava latente no maior de todos os tempos!

    Grande abraço, xará!

    Responder
  9. João

    Engraçado, com tantas façanhas feitas pelo suíço o blogueiro dá um jeito de coloca-lo como testemunha da excelência ou sei lá o que do espanhol. Quando o Stan ganhou o torneio anos atrás vencendo o 1 e o 2 do mundo arrumou um jeito de dizer que o espanhol perdeu pq tava machucado. Poxa, será que ter ganho de 3 top 10 em partidas de 5 sets aos 35 anos, vencer seu maior rival com uma virada no 5 set não mereceria uma análise ou comentário mais pertinente! São 18 slams! Isso é história pura diante dos nossos olhos. Com as exigências fisicas do tênis de hj, um cara jogar esse absurdo e ainda ganhar major é algo no mínimo espetacular. O cara é a cara do tênis. O Nadal tem seus méritos, mas vai conseguir fazer o que Federer tem feito depois dos 30? Eu não duvido. Mas hj o correto é enaltecer os feitos do suíço. Meu, são 3 GS com ao menos 5 titulos em cada! Temos muita sorte em poder ver isso.

    Responder
  10. Izabel Mota

    Chiquinho, ainda existe o programa ACE?
    A Renata Saporito foi demitida? Não tem mais tenis no BandSports? Adoro vocês e sinto muita falta.

    Responder
  11. Henderson

    Chiquinho,
    Serena Williams foi campeã do AO de 2017 e conquistando o 23º Grand Slam na carreira. Você simplesmente ignorou a conquista da moça e nem citou isso em nenhuma. Fico triste com sua parcialidade como de sempre…..

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Poxa o TB explorou bem o assunto… eu fiquei neste reencontro de Federer e Nadal sempre buscando alternativas para não repetir o conteúdo do site, nem mesmo repetir as opiniões do Zé Nilton. É claro que a vitória dela foi merecida.

      Responder
  12. DANIEL DA LUZ MACHADO

    O Tênis mundial ganha muito com essa partida monumental e a volta ao protagonismo desses dois gigantes que acirrarão a competitividade em relação as outras estrelas em evidência e com isso todos que apreciam o esporte ganham em ver grandes partidas. Esse ano será bem promissor, pois o big four está de volta.

    Responder
  13. Fernando

    Será que ainda vão chama-lo de “um dos melhores de todos os tempos ” . É o melhor da história , depois vem , Rod Laver , Sampras e Rafa .Esse ano promete .
    Tem Rafa e Federer voltando , Murray e Djoko jogando tudo , e vem chegando Thiem , Higor e Alexander .

    Responder
  14. Altaisio Paim

    Bom dia!
    Chiquinho, existiu no passado algum jogador com a genialidade semelhante a do Federer, ou seja, hábil, com tantos recursos e magia?
    É impressionante a genialidade do suíço!!!
    Abraços.

    Responder
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Difícil dizer: não vi Rod Laver jogar, apenas algumas imagens. Pete Sampras para mim sensacional. Só que na época gostava mais do Agassi. Borg apareceu revolucionando o tênis, Ivan Lendl sempre apresentou uma eficiência incrível, assim como Wilander. Durante os torneios, porém, quando tinha um tempo livre gostava muito de ver os jogos de Jimmy Connors. Ele era um show em quadra. Já o McEnroe não curtia muito. Enfim, tem muita gente boa. Hoje em dia Dimitrov tá valendo a pena ver. Zverev tb… Vejo muita gente que gosta do Nishikori. Sinceramente, não sei se é assim tão importante rotular como o melhor de todos os tempos. Todas as emoções são bem vindas.

      Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>