Primeiro ano na elite do juvenil motiva Pucinelli
Por Mario Sérgio Cruz
janeiro 5, 2018 às 3:55 pm

Destaque no circuito juvenil na última temporada, Matheus Pucinelli será um dos quatro brasileiros no Australian Open de sua categoria. O paulista de 16 anos, que treina desde 2012 no Instituto Tênis, em Barueri, ainda tem dois anos de juvenil pela frente, mas os bons resultados na última temporada o deixam motivado para o ano de 2018. Ele também projeta bons resultados no início de sua carreira profissional, depois de ter marcado seu primeiro ponto no ranking da ATP em novembro, no future de Santos.

Matheus Pucinelli tem 16 anos e ocupa o 31º lugar do ranking juvenil (Foto João Pires/Fotojump)

Matheus Pucinelli tem 16 anos e ocupa o 31º lugar do ranking juvenil (Foto João Pires/Fotojump)

Pucinelli chegou às quartas de final do Campeonato Internacional Juvenil de Tenis de Porto Alegre (antiga Copa Gerdau), competição nível GA no circuito mundial de 18 anos e foi finalista no ITF G1 de Repentigny, no Canadá, resultado que lhe rendeu uma vaga na chave juvenil do US Open. Depois de terminar 2017 no 61º lugar do ranking mundial juvenil, ele irá iniciar a nova temporada já na 31ª posição após a profissionalização dos jogadores nascidos em 1999.

O jovem paulista viaja para a Austrália no dia 8 de janeiro e disputará seu primeiro torneio da temporada em Tralagon, a partir do dia 14. Já na semana seguinte, o paulista terá a companhia dos parceiros de treinos Igor Gimenez e João Lucas Reis e do paranaense que treina no Rio de Janeiro Thiago Wild na chave juvenil do Australian Open, em Melbourne.

Confira a entrevista com Matheus Pucinelli.

Logo no começo do ano você se destacou na Copa Gerdau, em Porto Alegre. Como foi a experiência de ir tão bem um torneio tão importante?
Acho que foi uma experiência boa. Consegui aproveitar bem um pouco da parte de estar jogando no Brasil e da torcida. Era um torneio muito bem organizado, com quadras muito boas, e pude aproveitar muito bem essa parte. Consegui me sentir tranquilo e tive um bom resultado.

Você também fez uma campanha muito boa no Canadá, pouco antes do US Open. O quanto esses resultados te motivaram ao ver que você conseguiu ser competitivo contra alguns dos melhores do mundo na sua categoria?
Acho que isso motiva muito porque a gente consegue ter a noção de que podemos estar entre os melhores da nossa categoria. Com esses resultados, finais de torneios grandes, semifinais e quartas, a gente tem a ideia de que pode estar sempre entre os melhores.

Você encerrou sua temporada depois dos futures. Quando você começou os treinamentos para o próximo ano e como está sendo a preparação para a Austrália?
Os futures foram bem legais para a gente sentir um pouco da atmosfera dos torneios profissionais e das rotinas, que são diferentes do juvenil. Depois tive duas semanas para descansar, ficar tranquilo, esquecer um pouco do tênis, e agora já voltei a treinar. Estamos na pré-temporada e trabalhando duro para chegar bem na Austrália.

Este é o último ano de juvenil de dois de seus parceiros de treino, o João Lucas e o Igor, mas você ainda pode jogar mais um ano. Como será o planejamento do calendário já os rankings de vocês são próximos?
A princípio para este ano, o meu calendário deve ser idêntico ao deles, mesclando bastante o juvenil com o profissional, em 50% de cada. Talvez em 2019 tenha uma mudança e eu jogue alguns torneios juvenis.

Aqui no Instituto a gente está sempre sendo cobrado e respondendo bem nós três juntos. A gente cria uma amizade, está sempre convivendo junto e a gente está conseguindo subir junto, todo mundo mundo melhorando a cada dia e um puxando o outro.

Quais sãos seus objetivos para a próxima temporada?
É conseguir me firmar bem no juvenil para estar nas chaves de Grand Slam e talvez conseguir um resultado bom em um deles e também conseguir resultados constantes nos futures para conseguir subir no ranking profissional.


Comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>