Os números 1 perderam… a cabeça
Por José Nilton Dalcim
13 de março de 2019 às 00:55

Terça-feira a se esquecer tanto para Novak Djokovic como para Naomi Osaka. O número 1 masculino sequer chegou nas oitavas de final de Indian Wells, a líder feminina e atual campeã levou uma surra e só não vai perder o posto porque a vice Simona Halep também decepcionou.

Nole definitivamente perdeu a cabeça. Jogou mal, parecia desfocado, arrebentou a raquete ao perder o primeiro set e furou a lona de fundo de quadra na partida de duplas que mais tarde venceu ao lado de Fabio Fognini. Seria efeito do péssimo clima dos vestiários?

Philipp Kohlschreiber, inegável, jogou de forma inteligente, exatamente como havia feito diante de Nick Kyrgios. A partir do quarto game, apostou numa tática inusitada, enchendo a bola de topspin antes de disparar um golpe mais reto ou arriscar uma deixadinha. Misturou demais o tempo inteiro.

Costumeiramente um ótimo estrategista, Djokovic desta vez se atrapalhou todo e não achou antídoto. Terminou com incríveis 19 erros de forehand de um total de 32, ou seja, média superior a 3 erros por game disputado. Algo que só o tênis pode proporcionar, o alemão repetiu a isolada vitória de Roland Garros praticamente 10 anos depois.

Osaka bem que ameaçou quebrar sua raquete também, porém se conteve e engoliu a frustração. A japonesa chegou claramente pressionada para defender o título e jogar como número 1. Mas é algo que com certeza mais algum tempo de estrada a fará administrar bem.

Aplausos para Belinda Bencic. Mesmo tendo um segundo saque pouco contundente, derrubou a quinta adversária top 10 em dois torneios seguidos, incluindo as três atuais líderes. Sua grande arma é uma visão de jogo extraordinária, que se junta a aplicação tática ferrenha e conjunto técnico competente.

Em dia cheio, Rafael Nadal demoliu Diego Schwartzman, enfrentará o sérvio Filip Krajinovic e provavelmente cruzará com John Isner ou Karen Khachanov. Sequência muita promissora.

Como era de se esperar, Roger Federer se mostrou muito mais inteiro fisicamente do que o amigo Stan Wawrinka e deve desafiar a nova geração, primeiramente Kyle Edmund e quem sabe Denis Shapovalov ou o ascendente Hubert Hurkacz, polonês de 22 anos que já chamei a atenção aqui.

Do outro lado, Kohlschreiber faz interesse duelo de ‘trintões’ com o renovado Gael Monfils e quem passar jogará contra Dominic Thiem ou Ivo Karlovic. Há boa chance para Milos Raonic ir longe. Pega Jan-Lennard Struff, que se valeu de péssimo dia de Alexander Zverev, e teria todo favoritismo contra Yoshihito Nishioka ou Miomir Kecmanovic, garoto sérvio de 19 anos.

Por falar em experiência, Venus Williams continua firme e forte. Aos 38 anos, dá outro show de vitalidade e amor ao tênis. Fez um jogo magnífico contra Petra Kvitova logo na estreia e embalou para as quartas. Nada fácil encarar agora Angelique Kerber ou Aryna Sabalenka.


Comentários
  1. Sônia

    Melo dizendo que o jogo será difícil contra o sérvio e o italiano, Mertens e Sabalenka na final… duplistas verdadeiramente devem estar muito irritados rsrs. Beijos.

    Responder
  2. Renato

    Olha Gabi, eu não sou muito fã de Queens, mas a música tem tudo a ver com Federer.
    Mas eis que um i…. oportunista se aproveitou da sua deixa pra fazer, provavelmente e com 100 % de certeza, comparações sexuais e mentirosa com o tenista citado. Mas depois o mesmo, hipócrita ao extremo, vem aqui criticar quem faz o mesmo com o tenista pelo qual ele torce. Um zero à esquerda.

    Responder
  3. Luiz Fabriciano

    Prezados colegas do Blog, vendo e repensando velhos comentários, bem velhos por sinal e em função dos últimos acontecimentos em Indian Wells, reitero minha também velha filosofia sobre o imediatismo que acomete alguns depois de determinados fatos. Quem está acostumado com a história do esporte tênis e tem clara noção de sua extrema complexidade, não deveria mais tecer projeções futuras contemplando desempenhos excepcionais e constantes a determinados tenistas. Digo isso devido às perspectivas atribuídas a alguns após brilhantes vitórias isoladas em determinados momentos de suas carreiras. Goffin após uma boa campanha no Finals praticamente desapareceu do cenário; Dimitrov que seria o substituto natural de Federer; o argentino baixinho que ganhou o Rio Open ano passado; Kyrgios que adora uma graça (nem tão engraçada assim o tempo todo), mas firmação que é o que interessa mesmo, até agora nada; a última nova geração que passou batida e vários outros casos. O Kohlschreiber que fez um jogo brilhante diante do #1 recebeu merecidos elogios, mas projetaram nele um jogador que ele de fato não é. Que deveria ter entrado no Top 10, mas os que deveriam, realmente entraram. Não faz muito sentido a forma de sua derrota em sequência. Sua vitória de dois dias atrás aconteceu após o incrível período de 10 anos. Período suficiente para uma geração entrar e sair de um cenário e tendo 7 derrotas consecutivas nesse intervalo. Não critico os encantamentos naturais que certos atletas nos causam, pois sem isso, qual seria a graça de apreciarmos um esporte? Falo de projeções sem análises mais aprofundadas. Mas também reconheço que o Big3(4) descalibrou nosso ponto principal de análise, ao projetarmos neles, em suas aparições iniciais, o que seriam hoje, pois como eles, não existiram outros.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Ô loko!

    Por isso que não pode elogiar muito.

    O Kohlshreiber conseguiu jogar a bela semana, na lata do lixo…

    6/0 e 6/2.

    Torturado por Gael Monfils, com requintes de crueldade.

    Responder
  5. Lola

    Então quer dizer que o Djokovic mandou o federer e nadal às favas e demitiu o queridinho deles. Aí as viúvas ficaram chorando que não foram ouvidas. Kkk

    Responder
  6. Sônia

    Tentando aqui, mas esse Kohlschreiber dá muito sono, que joguinho sem sal que é o dele, se continuar com essas bolinhas o francês irá atropelar. Vou nanar (2). Beijos.

    Responder
  7. José Eduardo Pessanha

    Metendo o bedelho na avaliação Djokovic x Nadal: Cotonete é bem mais jogador, de longe. Mantenho meu prognóstico: Djokovic jogando bem ganha do Nadal em qualquer lugar, até em Roland Garros. No máximo por 3 a 1.
    Abs

    Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Nas últimas derrotas de Djokovic em RG, ele perdeu pra ele mesmo, como naquele inexplicável contato na rede. Entre 2015 e 2016, Djokovic ganhou 15 sets seguidos de Nadal. Não há nenhum meio de Nadal equilibrar o jogo com ele. Tá dominado. Em todas as superfícies.
        Abs

        Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    [quote] “O federer é um santo, igual a marielle, tem que canonizar quando morrer.
    Esses haters, adoradores do suíço, odeiam ele pq é o único que deixa o suíço a ver navios nos slans. Vão ter que engolir o Djoko e o choro”.

    Bom,

    O Kyrgios não presta, porque aparenta ser o capeta.

    O Federer não presta, porque aparenta ser um santo.

    Qual é o único que presta, então?

    Ah, já sei!

    O IMÃ sérvio, claro…

    Responder
  9. Sônia

    Bom jogo até agora entre a Svitolina e a Vondrousova, incrível a garra da Svitolina, tentando ir em todas as bolas. Dalcim, aprendendo muito só assistindo, e o debate antes dos jogos, muito legal também. Uma pergunta para voce, qual a sua opinião em relação aos comentários do Annacone? Beijos.

    Responder
  10. Renato

    Curioso pra saber como será um provável confronto entre Roger e Nadal. Os dois estão jogando bem, Federer vem de cinco vitórias contra o rival e a última vez que os dois se enfrentaram em IW foi um massacre a favor do suíço.

    Será que Federer tem a receita pra manter a sequência? Será que o suíço entrou na mente do espanhol? Será que Nadal vai faZer algo Novo?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Se o Nadal chegar, acho que vai tomar outra surra.

      Ele vem se 5 derrotas consecutivas, em quadras duras.

      E o Federer está buscando mais a rede…

      Responder
    2. Viana

      Pelos jogos de quarta… vi um Federer melhor!
      Nadal errando muitos forehands e os backhands, por vezes, um pouco curtos…
      Nadal ainda está buscando o melhor tênis.
      Federer já está num processo mais avançado agora. Mas isso só pelos jogos de quarta!

      E com eles, pode ser q tudo mude.
      Nadal sabe q terá q ser agressivo contra Federer!!

      Responder
  11. Jonatas Bruno

    Nona vitória consecutiva do Khachanov em Masters 1000! Por incrível que pareça é o tenista a ser batido neste aspecto. Terá agora o seu maior desafio no torneio, contra o Nadal que está voando e demonstrando que não vive só no “rancho fundo”. Está fazendo da rede a sua segunda casa,havendo assim necessidade, administrando bem as suas reservas com exímia eficiência. Um grande confronto a se desenhar, ainda mais se resolverem resgatar o que fizeram no Us Open passado. Árdua missão pro russo, no entanto são embates como este que o tem feito subir de produção. Vale conferir.

    E o Edmund segue sem evoluir. Federer nem precisou elevar o nível, o jogo serviu mais como preparatório para os desafios mais complexos.
    Pouco vi o Hurkacz jogar, contudo, só pelo fato de vencer Nishikori e Shapovalov, qualidades deve ter.

    Dalcim, falando em polonês, por onde anda o Janowicz? Ainda está no circuito?

    Responder
      1. Jonatas Bruno

        Uma pena,sequer está tendo oportunidade de competir,deve ser pior que um resultado indesejado em ação, para qualquer atleta.
        Agradeço pela informação.

        Responder
  12. Roger Fedeiros - O Implacável!

    “Duelo inédito entre dois tenistas que dependem muito do primeiro saque…” (JND)

    Quando euzinha falava que o Chocolate suíço dependia do primeiro saque, todo mundinho vinha com homofobia… kkkk… pra cima de mim (ops)… Me chamaram até de “ser abjeto” (aff, o que é isso?)… kkkkkkkkk

    E agora?…

    Responder
  13. Gabi

    Pô!
    Sport tv anunciou agora que a sessão noturna de tênis só passará na tv após o futebol (libertadores), ou seja, lá pelas 23h30!! Até lá, na internet! Muito saco!

    Então terei de secar o Inter (Lola vc é gremista? rsrs), ainda mais depois do meu tricolor ter se complicado ainda mais ontem…

    Responder
  14. Sônia

    Dá-lhe, dá-lhe Federer, minha inspiração. Por causa de seu jogo de ontem, atropelei meu colega hoje, 4 shots no máximo PROFESSOR, adooooro. Agora, 6/1 no primeiro set em apenas 28min, sensacional. Se irá vencer esse jogo eu não sei rsrs, so sei… goooo Federer! Beijos.

    Responder
  15. Gabi

    “We are the champions”, do Queen, tocando para Federer entrar na quadra!
    O Renato e a Sônia devem ter ficados arrepiados rsrsrs.
    Qdo tocou no cinema no filme “Bohemian Rapsody” deu vontade de levantar e cantar junto rs.

    Responder
    1. Sônia

      Lindo demais, gostei, amo Queen, mas prefiro a entrada do Lindinho com a música “simply the best” com a Tina. No cinema, chorei todas com as músicas do Queen. Beijos.

      Responder
        1. Sônia

          Não há inteligência, humor, … apenas ódio, mágoa, rancor, inveja, … sentimentos ruins argh argh. Gay mesmo, sabemos quem é, pois teve até peça teatral. Beijos.

          Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Os três membros dos Representantes dos Jogadores votaram contra a manutenção.
      E maioria do Conselho de Jogadores votaram pela não renovação de Chris Kermode à frente da ATP.
      Muito $$$ envolvido. Basicamente os tenistas querem um % maior do bolo da premiação dos torneios. E isso ajudará principalmente o pessoal fora do top20, ou seja 99,99% dos tenistas.
      Os melhores ranqueados ganham uma nota somente com publicidade. O dinheiro dos torneios não é a principal fonte deles.
      Pospisil foi bem enfático contra a manutenção do Kermode:
      https://www.google.com/amp/s/www.telegraph.co.uk/tennis/2019/01/12/atp-player-council-discuss-removing-chief-executive-chris-kermode/amp/

      Responder
  16. Sônia

    Caramba, ficando fã dessa Andreescu, que revelação, êta garota topetuda rsrs, safra canadense dando excelentes frutos. Mudando de assunto, infelizmente… vitória do sistema, os malditos são poderosos demais, sem salvação, lamentavelmente… enojada aqui. Beijos.

    Responder
  17. Luis

    Caro Sérgio Ribeiro, não sei se entendi muito bem o sentido do seu comentário, mas concordo plenamente com o que escreveu.
    Federer enxugou bastante o seu calendário em razão da idade e, principalmente, visando os Slams, assim como, acredito eu, Djokovic passa agora a fazer.
    Colocar os Masters em segundo plano foi o preço que o suíço pagou e, a partir de agora, que o sérvio terá que pagar.
    Abs!

    Responder
  18. Luiz Fernando

    Prezados Marcelo e Chetnik não respondem aos bobos de sempre, não vale a pena, essa turma hj torce mais contra o Djoko do q a favor do imã (genial esse termo kkkk). O problema é q alguns dos companheiros de torcida de vcs parece q fizeram um curso intensivo de arrogância com os caras e, como nisso eles são imbatíveis, agora tem q aguentar o troco…

    Responder
  19. Marcelo-Jacacity

    Pessoal, o Federer ganhou e não esquecem do Djokovic!?
    Foi uma partida péssima do sérvio, e o perigoso não tinha nada a ver com isso.
    Derrotas acontecem. Segue o torneio.
    Tomara que Novak esteja com a mente sã em Miami. Mas acho que essa poeira relativa ao Kermode vai demorar a baixar…

    Responder
    1. Renato

      Penso que aqui todos tem liberdade pra falar sobre quem quiser, ou vc vai querer controlar? Não vi vc se manifestar da mesma forma com os fakes da torcida que vc pertence a respeito do suíço.

      Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Com certeza todos tem a plena liberdade para escrever o que quiser, quem disse que quero controlar? Só acho no mínimo inusitado rebaixar um tenista tão irrelevante quanto o Djokovic, às vezes o alvo da vez é o Nadal, mas enfim segue o circo.
        Fakes? Provavelmente estão espalhados entre todas as torcidas.
        Em relação aos seus comentários, eu os ignoro. Mas como fui citado, decidi escrever. Apenas isso.
        .

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Marcelo,

      O suíço é crucificado até quando o Djokovic perde, por causa dessa ala ASQUEROSA que cultua o sérvio.

      Dê uma olhada no volume dos comentários anti-Federer.

      E você verá que são proporcionalmente, muito maiores.

      Responder
  20. Chetnik

    Jogo horrível do Djoko, mas eu já esperava um jogo difícil, considerando a falta de ritmo e o fato do Kolschreiber ser um jogador chato.

    Quem sabe não surge uma chance para o imã ganhar um título acima de 500.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Cara insuportável, viu.

      O Federer pode ganhar ATP 500-tinho, Slam ou até olimpíada, se for o caso.

      Contudo, se no meio do caminho não ganhar do IMÃ sérvio, aí não vale…

      Responder
  21. Eduardo Moura Lima

    Dalcim e comentaristas,

    Muitos falam que o Djoko é mais completo que o Nadal. O que eu concordo quando olhamos de forma macro, overall … Mas será que se analisarmos ponto a ponto a impressão se mantém? Avaliando de forma binária (ou um ou outro) sem quantificar, eu escolheria os 12 itens abaixo em uma eventual comparação:

    – Forehand: acho que ninguém discordará que nesse quesito o Nadal tem ampla vantagem por ter um dos melhores forehands do circuito e da história do tênis. NADAL

    – Backhand: da mesma forma que o anterior, acho que ninguém discordará que o Djoko vence nesse quesito, pelo mesmo motivo: possui o melhor backhand do circuito e um dos melhores da história. Mesmo com a evolução absurda do espanhol a partir de 2017, ainda está longe do sérvio. DJOKOVIC

    – Saque: acredito que o Djoko sempre esteve um pouco à frente em termos de qualidade de saque. Não me lembro exatamente quando, mas teve um ano que ainda deu um salto de qualidade neste aspecto aumentando ainda mais sua vantagem. Nadal parece ter elevado seu nível de saque esse ano. Mas ainda é muito recente para considerarmos. DJOKOVIC

    – Voleio: vários jogadores ja disseram que Nadal é um exímio voleador, apesar de não usar tanto o recurso. Além disso Djoko sempre foi limitado nesse quesito. NADAL

    – Smash: Nadal raramente erra um. Djoko erra ao menos um muito fácil por torneio. NADAL

    – Dropshot: acho que esse há discussão, mas considero que o Nadal é mais eficiente nesse quesito, apesar de utilizar com menos frequência. NADAL

    – Slice: acho que ambos executam o golpe de forma satisfatória. Não são excepcionais mas também não deixam a desejar. EMPATE

    – Movimentação: os dois são os melhores do mundo nesse aspecto. EMPATE

    – Velocidade: NADAL

    – Flexibillidade: DJOKOVIC

    – Resistência: ambos exemplos de resistência. EMPATE

    – Mental: os dois talvez sejam os maiores monstros nesse quesito da história do tênis. Mas ao avaliar a carreira como um todo, acho que nunca existiu alguém tão forte mentalmente como o espanhol. NADAL

    Obviamente muitos irão discordar, e sintam-se a vontade para fazê-lo. Mas novamente, analisando de forma binária, ponto a ponto, não fica tão claro essa superioridade Sérvia em termos de equilíbrio dos golpes. Pelo contrário, pela análise acima, Nadal vence por 9×6 (considerando os empates como um ponto para cada).

    Posso ter esquecido de algum critério importante também.
    E pode ser que se a análise fosse qualitativa, mensurando cada item e seus pesos, o resultado fosse diferente.

    Quero ouvir a opinião dos participantes.

    Abraço

    Responder
    1. Jonas

      Eduardo, o slice do Nadal é bem superior e no geral acho o mental do espanhol melhor também.

      Acontece que o Djokovic tem maior capacidade de adaptação em todos os pisos. No jogo entre eles, o 1° serviço e backhand do sérvio fazem uma diferença enorme.

      Outro detalhe é a devolução de saque absurda do Djokovic.

      Responder
      1. Eduardo Moura Lima

        Jonas,

        Concordo! De fato esqueci o item DEVOLUÇÃO, que obviamente vai pra o Djokovic. O placar ficaria 9×7 dessa forma.
        Não colocaria nessa análise o confronto direto porque implica em diversos outros aspectos. Apenas aspectos técnicos isolados de ambos mesmo.

        Abraço

        Responder
    2. André

      Velocidade – Djokovic e não Nadal.
      Seu raciocínio está correto mas a conclusão está errada. Você tem que ponderar os atributos dos jogadores pelo número de vezes em que a jogada é executada. Vou dar um exemplo: se Djokovic tem smash pior que Nadal, mas num jogo inteiro o jogador executa este golpe apenas algumas vezes, em termos de pontuação significa pouco. Ter um saque melhor ou uma resposta de saque melhor é muito mais importante que volear ou dar um smash devido ao número de vezes em que o jogador saca ou recebe o saque do adversário. Portanto, acho o Djokovic melhor por ser melhor nos fundamentos/ golpes mais utilizados no tênis.

      Responder
      1. Eduardo Moura Lima

        André,

        Perfeito! Concordo plenamente! Mas eu pontuei isso no meu comentário. A análise é binária, sem quantificar cada item e seus pesos (o que eu acho o mais correto, porém exige uma análise BEM mais complexa).

        PS: porém quanto ao item velocidade discordo veementemente … hoje em dia, mais velhos, talvez eles se equivalham nesse item … porém durante toda a carreira do Nadal ele sempre foi extremamente veloz, chegando em bolas impossíveis com equilíbrio perfeito (e sem a flexibilidade do Djoko)

        Abraço

        Responder
    3. Renato

      Nadal é mais completo, sem dúvidas. Os dois são equivalentes nos golpes da base, mas o espanhol é muito superior ao sérvio no jogo de rede. E o slice do espanhol é melhor que o do sérvio.

      Responder
    4. Gilvan

      A maior parte dos jogadores do circuito eh mais `completo` que o Nadal. A questao eh que o Nadal eh extraordinario na sua pouca variacao de jogo.
      Quais os golpes do Nadal que realmente se destacam, com excecao do forehand? O saque aberto na vantagem? O voleio curto? De resto, so consigo pensar em elogios a sua parte fisica, mental…
      Muito pouco para um jogador tao vencedor, mas faz parte.
      No meu entendimento, o Djokovic eh bem mais completo, nao tem nem comparacao.

      Responder
      1. Eduardo Moura Lima

        Gilvan,

        Como o próprio André novamente pontuou acima cada golpe tem um peso durante um jogo. Hoje, como o tênis é pouco jogado na rede, o jogo se baseia basicamente em saque, forehand e backhand (e devolução em casos como o do Djoko). Pensando dessa forma se vc tem um desses itens extraordinário, vc tem 1/3 do jogo dominado… Karlovic por exemplo domina um deles e é HORROROSO no resto e consegue até hoje ganhar jogos importantes. Portanto quando vc fala que só vê lances com forehand do Nadal, isso já é muita coisa! Principalmente somados as outras que vc mesmo falou (físico e mental) e ao fato de que os outros dois (saque e backhand) também são bons

        Abraço .

        Responder
    5. Rafael Oliveira

      Eduardo, o Djoko tem melhor saque, melhor devolução do circuito, e joga mais próximo da linha de base pegando a bola mais na subida. E sua esquerda sendo fantástica, muitas vezes vezes neutraliza a melhor bola do Nadal.

      Responder
  22. leonardo

    Esse negócio de clima de vestiário é besteira. A mídia criou isso para criar uma notícia para encher linguiça e chamar atenção com polêmica em seus portais.
    Se fosse um problema em casa seria mais possível. Mas o cotonete não é adolescente pra se deixar levar por assunto bobo desses.
    O que aconteceu foi que o Kohlschreiber jogou muito e retirou o conforto do sérvio. Ponto final.

    Responder
  23. Nilson Reis

    É lamentável um blog desse nível com o melhor comentarista de Tenis do Brasil, ter pessoas que sem a mínima educação e noção de torcida, chamar jogadores de um quilate de Federer, Nadal e Djokovic de apelidos pejorativos, desrespeitosos. Sou um torcedor do Federer, aprendi a gostar de Tenis vendo ele jogar, para mim o melhor da história, porém, acho Nadal e Djoko espetaculares, geniais, cada um fazendo história dentro do caminho deles. Daqui a pouco anos, essas 3 lendas, serão lembranças de uma época de ouro, na qual teremos que agradecer aos Deuses do Tenis, termos sido Contemporâneos de tamanho privilégio. Enfim, tentem ter mais respeito a esses caras, Tenis é um esporte diferenciado, de paz, de família. Não tragam o ódio das palavras a quem ainda nos dá a alegria de vivermos uma época tão grandiosa dessas lendas vivas, ou seja, Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

    Responder
    1. Rômulo César de Vasconcelos

      Espetacular e oportuno o pedido por respeito. Todos nós que abrimos esse blog é porque amamos o tênis. Ora, não há o que dizer desses três monstros do Tênis.

      Responder
    2. Viana

      Perfeito!!
      Venho defendendo essa tese faz tempo!
      É claro que podemos ter nossas preferências, mas isso não significa desclassificar o outro!
      E nesse caso, são três lendas vivas: esportivamente e pessoalmente tb!
      Os 3 são muito carismáticos e simpáticos!
      Esportivamente… nem preciso falar!!
      Aí tem uma galera aqui q só fala mal dos caras!!
      Parece torcida de inter colegial!! Tem hora q é até hilário!

      Exemplo:, se gosto do Meligeni, Guga não presta!! Muito pelo contrário! Temos q bater palmas pros dois!!
      Nos caso em questão, pros três!!!
      Pra não ficar em cima do muro já deixo clara a minha preferência pelo Touro Miúra, mas jamais verão eu falar q o Federer ou Djoko não são monstros sagrados do tênis!! Cada um tem sua importância e tentar desmerecer qualquer um… é fanatismo bobo!!

      Responder
    3. Tiago Santana

      Prezado Nilson,

      Concordo com tudo que escreveu. Leio o blog diariamente e me impressiona a quantidade de comentários que visam a apenas diminuir tenistas tão geniais. Uma pena, pois há comentários muito interessantes dos leitores do blog, porém, para chegarmos neles, temos que ler dezenas de críticas pejorativas, e algumas vezes até infantis. Acho esse espaço muito especial, pois podemos interagir diretamente com Dalcim, desfrutando de toda sua experiência e conhecimento sobre o esporte.

      Responder
    4. Rafael Lafite

      Concordo com você Nilson, lamentável a falta de respeito. Talvez uma cultura importada do futebol, que aliás, também não deveria ser assim.

      Responder
  24. Pedro

    Dalcim,

    Quebrar uma raquete no pé? Não pode quebrar o pé? O Delpo, por um escorregão ficou meses tratando uma fissura no joelho. Acho que quem quebrasse raquete deveria ser desclassificado imediatamente. O esporte não pode ser usado como um mau exemplo. Em relação a esta política fora das quadras, é complicado, e talvez interfira no desempenho dos atletas. Seria bom alguém explicar as posições adotadas pelo Federer e Nadal e o Djokovic.

    Responder
  25. Jonas

    O Wawrinka é um monstro de jogador, mas se borra contra os tops em torneios masters 1000 e atp 500.

    Em torneios melhor de 3 sets, se borra quando vê o Federer do outro lado da quadra, baita freguês.

    Acontece o mesmo com o próprio Federer quando enfrenta Novak em Grand Slam, se borra todo e inclusive perdeu duas finais SEGUIDAS em Wimbledon pro sérvio.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Wawrinka não se “borra” quando vê os tops do outro lado…ele se “borra” quando vê o Federer, principalmente. Incrível como ele amarela contra Roger!
      Suas maiores conquistas foram em cima do Djokovic, nos 3 Slams que venceu jogou ABSURDAMENTE bem contra o sérvio! Já perdeu outras em 5 sets jogando demais tb.
      Do Nadal, já conseguiu vencer final de Slam. Perdeu outra, é verdade, no habitat do Espanhol…
      Já deu alguns cacetes no Murray tb…
      Seu problema se chama Federer, dá uma pane quando joga contra ele. Ontem foi um dos piores jogos que vi ultimamente do Stan, errando bolas que normalmente não erra.

      Responder
      1. Jonas

        Em Grand Slam ele consegue subir muito o nível…mas contra o Federer, além do Wawrinka amarelar o jogo não casa.

        Contra o Djoko em Grand Slam ele fez jogos excepcionais, AO 14, RG 15 e USO 16. Mas ele tem tempo pra executar aquela esquerda absurda, coisa q não acontece quando joga com o Federer.

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Até pra passar recibo de idólatra beato, acho que se requer uma pitadinha de bom senso…

      Porque tentar comparar um h2h de 23 x 3, com outro h2h de apenas 3 vitórias de vantagem do teu amoreco sérvio, é piada pronta.

      Vá PENTEAR MACACO!

      Responder
  26. Rodrigo Lightman

    Trinta anos depois, a World Wide Web se torna o divã virtual de uma humanidade perplexa e frustrada.
    A mídia estampando na primeira página em letras garrafais a homossexualidade de alguém como se fosse algo bizarro, mas ao mesmo tempo se diz lutar contra a homofobia. Feministas, nas ruas nuas, defecando em praça pública, mas querendo a aceitação e aprovação de todos. Os negros culpando os brancos de hoje pela escravização de ontem. As minorias querendo ser maiorias. Muitos direitos, poucos deveres.
    Num mundo dual, para existir sombra, tem que existir a luz, assim como o bem não existe sem o mal. O deus Federer só existe porque satanás Nadal está aí.
    Nesse microcosmo, onde Dalcim é o Logos, com sua sabedoria, conhecimento, paciência, parcimônia, imparcialidade, temos Sérgio Ribeiro, a Luz (desculpe Sergião, nada pessoal, apenas uma metáfora), o filho rebelde, o anjo caído, que quer brilhar mais que o criador. Um povo emocional, passional, frustrado, que atrás de um monitor destila sua ira, sua raiva, para que assim suas emoções represadas não saiam por aí destruindo tudo. Ajuda nos a não encarnar o personagem William Foster, interpretado por Michael Douglas no filme Um Dia de Fúria, que num dia de sol, parado em um engarrafamento com ar condicionado quebrado, sai arrebentando tudo.
    Obrigado Dalcim, por esse espaço, onde podemos nos expressar, xingar, enaltecer, enfim, sermos ouvidos e descarregar todas as nossas frustrações. E desculpe me pelo comentário um pouco fora de contexto. Além de jornalista, aqui você também acaba sendo um pouco psicólogo.
    Bendita seja a WWW, bendito seja esse blog.

    Responder
    1. Gilvan

      Realmente, uma pessoa que vem falar que no BRASIL as pessoas tem muitos direitos e poucos deveres, eh pq esta muito fora da realidade. Saiam de casa, meus amigos, saiam de casa.

      Responder
  27. André

    Dalcim, concordo contigo!! Me parece que essa polêmica extra quadra e a repercussão dos jornalistas estrangeiros criticando o Djoko, além das entrevistas de Federer e Nadal, pesaram na concentração e criou-se um ambiente ruim pro sérvio, que se viu preocupado e focado em outras questões… ao menos sobreviveu nas duplas e o público poderá continuar vendo ele… além do que poderá continuar ganhando ritmo para Miami!! tudo caminha pra mais um FEDAL!! torcendo pra que o novo embate se concretize!!

    Responder
  28. Renan Vinicius

    Nada melhor do que um choque de realidade para o sérvio, que acha que um dia chegará no FEDAL.
    O título do AO veio de forma tranquila na final, principalmente pela péssima atuação do espanhol. No entanto, o imediatismo dos torcedores fanáticos cravaram os “Recordes” do cotonete…kkkkkkkk nada como um choque de realidade.

    Responder
    1. Jonas

      Sem fanatismo, é bem possível sim que o recorde de Slams e semanas como n1 seja superado pelo sérvio Djokovic. Isso é bem claro e você pode inclusive odiar o sérvio, mas é inegável que ele tem boas chances não só de igualar, mas de passar os 20, o tempo dirá.

      O imediatismo existe sim no tênis, depois da derrota pro Kyrgios, vi muito desrespeito com o Nadal, como se ele fosse um qualquer. Mas ele está fazendo um ótimo torneio e sendo bem realista deve chegar em RG favoritíssimo para vencer seu 18° Major, caso não se lesione. O Federer também está jogando demais, a idade não está pesando pra ele e não duvido nada de que vença Wimbledon novamente.

      Quanto ao sérvio, derrota em masters não vai afetar o foco dele em qualquer Major, pois é MUITO mais difícil batê-lo em melhor de 5 sets, fato. Pode perder pra Agut, Khachanov…chega em Major o cara vira a chave, é outro jogador.

      Responder
    1. Lola

      Sim, teria ganho. Ele não gosta de jogar de dia, com sol, com vento.kkkk
      Mas ontem ele tava irritado, não sei com o quê.
      Até no jogo de duplas, via que ele tava bem incomodado.
      E quase que o Fonini botou tudo a perder. Acho que se perdessem o italiano apanhava hahaha.

      Responder
  29. Daniel

    Sobre a polêmica envolvendo o Conselho e o Presidente da ATP, eu concordo com o Bruno Soares: acho que já que o Federer não se envolve mais com política, ele deveria ficar na dele e deixar o sérvio resolver os problemas. Mas pessoalmente, acho uma pena o Djokovic ser o presidente do Conselho, não é pessoa mais adequada, vide as atitudes de destempero em quadra, como vimos ontem. E já mostrou ser alguém que só pensa nele, quando não soube se adaptar ao saibro azul mais rápido de Madrid em 2012 e junto com o Nadal nos bastidores, fizeram pressão e ameacaram nunca mais participar do torneio se continuasse com aquele piso….Enquanto isso, o Federer foi lá quietinho e faturou o torneio, é claro…rs

    Responder
    1. Lola

      O federer é um santo, igual a marielle, tem que canonizar quando morrer.
      Esses haters, adoradores do suíço, odeiam ele pq é o único que deixa o suíço a ver navios nos slans. Vão ter que engolir o Djoko e o choro.

      Responder
      1. Daniel

        Quanto ódio no coração pq alguns não gostam do sérvio, Lola.

        Quanto a mim, estou tranquilo em relação às marcas do Federer. Nem imaginava que ele chegaria a 20 GS pra ser sincero. Então da minha parte, não vai ter choro nenhum. É só alegria. E digo mais, pra mim é o melhor jogador da história pelo conjunto resultados + estilo de jogo. E na opinião de muita gente. Nem sempre somente os resultados determinam quem foi o melhor. Muita gente por exemplo acha que o Senna foi mais corredor que o Schumacher, e existem argumentos fortes para isso

        Em relação a ver navios em GS, parece que o Federer nunca venceu o sérvio em GS. Pelo contrário, venceu varias vezes e em outras, só perdeu pq vacilou. A disciplina tática nunca foi o forte do Federer. Ele sempre jogou na intuição, no risco. Nos detalhes, esse estilo está mais fadado a dar errado que o estilo Maratenis conservador, com margem de segurança e corrida atrás da bola. Sorte da concorrência, pois se o suíço também fosse mais aplicado e menos afobados nos BPs….Rs

        E pra finalizar, gostaria de deixar claro que na minha visão, quem sente dor de cotovelo definitivamente não é o fã do Federer, e sim o fã do Djokovic, que mesmo sendo extremamente vencedor, tem muito menos popularidade, pois é um tenista com um jogo extremamente chato, sonolento e que tem atitudes desrespeituosas com os boleiros. Já fez até criança chorar ou ficar assustada…

        Responder
        1. Lola

          Sabe que acusar os outros de milicianos é crime, tem que provar.
          Portanto, quietinho aí.
          Hoje eu tô com pouca paciência pra tolos como vc.
          Deve ser dos que acha que o Bolsonaro é o mandante pq era vizinho do cara, é uma visão bem simplista de gente com mente limitada.

          Uma constatação, a verdade é que ninguém conhecia a marielle, ficou famosa depois da morte e somente pq era vereadora do Psol.

          Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Quando eu não concordo com o que servirão em uma festa, eu digo: não vou à festa, mas se o dono da festa resolve, em função disso, mudar o cardápio, é porque minha presença tem valor, não?

      Responder
  30. Luiz Fernando

    Que desculpa esfarrapada do Djoko de q teria mais chances a noite, não seria mais certo reconhecer que não esteve bem e o adversário foi superior? O sérvio é um dos grandes da história e não precisa justificar derrotas, algo comum a todos os integrantes do Big3. Saúdo a vitória do Hurcacz, nem sei se escrevi direito o nome do rapaz, creio q quem gosta de tenis está cheio desses jogadores q chegam e não levam como é o caso do japa, que venham jogadores com mais sangue nos olhos.

    Responder
  31. Tom

    Não assisti o jogo do Djokovic, mas acredito que as últimas notícias envolvendo o seu nome o deixaram meio atordoado. O alemão, que nada tem a ver com isso, fez a sua parte. Vamos ver como fica o ambiente nos próximos torneios, pois está evidente que alguma coisa azedou.

    Responder
  32. Jonatas Bruno

    Que dia! O “arrebatamento” chegou no complexo! Levou os “graúdos” e poupou os “miúdos”.
    E os maduros, com a consciência de que o tempo joga contra, seguem quebrando paradigma e a pleno vapor. É o caso do Federer que deu mais um banho de loja,mesmo diante de um vitaminado Wawtrinka, que nao consegue mais buscar soluções, diante do jogo limpo e dinâmico do R.F.

    Outro que está aproveitando ao máximo os efeitos da maturidade éo Kohlschreider que usou a cabeça, variando nos efeitos na bola,e na construção dos golpes. Evidente que Djokovic mostrou-se fora do tom, nos quesitos técnicos e emocionais. Ainda assim,acredito que não esperava correr riscos e ao perceber bastou para eclodir o que estava vivenciando. Independente de… O alemão fez o seu número,tirando vários coelhos da cartola. Na sequência, vem o Monfils. O cardápio já estará garantido!

    No feminino, Venus segue superando a barreira da idade; Como as demais, ninguém está”sobrando”, Será?… Não convém descarta-la, já que a experiência e resiliência contribuem, e atreladas ao seu alto padrão de jogo, cuidado com ela!
    E Belinda aproveitou a parceira com o Federer no inicio da temporada e segue na retomada em seu lugar ao Sol. Outra que é bom ficar de olho, venceu a Osaka,a tenista a ser batida, e couve a ela a missão. Tem cacife para isso. Veremos.
    E

    Responder
  33. Evaldo Moreira

    Bom dia,
    Bom, um diz que: abro aspas “também, ficar um mês sem competir, dá nisso”, fecho as aspas, e vou rir, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, ui nenén, fala sério, quem pode, pode, no que tange, para adaptação rápida, vide Roger Federer, quem não pode, não pode, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, é cada comentário tolo, agora, quero ver o que tal fedeiros vai argumentar, é outro com comentários pra lá não sei aonde, não costumo entrar nessa briga de torcida, mas esse dois, merecem uma reprimenda…kkkkkkkkkkkkkkkkkk, pense em mim, não chore por mim, não não liga pra ele……………….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, socorro meus sais, abraços para a ala federistas, e quero elogiar o saque de Nadal, muito bom, mas se o argentino tivesse altura, acho que endureceria o encontro………..mas Nadal era favorito com certeza.
    Um adendo, essa briga externa, vai longe ainda, chiquinho externou alguns pontos, mas acho que tem mais, concorda mestre Dalcim!?.

    Responder
  34. Luiz Fernando

    Wawrinka é um verdadeiro vassalo de Federer, bem pior do q Ferrer em relação a Rafa, é um caso q só um bom psiquiatra conseguiria explicar, mesmo assim muitas dificuldades. O cara se anula de uma tal forma q parece q existe apenas um jogador em quadra e não dois…

    Responder
    1. André Barcellos

      Wawrinka consegue endurecer para o Federer, como em Cincinnati ano passado ou mesmo no AO 2017.
      Acontece que ele ainda não está no mesmo nível. E Federer jogou muito bem, como há tempos eu não via.
      Muito bem nas devoluções, saque e golpes de base.
      Não errou quase nada.

      Responder
      1. Fonseca

        “Ele ainda não está no mesmo nível”. What?!

        Quer dizer que Wawrinka chegará no nível do Federer? Ou quisestes dizer que “ele não é do mesmo nível”?

        Responder
        1. André Barcellos

          Ele ainda não está no mesmo nível que já apresentou antes.
          A comparação é de Wawinka com ele mesmo.
          No melhor nível, ele pode engrossar para o Federer mesmo em quadras rápidas.

          Responder
    2. Miguel BsB

      Concordo em partes. Normalmente o Wawrinka amarela demais, joga abaixo contra o Federer. Normalmente…
      Já vi ele tirar um dos únicos títulos que faltam a Roger, venceu-o na final de Monte Carlo…
      Já vi tb ele despachando Roger em Semi Final de Roland Garros…
      Que eu me lembre, Ferrer jamais conseguiu algum feito parecido com esses contra o Nadal…

      Responder
    3. Babidi

      Mas o Wawrinka é um grande freguês do Big Four, Caro Luiz. No confronto direto perde de goleada pra Federer, Nadal, Djokovic, tendo um pouco mais de equilíbrio com o Murray.

      Porém, não podemos negar que o Stan já impôs duras derrotas a todos eles. Massacrou Federer na última aparição deste em Roland Garros (2015), derrotou Djokovic em duas finais de Slam, derrotou Nadal em final de Slam. Além disso, bateu o Federer em uma final em Monte Carlo, um dos únicos torneios de Masters 1000 que ele nunca conquistou.

      Na maioria das vezes, o normal é isso aí que a gente viu contra todos. Só que o Wawrinka em jogo grande, especialmente no período entre 2014 e 2016, passou a crescer demais contra esses caras. O problema é que as lesões e o físico dele passaram ser grandes adversários daquele momento em diante.

      Responder
  35. Pieter

    Dalcim, qual a explicação para a extrema lentidão das quadras em IW? É quase um saibro, só que sem o pó. Seria uma tentativa de favorecer Nadal ou Djoko? Pelo que já vimos até agora, qual seria seu prognóstico em um eventual Fedal na semi?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não tem porque isso não aconteceu. Os Bryan perderam do Inglot/Skugor, que assim serão os próximos adversários de Melo/Kubot.

      Responder
  36. Ernesto Nery Serafini

    Dalcim, gostaria da opinião de um especialista.
    O jogo da rodada, foi do Nishioca, na minha opinião.
    O que acha? Não seria algo a mostrar o Thiago Monteiro, que joga muito atrás. Nishioca mudou o panorama do jogo quando adiantou e passou a devolver mais à frente. Assisti o jogo do Monteiro e fiquei irritado o quanto ele joga atrás.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, mas é diferente jogar assim no saibro ou na dura. Jogar em cima da linha no saibro, pegando na subida, não é o mais recomendável.

      Responder
  37. Paulo F.

    Agora a conferir se Federer leva mais um caneco em IW.
    Mas não será tarefa fácil, com o seu terror psicológico também presente no torneio e jogando bem da mesma forma.

    Responder
    1. André Barcellos

      Acho que Nadal não é mais o terror psicológico do Federer há algum tempo.
      Na final do AO os fantasmas se foram.
      Pode até ser que perca pro espanhol caso se enfrentem, mas por outros motivos mais relacionados a tênis mesmo e ao momento tenistico de cada um.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Terror psicológico , caro Paulo ? Procure se informar melhor. O Suíço além de ter vencido as CINCO últimas , tem vantagem em TODOS os pisos fora o Saibro. Estamos em Indian Wells . Paris ainda demora rsrsrs Abs!

      Responder
    3. Paulo F.

      kkkkk
      Se agarram nessas últimas cinco vitórias do discípulo suíço para convenientemente esquecerem a vida de humilhações contra seu mestre espanhol.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Cadê a humilhação?

        23 a 16, sendo que 15 desses confrontos foram no saibro, onde Nadal reina absoluto.

        E alguém precisa te informar que tênis é MOMENTO, amigão.

        O Nadal já deixou de ser ameaça em quadras duras pro Federer, há muito, muito tempo…

        Responder
  38. Luis

    Zebraça! Mas, a partir de agora, é o preço que o Djokovic vai ter que pagar por ter um calendário tão enxuto!
    Claramente fora de ritmo e um FH, que há 2 meses estava afiado como nunca, totalmente descalibrado.
    Sinceramente não creio que a recente polêmica possa ter afetado o jogo do sérvio. Esses caras têm mil coisas na cabeça, já estão mais que acostumados.
    O Kolschreiber, com uma tremenda disciplina tática, jogou muito bem e mereceu a vitória. Ponto.
    Porém, não vi nada de tão extraordinário assim na estratégia do alemão que possa ter mexido tanto com o Djoko. Quantas dezenas de jogadores já tentaram fazer o mesmo e falharam?
    Simplesmente não era o dia do sérvio… assim como não era o dia dele na derrota pro Agut em Doha e na derrota pro Tsitsipas em Montreal… e aí nos torneios posteriores todo mundo sabe o que aconteceu…
    Por isso, vamos ver como será o seu desempenho em Miami… pelos ataques de fúria que demonstrou (sozinho e com o companheiro Fognini rs) algo me diz que será totalmente diferente.

    Agora, coisas que ACHO: Djokovic é um homem com uma missão. E a missão dele claramente está nos Slams. Não sei se ele almeja alcançar o Federer ou completar o Grand Slam este ano, mas a única certeza que Nolistas, Federistas e Nadalistas têm é que ele virá com tudo nos próximos majors.
    Some isso àquele papo de passar mais tempo com a família (a razão pelo calendário enxuto) mais a questão da idade, dá pra ver que vai ser muito difícil vê-lo ganhar 2 ou 3 Masters em seguida como fazia anos atrás. Acho que vai ser o preço que ele vai pagar pelo objetivo maior.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Luiz. Ele está apenas copiando o que o Suíço já faz ha’ anos. Ninguém pulou mais MASTERS 1000 que o próprio desde que completou 32 . O resultado foram 20 SLAM e uma incrível longevidade. Abs

      Responder
  39. Marcos RJ

    Venus é uma guerreira e ainda tem um grande forehand e saque, que ajudam na hora do aperto. Falta pernas em ralis mais longos, mas em terra de cego, quem tem um olho é rei : )

    Responder
  40. Marcos

    Pois é. E de um juiz de linha jamais na história do tênis se ouviu tanto uma palavra de ordem… e de regra ser repetida: out! out! out! out! mil vezes out!

    Responder
  41. Fernando Pauli

    Provavelmente teremos de novo um FEDAL pela frente. E não vai ser nada fácil ganhar de Nadal nesse torneio. Para mim, após a saída de Djoko se acontecer o FEDAL na semi, com certeza será a final antecipada do torneio. Se Federer quiser manter a invencibilidade dos 5 jogos que já tem sobre o touro miura (1 em 2015 e os outros 4 em 2017), terá que apresentar essa devolução de saque que fez contra o Stan, melhorar um pouco mais o saque e encurtar os pontos. Se vencer o primeiro set, aí então suas chances vão para uns 70%. Agora é esperar para ver.
    OBS: Já passou de 5 anos da última vitória de Nadal sobre Federer, que foi no AO 2014 em sets diretos (7/6, 6/3 e 6/3). E os últimos três confrontos entre eles foram todos em M 1000 e em 2017, vencidos também em sets diretos por Federer (IW 6/2 e 6/3, Miami 6/3 e 6/4 e Shangai 6/4 e 6/3). Até agora nunca houve uma sequência de 6 vitórias seguidas, seja para Nadal ou Federer.

    Responder
    1. Chileno

      Federer venceu os últimos 7 sets disputados contra Nadal. É um tabú considerável.

      Maaaaaaaas… o maestro não é o mesmo de 2017, e o espanhol vem muito bem. Apostaria no suíço, mas não com grande favoritismo.

      Responder
  42. Lola

    Bad day pro Nole.
    O banguela se anima quando o djoko perde, as coisas ficam mais fáceis pra ele.
    Wawrinka é arregão.
    A torcida xiita do suíço achava que os torcedores do sérvio iam sumir por conta de uma derrota num dia ruim, hahaha, quebraram a cara e ainda temos as duplas.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não suma não. Se não, como vamos rir tanto sem esses comentários abalisados. Pergunta ao Sérvio se ele gosta de enfrentar o ” Arregao ” em FINAL de SLAM, e em qualquer piso rsrsrs …Abs!

      Responder
      1. Lola

        Gosta sim, ganhou 2 slams em cima do sérvio, mas perdeu outros 300 jogos. São tantos escrevendo m*, vc incluso, mas só reparam em mim, blza.

        Responder
  43. Renato

    Acho um absurdo um jogador espetacular como Stan ter h2h tão ridículos contra os integrantes do big- 3. Chega a ser humilhante. Só não é mais vexatório porque ele domina Novak em finais de slam e faz o sérvio se borrar todo.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Consertou legal no final. Jimmy Connors ( o mais velho de todos ) , teve h2h horroroso contra Borg , Big Mac e Lendl. Em compensação não ficou atrás de ninguém em FiNAIS de SLAM. 2 x 2 com Borg e 2 x 0 em Lendl. Este terminou a carreira com h2h melhor sobre Todos. Só que ficou sem Wimbledon. Cansou de dizer que trocava tudo por unzinho que fosse na Grama Sagrada. Abs!

      Responder
  44. Sérgio Ribeiro

    Caíram vários favoritos mas quem ler o Post com atenção ,verá que permanecem 6 integrantes da Next Gen . Isso com Zverev e Medvedev tendo participações ridículas. Assim como Novak. Esse papo que não estava nem aí pro jogo também beira o ridículo. NUNCA é mérito do oponente. O cara tentava se igualar em número de MASTERS 1000 com Rafa Nadal e atirou e quebrou raquetes ( até nas duplas ). Não é de hoje que se irrita quando está atrás do placar. A meu ver, todos os méritos para o Alemão. Teve uma sequência de Voleios do Craque Suíço que Pistol Pete não se conteve num largo sorriso a lá Rod Laver. Pura arte ! Abs!

    Responder
  45. Marcos

    Se o prezado Dalcim me permitir repetir nesse seu novo texto. Obrigado.
    O comedor de fígados foi simplesmente devorado por Philip “Hannibal Lecter” Kolrschereiber, que. sem qualquer piedade ou constrangimento, primeiro, deglutiu, e depois, digeriu aquele que todos pensavam ser e ainda pensam, será o exterminador do futuro do tênis. Pode ser que seus adeptos mais convictos, fundamentalistas e fanáticos venham a argumentar que se trata “apenas” de um ATP 1000, ou seja, um toneiozinho que não vale nada, quase na proporção de um ATP 500. Nesse momento de consternação geral entre seu público posso até concordar. Ainda mais no meu caso que, com quase 60 anos no lombo e com essa artrose que me consome cotidianamente, e seguindo o tênis há mais de 40 anos já viu, ao vivo, de ver mesmo, de perto, a pouco metros de uma quadra, uma entressafra que se costumava chamar de Bjorn Borg, Jimmy Connors, Boris Becker, e outros menos requisitados. Contudo, em estado de putrefação, os restos do comedor de fígados foram levados apressadamente para o Instituto Médico Legal de Indian Wells por onde vai passar por minuciosa necrópsia, sobretudo, no ponto crucial de seu jogo: a garganta, ou, em termos mais simples, o papo furado. Mas, tenhamos esperanças, guardemos nossos cristais e nossos búzios, pois Roland Garros é logo ali, e o comedor de fígados estará preparado para se tornar o melhor da história… o mais eficiente…aquele que é pragmático e joga para vencer. Por enquanto levemos em conta o aforismo de um velho comentarista de futebol: o jogo é jogado, o lambari é pescado.

    Responder
  46. Renato

    Federer estracalhou o seu conterrâneo. Devolveu 90% dos saque do Stan. Um absurdo! E olha que Wawrinka tem um bom e potente saque. Menos de uma hora de jogo. O Backhand estava afiadissimo! Quantas jogadas de efeito, bate-pronto, voleios, slices….. Espetacular! Espero que mantenha até o provável jogo contra o bugre careca.

    Responder
  47. Renato

    Até tu Rodrigo?! Dando desculpas pra derrota de Novak? Qual era o problema? Ele estava magoado por causa das declarações de Federer e Nadal? Mas a declaração dos dois foi depois da primeira partida, que ele também jogou mal e só não perdeu porque era um jogador nível challenger do outro lado da quadra.
    O cotonete perdeu porque o alemão jogou muito. Simples assim! Ganhou não, engoliu! Já tinha feito o mesmo com Kyrgios. Sorte de Noção que o adversário não era o australiano, senão a surra seria muito maior!
    Falta de ritmo de jogo? Pode até ter ajudado na derrota. E olha que os haters estavam chamando o pirulito de gênio por fazer um calendário tão enxuto. Kkkkk Sifu….

    Como foi dito pelo R.Cruz e Nando, agora os fakes saem da área, o que acaba despoluindo o blog da m… que eles costumam escrever. Ninguém é invencível. O farsa já apanhou do B. Agut e do alemão esse ano. Duas piabas, Mas venceu slam, é claro.

    O boneco de posto não consegue fazer outra coisa diferente de forehand e Backhand. Muita falta de variação. Mas se está vencendo assim…… Nem sempre vai dar certo.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Meu compromisso é com a verdade , Renato.

      Diferente da horda…

      Pois ai do Federer, se fosse ele que perdesse tão precocemente.

      (perderia por ser uma farsa, uma fraude, jogador de atp 500tinho, e por aí vai…)

      Mas o Djokovic jogou desfocado, e a cabeça estava claramente em outro lugar.

      Embora não possamos retirar os méritos do Kolhschraiber, quem vem apresentando um tênis de primeira.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *