Todos atrás de Djokovic
Por José Nilton Dalcim
31 de dezembro de 2018 às 19:42

Seus grandes adversários convivem com incertezas físicas, a nova geração ainda é mais ameaça do que realidade. E com isso Novak Djokovic começa 2019 como o grande candidato a fazer outra temporada histórica, recheada de títulos de peso e quem sabe sem sequer ver sua liderança no ranking sob risco.

Djokovic tem de ser temido em todas as situações, sejam torneios longos como os Grand Slam ou nos exigentes Masters. E qualquer que seja o piso. Especialista na quadra dura, adapta-se com notável facilidade ao saibro ou à grama. É certamente o jogador que chega mais perto de Rafael Nadal na terra europeia, o grande adversário de Roger Federer nas superfícies velozes. Curioso notar que todas suas derrotas de 2018 foram para a nova geração.

Nole iniciou a temporada 2019 no amistoso de Abu Dhabi e fez duas ótimas partidas, com elogios ao tênis cada vez mais maduro de Kevin Anderson. Vai agora a Doha e isso deve ser o suficiente para colocá-lo em condições perfeitas para o Australian Open. O número 1 pode muito bem navegar todo o primeiro semestre em mar calmo, e aumentar muito sua vantagem no ranking. Sabiamente, no entanto, anunciou um calendário enxuto e 90% focado nos grandes títulos.

Assim, sugiro ficarmos atentos aos vários feitos que Djokovic poderá alcançar ao longo de 2019:

Grand Slam
– Mais um troféu o isolará em terceiro lugar na lista histórica de títulos. Mais três, empatará com Nadal. Mais quatro, só ficará atrás de Federer.
– Com 23 finais de Slam, disputa diretamente com Nadal (24) pelo segundo lugar na lista histórica.
– Está a uma partida do 300º jogo de Slam. Apenas Federer chegou a tanto (393).
– Tem pequena chance de superar Nadal em aproveitamento de vitórias em Slam (86,29 contra 87,3%) e assumir o segundo lugar.
– Está com 14 vitórias seguidas de Slam e tenta superar o próprio recorde de 30.
– Pode se tornar o maior campeão do Australian Open (tem 6, empatado com Federer).
– Será o único a ganhar ao menos duas vezes cada Slam se vencer Paris (Nadal concorre ao feito na Austrália e Federer, em Paris).
– Pode igualar os cinco títulos de Borg em Wimbledon.
– Concorre com Nadal pelo quarto troféu no US Open, o que igualaria McEnroe no segundo lugar.
– Tenta o recorde de 9 finais no US Open (empata no momento com Lendl e Sampras).
– Precisa de três vitórias em Roland Garros para superar Federer (65) e se isolar como segundo maior vencedor.
– Com mais quatro vitórias no US Open, subirá para quarto na lista. Iguala Lendl (73) e supera Sampras (71).

Geral
– Tenta igualar os seis troféus de Federer no ATP Finals.
– Disputa com Nadal o recorde de títulos de Masters 1000 (tem 32 contra 33)
– Se liderar o ranking de ponta a ponta em 2019, chegará a 285 semanas e ficará apenas uma atrás de Sampras (286).
– Tenta quebrar seu recorde de mais velho a figurar no número 1 ao final de uma temporada (31 anos e 7 meses)


Comentários
  1. Marcelo

    Dalcim,

    Este post vai mudar de nome para “Todos atrás do próximo post do Dalcim”. Quando teremos mais uma excelente análise?

    Abraços,
    Marcelo.

    Responder
  2. PIETER

    Caro Dalcim, perguntinha chata na lata: quem você considera realmente melhor e porquê: Margaret Court ou Serena Williams?
    Para mim, os 24 títulos de Grand Slam da australiana são muito superestimados porque 11 deles foram ganhos lá mesmo em uma época em que só os locais praticamente jogavam lá e ela não tinha adversárias à altura.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Além do citado pelo parceiro, 13 foram na era Amadora. Court não venceu mais nada após os 31. Navratilova e Evert passaram a dominar a WTA. Restou a Campeã ser uma crítica feroz de Serena até hoje. Somente a longevidade já daria a atual mamãe a supremacia reconhecida pelas demais. Abs!

      Responder
  3. lEvI sIlvA

    Dalcim , a Hopman este ano nos brindou com excelentes jogos de Federer, sem dúvida. Mas que dizer de Zverev?
    Impagável seu discurso na premiação, dizendo ao Roger – “estamos fartos de você”! rsrsrs

    Responder
  4. Nando

    Mestre, o Melhor Tenista de Tds os Tempos anunciou q jogará Dubai…eu acho q ele após o AO fará a dobradinha Dubai/IW e depois irá pro saibro. Não deverá jogar Roterdã e Miami (a não ser q a quadra no novo complexo será rápida).
    O q acha?

    Responder
  5. Márcio Souza

    Salve, salve galera!

    Para que os urubus e aves de rapina não reclamem, finalmente um post sobre o Cotonete.
    Mestre Dalcim sabe da importância de se escrever também sobre o número 1 e de como ele continua sendo o favorito para toda a temporada, porém em nível de oferta e procura e também de interesse, coisas sobre o Cotonete mesmo ele ganhando vários canecos, ficará sempre em segundo plano e assuntos sobre o GOAT Roger Federer rendem mais, além de se serem mais interessantes.
    Não é uma opinião, isso é uma constatação de um fato.
    Faça o que fizer o Cotonete e o Nadal, que o principal assunto ainda a ser discutido sobre tênis sera sobre ROGER FEDERER, fazer o que, é a vida ne!

    Faltam poucos dias para o início do AO e de fato o Cotonete vem como grande favorito, apesar de ter tomado uma escovada bem dada do Agut em Doha, ele continua sendo o principal favorito.
    Nadal vem como incógnita devido a sua condição física, mas sabemos que se o suco fizer efeito dentro do prazo, ele não pode ser descartado.
    Porém sabemos que se ele vier a perder dois sets em alguma partida no AO, ja iniciará o terceiro set com a famosa bandagem no joelho, agora se for vencendo e algum jornalista perguntar sobre o joelho, ele vai responder:
    – QUE JOELHO? Kkkkk

    Quanto ao GOAT, todos sabemos que ele corre por fora e é zebra.
    Deixem o MAIOR de todos jogar tranquilo e sem pressão como nos anos anteriores.
    Deixem os holofotes nos outros favoritos.
    Deixem o Fedex jogar sempre na quadra central e a noite e coloquem os principais favoritos a jogarem a tarde (lembrando que em 2017 o glorioso Istomin venceu o Cotonete no sol escaldante e o Murray também levou uma entubada do Mischa Zverev no sol da tarde).
    Então resumindo, deixem o Federer na dele, ir jogando sem grandes responsabilidades e fazendo o seu jogo tranquilo, até porque tem muitos que andam falando que dependendo da chave que ele cair, seja do lado do Djoko ou do Nadal, ele não passa das semi, então porque a preocupação com ele e qual horário que ele vai jogar nas rodadas anteriores.

    Não se preocupem com o Fedex, preocupem se com os seus tenistas favoritos e deixem o Fedex seguir de boa na competição, caso ele levante o 3° caneco do AO de forma consecutiva, terá sido apenas sorte, porque como vocês mesmo gostam de frisar, o Federer acabou.

    Quanto a mim, a torcida esta firme e forte como sempre e a carne pro churrasco ja no jeito, ainda mais depois da Copa Hopman perfeita que ele fez e com a Bencic mais uma vez deixando o Craque em ponto de bala.
    Vamos ver o que o futuro nos reserva e daqui a duas semanas o Fedex estara levantando o 21° GS e dando mais um tapa de luva com pelica na fuça de quem ja se acostumou a desdenhar do MAIOR e MELHOR DE TODOS OS TEMPOS.

    Bora GOAT, mais vez força e boa sorte!

    Ótimo acompanhamento do AO para todos!

    Responder
    1. Miguel BsB

      O post do cotonete tem, até esse momento, mais que o dobro de comentários do que o do seu idolatrado Bode…
      Vai buscar a picanha que já tá esturricada na churrasqueira.

      Responder
  6. Marcelo Bragatto

    Mestre…

    Em termos de velocidade da quadra, Doha é mais lento que o AO?

    Na sua opinião, o Djokovic prefere uma quadra mais rápida ou lenta (Independentemente do adversário)?

    Forte abraço

    Responder
  7. Kennys

    Sou torcedor do Federer, mas é claro que o favorito para AO é o Djokovic. Nadal corre por fora; Federer me parece ser o segundo favorito, pelo que apresentou na Hopman. É incrível como um jogador de 37 anos, na geração do Nadal e Djokovic pode ser ainda favorito em um Geand Slam. Só o Federer mesmo, a lenda.

    Dalcim, quando será o sorteio do AO?

    Responder
  8. Sandra

    Dalcim, quem tem mais jogadores de tênis ? Espanha , Austrália ou França? E no top 100..? Minha pergunta é devido nunca ter visto tanto australiano juntos

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Em termos numéricos, acredito que a França. Mas todos têm forte trabalho de base, muitos juvenis registrados e realizam torneios de pequena premiação que sempre ajudaram na entrada inicial do ranking.

      Responder
      1. Enoque

        USA – 10
        Espanha – 9
        França – 9
        Austrália – 6
        Alemanha – 6
        Itália – 5
        Russia – 4
        Brasil – 0
        Só estes representa 50% do ranking até 100.

        Responder
        1. Miguel BsB

          Argentina tb entra aí, potência tenistica. Não sei o top 10 no momento, mas, de cabeça, Delpo, El peque, Mayer e Delbonis sempre estão por lá

          Responder
  9. João ando

    Dalcim. Peter Carter parece foi o primeiro técnico do Federer…em uma imagem aparece ele jogando em Wimbledon ….eu acho… Carter foi um bom tenista …eu não lembro dele como tenista profissional..

    Responder
  10. Paulo F.

    Dalcim:
    – A ESPN realmente transmitirá o Aberto da Austrália para o Brasil em 2019? É que li um comentário de que talvez ela cancelaria.

    Responder
          1. Victor Martins

            E na minha opinião, os melhores comentaristas esportivos estão na ESPN. No tênis, Os “Fernandos” são os melhores. E no futebol nem se fala. Os caras são os melhores, comentam com imparcialidade, e falam a verdade sobre tudo. Eles não ficam censurando nada.

          2. alessandro sartori

            Concordo com Victor Martins, ESPN tem os melhores comentaristas mesmo, no futebol principalmente, uma pena tbm o Meligeni ter saído…

  11. Renato

    Rodrigo Cruz,

    Novak tem o direito de perder sim! O problema é que seus torcedores sempre inventam uma desculpa para derrotas, como fizeram quando ele perdeu pra Zverev e Khacanov. Então eu perguntei qual é a desculpa da vez.

    Responder
  12. Renatinho

    Dalcim, de fato Federer provavelmente deve ser um grande homem para a esposa dele . Deve ter sido um baita teste conviver com a Belinda nestas 2
    últimas edições da Copa Hopman , pois além de ser muito bonita parece ser uma pessoa bastante simpática e legal . Imagino que com certeza já passou por inúmeros testes assim na carreira e mesmo assim eu nunca ouvi falar dele ter traído ou ao menos flertado com alguém fora da relação dele com a Mirka. Só algumas pessoas são assim como Federer no mundo. Deve amar bastante a esposa dele.Parabéns para ele. Quando estou sério num relacionamento também respeito bastante. Mudando de assunto, você acha que Federer tem chance de ganhar o Australian Open?

    Responder
    1. Alexandre Maciel

      Eita povo maldoso. Jogo em clima total de descontração e em formato diferente (até 4 games). Em outras circunstâncias, salvo em caso de realmente estar sentindo alguma lesão, duvido que tomaria pneu.

      Responder
  13. Oswaldo E. Aranha

    Amamo-nos, odiamo-nos e não nos conhecemos.
    Dalcim, quero fazer uma proposta, de haver um espaço para que cada um dos frequentadores do blog possam se identificar.
    Assim, se seguiria os seguintes tópicos:
    – nome
    – nacionalidade
    – naturalidade
    – cidade onde reside
    – formação profissional
    – atuação, presente e passada
    – clube de futebol
    – tenistas preferidos
    PS. não colocar a idade porque seria inconveniente para o setor feminino.

    Responder
  14. Babidi

    Jamais subestimem Novak Djokovic. O que ele fez no segundo semestre de 2018 foi algo inimaginável. De adversário medíocre a adversário a ser batido. Ele ainda é o grande favorito para ganhar o Australian Open e acho que esse é o torneio que ele mais gosta de jogar. Uma derrota não muda nada. Não perdeu pra qualquer um. Perdeu do Bautista no detalhe! Dificilmente o Nole perderia esse jogo em melhor de 5 sets.

    Responder
    1. Paulo F.

      Federeristas, em sua arrogância imensurável, dariam risadas disso.
      Mas iriam ficar perplexos sobre quem o próprio Roger Federer considera o favorito para o AO19.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Engraçado o senhor, né…

        O senhor só fala de arrogância, se for de federista.

        Como se não houvesse uma porrada de arrogantes no blog que torcem pro Djoko ou pro Nadal.

        Mas arrogante pra você, é só quem torce pro Federer…

        É a chamada indignação seletiva!

        O pior é que você repete isso como um mantra.

        Parece aquela tática suja do Gobbels: “a mesma MENTIRA contada mil vezes, pode virar verdade”.

        Só que não…

        Responder
        1. Paulo F.

          Existem diversos torcedores arrogantes do Nadal e do Djokovic, Rodrigo Cruz.
          Alguns são até figurinhas carimbadas deste blog.
          Mas perto do Renato e do Márcio, são verdadeiros monges franciscanos em humildade.

          Responder
  15. Nando

    Puxa, teria sido bacana se Karlovic (q teve 2 saques pra tal) tivesse sido campeão hein….39 anos fazendo final de ATP, e só no saque e voleio (mais saque kkkkk).
    Ansiedade pra q chegue logo sexta, pra ver esse sorteio das chaves do AO.
    E o Federer hein? 37 anos e ainda nos brindando com belos lances.

    Responder
  16. Renato Toniol

    Medvedev tem muita potência nos seus golpes, porém acho os golpes dele muito amplos, principalmente o forehand, e em superfícies mais rápidas, ele pode se complicar, perdendo o tempo de bola.
    Contudo, é algo que pode ser corrigido, pois potencial ele tem de sobra.
    Espero que a next geen venha com força já em 2019, para que temhamos mais disputa. É deprimente assistir a um Grand Slam e logo de cara já sabermos quem serão os semifinalistas.
    Época boa o final dos anos 90 e inícioo dos anos 2000, quando tudo podia acontecer. Haviam os grandes favoritos, que eram Sampras, Agassi, Kuerten, Safin, Kafelnikov, Ferrero, Hewitt, Rafter, Moya, Rios, Federer, Haas, e entre eles tudo podia acontecer. Porém havia também um segundo escalão de tenistas, que volta e meia podia surpreender, principalmente no saibro com alguns espanhóis e argentinos casca dura, como Berasategui, Corretja, Galo Blanco, Canas, Coria.

    Responder
      1. Fonseca

        Bom comentário, mas concordo: colocar Galo Blanco no meio dos outro nomes citados foi sacarrolha…(1 Título de ATP e 4 de Challengers na carreira…).

        Responder
      2. Renato Toniol

        Rodrigo,
        Eu não disse que o Galo Blanco era um excelente tenista.
        Se você ler direito o meu comentário, irá perceber que eu mencionei que existia uma leva de tenistas espanhóis e argentinos, que ainda não fossem excepcionais tecnicamente, mas podiam trazer dificuldades aos tops nas quadras mais lentas.
        Galo Blanco era um desses tenistas, limitado tecnicamente, mas longe de ser fácil de se derrotar no saibro, isso sem contar com os demais tenistas espanhóis e argentinos.
        Abs.

        Responder
    1. VALDIR BITTENCOURT JUNIOR

      Engraçado você falar que o Medvedv pode ter problemas me superfícies mais rápidas. Nos últimos 12 meses ele tem mais de 40 vitórias nas quadras dura, e só 1 no saibro. O problema dele tem sido as lentas mesmo.

      Responder
  17. Gabi

    Dalcim,

    já viu o documentário sobre o Nick bollettieri e sua academia chamado “love means zero”?

    Vi alguns pedaços e achei muito interessante.

    Responder
  18. Vítor Barsotti

    E a renovação veio com tudo já na primeira semana de 2019, com títulos dos next gen Federer, Anderson, Bautista e Nishikori! rs

    Brincadeiras a parte, curioso para ver como vai ser o desempenho da molecada no AusOpen (ainda que acredite que o caneco vai ficar entre Federer e Djokovic).

    Dalcim, tirando o Big3 e Zverev, aposta em mais alguém pra aprontar nesse Slam? Eu iria de Anderson….

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Antes de viajar assisti uma parte do segundo set do jg do Federer que dominou Ze Verev como quis. O BH me pareceu excelente, golpe q é sempre o calcanhar de Aquiles dele. Se jogar nesse nível, é páreo duro p Djoko no AO, não ha como negar.

    Responder
  20. Renato Toniol

    Dalcim,
    Por favor, poderia esclarecer uma dúvida?
    Assisti no youtube aos melhores momentos do jogo de duplas da final da Hopman Cup.
    Pelo que percebi, quando estava 4×4, a dupla suíça fez o ponto e conquistou a vitória.
    Neste caso, não haveria a necessidade de abrir diferença de dois pontos?
    E por fim, o que tem achado das atuações do Federer? Acha que ele tem chances de título na Austrália?
    Abraço, e feliz 2019!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A Hopman tem um regulamento próprio e adotou esse tiebreak curto até 5, com a chamada ‘morte súbita’. Aliás, saiba que as primeiras versões do tiebreak – inclusive no US Open no começo dos anos 70 – também usava esse critério, ou seja, sem o ‘ir a dois’.

      Responder
  21. Sérgio Ribeiro

    Sei, não. Se eu fosse a Titia Mirka convidava a gata Bencic para o box do Suíço , em todos os jogos do AOPEN rs O Velhinho parece se inspirar nos “ modelitos “ da jovem Tenista rs . Abre a caixa de ferramentas e começa a operar milagres em quadra. Sasha quase quebra a raquete. Resultado : bastante descontraído fez 6 partidas ( contando as duplas ) e chega ao Tri da Hopman Cup ( a outra foi com a não menos gata Martina Hings ) . A derrota de Novak para um inspirado Bautista não muda nada , a meu ver. Como afirmamos na Temporada passada , MEDVEDEV parece melhorar a cada minuto. Tsonga que o diga. E a Next Gen já abre a temporada com FINAL de ATP. Aos 39 , emocionante o duelo dos Sacadores Karlovic e Anderson. Deu jogo numa quadra visivelmente mais rápida. Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. Lendo os comentários, os sabichões muito provavelmente, não assistem um jogo inteiro. Comentam em cima dos resultados para Postarem todas as baboseiras irritantes de sempre ( há anos ). Um super inspirado Bautista fez 3 grandes partidas num ATP 250 . Inclusive contra Novak. Este mostrou ao longo da partida que continua o favorito para o AOPEN 2019. O resto é fanatismo e comentaristas de Live Score . Abs!

      Responder
  22. Juninho Fonseca

    Eai Dalcim….acha que depois das atuações do Roger na copa Hopman e da semana instável do Djokovic em Doha deram uma mudada no panorama???……”TODOS ATRÁS DE ROGER”…….veinho vai ser campeão de novo meu chapa!!!…escreva aí!!!

    Responder
  23. Sandra

    Dalcim , vejo muito aqui adoração pelo Federer , mas vendo Djokovic jogar todo dia e inclusive duplas , mesmo sendo 6 anos mais novo que o Federer , achei também que ele estava cansado , por isso minha pergunta , vc acha que Federer consegue jogar 5 sets? E mesmo que consiga , na partida seguinte não vai sentir?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Cansado porque jogou duas partidas de duplas? Não acredito. Cansado sim dos dois jogos duros que teve de virar antes do Bautista. E não tenho a menor dúvida de que Federer aguenta cinco sets.

      Responder
      1. Ulisses Gutierrez

        Sandra e Dalcim,

        Depois daquela final no AO17 na qual o Federer já com seus 35 anos na mesma semana tinha passado por duas batalhas com Kei Nishikori e Wawrinka, e depois de quase 3h30min de jogo com o Nadal disputou um Rali com mais de 20 trocas que terminou com uma bola vencedora do Federer, que por sinal terminaria por ser mais um break para posterior quebra decisiva, ele olhou firme para seu staff e cerrou o punho. Passei, desde então a não ter minima dúvida que ela aguenta jogos de cinco sets seja contra quem for. Jamais duvide de Roger.

        Responder
  24. Mauricio Justus

    Mestre bom dia. Um iluminado 2019! Vi o jogo do Federer hoje contra o Zverev!! Achei o rei muito solto, lépido com a esquerda de 2017 querendo aparecer novamente. Achei bastantante animador. Que achou da performance dele? Essa boa campanha influência para o AO?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Para você também, Maurício. Sim, muito animador. Apesar de ser não-oficial, todo mundo joga com seriedade a Hopman e vencer Tsitsipas e Zverev mostram que Federer está muito motivado.

      Responder
  25. João ando

    Rogério Dutra acaba de chegar a uma final ao ganhar de um chinês. …muitos brasileiros vibrando e um ououtro devem estar triste…Bellucci chegou a Austrália para treinar com Tiago Alves????.deve ser desespero mesmo…Ivo karlovic com 39 anos nas rodadas finais de um torneio …e so falam da idade do Federer

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      O problema não e’ a idade caro ando. E jogar em altíssimo NÍVEL após os 33. Connors jogou até aos 44. Karlovic fazer Final é magnífico. Mas muito longe, como todos os outros, do incrível jogo apresentado pelo Craque Suíço. Abs!

      Responder
    2. José Eduardo Pessanha

      Caro Ando, Federer se tornou profissional 2 anos antes do Karlovic, mesmo sendo 2 anos mais novo. Além disso, deve ter disputado uns 500 jogos a mais do que o gigante, e sob uma pressão muito maior.
      Abs

      Responder
    3. Dominic DeCoco

      Gosto bastante do Karlovic, mas creio que com 40 anos Federer ainda conseguirá ganhar títulos, caso continue jogando até lá, logo isso é algo que Federer ainda não chegou, porém não deixa de ser magnifico por parte do croata, tanto que eu acho que só os dois tem essa capacidade de ganhar títulos aos 40.
      Mas verdade seja dita, o Karlovic ainda não ganhou chegou na final, e não ganhou porque amarelou bonito, encolheu o braço na hora que devia ter mandado duas marretadas e ser campeão.

      Responder
  26. Raul Patti

    Dalcim

    Vendo Karlovic na final e lembrando de Haas a poucos anos , lhe solicito um exercício de imaginação:

    Caso Federer termine 2020 jogando e com um ranking hipotético na casa do 15 do mundo…faltando 2 ou 3 títulos para o recorde de Connors

    Seria ele capaz de prorrogar a carreira procurando o recorde ?

    Responder
  27. Luiz Fernando

    Pra quem, como eu, julgava q o AO tinha um favorito destacado, no caso Djoko, essa derrota de hj, para um adversário bem medíocre, diz q devemos ter cautela nas apreciações, não q ele ainda não seja o principal favorito, mas creio q menos do q se imaginava. Vi na hora do almoço a partida do Anderson vs Simon e o sul-africano me pareceu ter evoluído muito nas trocas de bola do fundo da quadra, confirmando a impressão deixada no torneio exibição da semana passada, o q associado ao serviço excepcional q possui, o torna um adversário bem indigesto nesses pisos duros…

    Responder
  28. Renato

    O cara ficou duas semanas SUPOSTAMENTE gripado e foi humilhado por caixa9 e Zverev “danoninho”. Agora acabou de levar uma piaba do Bautista Agut. Pergunte pras djokovetes: O que Novak tinha, diarreia, cólera ou o dedinho do pé estava torcido?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Renato,

      Acontece que o Djokovic é um HOMEM, e não uma máquina de jogar tênis.

      Do jeito que você fala, parece até que o sérvio não tem direito de perder uma partida.

      Responder
  29. André Barcellos

    Não vi os jogos, mas parece que a semana puxada deu uma desgastada em Nole.
    Bautista Agut já não está atrás de Djokovic.
    Se for isso, mau sinal pra o sérvio. Há muitos jogadores que podem desgasta-lo e assim dar uma estragadinha nele pra as partidas seguintes.
    Em melhor de 5 então….

    Responder
  30. Thiago

    Dalcim,
    Minha maior aposta para este Ausopen é Karen Kachanov. Joga demais e não tem medo de ninguém.

    Perfil de Top 1, como Safin.

    É uma aposta até decente né?

    Responder
  31. samuel

    Prezado Dalcim,

    O Canal Sony está apresentando, hoje, videotape das quartas de finais do torneio WTA de Brisbane, com narração e comentários em inglês.
    Bom para quem está treinando o idioma estrangeiro.
    Ruim para a maioria do público.
    Melhor isso, do que nada.
    O que você acha disso (o canal não dar espaço para os nossos narradores e comentaristas).

    Saudações,

    Samuel

    Responder
  32. Gabi

    Na vida em geral e no esporte em particular, a quantidade de mulher com transtorno alimentar é muito grande. No tênis inclusive. Mesmo assim, fico muito impressionada.
    Inclusive, carreiras terminam precocemente em razão disso.

    Responder
  33. Fonseca

    Mestre Dalcim!! Antes de tudo um ótimo 2019 para todos nós, que traga a tona apenas o melhor dessa nossa espécie tão imperfeita…

    Pergunto o que achastes das mudanças di circuito Challenger?

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      E eliminou o Gulbis, nos detalhes, em dois tie-breaks.

      O que mostra que o letão conseguiu uma recuperação impensável.

      Não tem muito tempo em que ele amargava colocações horrorosas, e quase só era visto em torneios Challenger.

      Responder
  34. Paulo F.

    Se é para não correr risco de lesões na gira de saibro europeia, sequer duvido que Nadal também sacrficará a primeira gira de torneios norte-americanos (IW e Miami).

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Danilo,
      Tmj! E espetacular post assim como do Nadal e do Federer.
      Dalcim observou muito bem, se o sérvio liderar o ranking sem interstício em 2019 colará no Pistol Pete!

      Responder
  35. Sérgio Ribeiro

    Se alguém imagina que Rafa Nadal está feliz com esse ” novo ” Recorde , está de Sacanagem. Além de mexer em muito com a sua confiança para o AOPEN , bota a garotada pra soltar o braço. O que o tal de Medvedev resolveu soltar pra cima de Andy Murray , foi deprimente. Sem nenhum respeito ao Ex- N 1. Embora na verdade eles não estão respeitando ninguém. Até Novak sofreu com o Húngaro em Doha. Mesmo em 5 Sets, a Zebra deve dar as caras novamente neste SLAM. A conferir. Abs!

    Responder
  36. Miguel BsB

    Realmente não dá pra levar o Kirgios a sério, e na vdd é muito sofrimento pra quem torce por ele…
    Tô assistindo a reprise do jg dele contra o Chardy, 3 set, 2×2,e o doidão arrisca um 2 saque a 208 km/h em break point contra. Resultado: Dupla falta e quebra de saque…
    O cara não tem nenhum compromisso, cabeça de ervilha.

    Responder
  37. Chileno

    Vi apenas os highlights dos jogos do Federer na Hopman Cup e por enquanto a impressão foi boa. Claro que os adversários não eram os mais duros, mas o Tiafoe é um teste decente, no qual o maestro se saiu bem. O backhand por enquanto parece melhor do que foi no ano passado. Veremos como o suíço chega no Australian Open.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pra desafiar o Djokovic, o suíço terá mais do que nunca mostrar um backhand afiado.

      Pelo menos próximo daquele backhand de 2017.

      E claro, sacar muito.

      Já o Nadal, com esses seguidos abandonos vira a maior dúvida pra esse Australian Open.

      Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Oh dó…

            Café-com-leite que derrotou o Federer em Cincy.

            Café-com-leite que venceu todas finais contra o suíço em Wimbledon.

            Então tá.

          2. José Eduardo Pessanha

            Caro Rodrigo, vamos lá. Sei que você é novato no tênis, mas vou explicar: Wimbledon, na última rodada, está longe de ser uma quadra “muito” rápida, por causa do desgaste imposto ao piso pela correria sem fim dos “maratenistas”. Com relação à Cinci, Federer estava com uma contusão na mão. Isso explica a derrota, pois, nessa quadra, ele sempre ganhou com facilidade do Djokovic.
            Abs

          3. alessandro sartori

            Cara eu gosto do senso de humor dos cariocas e mesmo sendo de SP aprendi a gostar da Super Radio Tupi desde a época em que tinha o ótimo Jorge Nunes, ria muito com ele e com esse Pessanha não é diferente…

          4. José Eduardo Pessanha

            Bom, ainda bem que eu não ligo pro local onde a pessoa nasce ou mora. O cara nascer em São Paulo, no Rio, no Acre ou no Arzeibaijão é a mesma coisa. rsrs
            Abs

  38. André

    Fugindo um pouco do assunto, mas Dalcim você não acha que o marketing da ATP deu uma bela evoluída? Está muito mais interativo, buscando alcançar principalmente o público mais jovem. Isso tira um pouco a visão do tênis de um esporte elitista e “distante” na minha opinião.

    Responder
  39. Renato josef

    Dalcim existe resposta para a derrota do Thiem de prima em Doha ??? Quando pensamos que ele embala perde e detalhe nem foi pra tops !!!! E analisando outro jogador ,Alex de minaur embala esse ano ??? Agora concordo em relação ao djoko sim , salvo contusão !!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Muito difícil avaliar começo de temporada, mas Thiem definitivamente não se achou: : derrotas! Não é bom para a confiança. De Minaur está no caminho certo, tentando ss aperfeiçoar sem pressa.

      Responder
  40. Aurélio Passos

    Nadal está criando uma nova categoria de recordes: comparecer ao torneio, dizer pra todo mundo na cara dura que está tudo bem , e abandonar INSTANTES antes da partida.
    Incrível isso.

    Responder
      1. Viana

        Pode ser q ele o faça premeditadamente, porém, não acredito.
        Lesões aparecem de um dia pro outro.
        Ele até treinou em Brisbane e aí sentiu a coxa!
        Gente, lesões não são como matemática não!!
        Esses dias abri o posterior, fiquei duas semanas parado.
        Não sentia mais dor, fiz todos os testes de alongamento sem qualquer limitação. Joguei dois dias seguidos!
        No terceiro… fisgada no posterior!!
        Ou seja, ele achou q estava bom, mas aí na hora q força…
        E com a idade, vc conserta aqui, estoura ali. Difícil!!
        Mas foi só um ponto de vista!

        Responder
  41. Luiz Fernando

    Nós q torcemos pra Rafa temos q ficar com as barbas de molho, sua carreira está se aproximando do fim. Dizer q será nessa ou naquela época é chute, mas pra um jogador cujo desempenho está intimamente ligado ao físico, quem vem tendo problemas seguidos em curtos espaços de tempo estará claramente limitado a curto/médio prazos. Triste, mas melhor do q jogar sem condições de lutar pelos títulos.

    Responder
    1. Marcos RJ

      LF, concordo com voce. Para piorar a situação (ou melhorar, dependendo do ponto de vista), Nadal sempre gostou de jogar muitos torneios para pegar ritmo além do treinamento bem pesado – o que acentua o desgaste. O planejamento melhorou ano passado com Carlos Moya e acho natural que passe a focar quase que exclusivamente na temporada de saibro para estender a carreira, com um punhado de torneios importantes em outras superfícies. Até agora a performance absurda no saibro garantiu um ótimo ranking ao longo do ano, mas em caso de qq problema físico nesse período vai ficar complicado de reverter.

      Responder
  42. Sandra

    Dalcim, com a desistência de Nadal, daqui a pouco só via sobrar Djokovic e Federer, vc não acja que a mídia internacional pega muito no pé do Nadal..?

    Responder
  43. Luiz Fernando

    Kachanov, que vinha de grandes resultados, perdeu p o genial Wawrinka, que vinha de uma temporada pífia em 2018, o q demonstra 2 fatos: é muito difícil se manter vencendo de forma consistente; esse ano deve ser de mais disputa do q os 2 anos anteriores.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Faltou só um terceiro fato, né.

      Aquele que diz que você não entende nada de tênis.

      Pois ao ironizar a qualidade do Wawrinka, você assina um atestado inexorável de ignorância e mau gosto…

      Responder
  44. Sérgio Ribeiro

    O favoritismo dado a Novak pela maioria , é mais que justo. Vem apresentando o melhor Tênis de todos, NESTA superfície. E além disso o outro Hexacampeão do AOPEN , está digamos, se virando nos 30 há muito mais tempo rs Agora, que entra ano e sai ano , e os mesmos de sempre ,não aprendem que derrota em preparatório pouco significa , é impressionante. Os eternos comentaristas de resultados. O Suíço perdeu a Hopman 2017 e Stuttgart 2017, e venceu os 2 SLAM em sequência. Federer hoje afirmou que o Sérvio , o Espanhol e o Alemão são os favoritos. Ou seja, nem ele acredita em si mesmo . Sei…rs Abs!

    Responder
  45. Enoque

    Não vejo vantagem na participação do torneio de duplas em Doha. Fará duas partidas amanhã, o que pode causar desgaste mais a frente na preparação para o AO.

    Responder
  46. Aurélio Passos

    Djokovic está muito mais vulnerável. Não só por causa das derrotas de final de 2018 para Caixa 9 e Zverevinho, mas pelo jogo apresentado mesmo. Não será esse trator todo não…
    Contudo, realmente deve ser favorecido com falta de concorrência… Thiem já eliminado em Doha na primeira rodada… Caixa 9 eliminado pelo convalescente Stan…

    Responder
  47. José Eduardo Pessanha

    O hiper, mega, ultra super SuperesTHIEMado tomou a quarta porrada em menos de uma semana. Vai longe o rapaz nesse ano. Rsrs
    Abs

    Responder
    1. Rafael

      Caso Stan, Del Potro e Murray estivessem plenamente recuperados há algum tempo, nem haveria uma Next Gen. É talento demais, coisa fora de série.

      Responder
    2. Barocos

      Verdade seja dita, em forma o Stan é um excepcional e perigoso tenista, infelizmente luta faz muito tempo para manter o peso ideal.

      Além de tudo tem o mais belo backhand de uma mão que eu já vi no circuito profissional (para não falar dos das brincadeiras de fins de semana, kkkk).

      Responder
      1. Miguel BsB

        Eu iria mais além. Tem o mais belo backhand (seja de uma ou duas mãos) de tds os tempos. Tb está entre os mais devastadores de tds os tempos.

        Responder
    3. Miguel BsB

      Pra ironizar a excelente técnica do Stan, ou o cara é cego ou não entende nada de tênis…
      Seu estilo de jogo vai fazer muita falta, qd ele resolver parar.

      Responder
  48. Robson

    Grande post Dalcim,analisando todos estes números,eu ficaria extremamente feliz com Novak Djokovic alcançando todos, heheheeee…
    Esse de terminar o ano com 285 semanas de liderança do ranking,será atingido com certeza,salvo alguma lesão é óbvio.
    Um feliz ano novo a todos e viva o tênis!!!

    Responder
  49. lEvI sIlvA

    Quantos pontos Djokovic defende no 1º semestre? Tendo em vista a forma como encerrou a temporada 2018, nada mais natural que mantenha um padrão semelhante. Segue motivado e confiante o que é claro, faz muita diferença no universo do tênis profissional de altíssimo nível. Teve alguns altos e baixos, perdeu jogos que pareciam mera formalidade na reta final, sim. Até os torcedores de RF e RN diziam entreguem logo a taça pra Djokovic em Paris e Finals, pois ele não perde, seja pra Kachanov ou Zverev – perdeu, é bem verdade – mas ganhou W derrotando o espanhol “voando” e ainda o US Open num jogo protocolar frente a Kevin Anderson. (Se isso não ocredencia a algo mais em 2019, não sei o que faria!) Entre prós e contra, um ano positivo em que levou 2 GS. Djokovic sabe que há um duro caminho pela frente, mas não é mais duro do que trilhou entre início de 2016 até a metade de 2017. Ou será que é…?!?

    Responder
  50. Bruno Macedo

    Na minha opinião, Djokovic deve bater todos os records possíveis, inclusive desejo que supere o Nadal em quantidade de títulos de Grand Slan, ficando atrás apenas do Federer.

    Responder
  51. Lucas

    Respeito a opinião do mestre, mas não acho que vai ser assim não. Novak tem limitações técnicas, e quando o físico apitar……Já era!

    Responder
    1. Roger Porciuncula

      O único a ganhar todos os master 1.000, o único a ganhar os quatro Grand Slan em sequência na era atual. No H2 leva vantagem sobre Federer e Nadal. E você vem dizer que Djokovic tem limitações técnicas. Quem tem limitações técnicas é o Thomaz Bellucci. Kkk(

      Responder
  52. Evandro

    Boa noite Dalcim. Óbviamente tudo pode acontecer, pois tem muuuuita água pra passar por debaixo da ponte, mas se você fosse apostar, diria que Djokovic terminará esse ano na ponta do ranking?

    Responder
  53. Marcos RJ

    Concordo que Djokovic é o grande favorito nesse início de temporada e especialmente no Australian Open, mas acredito que essa vantagem deve ser progressivamente reduzida ao longo do ano. A dinâmica de contusão + queda de rendimento que hoje afetam Nadal e Federer eventualmente também vão incomodar o atual líder do ranking que em breve completa 32 anos. Outros nomes ilustres como Murray, Delpo e Wawrinca infelizmente também sofrem ainda mais o desgaste. O próprio Djokovic sofreu com contusão prolongada depois da fase exuberante de 2015-2016. E mesmo no merecido título no US Open sofreu com o calor extremo daquela panela de pressão gigante que se transformou o estádio Arthur Ash. Diante disso tudo, acredito que Djokovic é o grande favorito nesse início de 2019, porém com viés de baixa. Não acredito em coincidências e nao há de ter sido por acaso que as principais derrotas vieram justamente para a nova geração. Abraços e bom ano novo!

    Responder
  54. AlexPicelli

    HAPPY NEW YEAR FOR ALL.
    Sobre a postagem minha opinião é a de que Nole não será supremo, será forte, mas não supremo.
    Mostrou desgaste físico devido a recuperação corporal já mostrar a idade e o desgaste pelo uso excessivo da força.
    Creio na next gen, até porque isso acorrerá querem queiramos (os fãs do big 3) ou não.
    Bom esperemos o desenrolar e Dalcim parabéns novamente pelo trabalho.

    Responder
  55. Marcel azevedo

    e o Federer Dalcim vc acha que ele tem chance na Austrália e se recuperou a sua confiança com o backhand pelo jogo visto ou é cedo demais ?? abc

    Responder
  56. Barocos

    Grande Mestre !!

    Excelente compilação ! Junta-se às outras já realizadas como a principal razão para frequentar este blog, ainda, é claro, que as hilárias postagens de outros frequentadores também forneçam um ótimo motivo.

    Obrigado pelas pérolas e votos de um ano novo excelente para todos nós, espoliados brasileiros, e, especialmente, para você Dalcim, mestre das estatísticas relevantes.

    Responder
  57. lEvI sIlvA

    Dalcim este novo Post me trouxe a memória um outro no qual você, de forma muito sagaz mencionou a possibilidade de Murray se tornar Nº 1 ao fim de 2016, se não me engano. Alguns responderam ser muito cedo pra considerar isso possível à época, outros foram taxativos em afirmar, Andy Murray como 1º só em sonho. Bom, o fato é que as coisas caminharam nesta direção, e pasmem, teve vários comentários que taxativamente diminuíram os feitos do escocês. Foi por conta da má fase do Big 3 que ele chegou lá… estranho como possa parecer, ninguém mais foi capaz de fazer isso! Abraço!
    PS. (Só faltou o chamarem de louco, na época, Dalcim!)

    Responder
  58. Marcio

    Pô Dalcim, eu acho que devemos ter um pouco de cautela.
    Já vimos no Masters de Paris que aquele Djokovic incansável já não existe mais, quando na final ele perdeu pra Caixa9 sentindo nitidamente o desgaste.
    Aliado a isso, ele tem 31 anos, e fará 32 em maio, não podemos dizer que isso seja uma idade de fim de carreira, mas podemos dizer que a qualquer momento a queda de rendimento pode acontecer de forma brusca.
    Aliado a isso temos 5 jogadores que estão na iminência de entrar no top 10 com idade de despontar de vez no circuito.
    Acho que essa temporada começa com muitas incertezas, e creio que só depois do US Open podemos fazer uma previsão mais contundente, dado todo o mistério do que possa acontecer ao decorrer da temporada.

    Responder
    1. Luiz

      Certamente não está na cabeça do Nole esse monte de marcas que ele pôde alcançar ao longo do ano, mas o fator idade e resistência física já fazem com que ele programe uma participação mais enxuta em 2019. É aí que mora o perigo para estas tantas marcas…

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Discordo.

      Acho que o Djokovic continuará VOANDO.

      É claro que ele não é imbatível. Porque ninguém é.

      Mas continuará barbarizando em 2019, e mantendo o favoritismo nos principais eventos.

      Só torço para que o Federer, o Nadal e a Next Gen encontrem um caminho capaz de refreá-lo.

      Se não, vai ficar chato…

      Responder
      1. Miguel BsB

        Concordo. Novak vai chegar muito forte e favorito em tds os torneios, se tudo correr como esperado.
        Cabe aos seus 2 maiores rivais e a nova turma conseguir impedir uma soberania absoluta em 2019.

        Responder
  59. Maurício Luís *

    Dalcim, desculpe minha ignorância… mas todos estes jogos deste fim-de-semana já são considerados pontuação de 2019, inclusive corrida dos campeões? Mulheres também?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *