Djokovic busca a chave de ouro
Por José Nilton Dalcim
17 de novembro de 2018 às 20:35

Novak Djokovic está a dois sets de um fecho espetacular no seu segundo semestre de ouro. Novamente dono do circuito masculino, o sérvio de 31 anos busca igualar o recorde de seis títulos de Roger Federer na competição mais importante da ATP. Quem sabe, apenas o primeiro de muitos feitos do suíço que irá perseguir daqui para a frente.

Nole chega à sétima decisão do Finals sem perder um único game de serviço e nem sets. As duas últimas apresentações foram notáveis, mesclando solidez na base com um serviço apuradíssimo. Kevin Anderson é bem verdade não sacou bem e, obrigado a disputar pontos, foi esmagado: 18 winners a 12, 14 erros frente a 27, só 26% de pontos vencidos com o segundo saque, 40 a 15 nas trocas de bola.

Agora, são 35 vitórias em 37 jogos feitos desde a estreia em Wimbledon, o que lembra cada vez ais aquele Djokovic praticamente imbatível de 2011 ou 2015. O fato curioso é que essas duas únicas derrotas desde julho foram para membros da nova geração, Stefanos Tsitsipas e Karen Khachanov. E o adversário às 16 horas deste domingo é o maior representante da Next Gen, Alexander Zverev, para quem perdeu uma vez no saibro de Roma.

Zverev só tirou cinco games de Djokovic dias atrás na fase inicial do Finals – placar tão fácil quanto o de Xangai no mês passado -, mas tal qual o sérvio evoluiu a cada partida que fez na O2. A vitória deste sábado sobre Federer foi inquestionável, já que mostrou melhor atitude nos dois sets. Com certeza, surpreendeu o suíço com a tática bem mais agressiva. Mesmo falhando em alguns voleios, colocou pressão no backhand do adversário e manteve um padrão notável de saque: 66% de acerto, 88% vencidos com média de 215 km/h.

O suíço talvez tenha exagerado no slice defensivo, demorou a criar coragem para bater mais o backhand, mas sua falha crucial foi outra vez o rendimento instável do primeiro saque, o que custou a quebra no final do primeiro set. Não poderia jamais ter desperdiçado a vantagem que construiu no começo da outra série.

É preciso elogiar mais uma vez a frieza de Zverev, que vem se comportando muito bem neste Finals depois da derrota de estreia. O alemão nunca se apavorou, reduziu muito a choradeira, esqueceu a admiração pelo amigo e teve notável postura na entrevista em quadra, ao pedir desculpas ao público pelo lance confuso no tiebreak quando recebia desmerecidas vaias.

Compreensível que a torcida não tenha entendido por que Sascha parou o ponto e o próprio Federer ficou a princípio surpreso, porque afinal a bola que escapou da mão do boleiro estava às costas do suíço. Carlos Bernardes agitou corretamente e mandou voltar o ponto – em que Federer dominava, daí a bronca do público – e talvez a falha do árbitro brasileiro tenha sido não explicar claramente o motivo do ‘let’.

Impossível dizer se esse lance de má sorte teria mudado o destino do tiebreak para Federer, mas provavelmente ele irá sonhar muito mais com o incrível voleio que errou, grudado à rede e com Zverev batido, que abriu 4-6. O fato é que Federer não fez um torneio brilhante, ainda que tenha reagido à estreia fraca. Perdeu o quarto tiebreak consecutivo, outro espelho de seu saque irregular e da falta de confiança na hora do aperto.

Depois das duas surras recentes sobre Zverev, é óbvio que Djokovic entrará em quadra como favorito absoluto. Tenta reconquistar o troféu que ergueu pela última vez em 2015. O alemão tem sacado muito bem, mostra-se mais agressivo e é experiente para seus parcos 21 anos. Tomara Ivan Lendl consiga colocar na cabeça do pupilo o espírito de ‘nada a perder’, e assim tenhamos uma final animada.


Comentários
  1. Ernesto

    E o mundo do tênis tem que reverenciar Ivan Lendl… esse mito do tênis bota a casa em ordem de qualquer jogador… um fenômeno dentro e fora de quadra… 271 semanas como número 1 é de tirar o chapéu… fazer Murray e Zverev ganhar de Djokovic é um espetáculo…
    Sempre admirei esse jogador… na minha opinião, na história, Ivan Lendl ainda está na frente de Djokovic e Nadal… só perde para Laver, Sampras e logicamente para Federer…

    Responder
  2. Ernesto

    Eh… igualar os seis titulos é muito fácil nos escritos… a realidade é que são elas… não existe quase gol… mas Djokovic pode celebrar as 5 temporadas fechando em primeiro lugar…
    Vamos ver como será 2019… uma temporada de incógnitas… a nova geração já está intimidando os intocáveis…

    Responder
  3. Ronildo

    Que palavras o Dalcim está escolhendo para escrever este novo post heim? A vitória do Zverev sobre Djokovic foi tão inesperada quanto a do Stan sobre ele na final de RG. Todo mundo estava esperando Djokovic erguer o troféu, inclusive seus pais que estavam assistindo o jogo no estádio.

    Responder
  4. Oswaldo E. Aranha

    Pois é, ao invés de se comemorar um grande feito de um jovem tenista os recalcados só pensam em denegrir outros tenistas que não sejam seu eleito; onde está o bem senso? O mundo já está cheio demais de ódio, vamos extirpar esse sentimento de nosso blog?

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        MIOPIA, claro…

        O Choranhas deve ser igual aquele personagem do filme ” o sexto sentido”.

        They (the dead) only see what they wanna see”.

        Kkkk

        Responder
  5. André Barcellos

    Eu podia deixar um post só de kkkkkkk
    Mas vou analisar uma coisa: seja lá o que for, minha impressão é que Djoko pifou mentalmente em momentos importantes.
    Como torcedor do suíço, sinceramente, me pareceu estar vendo um jogo do mestre nos dias atuais, quando Federer fica errático sob pressão.
    Talvez o nível que Djokovic sustentou nos dois jogos anteriores não seja mais tão fácil de manter, pra ele.
    Em 2015 ele sustentou o ano inteiro, E anda numa fração de 2016.
    Querendo ou não, todos estão envelhecendo, e pra Nadal ou Nole o jogo físico é desumanamente desgastante.
    Arrisco dizer que Nole não será soberano ano que vem. Em algum momento vai abrir o bico, e cada vez com mais frequência.
    E aí vão aparecer os urubus pra dizer que o cara não foi um grande tenista, como fazem com o Federer.
    A questão é que Federer faz o que faz aos 37. Porque pra ele é mais fluido o jogo, porque não joga apenas na pancadaria.
    Igual ao suíço dificilmente haverá.

    Responder
  6. Márcio Souza

    E não é que o Zverev salvou o domingo ao deixar mais uma vez o Cotonete com cara de cachorro que caiu da mudança! Kkkkkkk

    Eu fico imaginando agora os torcedores do Cotonete que já tinham até deixados salvo para postarem depois do jogo as baboseiras de que “O COTONETE É O MAIOR E BLÁ, BLÁ, BLÁ…” kkkkk

    Tomaram na tarraqueta mais uma vez e devem estar até com um calombo na garganta depois dessa entubada que o moleque aprontou pra cima do Cabeça de Caroço de Manga Chupada kkkkk

    A vida não esta nada fácil pro nosso amigo Djoko que apesar de ter vencido dois GS na sequência, levou dois tapas na bunda seguidos de moleques no circuito em finais, uma do Kachanov (kkkkk) e agora do Zverev (kkkkk parte 2).

    Como elas devem estar sofrendo kkkkk

    Não poderia deixar de mandar um alo pro Rodrigo Cruz, Sônia e pros demais colegas aqui do Blog que assim como eu não vão deixar de passar essa oportunidade de dar umas cutucadas nesses urubus e aves de rapina aqui do Blog, um abraço Rodrigão e beijo Sônia!

    Boa semana a todos!

    Responder
    1. Sônia

      Márcio, rindo muito aqui dos seus coments rsrs, adooooro. Parece que 237, 310, 20, 6… será fácil não rsrs. Dessa vez prestei bastante atenção e consegui visualizar a “carinha” do bichinho… parece mesmo rsrs. Beijos.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      “Cabeça de Caroço de Manga Chupada”.

      Aí, Marcio. Essa foi a SEGUNDA melhor do ano de 2018!

      Kkkkkk

      A NÚMERO 1, continua sendo aquela do nosso amigo Lógico:

      ” Eu confio em Nadal. Eu confio em Harvey Dent”.

      kkkkkk

      Responder
  7. Rodrigo Bravin

    O sérvio ficou esperando os erros, mas dessa vez não rolou. Com um jogo de base desse como o cara espera vencer somente na regularidade? Difícil entender! O Zverev, se melhorar o jogo de rede, pode dar muito trabalho.

    Responder
  8. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, não lembro exatamente a configuração dos pontos do Zverev, mas acredito que o garoto pode até pensar no número 1 em médio prazo, pois tem poucos pontos a defender nos Slams.
    Abs

    Responder
  9. Marcos RJ

    Lendl mais uma vez deixa sua marca como técnico, guru, estrategista e psicólogo.
    Não tive como assistir todas as partidas, mas pelo pouco que vi o talentoso alemão teve uma postura diferente do passado, deixando de lado as irritantes reclamações e mantendo a cabeça no lugar. Zverev surgiu como jovem talento a tanto tempo que as vezes esquecemos que tem apenas 21 anos. Acredito que com o emocional sob controle e a confiança em alta ao vencer o maior troféu da carreira sobre Federer e Djokovic, se credencia automaticamente a ambições muito maiores nos Grand Slams a partir do AO 2019. E diga-se de passagem, já acumula Masters 1000+ na dura e saibro, além do Marters Final indoors, coisa que nem mesmo o todo poderoso Nadal conseguiu. Vida longa ao Alemão!

    Responder
    1. Arthur

      Exatamente o que eu estava pensando, Marcos.
      Acho que o grande diferencial do desempenho do Zverev nesse torneio chama-se Ivan Lendl.
      Impressionante como o cara consegue dar aquele “boost” em figuras que normalmente ficam naquele rame-rame e não saem do canto.
      Murray era do mesmo jeito, e os três slams que têm no currículo deve em grande parte ao tcheco.
      Que o Mr. Simpatia continue orientando bem o Garoto Yakult pra que ele continue jogando de igual pra igual contra os grandes.

      Um abraço.

      Responder
  10. Márcio Souza

    Salve, salve galera!

    Estavam com saudades?
    Parabéns ao Cotonete pelo sexto título do Finals e, perai o Zverev ganhou e foi campeão?
    Hahahahahahahahahahahahahahahaha

    E o grito dos urubus e aves de rapina e torcedores do Cotonete que cabem dentro de um fusquinha ficou entalado na garganta?
    Hahahahahahahahahahahahahahahahaha

    E ai Chetnik teve que guardar a caixa de rojões pro Natal?
    Hahahahahahahahahahahahahahahahahaha

    Falando em Natal, mais uma vez os torcedores do Cotonete e ele próprio vão comer o PERU DE NATAL GELADO!!!
    Hahahahahahahahahahahahahahaha

    Os deuses do Tênis assim como em 2016 contra o Murray não permitiram que o Cotonete empatasse com o Mestre na quantidade de canecos do Finals.
    Seria uma tremenda injustiça o maratenis ter o mesmo número de canecos do Finals do que o GOAT, ainda bem que os deuses do Tênis iluminaram o moleque hoje e ele foi la e entubou o Cotonete com todas as honras que ele merece.

    Aos urubus e aves de rapina do Blog os meus sentimentos e se por acaso vocês sentirem algum cheirinho de churrasco ou fumaça ai onde vocês moram, saibam que é a minha PICANHA que estou assando e vou come la daquele jeito é claro, respeitando um minuto de silêncio pelo velório em que vossas senhorias estão nesse momento.

    Hahahahahahahahahaha

    Boa semana a todos!

    Responder
  11. Daniel

    O Federer deu mais trabalho pro Zverev, o que mostra que ainda tá no páreo. Tomara queveke se recupere totalmente do incômodo que teve na mão nesse segundo semestre. Ainda da pra conquistar um GS, quem sabe.

    Só espero que essa nova geração realmente comece a dar as cartas nos GS e M1000 ano que vem. Pois ano passado o Dimitrov venceu Cincinatti e o Finals e esse ano todo mundo viu o que aconteceu.

    Parabéns para o Zverev. Fez bem para o tênis, pois tá na hora de uma renovação e tb fez bem para este espaço. Deve dar uma esfriada em alguns torcedores do sérvio que estavam arrogantes demais…

    Responder
  12. Oswaldo E. Aranha

    “Crepúsculo dos Deuses”
    A visa é fluída, uns vem e outros vão!
    Devemos esquecer nossos tenistas preferidos para 2019 e pensarmos em eleger novos da nova geração; de minha parte já estou entre: um russo, um russo canadense e um croata. Aos companheiros do blog digo: não sofram tanto, não sejam tão agressivos, façam boas escolhas e sejam felizes.

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    Kkkkk

    E o HECATOMBE aconteceu!

    O Zé Verev calou a minha boca (e de muitos), e deu uma aula no Caveirinha.

    Bem-feito, seus arrogantes, prepotentes, torcedores de quinto nível…

    Agora, o ódio de vocês vai aumentar, já que o Federer continua com o Finals a mais kkkk

    Responder
  14. José Eduardo Pessanha

    É o que eu falo, Federer é bastante superior ao Djokovic. O sérvio teve a vantagem de ter surgido bem depois de Federer e Nadal. Com isso, já pegou “de mão beijada” toda a evolução que os dois trouxeram ao circuito. Um Federer de 25 anos, bêbado, venceria qualquer Djokovic em qualquer lugar, em qualquer época, tranquilamente.
    Agora o churrasco do Márcio será completo, com Chandelle, Chambinho, Danoninho e Petit Gateau como sobremesas.
    Abs

    Responder
    1. alessandro sartori

      Esse aí não é o tal “segue o líder´´ do Brasileirão? Que será que aconteceu com o time dele hein? eterno cheirinho kkkkkk….e ainda pra completar no tenis tem que vibrar com o p… dos outros pra comemorar derrota do Djokovic…

      Responder
    2. Chetnik

      Kkkk. O Federer perdeu do Djoko usando fraldas em 2007. É bem o contrário, companheiro, o Federer é bom, mas é bem inferior ao Nadal e ao Djokovic. Federer tem muita consistência e regularidade ao longo da carreira, mas o nível mais alto dele é mediano, quando comparado com os outros dois. Mas como é mantém aquela média, se aproveita nas entressafras rs.

      Mas teu post ficou engraçado rs. Abraço.

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Amigo, Federer meteu dois pneus no Hewitt em final de Slam. Meteu 6/3, 6/0, 6/0 no Delpo nas quartas de final do AO 2009. Massacrou Bjorkman em Wimbledon. Massacrou Roddick no Australian Open. Djokovic seria um café com leite se enfrentasse Federer nos anos dourados de 2004 a 2006. Naqueles anos mágicos, Federer teve um total de 14 derrotas, sendo 6 pro Nadal. Isso num circuito onde os Masters eram definidos em melhor de 5 sets. Djokovic seria esmagado naquele circuito.
        Abs

        Responder
        1. Chetnik

          Kkkk, isso que eu chamo de dados aleatórios. O Bjorkman era um tenista mediocre. O Hewitt um dos número 1 mais inexpressivos do tênis, o Djokovic o surrou a carreira inteira, inclusive recém saído da adolescência. O Roddick era um Isner com movimentação lateral e o Delpotro é um grande freguês do Djokovic – aliás, ao contrário do Federer, o Djoko nunca perdeu jogo de GS para o Argentino. Para finalizar, perder 6 vezes para o adolescente Nadal é digno de comentário? Kkkk.

          Na boa, Pessanha, o que você tava querendo provar com esses dados, pois não vi nada no post que justifique a sua afirmação, kkkkk.

          Responder
    3. João ando

      José. 12/7em games …na minha época era enfiada …não vi o jogo…mas o Roger fez mais que o djoko….ele vai culpar a gripe ….se for e melhor não entrar em quadra

      Responder
    4. Márcio Souza

      Fala Pessanha!

      Respeitemos um minuto de silêncio em solidariedade aos nossos nobres colegas que ja estavam cantando vitoria antes da hora kkkkk

      Tomaram na tarraqueta e vão ter que comer o peru de Natal gelado mais uma vez kkkk
      Ja eu vou assar uma carne no próximo final de semana e ver mais uma vez a cara de cachorro que cai da mudança do Cotonete ao ser entubado pelo moleque Zverev kkkkk

      Os caras não aprendem mesmo kkkkk

      Um abraço parceiro!

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Torcida histriônica, xiita.

      Parece aquelas personagens de novela dramalhão mexicano, que fica provocando a rival, porque roubou o “macho” da outra…

      Kkkk

      Responder
  15. Luiz Fernando

    Pra se ter uma real noção do feito do Zverev basta ler o post do Dalcim, no qual inclusive se questionava sua capacidade de endurecer o jogo. Mas o cara foi lá e mostrou q no esporte não existe resultado predefinido. Jogou muito, venceu com amplos méritos, com mais winners e menos ENF. Djoko esteve seu melho? Creio q não, mas isso não importa, a vitória dele não pode ser questionada. Além disso, venceu duas lendas vivas do esporte em dois dias, o q não é p qualquer um. Pessoalmente não o chamarei mais de Zé Verev, pois hj ele me mostrou q nao merece essa alcunha.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E não merece mesmo , Caro Luiz Fernando. Um jogador ainda em formação, com grande potencial técnico, contratando todo o Staff de Andy Murray, merece o maior respeito. Querer cobrar de Sasha , Khachanov e CIA toda a precocidade de Rafa Nadal , chega ao absurdo. Atingiu seu primeiro FINALS com a mesma idade do Sérvio, e o bateu de uma maneira Espantosa. A Next Gen queiram alguns ou não, merece ser respeitada. Aprontaram pra cima do N 1 em dois Torneios consecutivos , com uma CORAGEM que os habilita para o presente. Abs!

      Responder
  16. Bruno

    Dalcim,
    Djokovic quase não tem buracos no seu jogo,concordo com vc,mas acho que ele não tem um plano B.
    Igual no jogo de hj,viu que não estava dando certo partiu para o saque e voleio,que não é sua praia.
    Concorda ?

    Responder
      1. Ulisses Gutierrez

        Dalcim,

        Não esperava ver isso. Depois de um longo rali com quase trinta trocas de bola o Alemão estava inteiro demais, enquanto o Djokovic caindo. Quando o nole notou que não tinha físico para acompanhar o Zverev passou a finalizar o ponto cedo com deixada ou subida a rede, sem qualquer sucesso diga-se de passagem. Dalcim a que se deve isso? Zverev ser dez anos mais novo e estar caminhando para seu auge da forma física? Cansaço mental do Djoko depois de várias partidas vencendo? Ou simplesmente um dia ruim seu e um excelente dia do alemão? O que pensa mestre?

        Responder
  17. Renato

    Kkkkkkkkkkkkkkk Nada como um dia após o outro, assim como em Paris. As papeticovices devem estar desesperadas! Kkkkk Duas finais de master e duas derrotas para o “garoto danoninho”! Kkkkk

    Responder
  18. Bruno

    Sérgio Ribeiro
    Vamos tirar muita onda com esses pseudos conhecedores de tênis,principalmente com aquele rapaz do leste europeu que fala português de Portugal.

    Responder
  19. Sônia

    Dalcim, rindo muito aqui rsrsrsrs… vou confessar, não aguentei, acabei abrindo um pacotinho de guloseimas guardado para 2019 rsrsrs. Adooooooooooooorei, caba não mundão, caba não. E viva as “perninhas novas” rsrsrs, bem mais difícil rsrsrsrs. Beijos.

    Responder
  20. Renato

    Jonas,

    Federer e maior que Novak porque tem mais titulos e recordes, e e melhor porque e mais tecnico e mais completo. Simples assim! Não e apenas a minha opinião, mas sim da maioria dos jogadores, ex jogadores e espacialistas. Simples assim.
    Aceita que dói menos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Seria bom você explicar a que ou a quem se refere, Lola. Soltar a mensagem assim parece estar se referindo a todos que torcem pelo Federer.

      Responder
      1. Lola

        Desculpa, mas publiquei a mensagem incompleta, tem uma pessoa chamada Renato, que é um magoado, que xinga todo mundo. E falo também do público que vaiu o Zverev, também foi mal educado.

        Responder
  21. Alison Cordeiro

    Zverev foi sólido e pressionou bastante o Federer, que em alguns momentos me pareceu muito conservador, especialmente nas subidas do Alemão à rede. A viajada no primeiro set custou caro e no tiebreak do segundo o lance com o boleiro foi crítico num momento que ele iria fazer o break. Ele não fez uma boa semana e ainda assim chegou à semifinal. O que só mostra o quão diferenciado é e como sua sobrevida no circuito ainda pode ser maior.

    Djoko confiante e a vontade é uma parede. Anderson sentiu demais a quebra e não conseguiu entrar no jogo. Zverev vai precisar de muita firmeza no saque para equilibrar o jogo. A derrota do round robin pode lhe dar uma pista de como vencer o sérvio, mas pode também lhe tirar completamente a confiança. Por tudo o que fez desde Wimbledon, Nole é o tipo do adversário que exige tudo e um pouco mais. Temporada espetacular que deve fechar douradíssima.

    Responder
  22. Jose Yoh

    “Carlos Bernardes agitou corretamente e mandou voltar o ponto – em que Federer dominava, daí a bronca do público – e talvez a falha do árbitro brasileiro tenha sido não explicar claramente o motivo do ‘let’.”

    Dalcim, vi na TV que o Bernardes explica o motivo do let no microfone, estou enganado?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele explicou para o Federer, mas acho que poderia ter sido mais didático com o público. Talvez Bernardes não tenham imaginado que a reação seria tão ruim.

      Responder
  23. Cassio

    Estou frustrado com o Federer… nos privou de ver o clássico algumas vezes recentemente.

    US Open, se o Federer vence o Millman, teríamos o jogão. Fed perdeu.
    Xangai: se o Federer vence o Coric, teríamos o jogão. Fed perdeu.
    Finals: Se o Federer vence o Zverev, teríamos o jogão. Fed perdeu.

    Triste.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não sei onde o amigo estava a duas semanas. Mas o Titio fez a Semi do MASTER 1000 de Paris num jogo de tirar o fôlego. Três horas sem que o Sérvio quebrasse o seu Serviço. Não da’ pra pedir mais de um Sr de 37. ABS!

      Responder
  24. Luiz Henrique

    Dalcim qual a máxima pontuação que um jogador já alcançou no ranking? Acredito que foi após a vitória do Djokovic em RG 2016. Quantos pontos ele alcançou?

    Responder
  25. Rodrigo Alvez

    Já eu quando li o referido comentário me lembrei do tratamento da nextgen para com os boleiros. Se quando entregam toalhas e tiram raquetes do plástico são tratados de forma impolida, imagine o que aconteceria no caso dessa partida do Federer. Não me recordo do autor da mensagem para ter um norte de qual leitura é a mais adequada, mas a minha foi essa.

    Responder
  26. Bruno

    Ah vá se …..::
    O cara acabou de perder uma semi finais e vc quer o que?
    E outra idiotonick ,sua frustração é constatar que o Federer é adorado no mundo inteiro,como em Londres,New york,Paris coisa que o seu macho alfa e agora exterminador nunca será.

    Responder
    1. Jonas

      Djokovic certamente está focado em quebrar os principais recordes do tênis. Além de estar fazendo isso muito bem, prova ao mundo que é o melhor quando derrota o suíço perfeito mesmo com gripe.

      O sérvio ficou 2 anos longe longe de seu melhor nível, o que deu a vocês a falsa esperança no ‘GOAT’ kkk. Mas agora o comedor de fígado voltou com tudo, antiga equipe, motivado, treinando muito…agora só vos resta o mimimi.

      Responder
    2. Jonas

      AO 2017, WB 2017, AO 2018…3 títulos que Fregueser levou de graça, sem o matador de suíço pra incomodar. Nós avisamos que ele voltaria motivado e papando títulos, agora chorem.

      Responder
    3. Chetnik

      Kkkk, claro, ele tava nervoso por ter perdido o jogo…isso na coletiva. O Djokovic se descontrola DURANTE o jogo e você não pensa – consegue? – que é normal ficar nervoso por conta da cabeça quente e adrenalina – e ainda mente, já que ele nunca gritou com o boleiro.

      Você sempre passa pano pro bode. Tudo tem “justificativa”. É por isso que são fanáticos, acham o cara infalível, e criticam quando os outros fazem igual, ou algo menos grave. Por isso são zumbis, e você é um dos piores deles, já que tem, além de tudo, grandes dificuldades de ser expressar de forma coerente, o que torna o seu discurso ininteligível.

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      É que eu já afirmei aqui.

      O Djokovic será campeão hoje, certo?

      (pois só uma hecatombe faria o “cabeça de pudim” do Zé Verev derrotar o Djoko)

      O Federer só perdeu, porque vem oscilando todo o segundo semestre, por causa do problema da mão…

      Pois então, voltando:

      O sérvio vai ser campeão, e o que MENOS vai falar essa torcida horrorosa dele será sobre a conquista.

      80% das postagens serão de babaquices contra o suíço.

      Eles simplesmente vivem em função do Federer.

      Parece até complexo de vira-latas…

      Responder
  27. Barocos

    Lamentável o comportamento de uma boa parcela de torcedores do Federer, pior, não foi a primeira vez, isto tem ocorrido frequentemente em muitos dos grandes torneios. Definitivamente é algo que qualquer esporte pode passar sem. Independentemente do incidente, Zverev mereceu a vitória e este ponto é justamente o que diferencia um torcedor fanático de um amante do esporte: para o primeiro vale a vitória a qualquer custo, para o outro, merecer vencer é mais importante, independentemente de suas preferências pessoais.

    Responder
  28. Sérgio Ribeiro

    Dessa vez os Britânicos pisaram na bola, legal. Todos viram que Federer estava de costas para a jogada. E Alexander de frente. Como vaiar alguém que pede pra que a regra seja aplicada. Ainda bem que na coletiva o Craque Suíço deixou claro que Sasha não precisava pedir desculpas a ninguém. E aquela outra ridícula teoria de fujão do Sérvio , atribuída pelos seguidores do Léo Gavião , foi derrubada mais uma vez. Longe do seu melhor, o Sr de 37 queria vencer o Alemão de qualquer maneira. Mesmo estando num Torneio em que corria sérios riscos de uma derrota contundente para o resfriadissimo e bastante febril Sérvio , com seus deslocamentos geniais. Os finalistas foram os melhores durante todo o Torneio. Isto para alegria dos amantes deste Esporte Maravilhoso. Abs!

    Responder
  29. PIETER

    Não vejo possibilidade de o Djokovic perder esse Finals. É o tipo de torneio em que a experiência conta muito e, ademais, tecnicamente ele é, de fato, superior ao alemão, por ora…

    Responder
    1. Sônia

      Adriano estou aqui rsrs e acompanhando cada momento tenístico (história). Não adianta fofucho, falo e repito, jamais serão, nunca serão, podem espernear, tentar ofender rsrs, berrar, tentar comparar (affff, que dó), difamar… adooooooooro. Voce deve saber (imagino) que tênis é momento, e o momento é total do sérvio, assim como no ano passado foi do argh argh. O mundo dá muitas voltas fofucho, cada dia é um dia, 2019 promete e muito rsrs, estoque de guloseimas já foi providenciado rsrs. A “sofrência” será grande pois os “números” estão aí, basta ultrapassá-los. Na minha opinião, esse ano foi excelente para o Federer, os títulos que venceu e com essa idade… só ELE, só ELE. No mais, tô de boa, tô de bem com a vida, indo de vento em popa e SEMPRE, SEMPRE com ELE. Beijos.

      Responder
  30. Renato

    Federer o favorecido, popular, milionário, muitos fãs.
    O outro e um otario. Paga uma boa quantia pra um charlatão em troca de crescimento espiritual. Kkkkkkkkk
    Abraça árvores e passa por ridiculo fazendo dancinhas ridículas das mais bregas possíveis. E a cereja do bolo estava por vir com aqueles corações ridículos e ensaiados jogados para os meia-duzia de gatos pingados que torcem por ele, treinados a exaustão e por meses com seu guia espiritual, especialista em tirar dinheiro de trouxa. Kkkkkkk

    Responder
    1. Jonas

      Amigão, desculpa. Mas nada disso fará o Federer ser maior e melhor que o Djokovic. Você deveria agradecer ao ‘guru’ pelos 2 anos abaixo do sérvio e pelos 3 slams que o suíço venceu enquanto ele esteve por baixo.

      Responder
    2. Bruno

      Vou um pouco mais, Renato,
      Ele é um excelente jogador,
      Está no top 20 de todos os tempos.
      Mas até de Lacoste(marca fashion) o cara consegue ser Brega.
      Como diz a nossa musa.
      Nunca serão!!!!!!!!!

      Responder
  31. Renato

    Apenas respondendo o fake que me chamou de leviano, em nenhum momento disse que Novak usou dopping ou se envolveu com máfia, apenas disse que teve o nome vinculado, e e fato! Só procurar na net.

    Responder
  32. Renato

    O centésimo do maior, melhor, mais completo e disparado maior tenista da história ficara para a Austrália, onde ele e rei e maior.

    Amanha uma final carente de habilidade, tecnica e audoencia. Que pobreza!

    Responder
  33. Rafael

    Mestre, como não enaltecer o djoko? Parece fácil o que ele faz. Ele simplesmente aniquilou os maiores sacadores do circuito e nem sequer perdeu sets. Alguns ele nem brake teve. Ele está sacando como nunca e em uma forma física e técnica absurda. O Zeverev so terá chances se sacar demais e o Djoko jogar de menos. Djoko rules!,

    Responder
  34. Chetnik

    Frauderer voltou a falar da mão, kkkk. Esse sujeito é muita cara de pau. Não, bode, teu problema não é a mão. Teu problema é ter sido acometido por Djokovite aguda, que causa profunda caganeira e ataques de nervo, kkkk. Depois que o Djoko voltou ao circuito em forma você não para de se borrar, kkkk.

    PS: Foi avisado que aqueles títulos só foram conquistados pela ausência, em forma, do Djoko.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      É, foi só por isso!

      Ele e o Nadal tiveram um acordo fora das quadras, lembra?

      ” Rafa, você fica com Us Open e RG, e eu fico com Aus-open e Wimbledon”.

      kkkkk

      Ai, ai, simplesmente patética a tua militância anti-Federer…

      Responder
  35. Arthur

    Nada mais previsível do que os jogos de hoje, Dalcim.
    Eu mesmo ainda tinha alguma esperança de que o Federer passasse pelo Zverev, mas o suíço vem jogando aos trancos e barrancos desde que ganhou o 20º Slam no AO no começo do ano. Essa é a verdade.
    A partir de Miami e IW, virou o fio e não se reencontrou mais. 2019 deve reservar mais do mesmo para Federer. Tenho a sensação de que estamos assistindo às últimas partidas deste fenômeno do esporte. Quem viu, viu. Quem não viu, vai ter que ver as reprises no Youtube.
    Quando à partida do Djoko, é impressionante como esse pangaré do Anderson não consegue dar a mínima emoção nos confrontos contra o sérvio.
    Espero apenas que o Zverev, que também tem essa mania besta, resolva seguir o exemplo do CAIXA9 e agredir o sérvio desde o começo.
    Se não, vai ser mais uma daquelas partidas entediantes nas quais o Djoko fica jogando bola funda de um lado para o outro, até que o adversário erre ou deixe uma bolinha fácil, fácil pra ele finalizar.

    Um abraço.

    Responder
  36. Nando

    Federer hoje jogou abaixo dos últimos 2 jogos com ctz…e Zverev jogou mto melhor do q contra o sérvio. Foi agressivo, explorou o bh do Federer e sacou mto bem (exceto no game q foi quebrado).
    Disto isso, espero q amanhã tenhamos um grande jogo, q o alemão não tenha “medo”.

    PS: Lola (ou Chetnik/Leo Gavio), vi q a minha crítica/comentário te atingiu né? Fique tranquila (o), pois não era só sobre vc q eu estava falando…mas parece q a carapuça só serviu em ti né?

    Responder
  37. Luiz Fernando

    A presença de Djoko nessa final era mais do q esperada, na medida q no momento é o cara q está sobrando no circuito, como escancarado na partida de hj. A surpresa é o alemão, q despachou o ex-segundo favorito Federer. Assim, tendo em mente o claro favoritismo do servio, que precisa ser confirmado na quadra, fica claro q depende muito de Zverev o q veremos amanhã, tomara q não jogue no modo “Zé Verev”, para q não assistamos uma partida sem graça…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Olha bem quem é o verdadeiro repetitivo, caríssimo Zé. Sempre esperando o resultado ( até porque não assiste jogo nem do Nadal , exceto os Pôsteres rs ) . Se Novak vencer , continua Zé Verev. Se Novak perder, “ eu disse que o promissor jogador é muito mais que um bom Serviço “ . Não fez análise nenhuma sobre o estilo do garoto. Somente se prendeu aos erros do Suíço. Mande uma Whats e pergunta aos caras o que eles acharam kkkkkk Abs!

      Responder
  38. Gabi

    Enquanto o Murray anda com o seu carro Polo há nove anos, o Luiz Fernando, sempre muito elegante, sensível e inteligente nos comentários,, tem cara de circular com a sua BMW!

    Responder
  39. Felipe Dutra

    Dalcim, sou fã do Federer e acho ele o melhor jogador da história, mas a esquerda dele é incrivelmente fraca. Talvez não fique nem entre as 100 mais da história. Extremamente vulnerável. Por outro lado, se fosse mais consistente, talvez perderia a graça.
    Assim como seus lances espetaculares dariam varias filmes, daria tb para fazer 1 com os pontos bobos que ele perdeu em momentos importantes, como foi aquele voleio hj. Acho que aí reside a diferença entre Federer, Nadal e Djokovic. Os dois últimos certamente erraram menos bolas como aquela.
    Abraço!!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Com certeza, caro Felipe. Você demonstra que acompanha o Suíço desde 1998. Erra voleios bobos pois insiste em pôr a cara na rede mesmo em quadra lenta. Como o amigo disse , Novak e Rafa não erram. Na verdade eles somente aparecem por lá para se cumprimentarem ao final do jogo rs ABS !

      Responder
  40. Gabi

    Chetnik,

    santa inteligênciaaa kkkkk!
    Vc foi precipitado, já que a frase citada dizia respeito aos “desiguais” e não ao Federer.

    Então, como vc mesmo disse, santa ignorância!

    Responder
  41. Igor Menezes

    Os números “máximos” do tênis, segundo o Renato:
    237
    310
    20
    6
    Como será a partir de amanhã, amiguinho? O 6 deixa de ser máximo e tu passarás a postar só os 3 primeiros?? É muita sofrência…. kkkkkk

    Responder
    1. Valmir

      Basta só um número máximo no tênis… que passa todos esses dessa lista… o 4

      4 Slams… seguidamente… todos eles em um único dono.

      Esse 4… não faz parte da listinha mostrada… mas faz parte da listinha de outro.

      Bem.. para sacanear… tem outro conjunto de número mágicos no tênis… 6×1 6×3 6×0
      kkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      O amiguinho sabia que o último FINALS de Novak foi em 2015 ? Se vencer amanhã passa para 7 ? O máximo continua o mesmo Dr. Pede que seu sócio na Farmácia te explica melhor kkkkk Abs!

      Responder
    3. Marcio

      Estranho essa animosidade. Os números máximos do tênis continuarão sendo os mesmos, ao menos por mais uma temporada inteira.
      Torçamos para que hajam superações, normalmente.

      Responder
    4. Bruno

      Igor Menezes
      Por favor atualiza aí os números
      Kkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkk
      Só espero que não volte para o exílio após mais uma passada de recibo.
      Kkkkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkkkk

      Responder
  42. Miguel BsB

    Senhoras e senhores:

    Fujam para as montanhas pq o homi tá demolindo todo mundo… Sem dó!
    To até com pena do Zé Verev.
    Obs: torcida Federista, não fiquem tristes com a derrota do suíço. Nesse momento, não tem como ganhar do Djokovic… Foi melhor assim.

    Responder
  43. Marcel azevedo

    Dalcim, vc acha que o Djokovic será imbatível no ano que vem e digamos ate no saibro?? pra mim é o grande favorito ao Australian Open em meados de Janeiro. forte abc e (Ótima analise)

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho melhor darmos tempo ao tempo. Já vimos drásticas reviravoltas. Claro que, se ele mantiver esse nível atlético e técnico, entra sim como um dos favoritos no saibro.

      Responder
    2. Paulo F.

      Eu acho ridículo o desprezo que se tem ao Djokovic como saibrista.
      Fora o Nadal, ninguém tem currículo maior do que o sérvio no saibro nos últimos 15 anos.

      Responder
  44. Marcelo-Jacacity

    Djokovic está sacando demais! Nem nas fases espetaculares de 2011 e 2015 estava servindo dessa forma.

    Mas amanhã é um partida perigosa. Zverev está jogando melhor, credenciado pela vitória de hoje e amanhã entrará solto.

    Responder
    1. Sônia

      Marcelo, na minha opinião, voce realmente é um torcedor do sérvio rsrs, clap clap clap. Bastante sensato em seus coments, sabe que os números são bem difíceis de serem ultrapassados (não impossíveis), mas acredita e fica na torcida, como todo bom torcedor. Já as argh argh travestidas de djokovetes rsrs, essas estão em pânico. Torcendo muito aqui para o sérvio não perder o foco, ultrapassar e conseguir ficar em segundo na história. Beijos.

      Responder
  45. Paulo F.

    Zverev vai precisar contar muito com o serviço e logo contra o melhor devolvedor.
    Precisará variar muito as jogadas também.
    Caso contrário, com sua mobilidade de Bonecão de Olinda, será engolido pela agilidade do sérvio e sua solidez no fundo de quadra.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Você assistiu que jogo hoje, caríssimo Zé Paulo ? O boneco de Olinda foi tanto à rede quanto o Suíço. Correu pra frente como nunca. Lendl está melhorando muito nos treinamentos, o que era o maior ponto fraco do rapaz. O primeiro Set contra o próprio Novak , já demonstrou isso. Mas fica difícil pra vocês rsrsrs Abs!

      Responder
  46. afonso ab

    dalcim, mais que isto tudo que colocou, é preciso lembrar que o sérvio garante o número um ao menos até o final de wimbledon.
    ao menos que outro tenista faça um início de ano fantástico de uns 7000 pontos e Djoko não melhore sua baixa pontuação

    Responder
    1. afonso ab

      lembrando que o melhor pontuador é Nadal que defende mais que 5000 pontos até Roland Garros, Djokovic defende menos de 1200 o que indica que vai ampliar a vantagem ao menos que tenha algum problema

      Responder
  47. Chetnik

    Uma pena essa derrota do Federer, que é, principalmente em final de torneio importante, rodada bônus para o Djokovic. O Zverev vai ser um adversário bem mais perigoso amanhã.

    Djokovic foi perfeito contra o Anderson. Assustador o que ele pode jogar de tênis. O cara é um exterminador mesmo. Uma precisão nunca antes vista no tênis. Já o Anderson, parece que regrediu para o seu “old self”.

    Responder
      1. Cassio

        Só eu não entendo essa ilusão dos fãs do Fed com o Australian Open? Me parece claro que um dos principais fatores dele ter vencido os últimos 2 Slams foi o fato de não ter o Djokovic como adversário.

        Pessoal fala de velocidade de quadra, mas o H2H deles em quadras de grama e partidas indoor é favorável ao Nole, oras.

        Última vez que o Djokovic pegou o Federer na Austrália deu até pena haha

        Torçam desde já para que alguém cometa o crime, pois a chance do Federer vencer Nole no AO 2019 é nula.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Na boa, Cássio. O amigo caiu em lugar errado. Novak estava presente e caiu cedo. O Sérvio já perdeu Nove FINAIS de SLAM. Essa não é a sua Praia rs Abs!

          Responder
  48. Chetnik

    Kkkk, hoje tivemos, pela MILÉSIMA vez, uma demonstração cabal da falta de classe, escrúpulo e respeito que permeiam a odiosa horda zumbi. Essa turba ensandecida e desvairada é certamente o que há de pior no tênis. No tênis não, na humanidade. O fato de serem ingleses, obviamente agrava a situação. E os caras tem a cara de pau de dizer que a torcida do Djokovic é pior, por conta de meia dúzia de fakes que postam em blog na internet, kkkk.

    Nessas horas eu agradeço fervorosamente estar do lado do bem e não ter me juntado às hordas das trevas que envergonham o tênis a cada vez que são contrariados nas arquibancadas – leia-se, cada vez que as coisas não vão a favor do Imã supremo.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Onde assino embaixo? Felizmente estamos falando de uma minoria que sempre se caracterizou no blog pela prepotência e arrogância; agem como se fossem uma casta de superiores, sem perceber q são superiores apenas na postagem de absurdos e na obsessão doentia por um esportista que, como tal, ganha e perde jogos.

      Por fim, imagino ontem lá pelas 14 horas o sorriso daquele blogueiro q postava “como os caras tão sofrendo” ao ver Zé Verev derrotar o imã supremo (gostei) desses caras kkkkkkkkk…

      Responder
  49. Rodrigo Alvez

    Lembrei-me hoje assistindo à semi de Djokovic x Anderson que ouvi (ou li em algum lugar) alguém dizendo: ” A devolução do Djokovic é como um terceiro saque”.

    Hoje isso foi nítido, a devolução firme e funda obrigava o sul africano a devolver bolas curtas ou altas e sem peso, no jeito pro Djokovic fazer o winner. Isso aconteceu mais ainda no segundo set, quando foram 14 winners do sérvio.

    É olha que ele fez isso com o saque do Kevin Anderson, um dos melhores sacadores da atualidade. Pra mim é a melhor devolução da história.

    Alguém se recorda do autor da frase?

    Responder
    1. Robson

      Não se trata de autor de frase,se trata de uma constatação,de uma conclusão de um estudo de um instituto inglês,que Novak Djokovic tem em suas devoluções como sendo uma espécie de 3° serviço.
      Novak tem com certeza e com sobras,a melhor devolução de toda história do tênis.

      Responder
  50. Chetnik

    O Larry, o Moe e o Curly sempre repetem a ladainha de que o Djokovic grita com os boleiros, o que não é verdade, já que, além do incidente ter “ocorrido” apenas uma vez, ele gritou com o box dele e, por coincidência, o boleiro estava perto. Mas é aquela máxima né, repetir a mentira mil vezes esperando que ela se torne verdade.

    Pois bem. Um deles até comentou ironicamente que, para sorte do boleiro de hoje, ele não estava numa partida do Djoko. Mas nada como um dia atrás do outro né – no caso, não precisou nem de um dia -?

    O Federer, na coletiva pós jogos, EXPÔS o coitado do boleiro para o MUNDO INTEIRO, o que é um combustível bastante incendiário para a horda de zumbis odiosos que querem o sangue de qualquer um que ouse prejudicar o líder do culto.

    A diferença? Djoko gritou – não com o boleiro – no meio do jogo, nervoso, com cabeça quente e com adrenalina lá em cima. Por sua vez, lorde infalível jogou o moleque aos lobos de banho tomado e cabeça fria, sentado no ar condicionado da sala de imprensa. So classy!

    Como num passe de mágica, parece que as coisas se inverteram: tenho certeza que o boleiro lamentou profundamente não ter sido escalado para o jogo do Djoko. Assim, ele poderia “dormir tranquilamente à noite” – referência proposital.

    Responder
    1. Marcello Eduardo

      Djokovic, se mantiver a liderança sem interrupção até metade de 2020, será o recordista do homem com mais semanas como número 1 na história.

      Responder
    2. Eduardo

      Bacana o comentário Chetnik. Tive a mesma sensação ao assistir a todo esse episodio, a reação absurda dos torcedores ingleses, a covardia do lorde suíço com o menino pegador de bolas, do constrangimento do Zverev, pedindo desculpas ao público, mesmo tento cumprido as regras. surreal.

      Responder
    3. Rodrigo Alvez

      Já eu quando li o referido comentário me lembrei do tratamento da nextgen para com os boleiros. Se quando entregam toalhas e tiram raquetes do plástico são tratados de forma impolida, imagine o que aconteceria no caso dessa partida do Federer. Não me recordo do autor da mensagem para ter um norte de qual leitura é a mais adequada, mas a minha foi essa.

      Responder
    4. Jose Yoh

      “He said, ‘Yes, I did drop the ball.’ From that standpoint, it’s OK, no problem, that happens. It’s all good. I hope he doesn’t have a sleepless night. It’s not a big deal at the end of the day. This is life, this is sport. Definitely not mad at him. It’s all good.”

      Ou meu inglês está muito ruim ou não me parece que ele desrespeitou o boleiro.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *