Djokovic ensaia salto final ao número 1
Por José Nilton Dalcim
3 de outubro de 2018 às 21:37

Nada dos conhecidos discursos evasivos. Novak Djokovic foi direto e cristalino: vai em busca do número 1 nesta reta final de temporada e para atingir a meta considera até mesmo a possibilidade de pedir convite de última hora em algum ATP 500 antes de Paris.

O campeão de Wimbledon, Cincinnati e US Open está em Belgrado, com toda a família. Mudou a estratégia prévia e decidiu se preparar cuidadosamente para retornar em Xangai, na próxima semana, com força total. Se tudo der certo, não descarta jogar na Basileia ou em Viena antes de Paris, o que estreitaria ainda mais a luta pela liderança do ranking com Rafael Nadal.

Número 1 ao final de quatro temporadas – 2011, 2012, 2014 e 2015 -, Nole deu várias entrevistas em Belgrado e escolhi abaixo as frases mais relevantes.

Mudanças
“Tive de mudar meu jeito de jogar, especialmente o movimento do saque, como resultado da cirurgia no cotovelo. Eu não esperava me recuperar tão rapidamente”.

Dúvidas
“Vivi uma situação muito pouco usual no começo da temporada, já que perdia mais do que ganhava. Quando esse tipo de coisa aconteça, você se pergunta se tomou as decisões certas”.

Adaptação
“Tive de aprender a ser paciente. Sou um tenista diferente, uma pessoa diferente do que eu era três anos atrás”.

Confiança
“Continuo faminto por títulos de Grand Slam. Ainda acredito que possa repetir aqueles quatro troféus seguidos que somei entre 2015 e 2016. Não estaria aqui se não acreditasse nisso”.

Federer
“A Laver Cup permitiu que eu e ele nos conhecêssemos melhor, e meu respeito por ele apenas aumentou depois que o vi melhor como pessoa. Treinamos pela primeira vez juntos e aprendi muito assistindo sua rotina. Nossa rivalidade no entanto continua e isso é muito bom para o tênis”.

Trintões dominam
Vale a pena dar uma olhada no artigo do Telegraph sobre a longevidade do circuito masculino. Com os aniversários da semana passada de Juan Martin del Potro e Marin Cilic, pela primeira vez na Era Aberta todos os campeões de Grand Slam em atividade estão acima dos 30 anos. Aliás, os nove últimos Slam foram vencidos por ‘trintões’, algo também inédito no tênis profissional.

O balanço do Telegraph mostra que 15 diferentes tenistas acima dos 30 anos venceram torneios de nível ATP em 2017, totalizando o recorde de 31 troféus. A média de idade dos top 100 é sintomática: fechou em 26,9 em 1973, caiu para 24,1 em 1986 e daí em diante passou a crescer, atingiu 26 em 2007. Uma década depois, chegou a 28,7. No momento, está em 27,9, mas ainda faltam três meses para a temporada acabar.


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Li que há, e de fato há, disputa pela vice liderança do ranking essa semana, mas francamente não vejo Delpo nessa briga. Quem viu sua atuação diante do georgiano de nome complicado não pode acreditar nessa possibilidade. Numericamente é possível, mas dentro da quadra não…

    Responder
  2. Miguel BsB

    Vi o resultado agora, 2×0 nishikori no Gasquet. Até aí, normal… O que chama a atenção é que o japonês não teve durante td a partida um único break point contra.
    Jogar contra o japonês, e não conseguir um mísero BP contra seu saque, mostra o claramente o nível de sua atuação, monsieur Gasquet hehe

    Responder
  3. Luiz Reis

    Os três tops são sensacionais. Ocorre que dificilmente os três estão no melhor da temporada ao mesmo tempo, assim a supremacia em determinado período ocorre porque entre os dois tops restantes um dos dois está jogando mais/melhor no momento.

    Responder
  4. Sônia

    Dalcim, que chave difícil do Federer, mas estamos na torcida. Acabei de acompanhar a final de Pequim e posso afirmar… Basilashvili melhorou muuuuito. Sou fãzoca dele, joga de maneira muito agressiva e é LINDO “por demais”, uau uau uau, apaixonada aqui. Beijos.

    Responder
  5. Gabi

    Miguel BsB,

    rsrs.
    Vc tb tem muito bom gosto!
    Se eu tivesse alguma amiga assim em Brasília eu te apresentaria! Quer dizer, isso se vc já não estiver comprometido!

    Responder
  6. Rodrigo S. Cruz

    O Monteiro é um cavalo paraguaio mesmo…

    Sempre elimina o Bellucci, apenas para cair na rodada que subsegue.

    Que surra, as parciais do Delbonis: 6/0 e 6/2.

    Responder
  7. Sérgio Ribeiro

    Como ninguém estranhamente comentou , aí vai. “ Acredito que possa conseguir repetir a conquista de 4 SLAM em sequência ocorrida entre 2015 e 2016 “ . Alguém precisa avisar ao Trintão ( que disse que estava mortinho pós Laver Cup ) , que jamais alguém na história depois dos 31 chegou perto. O que lhe daria com todos os méritos o reconhecimento de “ O maior e melhor de todos os Tempos “ . Pelo visto ele não põe mais fé em Andy , Federer, Nadal , Stan e na nova geração. E’ seu direito botar pressão em si mesmo. Como já venceu Wimbledon e o USOPEN em sequência, pode acreditar que emende com o AOPEN 2019 e Rolanga 2019. Pelo nível de jogo que apresentou o vejo favorito no primeiro SLAM do ano. Em Rolanga o buraco é bem mais embaixo. Façam suas Apostas rs. Estou esperando Fognini x Del Potro. Será que o Italiano vai levar outro ATP 500 ? Não acredito rs Abs!

    Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    E o Bellucci segue a triste maldição de só conseguir jogar bem, no primeiro set.

    Depois disso, o jogo dele despenca de nível, e é dominado.

    O Monteiro não tem nada a ver com isso, e segue vivo em Campinas…

    Responder
  9. Arthur Dunck Oliveira

    Seria interessante comentar o desempenho do Gasquet até o momento. O Le Revés tem tido progresso e firmeza. Seu forehand tem tido potência, balanço e ritmo.
    Agora ele enfrenta Nishikori, com quem tem retrospecto positivo. Tóquio pode ser dele nesse ano.

    Responder
  10. Naira

    Dalcim, boa tarde. Sempre conheci a jogada feita no tênis na qual o jogador rebate uma bola por entre as pernas e virado de costas à quadra do adversário pelo nome de Grand Willy; mas agora todos estão chamando esta jogada de Tweener. Sabe dizer o por quê desta mudança? Quem define nome de jogada (se é que existe isso)?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, ninguém define. O ‘tweener’ é um termo americano e se refere a qualquer bola por entre as pernas, seja de frente ou de costas, no fundo ou na rede. O ‘grand willy’ foi um termo criado em homenagem a essa jogada incrível que era feita por Guillermo Vilas e só vale mesmo para a rebatida entre as pernas e de costas para a rede, que me parece a mais difícil de todas (o Monteiro deu uma ontem sobre o Bellucci, em lob).

      Responder
  11. Renato

    Concordo com o Luiz Fernando. Nadal SÓ não será número um no final da temporada devido a contusão que tem. Claro que o sérvio alcançaria o posto, mas naturalmente apenas no ano que vem.

    Responder
  12. Renato

    Gabi. Concordo com tudo que vc escreveu sobre as mulheres com mais de 40. Rs. Eu tenho menos do que 40, mas minha namorada tem 46 e eu sempre preferi as mulheres com mais idade. É um ESPETÁCULO!!! KKKK

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    E o Bellucci de novo venceu, e não convenceu.

    Depois de ganhar a primeira parcial por 7/5, conseguiu ter o break e o saque pra liquidar o jogo, mas perdeu 4 games seguidos.

    Inacreditável…

    E ainda fez de novo:

    Sacou com 6/5 no terceiro set, jogou muito mal, cometeu uma dupla-falta, e viu o adversário levar o jogo pro tie-break.

    Felizmente, o chileno foi péssimo no desempate, perdendo de 7/0 pro Thomaz, que agora avança…

    Responder
  14. Luiz Fabriciano

    Roger Federer disse hoje que pensou em abandonar o tênis em duas oportunidades: aos 14 quando saiu de casa – eu também passei por isso, mas não para jogar tênis – e aos 19 quando achava que não daria para a coisa.
    Ambas exclusivamente por imaturidade. Nada que com a chegada do primeiro milhão não mudasse tudo.
    E quando falo primeiro milhão, digo que isso é consequência do bom trabalho apresentado.

    Responder
  15. Sandra

    Dalcim, ultimamente estou mais interessada em política do que tênis , rssss, mas colocando agora na band Sport estou vendo o Kyrgios, pode ser a pior pessoa do mundo , mas aonde ele aprendeu jogar tênis tão bem, parece que não faz esforço, foi dom??? Ou tem alguém da família???

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois é, Sandra.

      A facilidade que o cara tem pra jogar é ultrajante!

      (rs)

      Por isso defendo que é muito cedo para gente desistir dele.

      Pode ser isso tudo que falam dele: malucão, genioso, mimado etc…

      Contudo, no dia em que amadurecer e resolver levar a carreira com seriedade, poderá ser o número 1.

      Responder
      1. Flávio Barroso

        Nunca vai ser ninguém no Tênis. Tênis vai muito além de talento. Uma ou duas jogadas bonitas não vencem jogo. Um vencedor no Tênis atual, precisa ter muito mais do que apenas um “dom”, precisa ter um preparo técnico, físico e mental acima da média. Caso contrário será apenas mais um bom jogador. Coisa que Novak, Nadal e Federer têm de sobra. Por isso, são grandes campeões.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Cara,

          só de você afirmar que um Top 20 ou Top 15 do mundo é um “NINGUÉM” no tênis, já mostra a precariedade do teu post…

          Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Na boa, Sandra. Algumas boas jogadas mas Kyrgios faz outro final de temporada melancólico. Ele acabou perdendo em Sets diretos para Gasquet e despencou no Ranking caindo para TOP 36. Ele agora é o terceiro tenista na Austrália. Demonstrando que apenas o talento não é o bastante. Abs!

      Responder
  16. lEvI sIlvA

    Nada mais natural! Tanto Federer, quanto Nadal, quando acharam a oportunidade de chegar mais uma vez ao topo do ranking não mediram esforços. Com Djokovic não poderia ser diferente, já que espelha-se em ambos pra atingir seus feitos. Interessante é pensar que a temporada começou polarizada entre o suíço e o espanhol sem qualquer perspectiva positiva para o sérvio. Passados W e US Open, num jogo onde o “coringa” nada valia, passa a ser carta da vez… Incrível!

    Responder
  17. Luiz Fernando

    Djoko é o favorito natural a terminar como número um, em razão da contusão de Rafa. Além disso, readquiriu sua grande forma, o q o torna um cara dificílimo de ser batido. E de pensar q alguns experts do blog diziam q ele era da segunda divisão do tenis kkk…

    Responder
    1. alessandro sartori

      Em razão da contusão de Rafa ?? de 2011 pra cá Djokovic elevou o nível que ngm imaginava, estava atrás de Federer, Nadal e Murray. Com “Rafa´´ saudavel ou baleado o primeiro lugar do topo ngm tira do sérvio ao fim da temporada

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Vc talvez entenda de tênis mas não é bom de matemática, Djoko tem total condição de retomar o numero um a qualquer momento, mas se o fizer nesse ano será pq Rafa teve q se ausentar de vários torneios, será q deu pra entender q um mais um são 2?

        Responder
    2. Renato

      Fui eu que falei que ele era da segunda divisão, qual o problema? Era apenas uma brincadeira assim como muitos fazem também. Agora ficar repetindo isso todo post beira a infantilidade. Se eu não me engano, vc se referia a Federer como aposentado, segundo alguns aqui disseram. Ele é?

      Responder
    3. Paulo F.

      Ainda mais que nessa reta final, Nole joga no piso que mais lhe favorece e em torneios que têm um injevável currículo, né Luiz Fernando?
      Um abraço.

      Responder
  18. Marcos RJ

    Essa pressão pelo número 1 ao fim do ano é uma armadilha caprichosa. Dois anos atrás Murray teve o seu grande momento, e depois despencou como balão japonês com a seria contusão no quadril. Ano passado Nadal se desdobrou para fechar como número um, mas depois sofreu com problemas no joelho e comprometeu a preparação para o início de 2018. La vem o Joker trintao agora tentar a sorte, mas acredito que ele ainda chega com sobras ao topo do ranking e se for cuidadoso com o desgaste, não duvido que ganhe o 2o Nole Slam. Depois disso acredito que na 2a metade de 2019 a nova geração chega para ficar. A conferir.

    Responder
  19. PIETER

    Acho excelente a longevidade dos tenistas de hoje. Quem vai reclamar de ver Federer, Nadal, Djokovic, Murray e vários outros campeões jogando por mais tempo?!!!
    O problema é a crescente dificuldade que terão os juvenis e os mais jovens para se consolidaram no circuito profissional. Os brasileiros, então, que amadurecem mais tarde, vão sofrer muito…

    Responder
    1. Marcos RJ

      Verdade! Infelizmente, nao vejo mais o Murray nessa lista de longevidade. Ja nao eh mais o Murray que brigava pelos grandes titulos. A lesao dele eh muito mais seria do que os demais membros do “big 4 1/2”.

      Responder
  20. Rodrigo S. Cruz

    Alessandro Siqueira
    3 de outubro de 2018 às 21:57

    [quote] Não sou obrigado a ler pataquada sem fundamentação. [/quote]

    Leu, e continua lendo.

    [quote]Só para constar, sou formado em direito com mestrado na área. [/quote]

    O que não falta no país é operador do Direito adepto do marxismo cultural. Zanin, Lewandowiski e Toffolli que o digam…

    [quote] Sendo assim , repetirei até a morte: A PRISÃO DE LULA É ATO POLÍTICO, AVESSO AO DIREITO. [/quote]

    Pagar mico, é um direito de todos. Igualmente te assiste…

    [quote] Quer prender alguém por corrupção?! Simples, diga o que foi feito de modo não-republicano. [/quote]

    Exato! “Republicano” pra você, é chefiar esquema de corrupção sistêmica, e sem paralelo, na história do mundo…

    [quote]Aponta o ato de ofício, próprio do cargo público, e a tal recompensa ou a promessa dessa. Não vale REFORMA NÃO-FEITA em imóvel de baixo padrão no litoral de São Paulo. [/quote]

    Tanto vale que o Brahma está preso. E temos o teu “parecer” contra o do MPF, a PGR, um juiz de primeiro grau, 3 desembargadores e alguns ministros do Supremo, que não usam seus votos como moeda de troca, por suas indicações.

    [quote] Quem se fartou mesmo tem apartamento em Paris, se é que me entendem [/quote]

    Verdade. Tem uns com aspirações mais modestas como: sítios em Atibaia, triplex com elevador, duplex em nome de laranjas, milhões bloqueados na justiça, milhões no exterior, tráfico de influência travestido em palestras fajutas que SÓ VOCÊ deve ter testemunhado, e outras coisitas mais…. (rs)

    Responder
  21. antonio

    Pelo o que ele jogou nos ultimos torneios, pela lesão de Nadal e pela baixa de Federer, nada mais natural que Nole busque o n° 1, agora so depende dele.

    Responder
  22. Gabi

    Na falta de tênis e em vez de falar de política, vou pegar um gancho no post do Dalcim e falar de mulher rs.

    Se os trintões dominam no tênis, a maioria aqui há de convir comigo que, na vida, as mulheres acima de 40 é que dão um show!

    Parecia que daqui em diante seria só ladeira abaixo. Não é mais.

    Maturidade hoje vem acompanhada de outros benefícios. Mulheres de 40 são bem resolvidas com suas escolhas, muitas delas estão casadas ou continuam solteiras ou estão novamente solteiras por opção, são muito bem-resolvidas, esclarecidas, continuam bonitas, gostosas e com a vida sexual tinindo – justamente porque estão mais maduras. E vice-versa.

    Aliás, maturidade sexual resolve metade das neuras que a gente tem. E o reflexo dessa independência emocional é mais orgasmos para nós e para vocês, homens. A última coisa que uma mulher bem resolvida vai pensar é: dou? Não dou? Ele vai me achar fácil? Ele vai me ligar no dia seguinte? Se essa mulher gostou de você, ela certamente vai querer transar porque é assim que conhecemos melhor as pessoas. E é a parte mais divertida. Essa mulher já sabe disso.

    Mas vamos ao principal. Na cama você vai encontrar uma parceira sexual e não apenas uma coadjuvante. Eu sei, as novinhas estão safadas e dispostas a fazer tudo. Imagino como deve ser sedutor. Mas não é disso que eu falo. Fazer tudo tem uma carga enorme de curiosidade, experimentação e insegurança. A gente faz tudo porque não sabe exatamente o que gosta. E a gente só sabe o que gosta com experiência.

    Com uma mulher na faixa dos 40 você vai para cama com uma certeza, ela vai gozar. Com ou sem a sua ajuda. Ela sabe como, quando e de que jeito mais gosta e não vai deixá-lo às escuras, tateando o interruptor num quarto desconhecido.

    Tenho certeza de que você me entende.

    Responder
        1. Miguel BsB

          Hahahaha, boa Gabi! Tá demais! Rs
          Muito melhor ler isso do que os comentários descambando pra política, e, pq não, até sobre os de tênis. Eu pessoalmente gosto das mulheres mais maduras, independentes, com bom papo e sem maiores pudores na alcova…

          Responder
    1. Flávio Barroso

      Que comentário mais sem noção kkkkkkkk. Isso é um blog de Tênis, ou seja, discussões devem ser pautadas no que diz respeito ao Blog. Se alguém quisesse ler toda essa ladainha, com certeza estavam lendo colunas de fofocas. Era só o que me faltava, achei que os comentários mais idiotas seriam dos fanáticos, que por completa falta de sensatez depreciam atletas do calibre de Federer, Nadal e Novak. Mas, você conseguiu ser mais idiota com esse post de auto motivação pra quem chegou ou está próximo dos 40 kkkkk.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *