Nº 1 e Finals esquentam final de temporada
Por José Nilton Dalcim
28 de setembro de 2018 às 22:02

Que tal um Finals de Londres com quatro candidatos ao número 1? Difícil, mas não impossível. A última parte da temporada masculina ficou aberta: enquanto o líder Rafael Nadal se afastou por contusão, seus concorrentes estão embalados ou encontram um piso muito favorável nas próximas semanas. Vamos dar uma olhada nas alternativas que podem esquentar o circuito.

Número 1
Apesar de estar na briga pela liderança do ranking contra Nadal, Novak Djokovic está inscrito unicamente em Xangai e Paris antes de Londres. Claro que o eventual título no veloz piso chinês já o colocaria apenas 35 pontos atrás do espanhol no ranking da temporada (e 215 no ranking tradicional), ou seja, haveria já luta direta em Paris.

Roger Federer até pode entrar nessa briga, mas teria de repetir os títulos de Xangai e da Basileia para estar 1.180 pontos atrás de Nadal. E a chance de o suíço jogar no piso irritantemente lento de Bercy é muito pequena. De qualquer forma, seria magnífico chegarmos a Paris com o Big 3 com chance de liderança. O quadro ideal teria Nadal com 7.480 pontos; Djokovic, com 7.045; e Federer, com 6.300.

Quem corre por fora e merece atenção é Juan Martin del Potro. Ele está inscrito para Pequim, Xangai e Basileia, concorrendo portanto a 2.000 pontos. Se o fizer, chegará a Paris com 6.910 e engrossa a luta pela liderança. Mas, tal qual Federer, é um risco forçar o corpo para também jogar Bercy e Londres. Acredito que ele só faria isso se realmente vislumbrasse a chance de atingir a ponta.

Faltam três para Londres
Os dois Masters e quatro ATPs 500 restantes também serão essenciais para definir as três vagas que faltam para o Finals, já que Nadal, Djokovic e Federer estão matematicamente garantidos e Delpo e Zverev, virtualmente lá.

De forma nada usual, Marin Cilic, Dominic Thiem e Kevin Anderson estão com mais de 3.400 pontos na temporada mas ainda correm risco, ameaçados por John Isner e Kei Nishikori. De olho numa chance que parece remota, Fabio Fognini e Stefanos Tsitsipas ousaram e estão inscritos em cinco torneios seguidos.

Meninas instáveis
Enquanto isso, a reta final da temporada feminina está bem estranha e Wuhan foi um retrato bem fiel: nenhuma das top 15 inscritas passou sequer das oitavas, com destaque para o momento ruim de Simona Halep, Carol Wozniacki, Angelique Kerber, Sloane Stephens e Garbiñe Muguruza. A nova estrela Naomi Osaka também não se mostra fisicamente bem e Serena Williams encerrou mesmo o calendário.

Pequim na próxima semana deve definir quase todo o quadro de quem disputa o Finals de Cingapura, mas a rigor a disputa está mesmo em cima da oitava vaga. Por enquanto, Karolina Pliskova está com ela, com mínima vantagem sobre Kiki Bertens. Elise Mertens e Daria Kasatkina jogam cartada decisiva, mas estão a cerca de 600 pontos de Pliskova.

Se for campeã neste sábado em Wuhan, Aryna Sabalenka se candidata a ser a outra grande estrela ascendente do circuito e pode até sonhar com Cingapura, já que assumiria o 11º lugar e deixaria Kasatkina para trás, faltando ainda três semanas e cinco torneios para o Finals feminino.

Já a disputa pela liderança parece distante. Com 1.700 pontos de vantagem, Halep teria de perder logo – já pegou até convite para Moscou – e Kerber ganhar tudo.


Comentários
  1. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, o que achas da seguinte ideia; fundir a Davis e a Fed num só torneio: 4 jogos simples, sendo 2 femininos e 2 masculinos e um de dupla mista? Abraços.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Poderia ser um novo evento, com certeza, mas quanto a unir os dois para substituir os outros acho que não passa nem de longe pela cabeça do pessoal.

      Responder
  2. Horacio

    Dalcim, só uma pequena observação: Federer ainda não está matematicamente garantido no Finals. Delpo sim desde o triunfo de hoje ante Khachanov.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, Horácio, Federer está sim e isso foi divulgado oficialmente pela ATP. O suíço se favorece do regulamento que dá vaga a um campeão de Grand Slam que eventualmente não fique entre os oito, mas que esteja entre os 20.

      Responder
    2. Enoque

      Horácio,

      O Federer tem 4.800 pontos na temporada, sendo assim é matematicamente impossível ficar fora dos 8 primeiros antes do finals.
      Para tanto o Nishikori, que está em 10, teria que ganhar tudo. O Isner que está em 9, teria que ganhar tudo, o Anderson que está em 8, teria que ganhar tudo e até o Thiem que está em 7, teria que ganhar quase tudo, assim como o Cilic., que está em 6.
      Seu raciocino matemático é de uma simplicidade infantil.

      Responder
  3. Rodrigo S. Cruz

    “A maioria dos jogos que eu perco hoje em dia é para mim mesmo, sou melhor do que a maioria dos caras que eu jogo” ( Thomaz Bellucci)

    Simples.

    Então, PARE de perder pra si mesmo, né caceta!

    Responder
  4. João ando

    Esse domingo vai ser o domingo da redenção ….o capitão vai ganhar no priemiro turno e o thomaz vai ganhar em Campinas e vai nevar em Campinas. ..tudo a partir dai vai dar certo no Brasil….falando serio acho que so o capitão ganha…kkkkk

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      É sério mesmo que a ode ao despreparo chegou ao blog? Brincadeira, viu? Já vi alertas a questões políticas por aqui. Então, não sei como mensagens de apoio ao tal candidato, que diga-se de passagem não propõe absolutamente nada e nem sabe falar sobre nada, foram aprovadas na moderação.

      Responder
        1. Alessandro Siqueira

          O blog tem (ou teria?!) uma função precípua: FALAR DE TÊNIS. Se é para virar uma extensão do MBL, ok, tiro meu time de campo. Isso vai depender da moderação ou da falta dela. Não sou obrigado a ler pataquada sem fundamentação. Só para constar, sou formado em direito com mestrado na área. Sendo assim, não engulo essas teses prontas da mídia sobre culpabilidade. Portanto, SEM ATO DE OFÍCIO DETERMINADO, repetirei até a morte: A PRISÃO DE LULA É ATO POLÍTICO, AVESSO AO DIREITO. Quer prender alguém por corrupção?! Simples, diga o que foi feito de modo não-republicano. Aponta o ato de ofício, próprio do cargo público, e a tal recompensa ou a promessa dessa. Não vale REFORMA NÃO-FEITA em imóvel de baixo padrão no litoral de São Paulo. Quem se fartou mesmo tem apartamento em Paris, se é que me entendem

          Responder
      1. Jeremias

        O teu, pelo visto, propõe silenciar todas as instâncias da justiça, “controlar” informações midiáticas jornalistas consideradas “perigosas”, dizer que no país vizinho devastado por um totalitarismo sanguinário existe “democracia”, pregar que pessoas da cor negra tenham preferência nas filas de atendimentos médicos(sim, isso está na pauta deles!) e etc….E antes que algum mongolão lobotomizado encha o saco sobre o que estou dizendo, é só ir ler o programa de governo desses abutres….Enquanto isso o sujeito decide o futuro de milhões de crianças e adolescentes baseado no fato do sujeito ser ou não “machista”, ui, ui, ui….”Nos salvem , mulheres”, ui, ui…..”Elenão”, ui, ui, ui….

        Responder
        1. Alessandro Siqueira

          Não devo satisfação sobre meu voto, mas também não tenho pudores em falar sobre ele. Voto CIRO GOMES, o único que enfrenta algo que reputo fundamental: DÍVIDA PÚBLICA. Sem uma auditoria séria, o país nunca sairá do “cheque especial”. E se não sair, jamais terá desenvolvimento sustentável.

          Responder
        1. Miguel BsB

          Até aqui num blog de tênis esses caras ficam fazendo apologia à esse indivíduo. Se o moderador tá deixando passar, então expressemos nossa posição contra o fascista.

          Responder
  5. samuel

    Prezado Dalcim,

    Há alguns dias o técnico da Aryna Sabalenka deu algumas declarações jogando muito para cima a bola da jogadora. Gosto muito do estilo dela. Más será que ele não se precipitou, talvez, deixando-a com uma responsabilidade enorme? Afinal ela foi comparada com lendas como a Graf, a Seles e a Serena.

    Saudações

    Samuel

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, é um pouco de exagero, Samuel, mas provavelmente ele estivesse preocupado em motivar sua pupila. Não acredito que isso crie pressão sobre ela.

      Responder
  6. PIETER

    Dalcim, o Challenger de Campinas começou com ótimas campanhas brasileiras, ao menos na chave principal, só vitórias até agora.
    Você viu o jogo do Wild? O que achou?
    Para mim, trata-se de um talento evidente. Tomara que vingue entre os pros, pode vir a ser o substituto do Bellucci no futuro.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, com certeza tem talento, Pieter. E acho que jogou muito bem, com uma postura mais ofensiva, tentando se impor. O boliviano é um jogador com estilo variado e tem feito uma boa temporada nos challengers.

      Responder
  7. Joaquim Saraiva

    Dalcim, até que ponto o título desse fds pode fazer bem ao Tomic? Você acredita em uma subida de produção do australiano? Particularmente, quando esse garoto surgiu, com seu jeitão todo peculiar de jogar, o enxerguei como uma grande promessa, nada obstante o comportamento anti-profissional e os devaneios de um pai louco o tenha prejudicado bastante. Ainda podemos esperar algo de Bernard? Abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, tudo depende da cabeça dele e de seu compromisso com a carreira. Ele nunca deixou seu lado ‘boa vida’, arrumou muita confusão fora das quadras. Mas o fato de se sujeitar a challengers e qualis mostra que ele parece estar levando o tênis mais a sério. Vamos esperar para ver.

      Responder
  8. Chetnik

    O bom dessa lesão do Nadal, para o Djokovic, é que este tem boas chances de terminar no topo do ranking sem se estrupiar todo. Vai só jogar os torneios grandes.

    Responder
  9. Sérgio Ribeiro

    E a ex-Tenista Russa de nome complicado e atual comentarista da TV local , não poupou o festeiro Wawrinka. Enquanto joguei , o Suíço ia a Festas em todos os Torneios. Ao contrário dos membros do Big 3 , não sei como levou SLAM. Tenistas lésbicas a dar com o pau. Citou varios nomes no Bola Amarela. Até aí tudo bem. Mas Ferrer e seus cigarros… O Suíço deu um ponto Final na história dos recordes de Connors. “ se fosse o caso não escolheria somente Torneios complicados. Queria sim ser o mais velho N 1 “ . E as declarações de Moya não deixam dúvidas que a paciência de Rafa Nadal com as lesões estão no limite. Nem pensa mais em N 1. Somente quer competir sem dores. Abs!

    Responder
  10. João ando

    Moya disse que Nadal volta em Paris. ….como havia dito essa contusão do Nadal e coisa para 3/4 meses …então acho que so volta ano que vem…isso se voltar …não queria dizer isso mas acho que a aposentadoria está proxima

    Responder
  11. Otavio Neves

    Nishioka: Num Torneio em quadra dura, com apenas 1,70m e voltando de cirurgia de LCA , ele (ex nº 58) venceu uma competição com nomes como A. Murray, D. Shapovalov, D. Goffin, B. Coric, S. Tipsipas e outros… e vindo do quali…. GRANDE FEITO. Junto com o argentino Diego (1,68m) ele mostra que o TÊNIS é PARA TODOS…. Já vi algumas estatísticas de jogos dos dois e destaco: Diego já sacou a 195 KM/H e Nishioka a 197 KM/H. E neste ano o Diego foi o único que tirou um Set do Nadal em RG – e estava na frente no 2º Set, quando a partida foi suspensa (por chuva)…. e chegou neste ano ao 11º lugar no Ranking ATP – mesmo tendo pulado torneios de grama (tava na Copa do Mundo, na Rússia, perdeu um pouco o foco). PARABÉNS NISHIOKA!!!

    Responder
    1. Jose Yoh

      Realmente dois casos a se estudar. Sempre achei estatura essencial no esporte, mas Ferrer e estes dois estão aí para provar o contrário.
      Acho que como estudo para a maioria de estatura média é muito mais válido olhar o jogo deles ou mesmo o feminino.

      Responder
  12. alessandro sartori

    Djokovic acionou o “modus matança´´ e pelo jeito o circuito vai ficar chato com ele voltando ao numero 1 e ganhando títulos em sequência… e enquanto a eleição não chega, ou melhor não passa, vou ouvindo a toda hora o que ouço a muitos anos… “político é tudo ladrão e coisa e tal´´, como se político fosse um ser de outro planeta kkkk, é só reflexo dessa gente ou melhor da maioria dessa gente…

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Se vc ver o exemplo dos blogueiros q postavam q Federer venceria tudo na grama sem perder sets verá q essa baboseira de invencivel não existe…

      Responder
      1. alessandro sartori

        Djokovic sai de uma “quase ´´aposentadoria entre 2010/2011 pra ganhar uma enxurrada de títulos e ainda por cima sair de um H2H desfavoravel contra Federer que era de 15 a 7 e de 14 a 4 contra Nadal e hoje com todos os outros do chamado big4 capengando, tudo se encaminha pra monotonia do circuito…

        Responder
  13. Renato

    Na minha opinião, nada vai tirar o número um do ranking de Novak. Federer tem chances quase zero, e Nadal costuma ir para Londres apenas para passear.

    Responder
  14. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    Imaginando que o Fognini seja campeão desse ATP 250, amanhã.

    De quantas campanhas boas dele precisaria daí pra frente, para se classificar para o Finals?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele ainda está 1.430 pontos atrás do atual oitavo classificado, Rodrigo. Então ele precisa de grandes campanhas o tempo inteiro, coisa de semi para cima.

      Responder
  15. João ando

    Deve ser duro um cara que e 28 do mundo perder para o 171 ….o verdasco e muito mais tenista que o nishioka …por isso que os caras acima de 33 anos param começam a perder para tenistas muito inferiores tecnicamente. …e ainda ganhou do shapovalov. …que zebra o nishioka estar na final. ..

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não entendi Caro , Ando. Ambos são Canhotos ( daí Verdasco querer jogar com o nome ) , mas o jovem Nishioka ( ele mandou avisar que não se chama Nishikori rs ) tem um forehand bem mais consistente e acabou levando o Torneio. E o outro super talentoso Fognini somente possui 31 anos. E ressuscitou outro TOP bem acima do 100. Conseguiu amarelar para Tomic … Esse e’ o famoso mico que se paga em subestimar a nova geração. Sem mexer as pernas e mostrando talento quando lhes interessam, não vão ao FINALS nem daqui a cem anos. E os manes insistem em sacanear Sasha, Thiem e a maioria da Nextgen rsrsrs ABS!

      Responder
      1. João ando

        Caro sergio. Vi a final e onivel de jogo dele subiu…não vi o jogo todo vou ser sincero…o novo nishi ganhou por méritos sim…e agora estou vendo o Feliciano López contra o borna coric virou o primeiro set e está 2/1 no segundo set ….incrível com 37 anos Está em plena forma e querem que o Roger se aposenta….

        Responder
  16. Luiz Fernando

    Moya fez algumas afirmações acerca de Rafa, absolutamente dúbias: tanto pode voltar em Paris quanto em 2019. Torço apenas p q tenha bom senso e só volte quando estiver de fato recuperado, pois a insanidade de 2017, que ao menos garantiu o numero um do ranking, não se repita.

    Responder
  17. Miguel BsB

    A grande questão é que, chegando os 3 parelhos no finals, o que mais defende pontos é o suíço, Nadal praticamente nada e Djoko nenhum… E, o momento é do sérvio,principalmente com Rafa machucado. Acho djokovic o favorito a terminar como n 1.
    Como de costume, o espanhol chega estrupiado na reta final do circuito, e por isso não consegue o grande título que lhe falta… Acho que ano que vem ele podia planejar melhor seu calendário pra chegar saudável no finals e tentar vencê-lo ao menos uma vez.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      As contas que passei não consideram a defesa de títulos, Miguel. As contas têm por base no ranking da temporada, que apenas soma. É mais simples e claro.

      Responder
  18. Sônia

    Dalcim, infelizmente não creio que o Federer consiga retornar ao número 1, creio que realmente essa possibilidade está mais para o Djokovic. Na torcida que pelo menos ELE consiga os 100 títulos ou um GS (está muito calor aqui em MG rsrs). Também não creio que Djokovic ganhará tudo, pois 2019 será bastante competitivo, os “outros” estão chegando sim. Mudando de assunto, uma sugestão de um livro para voce… “Enquanto o sono não vem”… esse livro também foi distribuído nas escolas. Beijos.

    Responder
  19. Gildokosn

    Parece que se havia coisas mau resolvidas entre Federer e Djokovic como alguns afirmavam, essas coisas ficaram pra trás nessa Laver Cup e até comparecer em evento da fundação do Nole o Federer fez hein Dalcim?

    Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Olha, ele parece não ter se importado nem um pouco.

          Mas não se preocupe.

          Se em 30 de Fevereiro eu precisar de conselhos, eu mesmo peço…

          Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *