O dia em que Serena manchou o tênis
Por José Nilton Dalcim
8 de setembro de 2018 às 20:41

nnSerena Williams é uma tenista espetacular, campeã legítima, dona de golpes espetaculares, grande força física. Tida por muita gente como a maior da história, o que não pode ser contestado diante de seus números incríveis, recordes estonteantes e uma trajetória de carreira cheia de duros desafios e superações.

Mas Serena transformou um grande dia do tênis feminino em sucessivas cenas constrangedoras. Sua discussão cada vez mais ríspida com o árbitro Carlos Ramos incitou a torcida norte-americana, gerou vaias até na cerimônia de premiação e quase deixou em segundo plano a notável façanha de Naomi Osaka, campeã do US Open aos 20 anos com atitude de uma veterana.

Apenas para relembrar, Serena levou advertência por instrução no segundo game do segundo set – havia acabado de ser dominada por indiscutíveis 6/2 -, situação flagrada pela TV oficial e admitida mais tarde pelo próprio Patrick Mouratoglou. Mas ok. Ela reclamou e jurou inocência, como fazem todos os tenistas.

Depois, desperdiçou vantagem de 3/1 com um game ruim de serviço e destruiu a raquete. Levou nova advertência e, como diz a regra, o game seguinte começou com 15-0 para a japonesa. Serena aparentemente não levou em consideração a primeira advertência, sabe-se lá por que supondo que Ramos a havia retirado.

Claro que não. Ficou irritada, continuou a dizer que Ramos havia ofendido sua honra (por acusar de instrução), usou até o fato de ter uma filha. Incrível seu descontrole emocional. Pior. Levou a torcida junto, gente furiosa de pé e dedo em riste na arquibancada, vaias generalizadas que obrigaram a própria Williams a pedir calma ao público.

De 3/1, Serena viu-se atrás por 3/4, já que Osaka fez novamente seu papel com total competência, pouco se importando com os devaneios do ídolo. E então Serena vai para a cadeira e continua a arguir com Ramos. O microfone de quadra capta claramente, assim que ela se levanta para ir à posição de devolução: ‘Você me roubou um ponto, você é um ladrão’.

Aí não dá, né? Ramos teria de ser um tremendo ‘banana’ para não tomar uma atitude. Abuso verbal, penalidade de um game todo, 5/3. Outro barraco, Serena chama supervisores, mostra que está cansada de ser prejudicada no US Open, afirma (talvez único momento em que lhe dou razão) que muito marmanjo faz coisa pior e ninguém fala nada. Quase chora. Ainda vence seu game.

Impassível – durante toda a confusão, a câmera mal a enxergou -, Osaka saca com 5/4, capricha em cada golpe, vê até um grande lance da megacampeã, mas liquida a partida. Ao menos, Serena lhe deu um abraço acalorado.

O triste dia em que a magistral Serena maculou o tênis prosseguiria com uma acanhada cerimônia de premiação, que começou sob vaia. Constrangedor em todos os sentidos. Até Katrina Adams, presidente da USTA, entrou na fúria. Serena amenizou, parabenizou a adversária e arriscou uma piadinha.

Tímida por natureza, Naomi quase pediu desculpas por ter vencido o US Open. Isso não se faz com uma menina que jogou um torneio impecável, mostrou qualidades de sobra para ser agora a número 7 do ranking. Que traz a tão esperada renovação para as quadras com um tênis vistoso, corajoso, agressivo, tal qual Serena e Venus ensinaram a suas seguidoras quase 20 anos atrás.

Bem vinda à terra de gigantes, Naomi.


Comentários
  1. RUI FERNANDES DE ALMEIDA

    VAMOS RELEMBRAR: SERENA ERA FREGUEZONA DA IRMÃ VENNUS E JÁ NAQUELA ÉPOCA COMEÇOU A RECLAMAR E CRIAR AMBIENTES INTOLERÁVEIS A PONTO DO PRIMEIRO TORNEIO QUE GANHOU FOI ENTREGUE POR VENNUS. VERIFIQUEM….

    NADAL E DJOKOVIC ….TAMBÉM TENTAM INCOMODAR, QUDO A PARTIDA NÃO LHES SÃO FAVORÁVEIS…

    FEDERER NO COMEÇO DA CARREIRA ERA UM QUEBRADOR DE RAQUETES.

    Responder
  2. NELSON LUIS DE CARVALHO FREIRE

    Pelo que vi e ouvi a Serena viu sim o gesto to técnico e sabe muito bem que recebeu instruções.
    Observe o vídeo do técnico mandando ela ir a rede. Ok, onde estão os polegares dele? Pra cima, a mesma posição de um gesto de aprovação.
    Agora, veja o discurso da Serena qdo recebe a punição por “coaching”: Ela diz ao Carlos Ramos que aquilo que ele viu era um ” Thumbs Up” e que significaria apenas um gesto de apoio.
    Ora, para ela ver o Thumbs Up é porque ela VIU o gesto do técnico, como todos nos vimos, e dá uma de Migué com o árbitro, passando uma bronca nele de que ela não trapaceia “cheat”.
    Não fosse assim, como ela saberia do gesto do técnico?

    Responder
  3. Silvia Pinheiro

    Caro Dalcim,
    Como sempre digo quando apareço por aqui para arriscar umas linhas, quase não participo das acaloradas discussões ,mas sempre leio o que você tem a nos dizer.
    Hoje, ao ler seu texto, o terminei com lágrimas nos olhos.
    Porque admiro Serena e toda sua trajetória, por ela ter feito feio durante o jogo, por Carlos Ramos ter coragem, por Naomi, seu jogo e sua atitude; e finalmente, por como você descreveu tudo de forma espetacular. Texto emocionante!
    Parabéns sempre !

    Responder
  4. Iuri

    Dalcim, existem outros bons profissionais que cobrem o circuito e se manifestaram sobre assunto (brasileiros e estrangeiros)? Queria ter uma noção da cobertura que o evento está recebendo.

    Valeu!

    Responder
  5. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Eu diria que o Djoko hoje e o grande favorito a terminar o ano como número 01.
    Deve jogar pequim, shangai, paris e Londres. Com 4 mil em jogo, o Nadal com o joelho estourado e uma diferença de somente 1 mil pontos, ele nem precisa sair ganhando tudo.
    Olha, acredito que nem o próprio Djoko, nem o treinador, nem o mais fanático torcedor do Nole poderia esperar isso antes de Winblemdow.
    Mas como ele se defende, uma parede. Poucas vezes tomou iniciativa do ponto, esperava o Del Potro tomar iniciativa e deu certo.
    Não gosto do jogo defensivo, mas depois de ele ganhar do Nadal na semi em Winblemdow jogando desse modo, me convenci mesmo que com quadras tão lentas o segredo e ser defensivo.
    Mas que chato!

    Responder
  6. Lucas

    Merecido o 14 slam do Djoko , joga demais.Nadal está a 3 de Federer e Djokovic está a 3 de Nadal.Dalcim o que acontece primeiro se vc tivesse que apostar Djoko alcança Nadal ou Nadal alcança Federer , obrigado.

    Responder
  7. Luis Nascimento

    Impressionante como Djokovic deu a volta por cima após a grave contusão do cotovelo, que o obrigou a operar. Eu não tenho dúvida que o Sérvio brevemente voltará ao posto de número 1 do mundo. Está voando em quadra, porém precisa melhorar um pouco a parte física.

    14 Títulos de Grand Slam igualando-se a Pete Sampras. Agora o objetivo será alcançar Nadal, tarefa difícil, mas não impossível tratando-se do jogador mais completo da história do tênis mundial. Chegar aos 20 títulos de Federer acho quase impossível, porém, dependerá do quanto Djokovic estará fisicamente nos próximos 3 anos, onde disputará 12 G.S.

    Parabéns também para o Delpo, o argentino jogou esse US Open em alto nível, porém teve azar de pegar na final, um Djokovic jogando como nos velhos tempos. Não tenho dúvida que Delpo voltou de vez, e será mais um jogador a tentar ocupar o posto de BIG 4, que no momento está vago.

    Responder
  8. Leo Gavio

    Djokovic vai chegar nos 20 do Federer

    faltam so 6, lembrem-se que em 1 ano temos 4 slams, DJokovic deve jogar mais 4 ou 5 anos em nivel alto.

    precisa de 6 slams em 20 possiveis

    2 wimbledons 2 usopens 1 aopen e 1 RG

    Onde ele tem mais chance, pra mim, é Wimbledon. A devolução dele é um diferencial

    Responder
  9. Fernando Brack

    E Djoko chega ao 14° Slam, igualando Sampras. Jogou como campeão e não deu colher pro Delpo. Parabéns ao sérvio e à sua agora grandinha torcida (já requer um microônibus), em especial ao pioneiro camarada Sergio Luiz. Podem comemorar.

    Responder
    1. welington

      Sou torcedor do NADAL, mas admiro o tênis do DJOKO. O cara joga muito. E não tenho dúvidas: até pendurar a raquete, terá cravado no mínimo mais uns 5 slams. E detalhe, atualmente, nem NADAL e muito menos FEDERER possuem armas para vencer DJOKO. O domínio dele sobre os dois é brutal e tende a se acentuar. Apenas NADAL no saibro (e somente nele) poderá fazer frente ao sérvio.

      Responder
    2. Sergio Luiz

      Viu como a torcida do Sérvio cresceu, meu grande camarada Brack ? kkkkkk Isso prova que bem lá atrás eu não estava cego quando optei torcer por ele. kkkkkk

      Mas, o que Eu acho mesmo é que somos todos privilegiados. É quase insano constatar que Federer, Nadal e Djoko somam 51 Slam (praticamente 13 anos seguidos de Slam) em período concomitante. Era algo inimaginável , e sem contar a quantidade de Master dos 3! É absurdamente fantástico e um deleite pra quem aprecia o esporte.

      Prazer enorme compartilhar novamente deste espaço com você, Pessanha, Levi e tantos outros da “velha guarda” e com os da “jovem guarda” também, que serão sempre bem vindos.

      P.S. Mas estou decepcionado com seu tricolor. Precisávamos muito da vitória de vocês hoje. rsrs.

      Abração!

      Responder
  10. Oswaldo E. Aranha

    Tive uma conversa por telepatia com o Djokovic e o coloquei a par de nosso blog, então ele solicitou-me que colocasse a seguinte mensagem: estou tão feliz com as grandes vitórias que os comentários e apelidos desairosos dos poucos meus detratores não me atingirão.

    Responder
  11. adenilde petrina

    “Serena é rainha! Maior tenista sim…afora o racismo que motivam as críticas que fazem a ela,justamente porque é isso que acontece quando uma mulher negra sai do lugar de inferioridade e subalternidade que lhe foi socialmente construído, recebe pedras disfarçadas de críticas e ela alcançou um lugar que não vai perder porque as história lhe garantirá( e nós mulheres negras conscientes tambem…..)” Joice Berth, arquiteta negra, feminista e autora do livro ” O que é empoderamento”- Editora Letramento,2018.Faço minha as palavras dela…

    Responder
    1. lEvI sIlvA

      Adenilde, minha querida, por acaso a Naomi Osaka é loira ou algo assim? Serena por conta de tudo que já fez e conquistou constrangeu em muito sua fã declarada. Sorte da Osaka que isso não a desestabilizou , pois caso Serena ganhasse com tamanho ardil seria, sem sombra de dúvidas a pior derrota de sua vitoriosa carreira!

      Responder
    2. Jeremias

      kkkkkk. Tenho um grande amigo meu com quem me doutorei em matemática e que por acaso assistiu ao jogo aqui em casa hoje comigo. O negão é um dos matemáticos mais talentosos com quem tive o prazer de conviver. Ele, um autêntico negro de raízes africanas, acabou de ler este comentário tosco dessa escritora de quinta categoria. Bem, mas não vou nem dizer qual foi o comentário, porque o Dalcim não iria publicar de jeito nenhum….haha

      Responder
    3. Barocos

      Adenilde,

      Ninguém aqui está discutindo as qualidades técnicas da Serena, acredito ser ponto pacífico que ela é a melhor tenista já vista em quadras até aqui. Mas isto não tem nada a ver com o comportamento condenável que ela desfilou no sábado. Para deixar ainda mais claro, muitos homens e mulheres demonstraram durante toda a história da humanidade serem possuidores de qualidades específicas excepcionais, mas isto nem agora e nem nunca por si só os tornaram excepcionais seres humanos, pelo menos não no que realmente conta para mim. Não estou dizendo com isso que a Serena não é uma boa pessoa, por tudo que já li a respeito, me parece que na verdade ela é, mas ontem ela não se comportou condignamente e merece as críticas que recebeu, não pela vida inteira, mas por ontem. Aprenda a separar as coisas por favor, e não faça como fazem tantos adeptos da cretinice que assolam nosso país que veem cada crítica particular como um ataque pessoal à honra no estilo guerra total.

      Você não me perguntou, mas é de minha opinião que sua defesa da Serena, com os argumentos que você elegeu é, no mínimo, leviana. Quero deixar claro também que divergências de opiniões não configuram desrespeito pessoal, todos nós somos livres para concordar ou discordar das opiniões alheias conquanto que ao fazê-lo nós, no mínimo, utilizemos argumentos lógicos que balizem nossas discordâncias. Ao fazê-lo, em verdade, estamos, outrossim, fornecendo não só uma prova de respeito para com o outro, mas também de civilidade.

      Caso queira continuar este diálogo, eu sugiro que elejamos um fórum mais apropriado.

      Se eu achasse que você não merece respeito, nem me daria o trabalho de lhe responder.

      Responder
    4. JANAINA DIAS

      Ademilde, seu DISCURSO DE ÓDIO é RIDÍCULO..As críticas a ela se devem ao comportamento ARROGANTE e DESRESPEITOSO dela com o árbitro e adversária, E NÃO TEM NADA A VER COM A RAÇA DELA!!
      Ela mereceu todas as críticas, porque alguém que é esportista e modelo de conduta para os outros TEM QUE SABER AGUENTAR AS CRÍTICAS PRA CORRIGIR SEU ERRO e NÃO DEIXAR UM PÉSSIMO EXEMPLO PRAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES …Ela não é perfeita só porque é negra ou por ter conquistado 23 títulos, ELA ERROU E PRONTO e o comportamento grosseiro dela não tem que ser elogiado ou exaltado simplesmente por ela ser negra.. Cai na real!

      Responder
    5. LEONARDO FRONZA RODRIGUES

      Que coisa ridícula o que a escritora escreveu. O próprio técnico da Serena admitiu que fez coaching, o que é proibido. Quer dizer que a regra não vale para todos? Racismo? Aplicar a regra é racismo? Seria se o árbitro não aplicasse a regra!!!

      Responder
  12. João ando

    Achei que a serena fosse ganhar mas quem esperava Naomi….achei que djoko ganhava 3/0 e ganhou até que não estou tão ruim de palpite. ..delpo ficou sem condições fisicas

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Opa , Ando. Tá parecendo aquele Senhor das músicas rs Afirmei que somente o Serviço salvaria Serena. Que Naomi estava jogando muito feito Novak. Ambos não cederam Sets. E quando ela deu aquele Show em Indian Wells, o amigo achou a menina fraquinha na Coletiva. Eu Postei que estava nascendo uma nova Campeã. Segura ambos a partir de agora. Podem beliscar o N 1 sem sustos. O Sérvio já assume o Posto esse ano. ABS !

      Responder
  13. Luiz Fernando

    Vitoria absolutamente esperada e indiscutível do Djoko, que só não venceu mais fácil pq caiu seu nível no set 2. Já Delpo mostra claras limitações físicas e um BH medíocre, ficando obvio ser um jogador de torneios de melhores de 3 sets. Djoko me parece o franco favorito p retomar o numero um ao final do ano e para vencer os principais torneios daqui p o final o ano, quem disser outra coisa estar viajando.

    Responder
  14. Luiz Fernando

    Com 02, lento nas deslocações laterais e com BH medíocre, creio ser muito esperar mais alguma coisa consistente do Delpo. Djoko deve vencer 30, a despeito de estar bem chato na quadra, reclamando de tudo.

    Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    Kkkkk

    Vocês viram a cena no 2/3 do segundo set, do sérvio mandando a torcida calar a boca?

    Nem quando está ganhando confortável, o cara deixa a pecha de xiliquento…

    Responder
  16. Rodrigo S. Cruz

    Praticamente impossível pro Delpo, aguentar uma correria como essa.

    O Djokovic é um “maratenista” está infernal, e chega em todas…

    Deve ser muito frustrante para o argentino.

    Tem horas que ele deve pensar: ” O QUE FAZER?”

    Responder
  17. Luiz Fernando

    Primeiro set como esperado, com Djoko dominando as ações do fundo explorando o BH do hermano. Me chamou a atenção os poucos “tiros de FH” do Delpo.

    Responder
  18. Roberto

    Parabéns Dalcim, vendo várias notícias e comentários de pessoas e ex-atletas defendendo a Serena Willians, é importante ver que há comunicadores que defendem o esporte e a honestidade. Episódio triste para o tênis.
    E mais, os responsáveis pelo USOpen deveriam chamar o árbitro e entregar o devido prêmio na cerimônia de hoje, ressaltando o trabalho correto e as decisões acertadas.

    Mas que a regra de coachig é complicada é. Comentei que houve no jogo do Millman e Federer, o técnico de Serena Willians admitiu (e nem assim ela admitiu) e há em vários jogos. Deviam mudar para o padrão da Copa Davis, onde o técnico senta com o jogador e falam o que quiser nas trocas de lado, acabavam as polêmicas.

    Responder
  19. Maria Izabel

    Boa tarde mestre.Nao passo um dia sem ler seu blog,o acho um super comentarista.Há muito não comento aqui.Mas diante da final de ontem não me contive.Fiquei perplexa com a atitude da Serena ontem descontrole total!A garota Osaka uma fã da Serena ficou muito sem graça,tem 20 anos e foi lamentável. Penso que atletas icônicos,quando vão envelhecendo ficam mais nervosos,impacientes em quadra.Vejo isso em Federer,Djocko,Nadal etc.Mas também vejo em Kyrgios fazendo gestos absurdos,falando todas para Wawrinka,Fognini bastante abusado também e até Zverev dando piti.Aos mais velhos penso ser a não aceitação do declínio. Aos mais jovens faltam respeito e educação. Uma pergunta ao mestre:Kyrgios sei que já teve “N”multas.Mas já foi punido com game?Não me lembro.Esse rapaz é um desperdício de talento;mas,fazer o que faz em quadra inclusive gestos obscenos é absurdo.Nada que justifique o que a Serena fez ontem,uma tarde a ser esquecida que manchou sua biografia.Me alonguei aí desculpe.O Kyrgios já foi punido da forma como a Serena?Não estou levantando bandeira de machismo,antes que comecem a detonar por aqui.Serena surtou tremendamente,desnecessário e uma pena a Osaka assistir sua ídola fazer um papelão.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado antes de tudo, Maria Izabel. Realmente não lembro de o Kyrgios ter perdido um game inteiro por acúmulo de advertências, porque são necessárias três advertências por conduta antiesportiva para isso acontecer. Mas concordo que deveria haver maior rigidez não só com ele, mas vários outros.

      Responder
  20. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Parabéns pelo texto! Preciso e imparcial.
    Agora mestre, vamos combinar, o Toni Nadal passou instruções para o espanhol por diversas vezes, reiteradamente, e que eu me lembre nunca nenhum arbitro o advertiu, mesmo merecendo.
    A que vc credita isso mestre? Será que os juízes tem medo de que se o fizerem, podem ser vetados de apitar alguns jogos? Como aconteceu com o Carlos Bernardes por um bom tempo sem participar de jogos do espanhol. O que pensa Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como eu disse, é muito difícil para o juiz de cadeira dominar todo o ambiente, já que ele precisa antes de tudo ficar de olho na bola, no placar, no cronômetro… Então não se pode jogar toda a responsabilidade para uma única pessoa. Mas acho sim que muitos se omitem.

      Responder
  21. José Augusto Martins duarte

    Dalcim
    Não concordo com sua análise.
    O que denigtre o tênis são tenistas que se topam e depois retornam como se nada tivesse acontecido.
    Deveriam ser banidos.
    Serena errou, sim, mas alertou sobre erros que acontecem e ninguém menciona.
    Inclusive, mais calma, reconheceu que o árbitro é bom.
    Só que todos se atém aos erros e não as virtudes.
    O próprio técnico de Serena comentou sobre instrucoes de Sasha a sua pupila e nada foi comentado.
    Nesse quesito, silêncio.
    Lamentável.

    Responder
  22. Leo Gavio

    Eu acho o seguinte: Não se pode passar a mão na cabeça de ninguem por ser ultra-campeão.

    Serena é uma egocentrica, vaidosa, mimada e que, em momentos de descontrole, manifesta todas estas caracteristicas em forma de atitudes estupidas e até imbecis. Ela humilhou a adversaria com seu showzinho de egocentrismo.

    É uma grande tenista, mas uma pessoa desequilibrada emocionalmente.

    E pra piorar, os tarados(as) das arquibancadas participaram do show de horrores.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Uma das tenistas mais mimadas que já pisou numa quadra de tênis.

      Consegue ser pior do que a Martina Hingis…

      Se a Serena tivesse tido uma rival á altura na sua carreira, teria protagonizado muitas outras cenas patéticas como a de ontem…

      Responder
  23. Beto

    Muito foi dito sobre erros, exageros, arrogância etc. Agora me entristeceu muito a omissão do técnico da Serena. Imaginem se ele se levantasse no boxe e, por sinais ou oralmente, admitisse diante do público, da TV, do árbitro e das jogadoras que tentou instruir taticamente sua atleta. Quanto poderia ter sido evitado! A torcida não teria motivo para ficar contra o árbitro, Serena teria de aceitar o primeiro warning, possivelmente não teria chegado às 3 advertências e teríamos uma final lembrada pelas jogadas, pelos Winners e, principalmente, teríamos uma vencedora feliz, e não constrangida e vaiada injustamente. Um gesto simples de decência e honestidade teria salvado o jogo e nos poupado de tanta baixaria.

    Responder
  24. Naira

    O brasileiro Thiago Wild foi campeão do US Open juvenil. Consegui assistir o 2º e 3º sets pela whatchESPN, o 1º set teve problema de transmissão. O brasileiro venceu com facilidade o 1o set 6/1,. No 2º set errou muito trocas de bolas e perdeu por 2/6. No 3o set ele voltou mais consistente, não cometendo tantos erros, conseguiu sustentar trocas de bola, teve um pontaço com os 2 jogadores atacando e se defendendo e indo a rede onde o Thiago levou a melhor. Conseguiu colocar a maioria dos primeiros saques em jogo. Tem um bom 1o e 2o saques. Tem um jogo bem firme de fundo de quadra chegando a rede com segurança. Variou o jogo com slices, deixadinhas. Tem uma certa dificuldade na devolução de saque. Mas o menino italiano Lorenzo oscilou muito no 3º set, não conseguiu sustentar troca de bolas. Thiago levou o 3º set por 6/2. Parabens ao brasileiro Thiago Seyboth Wild, primeiro campeão brasileiro juvenil US Open.

    Responder
      1. João ando

        Quando vemos a transição do juvenil para o profissional e uma fase dura …alguns amadurecem mais cedo casos de Tracy Austin .Andrea Jaeger .gasguet jogava chave principal de Roland garros com 16 anos. Michael Chang foi campeão de Roland garros com 17 anos se nao me engano…sinceramente se o wild for para ser um profissional de Ponta ele tem que estourar com no máximo um ou dois anos…se não vai virar um Nicolas Santos….

        Responder
  25. Sandra

    Falando a respeito do jogo , como os jogadores mais velhos , seja Serena , Federer , Nadal , Djokovic entre outros conseguem chegar em bolas que o normal seria a garotada chegando e não eles, qual a diferença do preparo físico ?? Pergunto isso por que ontem vi a Osaka chegar na bola , mas ela tem 20 anos , tanto ela como Zverev e cia

    Responder
  26. João ando

    E isso …ninguem vai transmitir a final do juvenil masculino? ??temos um brasileiro e
    …dalcim .os juvenis ganham alguma coisa para jogar grand slam…já que são profissionais. …e uma pergunta meio idiota minha más. ….

    Responder
  27. Miguel BsB

    Realmente, a atitude de Serena foi realmente deplorável, e ofuscou o 1 título de GS de uma jovem e promissora tenista. Foi uma vergonha!
    Agora, ela às vezes tem seus momentos de fúria e arrogância, e o argumento de sexismo não cola, forçou a barra pra onde não deveria ter ido. A questão de ser mãe Tb, nada a ver… Quantas mulheres mães são mau caráter? (não acho que seja o caso dela). E, além do mais, imagine o Federer reclamando do juiz e argumentando que não pode ser trapaceiro pq é pai de 4 filhos kkkkk
    Mas tb vou defendê-la um pouco das críticas, pq já vi atitudes legais dela, em algumas derrotas, como quando foi ao outro lado da quadra cumprimentar a Kerber quando a alemã ganhou seu 1 Slam, na Austrália. Achei bacana essa atitude dela.
    Tb acho legal as posições dela contra o racismo.

    Responder
  28. Douglas Martins

    Dalcim,
    Acompanho tenis desde o australiano open 2007 e leio o seu blog tem muitos anos,nunca lhe foi feito uma proposta para comentar as partidas na televisão ou algo assim ou participação em programas?, até o momento não vi ou li uma pessoa com tamanho conhecimento sobre o esporte.
    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pelas palavras, Douglas. Eu só consigo participar eventualmente em alguns programas quando sou convidado, mas participar ativamente é incompatível com minhas tarefas no site. Abs!

      Responder
  29. lEvI sIlvA

    Dalcim, permita-me perguntar, por favor. Acha que não fosse nos EUA e Serena negra e mulher teria sido desclassificada? Em tempos de politicamente correto e coisas do tipo a atitude e discurso de Serena na premiação demonstra uma miopia sem tamanho. Dar uma de perseguida não foca a realidade dos seus atos intempestivos. Naomi, fã declarada da americana passou vergonha sem tamanho. Viu seu memorável feito ofuscado por alguém tão rodada no circuito que não parece entender, o tempo passa pra todos. Com isso ficou evidente quanto a americana precisa crescer e notar, há outras e outros que não ela no mundo. No mais, talvez Serena também deva compreender que, aos 37 anos está no circuito por que quer, ninguém a obriga. Ou seja, se é por prazer ou devoção, devia ser mais feliz e grata por tantas conquistas. É o que penso.

    Responder
  30. Carlos Umberto

    Alguém disse e concordo que o que a Serena tem de muito mais no circuito é uma força física descomunal em relação a todas outras. Joga na pancadaria. Não assisto aos seus jogos, pois para mim não tem plasticidade nenhuma. Tem muitos títulos, bom para ela, não sei se tão bom para o tênis. Regra é regra, errado quem não as cumprem. Não existem semi-Deuses acima do bem e do mal.

    Responder
  31. Fernando Brack

    Sinceramente, por mim, Serena poderia se aposentar HOJE. Embora seja impossível não reconhecer sua enorme competência tenística, eu detesto ver aquele monstrengo físico massacrando suas adversárias. E isso nada tem a ver com a cor dela.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Fernando, você não acha que chamando-a de monstrengo pegou pesado? Quer dizer que toda mulher tem que ter aparência frágil? Não nego que ela muitas vezes é antipática, mal-educada, explosiva. Mas monstrengo… Faz favor…

      Responder
      1. Fernando Brack

        É a minha opinião, Maurício. Não posso fazer nada se vc não concorda. Eu acho Serena absurdamente forte para o tênis e eu não gosto disso. Esse é um dos motivos de eu também não apreciar o Nadal, outro brucutu.

        Responder
  32. Andre Barcellos

    Acho que tudo foi claro e já foi posto.
    Não há o que discutir quanto ao comportamento de Serena.
    Ainda chamou o árbitro de mentiroso.
    O pior tolo é aquele que não aprende nem com seus próprios erros.
    Serena já é uma senhora, mãe. Já devia ter entendido que o universo não gira em torno do seu umbigo.
    E essa paparicação vem também de quem a cerca.
    Alguém poderia reprisar pra ela todo o seu histórico e dizer que, no mínimo, afrontar um árbitro é burrice.
    Arrogante? Muitos são, e, dependendo de onde provocados, todos só.
    Mas tolos apenas alguns.

    Responder
  33. Marcelo Reis

    Dalcim, acabei de ler o artigo do Bodo e, mesmo ele sendo controverso em suas opiniões, achei válido compartilhar aqui alguns de seus dizeres. Por consequência, gostaria de saber a sua opinião também.

    A ideia geral do artigo é que a regra do coaching é ridícula (deveria ser mudada ou até sumir) e ele levanta alguns pontos:

    -Coaching é algo difícil de se averiguar por ser altamente subjetivo.

    O livro de regras diz:

    “Players shall not receive coaching during a match (including the warm-up). Communications of any kind, audible or visible, between a player and a coach may be construed as coaching.” [Jogadores(as) não podem receber instruções durante a partida, incluindo no aquecimento. Comunicação de qualquer tipo, audível ou visível, entre o(a) jogador(a) e o(a) ténico(a) pode ser interpretada como instrução”] – tradução livre.

    Então temos:

    -Quando o técnico grita “vamos!” para estimular a atleta, isso é coaching?
    -Quando o jogador está com cãibras nas pernas e olha pro seu box (onde estão seu técnico, seu fisio etc) para indicar que é na perna direita, por exemplo, isso indica que há coaching ocorrendo?
    -Quando um técnico coloca seu cotovelo na palma da mão direita, será que isso é um sinal já planejado com ele para que você faça algo na quadra? É coaching?

    Digamos que o técnico faz a bobagem (o ato do coaching) e não a atleta. Se ela não viu, será que merecia ter sido punida? Na dúvida, pune-se do mesmo jeito? (E a presunção da inocência?). [A questão nesse post é sobre a regra em específico, não a partida de ontem]

    Você disse “quase todo treinador dá instrução”. Então, a regra claramente tem tido pouca serventia, uma vez que violações desse tipo não são vistas ou são ignoradas em grande parte do tempo. Não seria uma ideia talvez mais eficaz, então, punir o treinador, retirando-o do estádio?

    Abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se existe a regra, ela tem de ser respeitada e, em caso de infração, punida. Ou então se retire a regra. Há muitas formas de se burlar a instrução. Na verdade, eu já puniria o tenista que pede ajuda do box para pediu ou não o desafio, jamais vi isso acontecer. Enfim, talvez seja bom momento para se discutir se a regra ainda é válida ou não. Mas não sei se a liberação dela faria bem ao tênis. Fico Imaginando cada treinador sugerindo, ponto a ponto, algo para seu pupilo.

      Responder
      1. Naira

        Marcelo, concordo plenamente com o Dalcim, “Se existe a regra, ela tem de ser respeitada e, em caso de infração, punida. Ou então se retire a regra.”. O termo coatching significa dar instrução, os seja, dar instrução técnica com objetivo de mudança ou não na forma de jogar. Gritar “vamos” não é uma instrução técnica. Quando o jogador grita com o box, não é uma instrução técnica. Quando o Djokovic no jogo do Milman abertamente falava com o seu box pedindo remédio de nariz não é instrução técnica. No caso citado pelo Dalcim, se um jogador pergunta ao box se pede desafio neste caso é uma instrução técnica. Toda comunicação verbal ou não que passe informação técnica é coatching. A regra existe e tem que haver bom senso. Acho que voce tentou forçar um pouco o entendimento da regra. Pelo que voce falou, de repente até se levantar para bater palmas pode ser considerado coatching. Pelo que voce fala seria necessário uma bíblia de texto para cobrir toda e qualquer situação de possível entendimento de ser coatching. É óbvio, como o próprio Dalcim salientou, que existem inúmeras formas de se burlar esta regra. Lembro de uma entrevista do Larri Passos que em uma decisão de Roland Garros pediu para um brasileiro que estava na plateia gritar instruções para o Guga em quadra. Nitidamente se percebe haver instruções nos boxes de Djokovic através de sinais (sentado, de pe, com bone, etc). Na mesma forma o box do Nadal, todo final de ponto ele olha pro box. O mesmo com Murray, e assim tantos outros jogadores. Mas nestes casos não há verbalização e os gestos não são explícitos, então como afirmar se o cara tá coçando a cabeça por problema de caspa ou tá passando instrução? Simplesmente é impossível. Mas o que ocorreu na final feminina do US Open foram gestos explícitos era inegável, por isso o técnico reclamou do tio Toni do Nadal, porque ele falava o tempo inteiro, o que era obviamente visível. Lembro da máxima que diz se voce não está disposto a cumprir a pena então não cometa o crime. O que ocorreu ali foi a máxima do Planeta dos Homens (programa da Globo com Jô Soares, para os mais novos que não viram) tinha o macaco que fazia as mesmas coisas que todos faziam mas só ele se dava mal e acaba atrás das grades e ele perguntava “Mas só eu? Cade ou outros?”. Os outros tinham “costa quente” e sempre escapavam. Foi isso o que o técnico e a Serena falaram: Mas só eu? Cade ou outros? E tá todo mundo entrando na deles quando o correto seria colocar todo mundo que não cumpre as regras atrás das grades em vez de acabar com a regra. No dia que técnico puder passar instrução abertamente para os jogadores acaba com o esporte, porque vamos assistir batalha de técnicos e não de jogadores. Eu sou contra coatching mesmo porque nem todo jogador consegue pagar técnico. Acho horrível jogos da WTA quando o técnico entra em quadra para conversar com a jogadora. O jogador tem que ser capaz de entender o jogo, fazer leitura do jogo do adversário, mudar seu jogo conforme a situação, desenvolver um raciocínio lógico e rápido de agir e reagir. É isso que deixa o jogo de tênis eletrizante. No dia que os técnicos puderem passar informações livremente, os jogadores serão robozinhos sem cérebros com raquetes na mão, e neste dia o tênis morre. Minha opinião..

        Responder
        1. Marcelo Reis

          Obrigado.

          E só para não ficar confuso, não sou eu que estou tentando forçar a barra. Nada do que citei acima fui eu que disse. Como afirmei no começo do texto (“achei válido compartilhar aqui alguns de seus dizeres”), foi o jornalista Peter Bodo. Todos os exemplos são dele. De toda forma, a regra não é seguida – só em casos pontuais como o de ontem. Sendo assim, penso que seja melhor repensá-la.

          Até a próxima. (Y)

          Responder
  34. Beto Seabra

    Dalcim, concordo plenamente com o seu comentário. O que Serena fez representa uma enorme mancha. O pior é não reconhecer o erro (mesmo depois do flagra do coaching) e apelar para sexismo. Ela somente levou a terceira advertência depois de inúmeros impropérios quando finalmente chamou o juiz taxativamente de ladrão. Ela não disse apenas que o juiz era ruim, que errou, que a prejudicou. Chamou-o de ladrão. Queria o quê? É a tal da desculpa…ah tem homem que faz pior e não acontece nada. Se tiver, o erro é lá não ameniza o erro dela. E realmente não me lembro de um jogador recentemente chamar um juiz de ladrão e não levar uma advertência. A questão do coaching até passa em branco mesmo, mas tanto para homens quanto mulheres (deve ser muito difícil flagrar claramente esses casos).

    Mas tenho uma pergunta: qualquer tipo de advertência entra nessa regra (na segunda, ponto; na terceira, game) ou advertência por questões de extrapolar o tempo, por exemplo, não entram nessa regra? E a quarta advertência perde o set ou é desclassificação?

    Responder
  35. Alan

    Eu tive uma situação pior aqui no Blog de injustiça e não perdi a linha, Serena vacilou.
    McEnroe um tempo atrás, falou que a bateria num eventual jogo entre eles e ela soltou algo do tipo “com licença que estou tendo uma filha” sem nexo nenhum ao rebater tal declaração do Big.
    Não vi os lances, só coloquei na TV quando tava 5 x 3.
    Mas Federer no passado já comentou sobre instruçoes do Nadal tio, talvez por apanhar tanto do Nadal tenha deixado de lado as reclamações de lado (calma federetes, sou um tbm).
    Enfim, sem poder opinar, já opino, q as regras devem ser mais claras no tênis e respeitadas, especialmente sobre instruções.

    Responder
  36. Eduardo

    1. Que os homens fazem coisa bem pior, incluindo algum dos grandes e nada acontece ela tem razão. Os árbitros baixam a crista bonito para eles, com poucas exceções.
    1.1 ocorre que isso não cria um direito dela repetir o comportamento antisséptico só porque parcela dos árbitros são uns bananas quando são os homens que estão reclamando, cabe a ela manter-se na regra, respeitar e ter controle emocional, simples assim.
    2. A serena pode ser uma grande campeã e tal e tal, mas nos últimos anos ela ganha somente porque tem uma força fisica acima das das outras. A movimentação eh lenta, a técnica dos golpes é normal, a criatividade no jogo eh quase nula. Certo ela. Usa a força física que tem e aí colecionando titulos ,mas, sinceramente , isso não agrega tanto assim para o esporte.

    Responder
    1. Naira

      Eduardo, bom dia. Concordo com seus comentários só gostaria de fazer uma colocação. A Serena, ao que parece não sabe lidar com pressão, associado ao fato de não saber perder e de ser arrogante. Juntou esses três fatores ontem e deu o que deu. É triste a postura dela ao se dirigir ao árbitro com o dedo em riste, que não é apenas agressivo, prepotente e ditatorial, mas também símbolo da falta de humildade. Algumas pessoas acabam se irritando e apontam com o dedo em riste para o arbitro, como se ele fosse o grande culpado pelos problemas de estar perdendo. Ela tentou usar o “peso do ídolo Serena” e jogando a torcida contra o arbitro, fazendo o caldeirão da Arthur Ashe ferver, aumentando a pressão sobre o árbitro e sobre a Naomi, uma menina de 20 anos, para virar o jogo a seu favor. Ou seja, isso se chama anti-jogo ou popularmente jogo sujo. Mas para sorte do tenis, essa jogada dela não funcionou. A Naomi deu uma aula de humildade a todos. Uma menina centrada, com uma força mental enorme. Nem tomou conhecimento do papelão que a Serena estava fazendo. A Naomi mostrou a verdadeira força de uma campeã com toda a sua humildade.

      Responder
  37. Mário Fagundes

    Inaceitável o comportamento de Serena na final do US Open. Jogando em casa, diante de sua torcida, em busca de mais um recorde na carreira, mais que uma mancha no tênis, fica o exemplo negativo, reprovável e inadmissível aos jovens que acompanhavam a partida em todo o mundo. O árbitro agiu corretamente, aplicando a regra. E ainda que tivesse errado, caberia a ela, experiente e capaz que é, reagir e buscar a vitória como fazem os verdadeiros campeões. Preferiu se vitimizar. Todo aquele destempero (que não é novidade), ataque de estrelismo e vitimismo, ofuscaram o feito da jovem Osaka, que certamente só passou a comemorar o grande feito depois que saiu de quadra. Lamentável. Desejo que Serena jamais levante um troféu de GS e que a nova geração de tenistas como Osaka, Keys, Stephens, Ostapenko, etc. possa dar cores diferentes ao tênis daqui pra frente.

    Responder
  38. Fernando Brack

    Arrogância! Ah, essa famigerada arrogância. Não é a pior característica que um indivíduo pode ter, mas é deplorável. Serena abusou dela ontem, melando a festa da menina Osaka, mas não acho que tenha manchado o tênis. Esse continua um impávido colosso. Ele teria sido manchado se não tivesse regras para coibir as reações de uma tenista mal comportada ou se o árbitro não as tivesse aplicado, por desconhecê-las ou por ter receio de ser vaiado ou repreendido. O que Serena manchou, mais do que qualquer coisa, foi a sua própria reputação, ainda que não a ponto de embaçar seus grandes feitos.

    Ela teria amenizado o constrangimento que causou se, na entrega dos troféus, tivesse pedido desculpas e puxado um aplauso especial para a Osaka, que venceu a partida com todos os méritos e com muita maturidade. Parabéns à menina e que tenha muito sucesso na carreira.

    A grande ironia e, para mim, injustiça da noite, foi a não premiação do Carlos Ramos, um completo contrassenso, pois ele fez exatamente o que se espera de um árbitro: aplicar as regras a despeito da figura do atleta afetado ou da torcida. Consequência de um pretenso bom senso, para não provocar mais a ira do público, que também se comportou muito mal no episódio. Ao não entregar o prêmio ao Ramos, aí sim eu acho que o tênis foi manchado. Uma salva de palmas pro patrício aqui de casa.

    Quanto ao Mouratoglou, que fiasco, hein. Mesmo que outros tantos treinadores façam o mesmo. Deveria levar um belo puxão de orelha. E uma multa também.

    Responder
    1. Sergio Luiz

      Permita-me compartilhar de seu comentário, meu grande camarada Brack, e lhe parabenizar. Sem pretender fazer critica ou lançar indiretas a quem quer que seja, peço licença apenas para manifestar, nesta mesma linha do Brack, minha observação de comportamento contraditório da torcida e de alguns comentários. Tanto se exalta o tênis como um esporte limpo, de Damas e Cavalheiros, de atitudes altivas, e, no entanto, diante do ocorrido, abandonaram o bom senso em prol do pragmatismo e das preferências pessoais.
      Não consigo ver, tanto no comportamento da torcida, como em alguns comentários, a tão propalada nobreza do tênis.
      Não posso dizer que esse pragmatismo e discussões baseadas apenas em gosto e preferências pessoais me incomodam, mas incomoda quando estes invocam a nobreza do tênis para tentar justificar suas preferências pessoais. Aí não dá, ou Eu exalto as regras, ou exalto minhas preferências. Querer transformar minha preferência em regra é que fica bem esquisito.

      Por isso, aliás, sempre manifestei minha preferência pelo Djoko, sem me importar (e nem discutir) quem seja o GOAT, quantos Slam ou títulos tem . Gosto de tênis e gosto de Djoko, e isso me basta, e não espero que ele seja canonizado. rsrs.

      Grande abraço ao amigo Brack, e a todos os demais.

      Responder
      1. Fernando Brack

        Graaande Sergio Luiz, meu nobre camarada. Bom ver vc por aqui e que está firme e forte. Não desapareça.

        Djoko acaba de ganhar o 2° set. Acho que encaminhou o 14° Slam.

        Grande abraço

        Responder
  39. Neto Gomes

    Primeiro set Osaka massacrou Serena, 6 a 2.

    A americana estava perdida e sua frustração aumentou a ser advertida por receber instruções do técnico.

    Logo depois conseguiu quebrar o saque da japonesa.

    Talvez, caso continuasse vencendo, ela poderia esquecer o juiz e se concentrar no jogo. Porém a japonesa “estava em outra dimensão”, muito concentrada, e logo em seguida devolveu a quebra. Para o desespero de Serena.

    Todo esse chilique de Serena poderia mudar o resultado, mas Osaka estava inabalável e o juiz cumpriu as regras.

    Isso é jogo sujo. Serena estava ciente de tudo. Se Osaka sentisse a pressão seria atropelada.
    Se tivesse ganhado o segundo e terceiro sets, Serena só iria lembrar do juiz na entrevista.

    Reclamar uma vez pode ser até compreensível. Agora, 3 vezes ?!

    Quanto constrangimento!

    Cenas dos próximos capítulos:
    Serena rompe com o técnico?
    WTA pune, de alguma forma, Serena?
    Só mulheres apita jogos de Serena?

    Responder
  40. Renato

    Mesmo assim, Serena é a GOAT no feminino e Federer o GOAT no masculino. Muito difícil questionar. Mas se for escolher entre os dois, fico com Roger.

    Responder
  41. Ernesto

    Serena NÃO eh a maior da história. Margareth Court possui 24 Slams. Se for assim , considerar alguém com menores números como maior , sempre haverá espaço para subjetividade.

    Responder
  42. Rodrigo S. Cruz

    [/quote]e sobre o nadal, ninguém que está lesionado pode considerar que levou um baile, que baile foi esse?jogando capegando na quadra?

    Você deve ter assistido a um outro primeiro set, Sr. Fake. Pois no que vimos, o Nadal correu e se defendeu feito um louco, devolveu duas quebras pro Delpo e forçou um tie-break. Nunca vi ninguém “capengar” e ainda conseguir isso. Haja cinismo…

    [/quote] e sobre erros de digitação que eu corrigi, larga de ser hipócrita que foi você quem fez isso primeiro pra desviar o foco da discussão [/quote]

    Haja cinismo de novo! O que eu corrigi foi um erro de Português, e não um erro de digitação, que diga-se de passagem você também havia cometido.

    [/quote] acéfalo.

    Muito obrigado, oligofrênico…

    Responder
  43. Rodrigo S. Cruz

    Atitude ASQUEROSA de Serena Williams.

    Eu sempre torci contra ela, por já achá-la arrogante ao extremo, e não saber como comemorar um ponto.

    Nessas ocasiões ela faz é soltar berros desrespeitosos em direção às adversárias, e eu sempre achei isso ridículo vindo de uma pessoa que conquistou praticamente tudo…

    NUNCA soube o que é perder com classe.

    Ela só sabe ser ” gentil”, quando ganha…

    Isso posto, acho que a Serena é a melhor tenista de todos os tempos da WTA.

    Responder
  44. Fernando Pauli

    Na real, a Serena saiu no lucro. Pois a atitude corretíssima do Carlos Ramos, durante a confusão, provocada deliberadamente por Serena, poderia ter lhe custado a desclassificação com a perda do set, pois após a perda do game ela continuou com ofensas ao árbitro de cadeira. Pena que muitos árbitros não tem culhão de seguir as regras conforme manda o manual. Se todos agissem como o de hoje, garanto que muitos tenistas “machões” iriam pensar duas vezes, antes de fazerem besteira. Atitude realmente lamentável da Serena, pois passados 9 anos da outra confusão, não aprendeu nada. Agora falando de coisas boas, essa Osaka heim? Me deixou de queixo caído, pois apenas com 20 anos teve uma postura formidável diante da situação. Garanto que muitas tenistas experientes não iriam aguentar a pressão no 5×4, após aquele game fulminante da Serena, que estava com sangue nos olhos, de tanta raiva. Aguentou a pressão e fechou a partida com um ace, parabéns a ela. Torço que seja o início de grandes realizações para essa jovem que encantou o mundo do tênis nessa noite na Arthur Ashe.
    Será que o Carlos Ramos fará a final de amanhã para receber merecidamente e tardiamente a lembrança por ter feito a final feminina? Só que não!!!

    Responder
    1. Fernando Pauli

      Revendo a cenas do final da partida, o término não foi com um ace, mas o saque foi fulminante, Serena apenas colocou a raquete. Agora sob o incidente, Serena estava incrivelmente arrogante e ríspida nas falas contra o árbitro, e de repente quando toma o game de punição, não aceita e chama o diretor do torneio, aí do nada começa a chorar e se fazer de vítima? Como assim? Não aguentou o rojão? Agora na hora de esbravejar e dizer absurdos para o juiz era a tal machona, a rainha da cocada! Me poupe em Serena!

      Responder
      1. lEvI sIlvA

        Ando, talvez ela nunca admita, mas deve ter sido mais doído perder em quadra do que sendo desclassificada. No mais, talvez se fizesse mais ainda de vítima com isso. Enfim, lamentável o circo que se armou por nada. Além do que ela é reincidente no mau comportamento e quase sempre ali mesmo no US Open… Ruim mesmo, foi a Naomi ter de dividir o pódio com ela depois disso. è que a gente costuma chamar de “vergonha alheia”, já que a própria não se deu conta da CAGADA que fez! Abraço!

        Responder
  45. José Eduardo Pessanha

    O mais chato de hoje foi ver a tristeza da grande vencedora do torneio, que nem pôde comemorar sua conquista.
    E mesmo assim, com sua altivez nipônica, fez o gesto de inclinar a cabeça pra reverenciar a Serena.
    Mouratoglou também poderia ter ficado calado ao se referir ao Toni Nadal, embora o que ele disse tenha sentido, pois cansamos de ver os espanhóis fazendo coaching.
    A Naomi, com toda sua serenidade e sua timidez juvenil, ganhou muitos fãs hoje. Sem contar o “dindim” que vai entrar na conta, pois o povo japonês tem uma nova “ídola”. Rs
    E o sofrido povo haitiano, que vive tão perto da riqueza nababesca ianque e, ao mesmo tempo, abandonado à própria sorte, tem um motivo de alegria chamado Naomi Osaka.
    Abs

    Responder
    1. Sergio Luiz

      Bela observação Pessanha, destacando muito bem os aspecto positivos da conquista da Osaka. O exemplo da Osaka merecem mais atenção que o comportamento da Serena. Aliás, falando no que importa, Saudações Rubro-Negra! rsrs.
      P.S. Calma galera, é só zoeira. rsrs

      Responder
  46. periferia

    É assim mesmo…..mitos do esporte vivem em um mundo diferente…..a forma como ela falava com o juiz de cadeira mostra bem isso…..aqui no Brasil falamos muito do Neymar…….na realidade todos são iguais….acham que são a última bolacha do pacote…….realmente é difícil….vc vive em um meio competitivo onde vc mostra algo mais..superior….todos elogiam….bajulam….dizem que vc é de outro planeta….é difícil…..mesmo o Federer que muitos usam como exemplo….nota-se que nesse final de carreira ele não está lidando bem com as derrotas….nos últimos torneios percebe-se um cara pesado…como se estivesse com raiva …..pronto para explodir a qualquer momento……tem frase legal ” se vc admira um grande campeão..fique longe dele”.

    Responder
  47. Marcos Marinho

    Quem acompanha tenis sabe que este é um problema não tão raro quando as coisas saem do controle da Serena no US Open. E cara, uma jogadora com a experiência dela, com tudo que ela já ganhou, vai surtar com um warning de coaching?!? Não faz qlq sentido. Ela não conseguiu aceitar o fato que uma “garotinha” de 20 anos como a Osaka ter colocado ela na roda com contrataques desconcertantes, sempre mexendo Serena pela quadra. Descontou no juiz quando a oportunidade lhe pareceu conveniente.

    Uma lástima a cerimônia de premiação. Que povo mal educado! Osaka estava claramente desconfortável de estar ali com o troféu diante de tanta gente mal educada. A mãe na platéia ouvindo vaias à filha (se foram ou não direcionadas à japonesa pouco importa) no dia em que ela realiza um de seus sonhos… triste. Mas a boa notícia é que essa japonesa pode chegar longe. Vai triunfar em outros slams se seguir no caminho certo e aí talvez não haja uma má perdedora do outro lado da rede.

    É por isso que carrego um ensinamento: A PRÁTICA É O CRITÉRIO DA VERDADE. Não adianta desejar tudo de bom na entrevista se suas ações demonstram o contrário. Tem que aliar o discurso à conduta cotidiana. Senao o discurso é uma mentira. Vida que segue.

    PS: torcendo pelo Delpo amanhã, mas acho que dá Djokovic.

    Responder
  48. Joaquim Fernandes

    Dalcim: andei percorrendo todo (ou quase) o conjunto de comentários, a ver se encontraria uma resposta para a pergunta que tenho.
    A Naomi é a campeã mais jovem do US Open em todos os tempos? Aproveito que já estou com a mão na massa e ponho outra indagação: considerando todos os slams em todos os tempos, quem foi a atleta mais jovem a abiscoitar algum desses Slams?
    Grato desde já.

    Responder
  49. Jônatas L. de Paiva

    O técnico dela ADMITIU que fez o coaching, depois quebrou a raquete e posteriormente chamou-o de ladrão, 3 warnings LEGÍTIMOS. Ela novamente deu o seu PITI tal qual em 2009 contra a Clijsters na SF. Depois ficou PIOR pois a Serena se posou de vítima, pegou a carta coringa “sexismo” e estragou a final e a festa da Naomi. Foi um momento HORROROSO motivado pela atitude MIMADA da Serena. Lamentável.

    Responder
  50. Aurélio Passos

    Árbitro quis aparecer. Se fosse Nadal ou Nole não faria nada.
    Mas ninguém mandou a Serena quebrar raquete pra tomar o segindo warning. Vacilou.
    O fato simples é que, desde o primeiro ponta da partida, Osakinha deixou claro que não recuaria um milímetro.
    Há, e de acordo com tênis femininino, ganhou com zero voleio.

    Responder
    1. Marcelo

      Procure no youtube videos em que Carlos Ramos dá warnings a Nadal e Djokovic. Os dois, como é comum entre essas estrelas intocáveis, tb esperneiam e tratam o árbitro de forma desrespeitosa! As regras estão aí pra ser cumpridas e dar direção e um mínimo de limite ao jogo. O que é preciso é q esses jogadores “baixem um pouco a bola”. O tênis é maior do que todos eles, por melhores que sejam!

      Responder
    2. Naira

      Aurelio, bom dia. Neste US Open o Djokovic teve warning de tempo de saque e depois teve penalidade de tempo, perdeu um ponto. Em ambos os casos tentou argumentar com o árbitro mas não teve jeito, baixou a cabeça, engoliu seco, foi pro jogo. Não deu piti. Em Cincinnati, no jogo com Djokovic, o Federer levou warning por palavras desrespeitosas, ele estava nervoso, falou umas besteiras no fundo da quadro, o juiz deu warning. Ele não reclamou, seguiu o jogo, levou uma lavada mas não se descompensou. Lembro do Nadal dando piti com o Bernardes e na ocasião achei que ficou barato. Lembro do Nadal dando piti com warning de tempo (com vários árbitros, não somene o Bernardes) porém não lembro do Nadal ter perdido ponto em nenhuma ocosião. Não lembro do Nadal ter levado warning ou penalidade por coatching, quando todo mundo via o tio Toni “falando” abertamente com o Nadal. Realmente existem dois pesos e duas medidas tanto entre homens e mulheres quanto entre os próprios homens.

      Responder
  51. Aurélio Passos

    “Maior da história”??? “Não pode ser contestada por seus números incríveis”????
    Só se o único número que importar for o n. de slams….
    Navratilova foi MUIIIIITO maior. Há, em simples E duplas.

    Responder
  52. Carolina

    Atitude exemplar da Osaka. Tanto dentro quanto fora de quadra. Ela cresceu bastante durante a temporada e principalmente durante esses duas semanas de US Open. Além do jogo de hoje, vale destacar as vitórias contra Sabalenka e Keys. A Sabalenka estava embalada e vinha de vitórias importantes e a Keys tinha um retrospecto favorável contra a Osaka (apenas três partidas, mas mesmo assim favorável para a Keys). O jogo contra a Sabalenka parece ter sido um divisor de águas. E a Osaka soube reconhecer isso nas entrevistas após os jogos de quartas de final e semifinal.
    Que esse seja o primeiro de outros títulos de Grand Slam. E que ela mantenha essa competitividade para lutar por medalha nos jogos de Tóquio.

    Atitude lamentável da Serena. Ela não precisava disso nesse estágio da carreira. E não foi a primeira vez.

    Responder
  53. Marcelo-Jacacity

    Dalcim,
    Como está a repercussão da imprensa esportiva mundial e em específico da imprensa americana? Estão minimizando o que a Serena fez?
    E afinal, o Carlos Ramos não recebeu o prêmio pela arbitragem do jogo?

    Responder
        1. Fernando Brack

          Pois eu acho que os organizadores rebaixaram o tênis, isso sim, submetendo-o aos caprichos de uma torcida muito mal educada e da própria Serena, que certamente entortaria a cara se o visse receber um prêmio.

          Carlos Ramos fez alguma coisa errada? Ao contrário, ele fez precisamente o que um bom árbitro deve fazer. Aliás, é pago pra fazer. Ele merecia um prêmio ainda maior do que o normalmente oferecido aos árbitros das finais.

          Responder
          1. lEvI sIlvA

            Bem por aí, caro Brack! O certo seria, isso sim, levar o árbitro na premiação e deixar Serena de fora. Mas como foi lá nos EUA, né? Ainda ficou mais chato, já que Serena foi fazer discurso de vitimizada durante a premiação da Naomi. enfim, até na hora que devia ficar calada queria parecer…! Um verdadeiro show de horrores, mesmo. Abraço

  54. Renato

    Fiz um comentário mas deixei de ressaltar um aspecto importante. Há poucos dias Federer fez a pior exibição que eu já vi dele. Irreconhecível. Absolutamente NADA dava certo pra ele e foi derrotado pelo 55º do mundo. Achei que ele ia revelar alguma lesão, de tão mal que jogou. Apenas afirmou que não se sentiu bem com a umidade e o calor, não deixando de ressaltar que o Millman jogou muito bem sob as mesmas condições.
    A diferença da postura dele na derrota frente à dela diz muito sobre ambos.

    Responder
  55. Marcelo-Jacacity

    A Williams alegar que está lutando pelos direitos das mulheres e pela igualdade!??
    O que isso tem a ver com a sua atitude deplorável perante a uma platéia composta, aparentemente, por inúmeras marionetes.
    Pior é não reconhecer que estava errada. Criança mimada.

    Responder
  56. Eduardo

    “Serena Williams é uma tenista espetacular, campeã legítima, dona de golpes espetaculares, grande força física. Tida por muita gente como a maior da história, o que não pode ser contestado diante de seus números incríveis, recordes estonteantes e uma trajetória de carreira cheia de duros desafios e superações.”

    Evidente que pode ser contestado. Por Que uma jogadora com 72 títulos (23 GS) é indiscutivelmente maior do que uma com 107 títulos (22 GS)? Steffi Graff é a maior tenista de todos os tempos e jamais se comportou de modo lastimável em uma quadra de tênis, como ocorre com frequência na carreira da Serena. A desclassificação para a Clijters foi parecida com o que vimos hoje.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Até a própria Steffi já a elegeu . Talvez por a ter enfrentado. O mesmo afirmaram Martina e Evert. A única que destoa é Margareth Court… Abs !

      Responder
    2. J. Nunes

      Muito oportuno o de comentário. Stef Graff sempre será a maior de todas, em todos os aspectos. Se não tivesse problemas físicos e jogado até os 36 ou 37 anos, teria mais de 30 slams!!!

      Responder
    3. Willian Rodrigues

      Assino em baixo amigo! Steffi sempre teve uma postura exemplar e, pra mim, ainda é a maior da história. Ganhou 107 títulos usando apenas slice na esquerda hein! Imagine se tivesse evoluído nesse fundamento e passado a bater o backhand com as duas mãos?!!

      Responder
  57. Sérgio Ribeiro

    O Post retrata fielmente o que aconteceu , pegando firme no destempero de Serena. A Norte – Americana em suas TRINTA Finais, perdeu a sétima hoje. O Blogueiro por favor me corrija se aconteceu algo semelhante nas outras. Temos uma turma de marmanjos aprontando seguidamente coisas também de baixo nível e pouco ou nada acontece. Fognini foi perdoado para jogar esta edição. Ela chegou a imitar Nadal hoje dizendo ao árbitro que este não arbitraria mais seus jogos. Ou seja, desde o primeiro N 1 do Mundo ( o Terrível Ilie Nastase) que sabemos que não existe santinhos. Fico triste por Naomi ,mas feliz pelo mundo ver um árbitro punir exemplarmente a dona da Casa e numa edição histórica. Cinquenta anos e inaugurando Cronômetro para que se cumpram o básico. Agora é aplicar uma pena alta na Rainha e vida que segue. Abs!

    Responder
  58. Marcelo Reis

    Ah, GOAT! Até tu, Brutus?

    Brincadeiras à parte, que lástima o ocorrido hoje. Mas vou aqui levantar algumas considerações:

    1-Serena sempre foi esquentada. Vejam os episódios de 2009 (foot fault + verbal abuse) e 2011 (verbal abuse).
    2-Eu acredito tranquilamente que ela está certa quando diz que homens falam coisas “igualmente horríveis (ou piores)”, mas passam em branco sem punição. Na minha opinião, a tolerância é maior com eles, algo que vejo como “cultural”, infelizmente. OK até aí. Porém, não estou dizendo que ela não mereceu ser punida. Já tinha sido advertida duas vezes e continuou abusando da sorte e, de acordo com as regras, fica à discrição do juiz decidir se sofreu um “abuso verbal”. Na minha opinião, sofreu.
    3-O treinador dela admitiu(!!!) claramente que fez uso de “coaching” (instrução) e acha que ela não viu. E para se justificar, disse que todos os treinadores fazem. Ele não poderia ter sido mais infeliz no comentário.
    4-Tendo Serena visto ou não, a forma como o juiz lidou com a situação não foi inteligente, a meu ver. Parte da “arbitragem” está em ser discreto. Ela já tinha sido advertida duas vezes. Se ele tivesse deixado claro que não se tratava dela ser “desonesta”, tirando o foco de um possível uso de má fé por parte dela (e pelo qual ela acabou chamando-o de ladrão), mas do fato de o treinador tê-la instruído (e ele viu!), ou seja, ele que cometeu a “trapaça” (e ele tinha que intervir devido às regras!!!), talvez as coisas não chegassem ao nível que chegaram. Ele definitivamente poderia ter evitado isso, levando em conta que estava na casa dela (e gerou o alvoroço que gerou), que era uma final de Slam etc. Não é que o juiz agiu errado, não é isso, mas poderia ter agido de forma melhor ainda contornando esse stress. Ele poderia ter dito: “Serena, eu vi seu treinador instruindo você. Tendo você visto ou não, eu tenho que aplicar as regras!”. E depois ela que se vire com seu treinador … só isso já mudaria o foco e ela não acharia que ela que foi trapaceira, como ela insistia em repetir “I’m not a cheater!”. O cheater era o treinador, rsrs.
    5-Naomi detonou a Serena no 1º set e, pelo andar da carruagem, iria fazê-lo no 2º. Uma pena que a premiação ficou ofuscada pela lambança toda, mas já mostrou a que veio! 2 a 0 no H2H contra a americana, rsrs.

    Entendo que alguns dizeres acima são controversos para alguns, mas são só as formas com que vejo a situação. Paz! 🙂

    Responder
    1. Jônatas L. de Paiva

      Discordo da parte 4. A Serena é bem grandinha para se conter. O juiz não é babá de mulher de 36 anos. Ele explicou o warning do coaching e pronto. Não precisa de mais explicações e a Serena deveria ter esquecido e continuado a jogar mas não o fez. A partir daí é vitimismo puro dela.

      Responder
    2. Naira

      Marcelo, bom dia. Com relação ao seu comentário discordo somente do item #4 referente a postura do árbitro. Ele não tem que explicar que era o treinador dela que estava passando instrução. O termo “coaching” (instrução) é referente a qualquer instrução do treinador para o atleta. A comunicação do atleta para com o treinador ou o seu box não é coatching, ou seja, o atleta pode falar o que quiser (desde que não seja coisas ofensivas) e o quanto quiser com os seus. Logo é óbvio que se ela recebe advertência por coatching somente pode ser do técnico para com ela. Entre várias coisas que ela fala, ela diz que não é trapaceira, que não fala nem combina sinais com o seu treinador, e que ele somente fez sinal de positivo e falou palavras de incentivo. As câmeras na quadra flagraram o treinador dela fazendo sinais com as duas mãos mandando ela avançar, entrar na quadra, ser mais agressiva. Se voce reparar nas imagens, ele faz os sinais varias vezes. Se voce observar os olhos dele, ele esta olhando fixamente e quando percebe que o recado foi recebido e entendido ele balança a cabeça para cima e para baixo duas vezes e fechando os olhos confirmando a mensagem. Está claro que ela viu os sinais porém disse que eram sinais de positivo. Este coatching ocorreu no primeiro set que a japa atropelou. Como o sinal do treinador seria de positivo? Fato é que no segundo set a Serena mudou e passou a ser mais agressiva entrando na quadra. Resumo da ópera:
      1- O treinador fez coatching e confirmou que fez e lamentavelmente se justificou afirmando que todos os técnicos o fazem, inclusive o tio Toni do Nadal o fez com o mesmo arbitro português que na ocasião não o puniu (palavras do treinador da Serena, não sei se é verdade).
      2- A Serena viu os sinais e disse que eram sinais de positivo mas ficou provado que eram sinais de instrução. Fato é que ela mudou a postura dela no segundo set.
      3- O árbitro não tem que explicar regras para os jogadores. Porém ficou evidente que o árbitro tentou explicar e conversar com ela, mas ela não queria entender exigiu que ele retirasse o warning de coatching alegando que era sinal de positivo e que neste caso quebrar a raquete seria somente warning e não penalidade de ponto e portanto ele “roubou” um ponto dela. Antes do arbitro dar a penalidade de game, ele tentava explicar o porquê de ter tirado o ponto, ela estava sentada na cadeira exigindo que ele lhe pedisse desculpas e por fim mandou ele não mais falar com ela e disse que ele tinha roubado um ponto dela. Neste instante ele se calou. Quando recomeçou o set ele aplicou a penalidade de game.
      4- Nunca vi arbitro retirar warning. No caso da menina que retirou a blusa em quadra porque tinha vestido ao contrário, quem retirou o warning foi a direção do US Open no dia seguinte.

      Minha opinião:

      O treinador fez coatching (ele confirmou). A Serena viu a sinalização (ela confirmou). Ela disse ser sinal de positivo (falso). Ela mudou a postura dela no segundo set. Minha conclusão: A Serena faltou com a verdade. Ela deveria vir a público e se retratar. Fato é que ela não sabe perder. O verdadeiro campeão o é tanta na vitória quanto na derrota. O Dalcim foi extremamente feliz quando intitulou a sua resenha “O dia em que Serena manchou o tênis”, pois foi exatamente isso o que ela fez. E nós, amantes deste esporte maravilhoso, não podemos concordar com isso. A pergunta que eu deixo aqui é o que a direção do US Open vai fazer com a Serena? Vai aplicar multa ou vai retirar as penalidades? Espero, sinceramente, para o bem do Tênis, que o US Open aplique penalidades/multas a Serena para não incentivar este tipo de atitude, caso contrário o Dalcim vai ter que escrever uma resenha intitulada “O dia em que o US Open manchou o tênis”.

      Responder
      1. Marcelo Reis

        Olá, Naira. Respeito seu ponto de vista, obrigado.

        Depois leia a minha última postagem mais acima, sobre as regras do coaching.

        Atente-se, mais especificamente, quando você diz “A comunicação do atleta para com o treinador ou o seu box não é coaching, ou seja, o atleta pode falar o que quiser (desde que não seja coisas ofensivas) e o quanto quiser com os seus.”

        Tenha em mente o quão subjetiva é a regra e o quanto ela não é cumprida.

        Responder
  59. João ando

    Vou falar um pouco do tênis afroamericano mas quero que o dalcim me corrija se postar o que estou escrevendo.acho que a primeira tenista afroamericana foi althea Gibson que sofreu muito nos EUA.no masculino acho que foi Arthur ashe….que da nome ao estádio. Eles sofreram muito com o racismo nos EUA e acho que Europa se jogaram ..ashe seu que jogou .althea eu não sei…de 20 anos para cá apareceram às irmãs Williams que sofreram preconceito sim…lembro que ficaram sem jogar acho que indian wells uns 5 anos…mas como jogadores tops hoje em dia elas não sofrem preconceito…teve um caso agora do Dustin Brown ..ano passado ou retrasado do tenista brasileiro guilwrme clezar que fez um papelão no Japão. ..não sei se foi punido.aqui no Brasil nos anos 80 que foi a época que joguei alguns torneios juvenis nunca senti preconceito racial. ..embora aqui no Rio de janeiro tinha poucos descendentes de japoneses…acho o meio do tênis os garotos e garotos não tem hoje em dia nenhuma intolerância …outro meio que frequentei que e o meio médico tb não tem intolerância aqui no Brasil.mas sabemos muito bemque tanto os EUA como o Brasil São países racistas.e isso

    Responder
      1. Sergio Luiz

        Desculpe me meter, mas ou o Jônatas é mais uma vítima da “midiotização” da política (confundindo o que seja Progressista), ou ele é favor da volta da escravidão. Digo isso apenas porque, penso Eu, racismo nada tem a ver com ideologia política partidária, exceto para aqueles que defendem a volta da escravidão. Mas é estranho defender racismo num País cuja população é Mestiça, como o Brasil.

        Responder
        1. Jônatas L. de Paiva

          Você é vitima do analfabetismo funcional claro e de uma frase apenas, conseguiu!! Não falei dos racismos já documentados e sim do contexto de falar de racismo sobre o assunto do post que foi a birra da Serena. Foi uma birra, um mal comportamento e o CACOETE progressista é politizar um assunto fazendo argumentações totalmente fora da parte central do tema. De mal comportamento foi para o racismo. Qual a intenção do texto acima de procurar pêlo em ovo? Vitimizar o agente da ação, ou seja, o OPOSTO de uma pretensa vítima. Quer criar um espantalho para bater? À vontade. Só não venha criticar o que não discuti, não escrevi, não argumentei. Passar bem.

          Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Ando,
      Devemos lembrar também da grande Zina Garrison, que fez a final de Wimbledon em 1990 e teve outros resultados expressivos. Falando nela, nunca mais a vi. Bem que ela poderia aparecer numa dessas cerimônias de premiação.
      Abs

      Responder
      1. João ando

        Sim. Jose .zina garrison e lori mcneil.no masculino James Blake que acho que foi nuwmro três dô mundo .e um outro que jogou a final de Wimbledon e que aconteceu um fato engraçado que uma loira muito bonita desfilou nua no meio da quadra …os seguranças tiraram ela com um lençol. ..dalcim …qual o nome desse tenista?

        Responder
    2. adenilde petrina

      Valeu pelo comentário, João ando…muito obrigada e prá ser sincera o Brasil é sim um pais racista e mais cruel talvez que nos Estados Unidos: aquí é um racismo velado, às avezes até os próprios negros não conseguem perceber, já nos EUA, é racismo explicito..aqui há racismo e a imprensa é racista….só quem é negra(o) sabe…. não julgo a Serena e nem o Kyrgios porque eles sabem o que passam e como é difícil segurar a barra….muitos não têm sangue de barata…parabens a Serena pela sua carreira de muito talento e superação e parabéns a Naomi Osaka….negra, talentosa…que ela tenha força e coragem…

      Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Kyrgios tem pai grego e mãe nascida na Malásia. Ou seja, nada a ver com a raça negra. E isso não é racismo, mas uma constatação. Rsrs

          Responder
  60. Renato

    Por ser quem ela é, talvez (e muito possivelmente) a maior atleta da história do tênis, e por ser negra, espera-se que ela se posicione com essas questões que os progressistas de lá creem serem urgentes (como gostam de dizer). Legal que ela faça isso. Mas ao mesmo tempo, se te chamam de coitado por muito tempo uma hora você vai acabar acreditando. Junta tudo isso num balde só, num dia em que as coisas não estão dando certo, e ela aprontou essa pataquada.
    Sinceramente, é vergonhoso, à essa altura da carreira, uma atleta do calibre dela ofender um árbitro e recorrer a esses recursos fáceis de machismo para justificar a própria agressão.
    Machismo poderia ser, caso fosse um homem sendo favorecido. Vamos lembrar que do outro lado estava uma mulher, jovem, negra (ainda que mestiça). Soa altamente hipócrita os elogios à adversária e ao próprio árbitro após o incidente.

    Responder
  61. Maurício Luís *

    Apesar da confusão que a Serena aprontou, continuarei torcendo por ela. Ela se descontrolou… atire a primeira pedra quem nunca perdeu as estribeiras. E pelo que vi nos comentários, pedras não faltaram.
    OUTRA COISA: Serena não precisa de mais Slam nenhum. A Margaret Court tem 24 porque na época o Australian Open era bem esvaziado, por causa da distância. Serena já é a maior de todas… pena que não seja a mais educada, a mais calma, a mais controlada. Mas muito do seu tênis agressivo e vistoso, sua vontade de vencer, deve-se justamente a esse gênio forte, esse temperamento explosivo.
    Quanto à Naomi Osaka, estava uma mistura de timidez e constrangimento na premiação. Vitória merecidíssima, ainda mais sendo uma jovem de 20 anos que conseguiu controlar os nervos diante de uma torcida barulhenta e uma adversária pra lá de nervosa. Isto nela foi o que mais me impressionou: a frieza, o controle emocional. Grande campeã!

    Responder
    1. JANAINA DIAS

      SERENA sempre é ARROGANTE, Mal educada e má perdedora, e isso não é gênio forte nem temperamento vencedor, é simplesmente FALTA DE RESPEITO, DE ÉTICA e DE EDUCAÇÃO..
      Sim, todos perdem a cabeça às vezes, só que ela perde SEMPRE quando as coisas não saem como ela quer (comportamento mais conhecido como BIRRA ou IMATURIDADE).
      Pode ganhar 550 Slams, mas jamais será a maior ou a melhor..só uma jogadora sem classe..

      Responder
      1. Maurício Luís *

        Janaina, você está generalizando. Recentemente ela perdeu de 6/1 e 6/0 para a Johanna Konta e não deu baixaria. Perdeu também para a Angelique Kerber a final de Wimbledon e também não deu baixaria. Ela foi mal-educada e descontrolada nesta final, foi também na semi anos atrás contra a belga Kim, é verdade. Mas dizer que ela é sempre descontrolada, acho exagero. Como todo ser humano, ela tem defeitos e qualidades também.

        Responder
        1. JANAINA DIAS

          Maurício, ela não é sempre descontrolada, mas sempre foi uma personalidade antipática e arrogante, com juízes, jogadores e jornalistas…e até com torcedores nas mídias sociais. Respondendo com injúrias ou gritando na cara das adversárias ( o que é horrível no masculino também).

          Não estou dizendo que eu sou santa, ou que ela e os outros também devam sê-lo, mas ela tem AQUELA ARROGÂNCIA TÍPICA DOS AMERICANOS, os quais pensam estar sempre certos e os outros errados; não admitindo que ninguém possa ser melhor do que eles…e isso é um péssimo exemplo em qualquer estância, não só a do esporte.

          Responder
          1. Maurício Luís *

            Concordo com você que todos os atletas de alto nível, com jogos televisionados, devem se preocupar com a questão do exemplo. Ainda mais ela, que agora é mãe. Mas apesar dos pesares, continuo torcendo por ela, porque eu vejo as coisas como um todo. No meu entender, ela mais ajudou do que atrapalhou o esporte. Conta-se que certa vez uma professora mostrou a um aluno, com fama de mal-humorado, uma folha de sulfite com a palavra “azar” escrita na parte de baixo. E ela pergunta a ele: – ” Meu caro, o que você está vendo aqui?” ” – Tô vendo a palavra AZAR! ” ” – Mas e a folha branca, você não está vendo?”

    2. Jônatas L. de Paiva

      Destemperos acontecem mas NESSE NÍVEL?
      O que você acha de: “I swear to God I’ll fucking take the ball and shove it down your fucking throat.” o que seria +- “juro por Deus que vou pegar a p* da bola e descer goela abaixo na p* da sua garganta.” USOpen 2009 SF.
      Os destemperos dela vão para níveis estratosféricos! Hoje foi um espetáculo horroroso. Levou a um comportamento nocivo do público, da Presidente da USTA, do Roddick (que é meio mimado também), estragou a cerimônia e constrangeu a Naomi no ponto dela se sentir envergonhada por ter ganho um GS. E pegou a carta coringa “sexismo” para se justificar e acusar o árbitro de uma atitude na qual ele não fez! Foi um COMBO DE MERD* ATRÁS DO OUTRO! FOI RIDÍCULO!! No dia qual alguém constranger tanta gente assim a gente evita de jogar pedra tá ok?

      Responder
        1. Jônatas L. de Paiva

          Aí é uma questão do seu ponto de vista. Ninguém é perfeito e as pessoas devem se arrepender do erro e quem sofreu perdoar, isso é uma coisa. Outra coisa é passar pano por causa do “contexto”. Mesmo com esse episódio lamentável NADA tira o mérito de todas as conquistas que a Serena teve até hoje. Ela É uma lenda do esporte. Fato. Nem por isso, ela ou o Nadal, Federer, Djokovic, BJ King, M. Navratilova, Hings, Justine Henin, Sampras, Borg, etc estão livres de fazer/dizer bobagens e serem criticados por isso. Perdoar sim, contextualizar, “passar pano” jamais seja quem for.

          Responder
    3. Marcos Castillo

      Maurício, antes de comentar, criei o hábito de ler os comentários dos colegas pra não correr o risco de ficar escrevendo a mesma coisa.
      Se me permite, faço minhas as suas palavras do começo ao fim do seu texto.
      Grande reflexão ao olhar pra si mesmo antes de atirar a pedra.
      Abs!

      Responder
  62. Carlos

    É fácil ser educada e simpática ganhando. Essa serena nunca me enganou.
    Grosseira, arrogante, ridícula . Lamentável.
    Vamos Naomi.
    Parabéns ao arbitro.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Exatamente…

      Mandar beijinhos e fazer pose pras câmaras depois que ganhou uma partida, eu penso que até o “Psico-Fake” conseguiria. (rs)

      Quero ver é perder, e ter atitude nobre.

      Responder
  63. Guilherme

    Impecável seu texto, Dalcim.

    Expôs com muita coragem e destemor um sentimento que tenho certeza que foi compartilhado por milhares de fãs mundo afora. Concordo com cada linha de seu texto.

    Em mais de 30 anos assistindo jogos desse esporte, eu nunca tinha um comportamento tão rasteiro de um(a) atleta. Parabéns ao árbitro por manter a serenidade e simplesmente fazer cumprir as regras do esporte. E, é claro, parabéns à Osaka por mostrar um tênis de nível espetacular, com muitas qualidades técnicas e, principalmente, força mental para lidar com situações de pressão extrema. Foi incrível ver sua concentração, foco total e equilíbrio emocional estonteante numa final de tamanho peso. Me lembrou muito o Guga quando de seu primeiro Grand Slam, que, salvo engano, também foi conquistado aos 20 anos.

    É por isso que eu gosto tanto de seus textos e dou tanto valor às suas opiniões: porque você consegue captar com uma precisão fora do comum todas as principais nuances que marcam as partidas. Meus parabéns!

    Responder
  64. Andrei Felipe Camargo

    Verdade Dalcim não sei porque as pessoas trazem aspectos raciais pra algo esportivo,agora não dá criticar a Serena pelo que ela fez no jogo que já é racismo?estava demorando pra aparecer alguem assim aqui no blog.

    Responder
  65. Willian Rodrigues

    Peço desculpas àqueles que admiram Serena, mas foi catastrófico o que ela disse após o jogo:
    “Eu disse que ele era um ‘ladrão’ por ele ter tirado um game de mim, mas eu vi outros homens dizendo coisas horríveis a outros árbitros. Estou aqui para lutar pelos direitos das mulheres, e pela igualdade de gênero. Daí eu o chamo de ‘ladrão’ e ele tira de mim um game? Isso é sexismo! Nunca se tirou um game de um cara porque ele chamou alguém de ‘ladrão’. Isso me enlouqueceu!”
    POR FAVOR… Tentando justificar um erro com base em outros!! Muita pequenez! Ela apontou sexismo na decisão do árbitro!?! Tão idiota quanto apontar questões raciais na decisão do juiz. Puxa vida, que decepção… Demonstrou arrogância, prepotência, falta de espírito desportivo, e DESPREPARO!! Não é capaz de respeitar regras que tornam o tênis um dos esportes mais nobres que temos! E causou o maior desconforto que uma garota de 20 anos (PQP!!) jamis sentirá novamente em sua vida de atleta!! Torço contra até o dia de sua aposentadoria! Por fim, UMA VAIA AO PÚBLICO ESTADOUNIDENSE, que teve uma postura indigna, desrespeitosa e mal educada naquele templo do tênis!!!!%&%%$#@

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      William,
      Comentário preciso e perfeito.
      Catastrófico, não bastasse a lambança feita, teve a desfaçatez de conceder uma das piores entrevistas de um esportista já vista.

      Responder
    2. J. Nunes

      Por isso que ela nunca será a maior de todas (apesar de muita gente achar), pra mim é top 5 , atrás da número 1 e mágica Stef Graff, Margaret Court, Chris Evert e Martina Navratilova!!!

      Responder
  66. Alexandra

    A Serena é uma fantástica tenista, não é minha preferida, continuo achando a Martina Navratilova, que tive o prazer de ver jogando ao vivo, e Steffi Graf que se aposentou cedo muito melhores. E não é a primeira vez da sua revolta, ou cara de desprezo, vide a final de Wimbledon, no ano que venceu 2016 toda sorrisos e uma sorridente Angelique Kerber, que soube perder com dignidade, agora em 2018 o inverso e aquele sorriso amarelo, sem disfarçar que estava odiando tudo aquilo. Péssima perdedora!

    Responder
  67. Valmir

    Não é a primeira vez que Serena apronta no Us Open.
    Em 2009… contra Kim Clysters na semifinal, ela aprontou no mesmo estilo de hoje.

    O jogo estava em 1×0 set e 6×5 para Clysters no segundo set.
    Serena sacava com 15-30 e cometeu um… foot fault… bem claro… e perdeu o ponto; teve, então, um chilique e não aceitou a marcação.
    Passou então a ofender a juíza de linha que fez a marcação. Essa juíza reportou ao juiz de cadeira que chamou os oficiais do jogo,
    curiosamente, os mesmos do jogo de hoje, que aplicaram a punição de 1 ponto além do foot fault.
    Serena perdeu o jogo nesse evento.

    https://www.youtube.com/watch?v=gNwc7o_0Sgg

    Para quem é supersticioso…
    Nos dois anos de barraco de Serena no US Open… Delpo… disputou a final… a de 2009 ele ganhou… já a de 2018 ?? … será que é destino ??
    A diferença é que Serena perdeu na semi em 2009 e na final hoje.

    Responder
  68. Gilvan

    Serena sendo Serena. Quando a coisa vai mal apela para todo tipo de jogo sujo para vencer, sem contar o jogo sujo praticado fora de quadra para manter seu ‘físico privilegiado’.
    Ela sempre tenta intimidar e desrespeitar oponentes e árbitros que representem um obstáculo para a sua vitória.
    Jogando na sua terra então, essa intimidação dobra de tamanho, tendo o respaldo da torcida às suas costas.
    Um coisa nojenta. Nunca gostei da jogadora Serena e muito menos da pessoa Serena, mas esperava que com o passar da idade e a gravidez ela fosse ser menos geniosa.
    Ledo engano. Hoje tive de explicar para a minha mulher, que estava vendo o jogo comigo, que esse tipo de coisa raramente acontece no tênis e que o chilique da Serena era algo totalmente fora do tom do esporte.

    Responder
  69. Willian Rodrigues

    Ainda que Serena não tivesse “captado” a mensagem, o árbitro estava coberto de razão ao aplicar o warning! Como ele teria certeza de que Serena teria ou não se beneficiado da instrução p/ centralizar mais o jogo?! Na Verdade, o juiz foi muito pertinente e corajoso!
    Fez o certo. Agiu com ética p/ proteger a adversária que poderia ser prejudicada! Foi uma atitude extremamente ARROGANTE da Serena aquela história de passar um sermão no árbitro dizendo: “não preciso trapacear”. E ficou constrangedor porque a imagem na TV mostrou p/ o mundo o que houve. Incrível um cara c/ a experiência do Moratoglou fazer aquilo. ELE sim, prejudicou a americana!
    No mais, quero expressar minha alegria pelo surgimento de uma nova estrela do esporte! Lindo ver uma atleta “desabrochando” dessa maneira. Creio que se manterá no Top Ten por muitos anos!
    Parabéns ao povo japonês e haitiano!
    Aliás, que belíssima espécime (em todos os sentidos) surgiu com essa miscigenação!

    Responder
  70. Luiz Totti

    Dalcim,
    Olhando as mídias socias norte americanas e mesmo as brasileiras fiquei boquiaberto: o pessoal está politizando e levando a coisa para o lado do racismo e anti feminismo! Impressionante, ainda mais porque assistindo o VT do jogo a narradora do Tennis HD chegou a falar: mais uma advertência e ela perde um game (quando ainda estava 3×3). E ao final do jogo um dos comentaristas falou que os jogadores não conhecem as regras, e sempre foi assim (ele mesmo um ex jogador que não reconheci). É assim mesmo? Os caras não sabem as regras? Fiquei cheateado com a atitude dela, ainda mais depois da propaganda LINDA que ela estrela (da patrocinadora, narrada pelo Kaepernick).
    Parabéns pelo blog! SENSACIONAL

    Responder
    1. Jônatas L. de Paiva

      “Olhando as mídias socias norte americanas e mesmo as brasileiras fiquei boquiaberto: o pessoal está politizando e levando a coisa para o lado do racismo e anti feminismo!”

      Bem-vindo ao mundo do marxismo cultural! Onde não se fala das questões objetivas e tudo vira assunto politizado!! Enjoy and survive.

      Responder
  71. Luiz Evandro

    Nunca gostei da Serena, mas acho ela uma jogadora espetacular. Só a coloco atrás da Steffi Graf, pois venceu 22 Grand Slams contra Navratilova, Seles, Capriati, Sabatini, Hingis, entre outras. Acho a geração da Serena infinitamente inferior.
    Dalcim, quem vc acha que foi maior, Graf ou Serena?

    Responder
      1. Valmir

        Cadê o … Golden Calendar Slam… da5 Serena ??
        O da Graff está muito bem guardado.

        Quantos anos a mais de carreira, a Serena precisou para chegar nos 22 Slams da Graff ??
        Ah… e ainda jogando contra adversárias muito mais fracas do que a Graf pegou.
        Teve alguma adversária do nível da … Navratilova ou Seles… no caminho da Serena ? Ah bom… bem entendido!!!

        Responder
          1. José omar

            O usopen é em nova iorque…lugar de povinho esquerdopata e mimimi onde a desequilibrada anabolizada e desonesta Serena (?) enfrentou uma jovem moça feminina graciosa e talentosa. Foi um desastre total essa final comprovando uma doença social que atacou as grandes cidades no mundo ocidental…coisa de ONU e seus planos de “direitos das minas e dos manos” que transformam tudo em pseudo lutas politicas de falsas minorias de pessoas frustradas e infelizes.

  72. Victor Rolemberg França de Abreu Rocha

    Dalcim, você falou que muito marmanjo faz coisa pior e ninguém fala nada. Atualmente, Kyrgios vem colecionando inúmeras cenas patéticas e desrespeito com o público. Ele já chegou a tomar um game penalty?

    E em relação aos tops do masculino – Federer, Nadal, Djokovic, Murray -, entre outros, já protagonizaram algum “espetáculo” como esse de hoje? Fiquei curioso, porque nunca vi nada igual. Já vi no youtube episódios de Nalbadian.

    Para terminar, o Mouratoglou disse que Toni Nadal fazia o ‘coaching’ em todos os jogos do espanhol. Sei que fazia, mas era tanto assim? Ele já foi advertido? E Federer, Murray, Djokovic, já receberam ‘coaching’ visíveis também?

    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não me lembro de algum tão terrível desde a final de Roland Garros em que a Hingis ameaçou sair da quadra diante da Graf. Na verdade, quase todo treinador dá instrução, alguns apenas são mais discretos. Na época que Becker treinava Djokovic, acusaram o sérvio de receber instruções na língua dele por uma pessoa que sentava próxima ao treinador. Os espanhóis em geral são pegos no ‘coaching’.

      Responder
      1. Willian Rodrigues

        Então, o que se deve fazer?!! Aplicar rigidamente as regras para TODOS os tenistas que cometerem quaisquer infrações!! Sem distinção de sexo, etnia, nacionalidade ou PRESTÍGIO no circuito!! Não pode haver uma regra aplicável ao Kyrgios, se houver “vista grossa” para o Djokovic.
        Creio que estejamos vivendo uma crise ética mundial ! Um absurdo, mas em todos os meios, esportivos ou não, algumas pessoas tentam justificar seus próprios erros, contravenções e, pasmem, até crimes, alegando que outros também o fazem!! A maior “feiura” nessa história toda foi a do treinador se justificando com base no que Toni Nadal já fez!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          O problema é que fica difícil para o árbitro de cadeira vigiar os dois treinadores tendo ainda que tomar conta do jogo. Até me espanta que alguns consigam ver isso, realmente são profissionais muito bem treinados (aliás, os juízes de linha também podem denunciar, já houve vários casos). E obviamente a regra tem de valer para todos.

          Responder
      2. João ando

        Dalcim. Esse episódio foi aquele que a hingis atravessou a quadra sem pedir licença e foi na quadra da steff? A hingis e mais deslumbrada que a serena ..que realmente perdeu as estribeiras ontem. ..

        Responder
  73. André T.

    Essa atitude dela é recorrente. Já fez papelão naquele caso com a juiz de linha. Serena é uma péssima perdedora, um péssimo exemplo pro tênis. Pode ter o talento e os títulos que forem mas jamais pode ser colocado no patamar de grande ídolos e EXEMPLOS que temos no tênis. Manchou mais uma vez o tênis sua atitude infantil, arrogante e desrespeitosa perante a adversária. Foi corretamente advertida e punida em todos os lances. Não tem qualquer controle emocional, ao invés de virar a página e seguir no jogo parecia uma criança mimada emburrada que os pais não deram um doce. Uma pena, pois ao invés de falarmos dos méritos e da campanha brilhante da japonesa Osaka que jogou como gente grande no maior palco pela primeira vez e não tremeu, estamos falando desse papelão da Serena. O tênis perde mais uma vez com tudo isso.

    Responder
  74. Luiz Fernando

    Assisti apenas o primeiro set e fiquei agradavelmente com a personalidade e qualidade do jg da Osaka, que não deu bola pro amplo favoritismo da Serena e pra torcida e atropelou a americana em plena A. Ashe. Depois vi imagens do barraco, da baixaria feita pela Serena, atitude digna de uma número 1 milhão do mundo e não de uma grande campeã como ela. Pior, depois o técnico admitiu o coaching, tornando todo aquele discurso envolvendo até a filha uma atitude das mais baixas, feita com o único objetivo de jogar o público contra o árbitro. Lamentável. Claro q a japa não tem nada a ver com isso, pelo q li venceu o segundo set bem e beliscou a taça com amplos méritos. E Dalcim por favor, como explicar que a nextgen feminina no decorrer dos anos tem muito mais facilidade de emplacar, em especial nos GS, do q os homens?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Grand Slam é um torneio bem diferente para os homens do que os torneios de ATP. Só a questão dos cinco sets já diz tudo. Para o feminino, ao contrário, melhora: joga-se os mesmos três sets, porém com um dia de descanso, o que não acontece na WTA tradicional.

      Responder
        1. Jônatas L. de Paiva

          O problema não é a quantidade de sets e sim quanto cada um retorna financeiramente. Imagina que 2 pessoas trabalham fazendo a mesma coisa mas um faz 100 peças e a outra faz 200 peças no mesmo tempo. Aí divide-se em partes iguais e é claro que quem fez o dobro de peças da outra vai achar a divisão injusta. Isso só vai mudar se mudar quem organiza que é a ITF. Se o GS masculino fosse da ATP e o feminino fossa da WTA seria mais correto. Cada qual com seu retorno.

          Responder
  75. Tadeu

    Parabéns, Dalcim.

    Nada como as boas e velhas transparência e sensatez para explanar o tamanho do papelão propiciado pela Serena. E sabemos que não foi a primeira vez, inclusive em solo norte-americano.

    Aliás, honestamente, o que tem de vibrante tem de hostil a torcida por lá. Na final de 2015, entre Federer e Djokovic passaram do ponto, até mesmo se comparados com algumas edições da Davis, e agora essa.

    Parabéns a Osaka. Menina de tudo, controlou os nervos, foi sólida no serviço e extremamente regular para derrubar a favorita e calar a Arthur Achei.

    Amanhã, apesar do equilíbrio, qual sua aposta para Djoko e Delpo?

    Abração!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Djokovic tem de ser considerado favorito. Delpo precisaria evitar as longas trocas de bola e contar com a quadra um pouquinho mais veloz, sem tanta umidade.

      Responder
  76. JANAINA DIAS

    Estúpida, grosseira e patética! Pode ter todos os Slams do mundo, mas nunca vai ter CLASSE e EDUCAÇÃO…
    Sempre má perdedora e péssimo exemplo de comportamento.
    A humildade da OSAKA só jogou mais no spot a arrogância grotesca da SERENA…

    Responder
  77. adenilde petrina

    Serena não manchou o tenis….ela é humana, tem sentimentos…juntamente com sua irmã Venus e seu pai lutou contra o racismo no seus país, com comentários racistas de certa parcela da mídia, tiveram que engulir muita coisa… muitos comentários machistas por causa de seu porte físico….acho que ela merece mais respeito e compreensão….gosto de tenis por causa das irmãs Williams….o mundo do tenis é machista, racista, assim como uma parcela da grande da imprensa onde a branquitude posa, mas não consegue esconder seu lado. Penso que o destempero da Serena hoje foi um prato cheio para os racistas e os machistas de plantão mostrarem sua cara, falarem à vontade… Serena não manchou o tenis e o que aconteceu hoje não vai sujar a carreira dela brilhante que muito nos honra….e se a Serena Williams fosse branca?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Discurso completamente sem sentido, Adenilde, me desculpe. Você está trazendo para o campo racial um problema totalmente esportivo. Não misture as coisas. Sou e sempre me declarei fã de Serena. Isso não quer dizer que eu tenha de concordar com todas as atitudes que ela tome. Abs!

      Responder
      1. Barocos

        Parabéns Dalcim. Temas tão delicados como os referidos não deveriam jamais ser levantados de forma tão oportunista e inconsequente. Aliás, ainda que tenha um imenso respeito por muitas pessoas que buscam corrigir as distorções inaceitáveis que existem na sociedade, não compactuo com a forma extremamente agressiva que alguns indivíduos ligados a movimentos sociais tem se utilizado tanto em casos justos quanto em extrapolações incabíveis. Lógica e imparcialidade nunca deveriam ser postas de lado na avaliação de qualquer situação.

        Novamente, receba minha admiração pela qualidade do blog e por seus posicionamentos.

        Responder
      2. adenilde petrina

        Dalcim não se pode negar que vivemos numa sociedade racista e o esporte reflete essa sociedade…o tenis não é um esporte feito só de anjos que não tem cor e nem sexo…são seres humanos…sem sentido é fazer vista grossa:Serena, L.Hamilton e tantos atletas negros falam de racismo em seus esportes…e como negra, já imaginava o que voce diria…a branquitude faz assim mesmo é normal e não é patrulhamento pelo politicamente correto: sou a favor da liberdade de expressão. Abraços.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Eu também sou a favor da liberdade de expressão, daí seu comentário estar liberado. Mas dizer que a “branquitude faz assim mesmo” não tem o exato tom de racismo que você condena?

          Responder
          1. Jônatas L. de Paiva

            “Mas dizer que a “branquitude faz assim mesmo” não tem o exato tom de racismo que você condena?”

            Sim

        2. benjamin button

          Dalcim, tenho ciência que seu espaço não foi criado para a finalidade de se discutir assuntos dessa natureza, portanto peço a sua licença para responder a nossa equivocada colega Adenilde, que ainda acredita no coitadismo como forma de pleitear direitos civis dos negros. Minha cara Adenilde, vou aproveitar o ensejo e fazer o jogo contrário, vou citar a vc a minha história de preconceito de negros contra a minha pessoa. Apesar de estar regularmente aqui nesse blog de tênis eu fui atleta de uma modalidade dominada por negros nas categorias de base e nas divisões menores, que é a bola ao cesto,. Por ter sido sempre a mosca branca no meio da sua alegada “negritude” sempre sofri preconceitos e bullying sobre a minha diferença racial, mas nunca me deixei abalar sobre isso, nunca esperneei ou pedi para técnicos ou professores ou seja lá o que for para ter proteção ou tratamento protetivo e especial. Sempre persisti na modalidade até começar a colher os frutos dos meus treinamentos e esforços. E hoje quando vejo o legado e o respeito que tenho me sinto orgulhoso e feliz pelas conquistas. Fiz dezenas de amigos negros, muitos deles eu os chamo de irmãos, e sei que eles estarão por perto pelo resto da minha vida. Essa é a minha primeira vez que conto essa história num blog, pois nunca achei necessário prantear essa dificuldade e sofrimento da juventude. Prefiro exaltar o aspecto positivo do que eu vivi e das coisas boas que eu levo disso. Portanto minha cara Adenilde, a vida é igual para todas as pessoas: não existe negritude ou branquitude, o que existe são seres humanos, indivíduos, que merecem respeitos iguais. Sim é ruim fechar os olhos contra o preconceito, mas pior que isso é alimentar o ódio. O mundo precisa de parcimômia, já temos animos acirrados demais.

          Responder
    2. Thiago Silva

      Não é por nada, mas a imprensa também critica os barracos da Wozniacki quando tá perdendo as partidas, não é uma questão de racismo, no tênis a Serena sempre foi tratada como rainha, tanto pela organização como pelas adversárias, isso a deixou até mal acostumada e agora não sabe mais lidar com contrariedades, o comportamento dela hoje foi de uma pessoa mimada.

      Responder
    3. Benjamin Button

      Comentário oportunista, faz parecer que Serena teve o direito de fazer o que fez, quando na verdade não tem um pingo de direito de nada daquilo… A sua expressão “branquitude” já demonstra claramente que a racista aqui é vc. Não há o menor cabimento falar disso no tênis porque temos muitos atletas negros jogando e brilhando como nunca se viu… Nem vou comentar o tal machismo que vc alega… É patética essa alegação. O juiz aplicou a regra, muito bem aplicado. Ponto!!!

      Responder
    4. Benjamin Button

      Comentário oportunista, faz parecer que Serena teve o direito de fazer o que fez, quando na verdade não tem um pingo de direito de nada daquilo… A sua expressão “branquitude” já demonstra claramente que a racista aqui é vc. Não há o menor cabimento falar disso no tênis porque temos muitos atletas negros jogando e brilhando como nunca se viu… Nem vou comentar o tal machismo que vc alega… É patética essa alegação. O juiz aplicou a regra, muito bem aplicado. Ponto!!!

      Responder
    5. Jônatas L. de Paiva

      Esse comentário progressista ganhou do outro! Caramba! Será que dá para ser mais absurdo que isso? Vamos ver se o povo se supera.

      Responder
  78. AKC

    Um papelão mesmo, o segundo dela no USOpen. O técnico instruiu sim, e mesmo que ela não tenha visto, a advertência foi justa. Em seguida, igualmente justa a perda do ponto depois da advertência pela destruição da raquete. Agora, além de ter xingado o juiz de ladrão (desproporcional ao motivo, que foi justo) o pior foi a arrogância de exigir desculpas, apelando ainda para o fato de “ser mãe e mulher”. Que coisa ridícula! A cereja do bolo veio do técnico, que disse que o Tony Nadal também instruía e ninguém fazia nada. Sem entrar no mérito, que babaca colocar na confusão uma outra pessoa que não tinha nada a ver com o imbróglio!! Triste manchar a conquista com todos os méritos da Osaka, que fez uma belíssima campanha e tinha a Serena como heroína.

    Responder
  79. Arthur Fontoura

    Dalcim, parabéns pelo texto e pela análise do ocorrido. Imparcial e preciso. Serena foi Serena. Qdo perde é sempre assim. Hoje só exagerou na dose. Ouso discordar do título. Ela não manchou o tênis, mas apenas a própria imagem e legado.

    Responder
  80. Chetnik

    Dalcim, que bom que você falou o que tinha que falar, sem rodeios. Muita gente gosta de passar pano. Falta coragem.

    A Serena é a tenista mais sem classe que eu já vi. Já tem uma longa ficha corrida. E nessas situações sempre se utiliza do seu tamanho e importância para tentar intimidar. Atitude asquerosa demais. Estragou a final, baixo nível indecente, barbarizou tudo e todos, colocou a torcida inteira – que normalmente já é nojenta – contra o árbitro – que estava certo – e, o pior, deixou a coitada da Osaka totalmente sem graça. Acabou com o grande momento dela, que sequer pode comemorar.

    O pior é que ainda se fez de vítima, usou a carta, patética, do “sexismo” e, na conferência, mesmo após a admissão do técnico, preferiu se manter no erro, com a arrogância costumeira. Ela que devia desculpas ao Ramos – e a Osaka. Como é bom ver a Serena perder. Osaka salvou o tênis e a humanidade. Espero que ela nunca chegue no recorde da Court.

    Responder
    1. Jose Alexandre

      Concordo com quase tudo, só discordo da última linha, visto que a Court consegue ser mais i&$%¨*. Tá mal de GOAT o circuito feminino no que diz respeito à pessoa rs.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Martina e Evert que enfrentaram Court , não aceitam esta comparação. OITO da Australiana foram na Era Amadora e Onze dos 24 na Austrália sem Oponentes a altura. Os 23 de Serena foram todos na Era Profissional e com Pisos diferentes. ABS !

      Responder
  81. Jonathan R A

    Uma observação gramatical, Dalcinm, pois ontem você também se referiu à Serene como “a ídolo”. O correto seria “o ídolo” mesmo, a maioria indica que ídolo seria substantivo sobrecomum. Há quem aceite “a ídola”.

    No mais, parabéns pelo texto e pelo site em geral.

    Responder
      1. Julio Cesar

        explico o motivo: esta palavra tem sua origem em latim, onde a palavra é “idolum”, sendo traduzida de forma direta com o “o” no fim, e não tem um feminino, sendo sobrecomum. Assim como não existe “o vítimo”, e sim “a vítima”, independente do sexo da pessoa.

        Responder
        1. Julio Cesar

          em sua origem, essa palavra não se dirigia a uma “pessoa humana” e sim a uma divindade ou objeto de adoração, e como objetos não tem sexo não houve distinção. Essa acepção de ídolo dirigida a uma pessoa do sexo feminino ou masculino é relativamente recente. Há dicionários que aceitam a palavra “ídola” mas ela se encontra em desuso.

          Responder
          1. Barocos

            Grato pelas explanações mas, de fato, me parece uma causa perdida tentar aplicar nosso velho e bom português corretamente. Já não me preocupo em demasia há tempos com isto. Como todas as línguas que recebem (e receberam) influência de muitas fontes, as regras e exceções tornam a correção extremamente difícil. Além do mais, a malfadada reforma acabou com minha maior admiração a respeito da construção de nossa língua: a forte correlação que existia entre fonemas e sílabas, a obsolescência do trema e de acentos diferenciais jogou uma pá de cal sobre ela.

            Parabéns pela perícia manifestada.

    1. Willian Rodrigues

      Saudações Dalcim! Apenas recentemente passei a “frequentar” a página Tênis Brasil e fiquei surpreso com a qualidade, precisão e imparcialidade das informações divulgadas no blog. Como muitos, sou grato pelo espaço democrático criado para que possamos curtir o tênis de todas as formas, inclusive pelas posturas politicamente não-tão-corretas-assim apresentada por alguns colegas. Realmente tenho me divertido bastante com as postagens do pessoal aqui. Por exemplo, estou rindo-sem-parar faz uns 3 dias pela postagem de um colega (não menciono o nome porque não me lembro): “Us cara agora é tudo GOAT meu!”. Isso numa referencia ao Del Potro, que naquele momento era super elogiado por vários aqui no blog. KKKKK Sensacional!!
      Seus textos são sempre muito claros e imparciais Dalcim! Parabéns!
      Agora, eu gostaria (humildemente) de fazer uma sugestão a todos os “frequentadores” que postam seus comentários quase diariamente. POR CARIDADE, não façam críticas explícitas aos pequenos erros de português cometidos por quem quer que seja! Tenho pelo menos dois grandes amigos professores de português que usam algum filtro e reconhecem que até mesmo eles cometem pequenos deslizes, eventualmente. Nossa língua é muito difícil…
      NÃO PRETENDO agora, ser o “policial”, o chato da história. Pelo contrário, se houver a todo momento esse tipo de crítica, eu mesmo ficarei inibido de publicar minhas bobagens por aqui!! Rrrsrsr…E deixarei de me divertir!! Vamos fazer a coisa leve. Deixemos a galera se manifestar à vontade sem esse tipo de preocupação! Nem todos são literatos!!
      Negócio é curtir tênis, zoar um ou outro colega de vez em quando (KKKKKKKK) e deixa a vida seguir!!!
      GRANDE ABRAÇO A TODOS

      Responder
  82. André Luiz

    Parabéns pelo post, caro Dalcim.
    Atitudes lamentáveis de Serena e que entristeceram a jovem Osaka naquele que deveria ser um dia de pura felicidade.
    Serena se diminuiu.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Uma manifestação do politicamente correto. Federer é trocentas vezes mais jogador do que Serena. Diferença absurda de categoria. Ri demais do comentário do Marcelo Reis falando que ela é a GOAT do tênis. Rs
      Abs

      Responder
      1. Marcelo Reis

        Mas eu acho ela a GOAT mesmo, rsrs. É sério. A maior atleta do tênis que já vi. Lógico que é só mais uma opinião, mas no comentário eu digo “a verdadeira GOAT” … ! Ela é a melhor que já vi, independente dos chiliques dela.

        Não sei se tu achou que eu estava comparando com os rapazes, mas não é o caso. Leia lá. Dentre eles, eu diria que o Roger é o GOAT até o momento, mas muitas águas irão rolar.

        Responder
      2. Jônatas L. de Paiva

        As birras dela não tiram o talento que tem. Vamos separar as coisas. Senão vamos falar que o Kyrgios joga com um pedaço de pau e não com uma raquete.

        Responder
  83. Angelo Vinicius

    Dalcim,
    Parabéns pela coragem de falar exatamente o q ocorreu durante a partida! Fiquei tremendamente revoltado e envergonhando pelo comportamento da Serena.
    A japonesa não merecia tamanho constrangimento!!!
    Admiro muito seus comentários sempre muito sensatos.
    Forte abs

    Responder
  84. Hélio

    Triste dia para o tênis ????! Serena fez ainda pior que fez com a juíza de linha, quando a ameacou fazer engolir a bolo, na semifinal contra Klisters!
    Tomara ponha a cabeça no lugar e veja que o que fez foi terrível! Assumíramos Serena e a brilhante tenista que é, mas atitudes como essa de hoje tem de ser prontamente lamentada!
    Parabéns Osaka legítimo campeão do us open 2018!????????????????????????????????????

    Responder
  85. Thiago Silva

    Caramba, não via algo tão bizarro desde que a Serena ameaçou fazer a árbitra de cadeira engolir a bolinha no US Open 2009.
    Nunca imaginei que a Serena, com 36 anos fosse fazer algo pior que aquilo. Enfim, que pena, ela perderia o jogo de qualquer maneira, mas ainda continuo torcendo por ela e que venha o 24º GS no AO do ano que vem. Todo mundo faz c..gada alguma vez na vida, a Serena fez duas, mas tomara que não seja algo que a faça desistir do tênis, logo agora que está próxima de se colocar definitivamente como a maior de todas.

    Responder
    1. Fernando Pauli

      Não foi a árbitra de cadeira, foi uma japonesa juíza de linha que deu um foot fault correto para Serena e desencadeou a confusão. Onde Serena estava errada como agora novamente.

      Responder
  86. Fernando Alves Secundo

    Parabéns para a jovem japonesa. O Japão deve estar orgulhoso do seu feito. Serena não soube perder, faltando até humildade para uma tenista que teve tantas conquistas.

    Responder
  87. lEvI sIlvA

    Dalcim, na outra vez que se viu derrotada por Stosur na Final do US Open ela também protagonizou algo bem desagradável. Lembro com muita clareza dela chamando a juíza de cadeira de perdedora e discutindo com a mesma a marcação que achou lhe prejudicar. Enfim, é lamentável alguém com uma carreira tão vencedora se dar esse papel. Naomi Osaka quase sumiu com seu memorável feito. Serena Willians precisa compreender que nem tudo é como ela quer. Aliás, pra fazer esse tipo de papel, poderia se aposentar e ficar assim com as boas memórias!

    Responder
  88. Marco Antonio

    Ótimo comentário, Dalcim!
    A humildade e serenidade (sem trocadilho) de uma menina, venceu a arrogância e descontrole de uma senhora, mãe que não consegue ser coadjuvante!
    Ridícula a postura dos torcedores, que pena!

    Responder
  89. Rubens Leme

    Foi realmente lamentável e vergonhoso em um Slam que foi criticado demais pelo calor, umidade e falta de ventilação nos dois estádios principais e erros incríveis dos juízes de linha.

    Pior, ainda jogou toda a torcida contra o pobre juiz principal, que apenas cumpriu a regra. Serena o chamou de ladrão e exigiu um pedido de desculpas, mas será que ela fará o mesmo quando perceber que errou e constrangeu sua adversária e todos que amam o esporte?

    Naomi fez o papel dela e venceu, com sobras. Mas, Dalcim, tá na hora das mulheres irem para a rede. A japonesa fez apenas uma subida à rede em todo o joo e ainda errou. O tênis feminino precisa urgentemente sair do fundo. As meninas precisam assistir uns videos antigos da Martina Navratilova!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Martina era Saque- Voleio. Vídeos de Justine Henin e sua espetacular transição para a rede , incluindo Slices venenosos iria ajudar muito Naomi .

      Responder
      1. Rodrigo Bravin

        É muito sem noção comentando aqui! A política está em todos os lugares e todos somos seres políticos. O fato de o cara criticar Trump e Bolsonaro o torna petista? Que droga vocês estão usando???? Sobre o jogo, adorei ver a japonesa vencendo e a Serena fez uma vergonha tremenda. Com esse jogo de base bacana espero que a Naomi inclua slices, curtinhas, etc.

        Responder
        1. Rafael

          Não seja inocente, o cara puxou um assunto nada a ver com a matéria e ainda colocou o nazismo no meio, vc também parece ser parcial por defender o comentário do colega acima.

          Responder
          1. Robs

            Parece que tem problema de cognição…a platéia dessa final se comportou de maneira tão meiga né? Enfim…catar coquinho pode?

        2. Jônatas L. de Paiva

          Tudo uma ova. Estamos falando do JOGO. O que isso tem a ver com política?? Foi presidente dos EUA que deu o coaching para a Serena? São sempre OS MESMOS que politizam tudo!! Impressionante.

          Responder
    1. Vinicius

      Independente de quem é o presidente dos EUA, lamentável a atitude da torcida Americana, se fosse aqui no Brasil, nos chamariam de tudo que é nome.

      Responder
    2. Luiz Totti

      Poxa cara! Precisa politizar inadequadamente tudo na vida? Quantas vezes vc viu o dalcim entrando em discussão política? De boa cara, a gente não precisa disso. O país já está todo rachado e dividido. Para né?

      Responder
    3. Jônatas L. de Paiva

      Olha só quem está chegando em blog de tênis e como sempre fazem em qualquer assunto empesteiam o lugar com política. Olha o cheiro fétido subindo de esquerdopata. Tem uns que sabem separar os assuntos mas hoje em dia são raros.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *