Murray surpreende em dia da nova geração
Por José Nilton Dalcim
2 de agosto de 2018 às 00:39

É bem verdade que falta de tudo em Andy Murray. O saque está bem instável, o forehand escapa com frequência e o backhand outrora matador lembra muito pouco a sua marca registrada.  Na maior parte do tempo, seus golpes estão curtos e o contraataque não machuca tanto.

Mas, apesar de tudo, o escocês já passou duas rodadas em Washington, onde seu grande trunfo tem sido uma enorme vontade de vencer. Não é nada difícil passar também pelo romeno de pouco currículo Marius Copil. A pergunta agora é como estará de pernas depois de seis sets disputados em 48 horas.

A outra boa notícia destes primeiros dias vem com a nova geração. Teremos ao menos seis nas oitavas de final de Washington, praticamente um em cada jogo: Alexander Zverev, Denis Shapovalov, Frances Tiafoe, Stefanos Tsitsipas, Hyeon Chung e o vencedor entre Andrey Rublev e Tommy Paul, com chance ainda de avançarem Alex de Minaur e Noah Rubin (jogos adiados por causa da chuva). Pode-se até colocar Lucas Pouille nessa lista.

Aliás, a garotada também avança em Los Cabos com Quentin Halys, Cameron Norrie e Michael Mmoh, e se destaca no saibro de Kitzbuhel, após o avanço para as quartas de Jaume Munar, Nicolas Jarry, Matteo Berretini e Max Marterer. Nada ruim.

Houve também novidades, verdadeiras sandices, nos WTA. Serena Williams jogou qualquer coisa menos tênis e foi destroçada por Johanna Konta, britânica que gosta de atuar de forma agressiva e busca uma reação na carreira. Pior aconteceu com Garbiñe Muguruza, que num dia deu declarações toda otimistas e repentinamente desistiu de competir em San Jose.

Ainda em Los Cabos, fiquemos atentos a Juan Martin del Potro. Ele está muito perto de atingir o maior ranking de sua carreira e tirar o número 3 de Zverev, que tem a dura missão de defender seguidamente os títulos de Washington e do Canadá. O argentino é favorito no México e assim pode chegar a Toronto com 5.600 pontos. Aí teria chance de superar também Roger Federer, que irá perder os 600 pontos de Montréal.


Comentários
  1. Mario César Rodrigues

    Boa tarde,este Auger o melhorou o fisico está indo bem mas estes caras não se pode confiar.O Francês apontado aqui por especialistas experts disseram futuro numero 1 que bobagem falsa imagem.Falta consistência,será que os comentaristas não conseguem enxergar que até o top 150 a maioria jogam bem..o negócio é gana,vontade sempre de melhorar..o cara faz uma graninha se treinava 5 horas por dia passsa treinar duas.Olhem só o exemplo do Delpo todos aqui rasgam elogios a ele,ao Dimitrov agora a bola da vez é o Zverev tem que aparecer gente com consistência e saber ao menos o básico sacar,defender não precisa ser 80 por cento sendo 50 por cento o resto é vontade mesmo!o Thiem já está esquecido é só ganhar duas voltam a dizer há há mas ele é bom no saibro e o que dizer do Kyrgios piada pronta!

    Responder
  2. Mario César Rodrigues

    Então estão falando no noticias que Nole vai ser número 1 ao final do ano poxa fazer 8 mil pontos..caramba.Então estão contando que Rafa não vai jogar nem mais um torneio até o fim do ano só pode são 6 mil pontos a diferença Rafa defende 3.300.E o Zverev pelo amor vai brigar pelo número 1 gente vcs acreditam nisto conhecendo o Zverev..e o Espanhol estão de brincadeira!

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          O que você está dizendo é que Zverev não pode imediatamente alcançar Rafa, isso é evidente. O que eu digo é que existe a chance de Zverev brigar pela liderança nos últimos torneios da temporada.

          Responder
          1. lEvI sIlvA

            Da mesmíssima forma que Murray acabou sendo Nº 1 como você havia colocado, Dalcim! Engraçado que alguns meio que debocharam da possibilidade. Outros, quando Andy se tornou o primeiro, creditaram a pura má fase do Big 3… Só se esqueceram de dizer que, ainda assim Murray teria de fazer a sua parte, né? rsrsrs Abraço!

  3. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,
    Possivelmente o maior tenista russo da história da Rússia será um “não russo”. Acho muito difícil que, dentre Zverev, Shapovalov e Tsitsipas, não surjam pelo menos dois tenistas número 1 do mundo. Talvez os três consigam essa façanha.
    Na torcida pelo Felix em Toronto, mas acho difícil uma boa campanha no piso duro depois de tanto tempo seguido jogando saibro.
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Kafelnikov e Safin, além de terem sido número 1 do mundo, ganharam dois Slam cada um. É preciso fazer bastante para superá-los.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Esse Safin jogava MUITO TÊNIS!

        Não esqueço aquela partidaça dele com o Federer, acho que na semi do Australian Open.

        Foi também um grande rival de Guga…

        Responder
        1. Jefe

          SAFIN jogava muito.
          Se não me engano perdeu uma final de SLAM do AO pro FEDERER, e no ano seguinte tirou o FEDERER na semi do AO, nesse caso, e foi campeão em cima do Hewitt.

          Responder
  4. Rafael

    Sobre o comentário do colega Marcio, avaliando a importância dos comentários de comentaristas de um blog brasileiro para o mundo do tênis:

    1 – Despropositado. Quem leva isso em conta?

    2 – Se fosse levado em conta, há numerosos excelentes comentaristas de tênis aqui, melhores até do que um ou outro da TV: Dalcim, Rubens Leme, com as histórias de confrontos memoráveis/bastidores/curiosidades, Sérgio Ribeiro, com sua impressionante memória para estatísticas e, no mais das vezes, análises bem fundamentadas e esclarecedoras, as resenhas de Rafael W., os posicionamentos de Fernando Brack, AKC, Bartolomeu, e vários outros q não vou conseguir lembrar.

    3 – Outros tantos comentam sobre tênis com propriedade e também trafegam por outros assuntos com excelência: Luiz Fabriciano, Rodrigo Cruz, Gabi, Luiz Fernando, Jacacity, Renato (desde que mudou de postura) e vários outros que não conseguirei lembrar.

    4 – Assim como muitos, acompanho vários fóruns internacionais. Me impressiona um pouco a seção de comentários do Steve Tignor, pelo grau de conhecimento demonstrado – claro que tem muito lixo, também. Mas isso é porque (acredito) tomando o inglês como língua universal, possivelmente gente que gosta de tênis do mundo todo pode querer comentar por lá. Talvez esse e outros sejam mais populares, mas este blog, em minha humilde opinião, e este site, no geral, no contexto de um país como o que vivemos, é um produto honesto, que vem sempre buscando melhorar, na medida do que lhe é possível.

    Por fim, eu diria que o Dalcim é um desbravador e uma referência. Não vou citar nomes, porque não quero, mas acredito que vários dos que estão por aí há alguns anos tentando suas chances neste meio tiveram o caminho menos dificultado pela iniciativa do Dalcim. “Só isso” já seria um grande legado, e sabemos e esperamos que venha muito mais por aí.

    Responder
    1. Rafael

      Faltaram – assim que saí da página lembrei – e vão faltar mais, mas prometo que não vou ficar postando para não flodar, o Chetnik, que me soa como um cara ALTAMENTE inteligente, e o meu caro Pessanha, um grande camarada que, às vezes, com seus palpites divertidos sobre o Federer ganhar determinado torneio sem perder sets ou outro com apenas uns poucos serviços quebrados me lembra o Chico Lang, quando antigamente, no Mesa Redonda que o R. Avallone comandava, na hora de seu palpite sobre os jogos do Corínthians, fazia aquele H e dizia que ia ser uns 6 ou 7 a 0, seja lá contra quem fosse na ocasião, rsrsrs

      Tchau!

      Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        Mestre,

        Boa noite. Acho que o Fábio Júnior deu uma pulada de cerca lá na Grécia e daí nasceu o Tsitsipas. O moleque é uma mistura de Guga e Fábio Júnior e, se continuar assim, irá chegar no top 10 ainda nesse ano.
        Abs

        Responder
  5. Oswaldo E. Aranha

    Fico impressionado com a preocupação de alguns em quererem diminuir a importância de algum tenista, é falta de coisa mais importante para fazer ou dizer. Mas, Dalcim, gostaria de saber tua opinião sobre o Shapovalov, no seguinte aspecto: ele é um ótimo tenista quando ataca, mas carece de uma sólida defesa, veja-se que não conseguiu responder devidamente aos saques do Nishkori, que afinal não é aquele sacador. Acho que se ele melhorar nesse quesito irá incomodar muito no próximo ano.

    Responder
  6. Sergio Ribeiro

    Del Potro com méritos deve mesmo passar Sasha e assumir o tão sonhado TOP 3 ( o melhor da carreira) . E tentar também incomodar o Suíço no TOP 2 . A diferença e’ que Federer marca tudo o que fizer em Cincinnati . Andy está tentando demonstrar o mesmo tesao que o Sérvio ( até com gritos ) na tentativa de recuperação mas por enquanto a coisa tá feia. O Samurai e’ o que parece está melhor. Sasha que não abra os olhos com ele hoje… Abs!

    Responder
  7. Sergio Ribeiro

    Em sua declaração ao ÀS, Rafa Nadal somente fez repetir o que Laver já tinha dito à anos. E’ óbvio que o Rei do Saibro conhece as suas e as limitações do Big Four + Wawrinka. Sabe que aos 32 , número de SLAM , h2h e outras… não irão determinar quem será considerado o melhor que já pegou numa raquete. O Suíço e o Sérvio jamais quebrarão seus Recordes no Saibro. E nem o maior Saibrista da história irá suplantar as marcas de ambos na Grama e nas duras. Seus 11 SLAM na Terra são insuperáveis. Mas seus 6 nas outras Superfícies estão longe dos 12 de Novak e dos 19 de Roger. O que não dá mais pra discutir e’ a não presença do Big 3 ao lado de Laver, Borg e Sampras no Olimpo deste Maravilhoso Esporte . Pelo menos , a meu ver. Abs!

    Responder
    1. Rafael

      Gosto demais do Murray. Sempre o achei o 2o. mais talentoso do BIG 4, estando bem mais perto do primeiro do que o 3o. está dele.

      Infelizmente esse talento todo não se converteu nos resultados que ele merecia, na minha opinião.

      Responder
      1. lEvI sIlvA

        Olha, Rafael, permita-me discordar (mas só um pouquinho, ok?!?) sem querer desmerecer sua opinião…
        Vou dizer alguns motivos que simplesmente não me permitem achar que Andy Murray seja tão menos assim:

        ***Questionamentos***
        1- Por melhor que seja, jamais vai ganhar GS esse tal de Andy Murray…
        2 – Andy Murray no ATP Finals vai só pra figurar…
        3- Lembro bem que diziam sobre ele aqui mesmo, jamais será Nº1 com essa postura, e pior, com RF, RN e ND na ativa…

        ***Realidade***
        1- Andy Murray ganho 3 GS ainda que fosse vice várias vezes no AO e mesmo enfrentando o Big 3!
        2- Andy Murray já tem seu Finals… algo que Rafael Nadal não possui!
        3- Após se tornara Nº1 e manter, vieram uns pra desmerecer e dizer que foi por culpa da baixa do Big 3… (ai, ai, ai..!)

        Sendo assim, me desculpe, mas o cidadão já deve ter conseguido muito mais do que ele achava possível. Digo isso pelo simples fato de ele ter achado esse espaço e consecuções na Era de maior domínio de 3 expoentes da modalidade tênis.
        Ou seja, ainda que não tenha incomodado tanto o “trio parada dura”, acredito que ele tenha sido o que chegou mais perto de fazê-lo.
        Andy Murray é o “cara”, já que os outros 3, não tem como descrever… pois não parecem ter limites, né?!?

        Abraço!

        Responder
  8. Jeremias

    Tudo bem que o Djokovic já fisgou uma penca de grandes títulos, tornando-se até de maneira algo inesperada, tanto em número de campeonatos quanto em quantidade de partidas vencidas, um dos principais nomes do pedaço lá em Wimbledon ; tudo bem que ele ainda pode acrescentar mais uns 3 GS–quem sabe 4, quem sabe 5– nas suas estantes. OK. Mas eu não me conformo com o abandono dele do Djoko versão 2011. Sério. Assistindo no Youtube a algumas das suas apresentações naquele ano ficamos na dúvida se trata-se efetivamente do mesmo sujeito. A diferença, por exemplo, na pujança do seu forehand chega a ser francamente chocante. Teria ele sido alertado por algum parecer médico acerca de uma eventual vulnerabilidade física identificada no seu braço direito? Seria o Djoko uma espécie de Del Potro em menor escala, ou seja, uma cara que em face de uma limitação crônica viu-se obrigado a reconstruir e reformular o seu jogo sobre outras bases? Em menor escala, claro, porque afinal isso não o impediu de, após 2011, levar mais 9 taças mestras consigo, chegando às atuais 13. Pra quem acompanha apenas de longe o mais lógico seria o camarada chegar para o seu coach e, sem pestanejar, comunicar-lhe: “olha,deste dia em diante vamos treinar para acharmos aquele ritmo novamente, aquela intensidade, aquela disposição quase insana em socar o esôfago do adversário. Essa será nossa meta. Sem acordo! ” . Bem, mas não é isso o que está se vendo em quadra. Aquele Djoko era tão sinistro e BADASS quanto o simbionte Venom, enquanto esse de hoje parece mais um pacato agente de trânsito, feliz em ficar apenas salvando gatinhos nas árvores urbanas. Competente e eficiente, mas pacato. O moço fez fama, ficou rico e blá, blá, blá, mas, tenisticamente, não deixa de ser uma pena.

    Responder
  9. Miguel BsB

    Novak Djokovic pigmeu? Hahahaha não é possível que o camarada tenha coragem de postar isso. Uma pessoa, que posta uma sandice dessas publicamente, a partir de agora terá tds suas outras “opiniões” desqualificadas e sem crédito algum… Mas, como diz o outro, melhor ler isso do que ser cego.
    Mais uma vitória na raça e em 3 sets do Murray! Que raça! Que vontade de voltar! Somente espero que a cirurgia tenha realmente sido bem sucedida. Lembro que o Guga, após sua primeira, conseguiu voltar razoavelmente bem e foi deteriorando com o passar dos meses… Será que terão coragem de chamar o escocês de pigmeu, anão, ou coisa parecida? Rsrs

    Responder
  10. Isaias

    Dalcim o jogo entre Nishikori e Shapovalov mostrou uma diferença significativa entre os dois que é as devoluções, Nishikori tentou ser agressivo nas devoluções e teve êxito muitas vezes principalmente no segundo saque do canadense, Nishikori bateu demais no segundo saque do canadense e o backhand do japonês é coisa linda de se ver sem dúvidas um dos excelentes backhands do circuito, seria interessante Shapovalov trabalhar sua devolução ele foi pouco efetivo diante do problemático segundo saque do Nishikori.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Uma das grandes desvantagens do backhand de uma mão, e, consequentemente, vantagem de quem usa as duas mãos, é na devolução de saque. Entre as maiores devoluções de saque do tênis profissional, todas foram com jogadores que batem com as duas, começando por Connors, Borg, passando por Agassi e chegando a Djokovic…É mais fácil “domar” a bola realmente, e, inclusive, atacar e devolver saques que quicam alto com muito topspin. Ontem, tanto no jogo do Shapovalov com Kei quanto no jg do Murray isso ficou claro. Na hora do aperto no saque, era lá na esquerda de uma mão dos respectivos oponentes que eles iam buscar um saque salvador, e o erro ou devolução fraca normalmente vinha.

      Responder
  11. Pedro

    Dalcim, vendo o Murray jogar, é bem estranho o jeito de ele andar, parece que anda mancando. Ele sempre andou assim desde jovem ou apenas nos últimos anos devido a contusões?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele sempre caminhou meio estranho, mas certamente está diferente. Como disse antes, me parece mais cacoete porque ele não está com dificuldade visível, ainda que esteja mais lento.

      Responder
  12. Paulo F.

    Se Djokovic é pigmeu, o quê sobra para Rod Laver, Bjorn Borg, John McEnroe, Andre Agassi?
    Ah, a Internet e os que adoram ser trolladores…

    Responder
  13. Bruno Louzada

    Contrariando a opinião de um membro aqui, penso que o Djokovic mesmo não sendo o maior campeão de slam éo tenista mais perfeito que ja esteve em quadra. Pode sim chegar em uns 22 slams.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não tenho qualquer intenção de causar briguinha de torcida, mas…

      Como poderia ser perfeito um cara que nem de LONGE é o mais talentoso?

      Não “esmecha” bem, tem um saque eficaz, porém padrão, tem um slice mediano com um movimento feinho, e por aí vai.

      Como o próprio Nadal disse, o título de mais perfeito em quadra merece sem qualquer dúvida ser atribuído ao Federer.

      Por ser o único jogador que aliou resultados e recordes incríveis, com uma maneira de jogar bastante estética e natural…

      Abs.

      Responder
    2. Renato

      Discordo totalmente! O jogo de base dele é perfeito, porém tem um slice e jogo de rede mediano, além do smash medíocre. Também não tem muita variação. Não faz saque e voleio e chip and charge. Muito abaixo de Federer, na minha opinião e da esmagadora maioria.

      Responder
    3. Bruno

      Respeito sua opinião Chatonik.
      Mas não concordo ,pois com o smash e voleio sofrível não pode ser considerado como o mais completo.
      Isto para não falar nos números.

      Responder
  14. Gabi

    Sei que a maioria dos tenistas não se importa com o que vai vestir em quadra! Tanto é que vemos muitas combinações horrorosas.

    …Alguém poderia avisar o mischa zverev que esta camiseta rosa estampada não tá combinando com a bermuda branca e muito menos com a meia larga e o tênis preto? E que ele poderia cortar o cabelo tb? Tá com jeito de desleixado.

    A do irmão mais novo ficaria melhor se na bermuda tivessem as listras verdes (ou até rosas) do mesmo tom da camiseta.

    Responder
    1. Rafael

      Entenda, Lógico, vou dar a você a resposta que dei a alguém sobre “popularidade” ou “agradar as pessoas”.

      Você não me agrada e ponto. Se TODOS os outros participantes do blog acharem que vc é legal, ainda assim você continuará não me agradando.

      Assim como o que eu posto é de acordo com o que penso no momento , e não com o objetivo de agradar alguém ou ser popular.

      Isso se chama personalidade. Veja, outro dia um colega falou que foi só o Djokovic começar a ganhar para eu ficar chato de novo. Meses antes, um outro colega disse que não importa como fosse, eu pelo menos dava sempre a cara para bater. Qual dos dois está certo? Não vem ao caso para mim.

      Sobre personalidade, você deveria entender, já que tem múltiplas.

      Obs: A partir de agora, se vc insistir em se dirigir a mim, vai ser como falar com o vento. Embora o vento, às vezes, responda. Eu não irei.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Ele não é o Lógico!

        Eu acho esse aí é um personagem paupérrimo…

        Com esses tais de ” zóvski”, “visse”e outras expressões tolinhas.

        Responder
  15. Rafael

    Se eu dissesse que acompanho de perto o que faz Martin Klizan, estaria mentindo. Mas há anos ouço e leio pinceladas aqui e acolá sobre esse jogador, e fico imaginando porque não chegou um pouco mais longe na carreira, já notável do jeito que está sendo.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      No momento, o Nishikori, ainda que seu físico nunca seja confiável. Mas em termos técnicos, o japonês está quase totalmente recuperado.

      Responder
  16. Marcelo

    Vamos parar de papo furado! Não existe big3! Federer e Nadal formam o big2, enquanto Novak e Muray estão em um nivel abaixo. O servio falso e chiquilento não lambe a sola do sapato das duas lendas. Apenas 13 slam tem o pigmeu!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não é bem assim, Marcelo…

      O Djoko tem retrospecto positivo contra ambos, o que não é pouca coisa.

      Além disso, ele é mais jovem.

      Ou seja, dá tempo dele ganhar mais alguns Majors ainda.

      Eu não sou torcedor do sérvio, mas é inegável que ele é um dos grandes.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Esse blog é realmente hors-concours quando se diz respeito ao Tênis.
        Não vejo em muitos ambientes da Web, espaço com comentaristas cativos como aqui, gente que chega e fica. Eu mesmo estou por aqui há pelo menos 15 anos.
        Mas, mexe e vira, aparece alguém com objetivo claro de tentar rebaixar esse ou aquele tenista, como já tentaram várias vezes com sérvio, como jogador de segunda divisão etc. Agora mais essa.

        Responder
        1. Márcio

          Isso acontece de vez em quando com relação aos 3 grandes, FEDERER, NADAL, DJOCO.
          Como se fosse possível rebaixá-los.
          E como se a opinião de comentaristas de um blog no brasil fosse importante no mundo do Tênis.
          Acho que o mais citado nesses casos ainda é o FEDERER, que por ser o maior e melhor de todos os tempos acaba também chamando mais atenção dos haters.
          Sigamos!

          Responder
      2. Fonseca

        Pessoal:
        DJOKOVIC TEM APENAS TREZE SLAM!

        Dalcim, por favor, sem querer ofender ninguém, pode me esclarecer se as pessoas perderam a noção da realidade, ou se inventaram um novo sentido para a palavra APENAS?!?!?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Hahahaha… Bom, 13 não são ‘apenas’, mas entendo que você quer dizer que, para chegar a 20, faltam 7 Slam, ou seja, provavelmente três anos em alto nível.

          Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Se ele fosse evolução do tênis, daria um slice ou um smash com muito mais naturalidade e categoria… (só pra citar um exemplo).

        Coisa que ele não consegue.

        Desculpe, mas não.

        Ele não é evolução de “draga” nenhuma.

        É sim, um excelente jogador e competidor, com um talento nitidamente limitado…

        Responder
    2. André Barcellos

      Eu acho que existe um big 1, um big 2, um big 3 e um big 4.

      Na ordem, Federer, Nadal, Djokovic e beeeeeem mais atrás o Murray…

      Responder
    3. Lola

      Federer tem só 20 GS, e olha que tá jogando umas boas décadas, e conseguiu esse 20 graças ao sérvio que se lesionou, já que o Djoko vinha surrando o suíço em finais.
      Djoko >>>>>>>>>>>>>>>>>>Federer

      Responder
    1. EU

      Hehehe…..eita porra….visse….o Rafaelzovski e o M Chatu vai fikar puto…..hehehe. EU num concordu…ele só toma mucho assai….comu o logicu dis….hehehe

      Responder
  17. Mario César Rodrigues

    Eu Já tive vários comentários que não foram publicados.oras não reclamo se Dalcim é o chefe ok aqui tem muito cacique para pouco Indio!Agora o Lógico escrever o que escreve ai já acho uma sacanagem passar na moderação..mas o chefe é o Dalcim vai saber!

    Responder
  18. Nattan Lobatto

    Andy, é um jogador fantástico, tem todos os golpes e uma movimentação invejável. Teve como azar ser contemporâneo do BIG 3 e nascer no mesmo ano que Novaking, o grande destronador, o fiel da balança e o divisor de águas desse seleto e nobre esporte.

    Responder
  19. Chetnik

    Peguei a reprise no 5 a 5. Forehand do Murray tá pavoroso, muito curto e sem potência. Nunca foi o melhor golpe dele, mas…de qualquer forma, isso é normal, voltando depois de tanto tempo parado. Torci pela sua vitória e espero que continue evoluindo.

    Responder
  20. Sandra

    Dalcim , qual o movimento que se faz para se ter tanta gente operando quadril?? Agora li que será um dos irmãos gêmeos americano. E porque uns tem mais que os outros

    Responder
  21. Rodrigo S. Cruz

    Ai, ai.

    Quando a gente pensa que já viu tudo de comédia nesse blog…

    Tudo bem alguns não gostarem do Lógico.

    Seja por fidelidade declarada ao Nadal, ou pela escrita escrachada do comentarista.

    Agora, querer criticá-lo usando por base o deboche de um apedeuta, é pra rir até a próxima Copa do Mundo!

    O LF deve pensar que Tigre de Papel assusta…

    Kkkkk

    Responder
    1. Jeremias

      Tem razão, Rodrigo. Eu já nem participo mais aqui das áreas de comentários, mas de vez em quando ainda dou uma olhadela, quase sempre para conferir as “catilinárias” afiadas do nosso querido Dr. Spock. rsrsrsrs. O homem sabe como tocar o terror!! kkk

      Responder
  22. Eleotério Almeida

    Acho 3 GS mto pouco para Murray. Ele teria facilmente perto de 10, se não jogasse na geração de Federer, Nadal e Djoko. Concorda, Dalcim? Abs

    Responder
  23. Isaias

    Dalcim gosto dos seus textos pq vc é muito simples porém muito objetivo, muito bacana o seu jeito de escrever gosto muito mesmo Dalcim e vc disse tudo na frase “É bem verdade que falta de tudo em Andy Murray”, ou seja seus golpes em geral estão muito abaixo do que conhecemos, mais nesse momento temos que estar feliz por ele estar voltando e estar progredindo, particularmente torço pra ele ganhar mais um Slam, já disse aqui muitas vezes e volto a dizer que em minha opinião 3 Slams não condiz com o tamanho da categoria desse excelente tenista britânico.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Isaias, e concordo em tudo com você, porque também torço muito para Murray se recuperar completamente e entrar novamente na briga pelos grandes títulos.

      Responder
  24. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Pelo que vi a movimentação do Murray está muito boa, correndo bastante, no entanto está pecando demais em algumas execuções de golpes.
    Mestre, acredita que ele ainda possa dar algum trabalho esse ano, ou somente está se aquecendo para a temporada de 2019?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho difícil ele incomodar os mais fortes. Há dúvidas ainda sobre sua resistência física. Ele hoje fará o terceiro jogo seguido e, se jogar Toronto e Cincinnati, serão três semanas seguidas. Aí teremos uma melhor ideia. Mas estou feliz com o progresso dele.

      Responder
  25. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, agradeço que logo me respondeste, mas não pretendi ofender ninguém, apenas quis protestar contra apelidos que alguns dão ao Djokovic tentando deslustra-lo. Aprecio muito teu trabalho em manter esse blog que nos dá muita satisfação. Abraços.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem problemas, Oswaldo. Eu sou obrigado a retirar palavras ofensivas para não provocar aquele série de ‘direito de resposta’ que acaba poluindo o Blog. Abs!

      Responder
  26. neuton

    Dalcim,
    Reparou que o Murray ficou meio zambeta?
    Sempre andou meio esquisito, mas ontem estava pior, parecia que o quadril estava “desajustado”.

    Responder
  27. Luiz Fernando

    E aí Gabi o q tem feito? Semana q vem temos Rafa de volta ao pedaço. Quanto as quadras, iria tranquilamente p quase metade daquelas expostas, mas se fosse escolher uma iria sem pensar p o Havaí, local que sempre tive vontade de conhecer mas não tive oportunidade. Quanto ao clima mais civilizado no blog, creio q isso começou espontaneamente na fase de grama e até o momento se mantém, tomara q perdure. Alguns como o lógico tentam criar atritos mas como bem disse o Mário César, as postagens dele são apenas p rir um pouco…

    Responder
    1. Gabi

      Luiz Fernando,

      muito boa escolha! Havai deve ser muito sensacional!
      Eu ando trabalhando muito para um dia pisar naquela quadra às margens do Mar Mediterrâneo na Itália. O difícil será me concentrar na bolinha rsrs.
      Vamos, Nadal!
      Isso, civilizado mas sempre com muito bom humor e umas cutucadas irônicas e inteligentes.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      (rs)

      Como se nessa questão o Lógico fosse o único que servisse para rir, né.

      E não o camarada que você citou, que cabula aulas até do ensino fundamental… kkkk

      Responder
  28. Luiz Fernando

    Murray está jogando em alto nível, embora me pareça ainda um pouco limitado nos deslocamentos laterais, em especial a E. Vai dar trabalho até o final do ano, será mais um adversário duro p qualquer um…

    Responder
  29. Marcos RJ

    Dalcim, Lendl está confirmado como técnico do Zverev?
    O comentário surgiu durante a entrevista do Murray após a partida com Edmund. Murray disse estar surpreso com a novidade, mas disse que Lendl pode ajudar muito na parte mental.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *