Verdadeiro duelo de gigantes
Por José Nilton Dalcim
12 de julho de 2018 às 19:58

Sim, esse é um dos maiores chavões do esporte mundial, mas cabe incrivelmente bem para as duas semifinais desta sexta-feira em Wimbledon: o 52º confronto entre Rafael Nadal e Novak Djokovic e a partida entre os 2,06m de John Isner contra os 2,03m de Kevin Anderson, que concorrem no domingo ao título de mais alto campeão da história dos Grand Slam.

Rafa e Nole duelam desde 2006 e já houve várias reviravoltas. Começou a ficar mais competitivo em 2009, o sérvio virou a mesa em 2011, Nadal reagiu e vimos um 2013 empatado, mas Djokovic embalou de novo e dominou 2015 e 2016. Nas duas últimas temporadas, em meio aos problemas físicos de um e de outro, foram apenas dois jogos e vitórias do canhoto espanhol no saibro de Madri e Roma.

Desde o último confronto na grama, naquela final de Wimbledon de 2011, aconteceram 12 jogos no saibro e 11 no sintético, com 14 vitórias de Nole, cinco delas na terra. Nadal no entanto lidera com margem considerável nos Slam (9-4) e mais ainda em semifinais de Slam (4-0).

Wimbledon também estabelece diferenças curiosas. Nadal jamais perdeu nas cinco semifinais que disputou ali, enquanto Djokovic perdeu três das seis, uma delas contra o próprio espanhol em 2007 e por abandono.

A vitória já dará a Nadal um grande feito, já que ele chegaria sucessivamente às finais de Paris e Londres pela sexta vez. No domingo, poderia então igualar Bjorn Borg com três troféus nos dois torneios na mesma temporada. Djokovic por sua vez tenta a primeira final de Slam desde o US Open de 2016 e quem sabe o primeiro título desde Paris de 25 meses atrás, quando se tornou o terceiro homem em todos os tempos a deter todos os quatro troféus de Slam.

Por recordes
Anderson e Isner fazem uma das semifinais mais altas dos Grand Slam: 2,03m contra 2,06m. Se um deles for campeão, baterá a marca do holandês Richard Krajicek, que é o tenista de maior estatura até hoje a vencer Wimbledon, com 1,96m, e de Juan Martin del Potro, o mais alto a ganhar um Slam, com 1,98m.

Isner também pode sonhar com outro recorde. Ele já somou 161 aces nos cinco jogos e não está distante dos 212 obtido pelo croata Goran Ivanisevic, rumo ao título de 2001. Anderson até tem chance, mas está bem atrás, com ‘apenas’ 123. Note-se que Isner ainda não foi quebrado no torneio e soma 95 games de serviço consecutivos, muito perto dos 118 de Pete Sampras.

Anderson por fim precisa se livrar da ‘maldição’ dos três últimos homens que bateram Roger Federer antes da final de Wimbledon. Todos os três perderam na rodada imediatamente seguinte: Jo-Wilfried Tsonga (2011), Sergiy Stakhovsky (2013) e Milos Raonic (2016). Sem falar que perdeu 8 de 11 jogos contra Isner, sendo os últimos quatro seguidos.

Em tempo: esta é a primeira vez em qualquer Grand Slam da Era Profissional que todos os semifinalistas têm mais de 30 anos.

A volta de Serena… e de Kerber
É impossível não se emocionar com a façanha de Serena Williams. Dez meses atrás, após dar à luz e passar por múltiplas cirurgias, ela sequer conseguia caminhar pela casa. Com enorme dedicação e esforço, está agora de volta à final de Wimbledon, a um jogo se igualar os 24 Grand Slam de Margaret Court.

Com apenas quatro torneios jogados nos últimos 16 meses – para ser exato, sete partidas antes de Wimbledon -, a recuperação de Serena poderia ser uma surpresa não fosse a grama o lugar mais indicado possível para seu estilo agressivo, onde a força e a experiência contam acima de tudo.

Aos 36 anos, Serena admite que a recuperação para o jogo seguinte está cada vez mais difícil, porém parece muito sincera quando diz qual tem sido seu maior desafio: “Esquecer as obrigações da maternidade para me focar 100% no tênis. Tem sido a parte mais dura”.

A adversária é bem conhecida: Angelique Kerber, a mesma que tirou seu título na Austrália de 2016, seis meses antes de ser batida por Serena na final de Wimbledon. A norte-americana mostra grande admiração pela alemã e por sua habilidade sobre a grama.

Kerber viveu uma temporada espetacular há dois anos, tendo faturado também o US Open, mas reconhece que perdeu o rumo com a defesa de tantos pontos. Trocou de treinador para 2018, voltou a ter confiança e por isso a alemã diz que, de certa forma, ela também sente como se estivesse retornando às quadras.

Canhota, guerreira, defensora habilidosa e incansável, verdadeiro Nadal de saias, Kerber tem sim capacidade de brecar Serena. Só se pode esperar uma final espetacular no sábado.

Atualizando o ranking
– Djokovic sobe oito posições e já garante o 13º posto, podendo ir a 11º com a final e voltar ao top 10 com o título.
– Isner irá ao melhor ranking: pelo menos 8º, mas 6º se vencer Anderson e 5º se for campeão.
– Anderson repetirá seu recorde pessoal de 7º se perder, ultrapassará Dimitrov e vai ao 5º em caso de final. Irá superar Delpo no 4º posto em caso de triunfo.
– Nadal já abriu 2.230 pontos de Federer no ranking tradicional e 1.740 na temporada.
– Atual 10º colocada, Kerber recupera o sexto posto e será 4ª se conquistar seu terceiro Slam. Já é a segunda melhor da temporada, atrás de Halep.
– Serena volta ao top 30 com a final. Será 19º em caso do octacampeonato (e top 10 na temporada).
– Duplas mudam de líderes: Mike Bryan recupera o posto aos 40 anos e Timea Babos assume o número 1 pela primeira vez.


Comentários
  1. O LÓGICO

    VIVA O DJOKÃO kkkkkkkkkkk QUE MAIS UMA VEZ FEZ O TRABALHO SUJO KKKKKKK

    Não se iludam com o zoofilismo moderado kkkkkkk, aplicado no robozinho pelo Djoko. O tourinho só não foi surrado em quadra porque o sérvio ainda não está no modo “assassin” kkkkkkkkkkkkkkk Daí a razão pela qual o robozinho jogar na linha de base – é um aproveitador kkkkkk. É claro que as nadalzéticas ficam louquinhas da Silva Xavier quando falo essas verdades – LÓGICAS kkkk -, e de fácil comprovação. Se não, vejamos.

    Concordam que essa foi a única vez nesse ano que ele jogou agressivo postando-se na linha de base? Concordam que ano passado ele, em nenhuma partida, jogou ajustando seu tênis para a linha de base? Concordam que do ano passado pra cá ele não acrescentou nadinha de nada no seu tênis? Então, por que foi derrotado cinco vezes seguidas para o Rei, e as últimas quatro de uma forma tão acachapante que parecia que Roger tava treinando? Porque toda vez que tentar jogar de igual para igual com um tenista de DNA agressivo, técnico, habilidoso e definidor como Fedex, vai dançar. E se for em uma quadra rápida vai ficar atordoado sem saber o que tá acontecendo e pôr a culpa na velocidade do piso, como ocorreu da última vez kkkkkk. Então, nesses jogos, tudo volta ao natural, e ele vai pedir socorro aos logotipos das placas de propaganda kkkkkkkkkk.

    Na verdade, ele só chegou onde chegou porque não pegou nenhuma casca grossa da grama nas primeiras rodadas. Essa é a verdade. Alguém tem dúvida que ele vai voltar para a tática habitual de se defender como um louco – à custa de uma dieta balanceada com bastante açaí Espanhol kkkkkk -, e esperar a hora de dar o bote após vacilo do adversário? Esse é seu jogo. Mas eu reconheço que ele tá “evoluindo” kkkkkk. Só não vai dar tempo de concluir o projeto: só agora, após longo esforço kkkkk e tempo no circuito, ele aprendeu a ir a rede e a dar deixadinhas. Nessa lentidão de aprendizado, nenhuma pedagogia resiste e constata que o problema é de cognição kkkkkkkkkkkkkk

    Djokovic é muito, mas muito melhor tenista que o tourinho enlatado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Notem, que o sérvio tinha um H2H em desvantagem que lhe passou a ser favorável. E olha que só não é mais elástico devido aos inúmeros encontros na LAJE kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Já o H2H do Djoko em relação ao Fedex é perfeitamente normal, e diria até assombroso em favor do Rei, haja vista a diferença de idade entre os dois e quilate tenístico do Sérvio.

    I LOVE YOU DJOKO, I LOVE YOU SO MUCH KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    POR PROTEGER O RECORDE DE SLAM DO REI KKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    CORRE ROBOZINHO DAS PROFUNDEZAS DO INFERNO, CORRE, MAS NÃO VAI DAR TEMPO DE ABISCOITAR MAIS TRÊS SLAMS NÃO, KKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    CHUPA QUE É DE UVA M C CARTOMANTE FALIDA KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
  2. Albert Dock

    Dalcim, o q vc achou dessas duas decisoes:
    1) o jogo do Nadal/Djokovic ja começar com o tetil retratil
    2) os jogadores decidirem se o jogo recomeça hj com o teto retratil ou nao (eles decidiram q vai ser com o teto fechado – ou melhor, o Djokovic decidiu)?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A regra manda começar com o teto fechado, a menos que houvesse consenso, o que pelo jeito não houve. Achei que Djokovic se daria melhor com o teto aberto, porque Nadal estava muito agressivo.

      Responder
  3. Sérgio Ribeiro

    E não é que não havia favoritos mesmo. Quando colocamos que Novak estava totalmente recuperado foi pelo simples fato de termos assistidos aos jogos, coisa rara por aqui. Mas não se pode passar batido por Rafa Nadal. Usou até agora todos os recursos de um especialista da superfície. Muito mais próximo da base , com deixadinhas de grande categoria , um Back pra-lá de melhorado e uma agressividade até maior que a do Sérvio. Aos 32 , temos que tirar o chapéu para o maior competidor deste maravilhoso Esporte. Falamos no outro Post de Final antecipada e não está dando outra. Não consegui nem pegar meu poderoso chocolate rs A partida disputada em condições mais rápidas ( como gosta o Craque ) , está longe de estar definida. Anderson que me perdoe mas o Campeão sai daqui. Até Björn Borg não escondia o sorriso. Sensacional !!! Abs! Ps. Kevin Anderson demonstrou contra John Isner que não bateu Roger Federer por acaso. Esta’ de parabéns . Abs!

    Responder
  4. Márcio Cerqueira

    Dalcim , eu sei q vc vai inventar alguma desculpa , mas n custa nada perguntar , pra qual tenista vc tem torcida / admiração no circuito atual ?? E vc acredita q o Federer pode tá torcendo pro Djoko com medo da aproximação dos títulos de GS do Nadal ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não tenho o que inventar, Márcio. Eu torço para o tênis, até porque é meu negócio. Então geralmente eu torço pelo que seja mais interessante para o esporte e para a audiência do meu site. Quanto aos tenistas, admiro dezenas deles, cada um com características e comportamentos distintos. Seria terrível se todos fossem iguais, não acha? Abs!

      Responder
  5. Antonio Gabriel

    Apesar do que estao dizendo acho que a paralisação favoreceu o Djoko, mesmo ele estando vencendo. Nadal vinha jogando melhor do meio do 2 set em.diante. Djoko sacou muito, por isso se manteve no jogo, mas nao estava subindo a rede e fazia as escolhas erradas. Por sorte, nadal errou duas bolas nos 3 set points que teve. Espero que o Djoko posso corrigir os erros, pois ai vence o espanhol.

    Responder
  6. Thiago Andrade

    No caso de hoje, achei que a paralisação foi pior para o Rafa. Mesmo perdendo o tie break, ele vinha jogando demais, e melhor do que Djoko. Jogo completamente em aberto. Duas lendas em quadra… Monstros!

    Responder
  7. Paulo F.

    Com Rafael Nadal, o jogo só termina quando acaba.
    Pode perfeitamente ganhar de virada outra partida inacabada, é claro.
    Mas fala contra o espanhol ter outro bravo lutador, outro guerreiro resiliente do outro lado da rede, e não um piazinho mimado e chorão.

    Responder
  8. Lucas

    Dalcim em que pese a espetacular forma física de Djoko e Nadal o que é menos desgastante jogar 6 horas e ter um dia de descanso (lembrando que Anderson já vem da 4 horas contra Federer) ou jogar 2 dias seguidos sem pausa .Considerando que amanhã a parada pode ser resolvida em 40 minutos ou 3 horas …

    Responder
  9. José Eduardo Pessanha

    Olha que interessante, Dalcim…
    Distância percorrida em pés hoje:
    Anderson – 14.576
    Nadal – 11.752
    Djokovic – 11.481

    Ou seja, Anderson não teve um desgaste físico muito maior do que Nadal e Djokovic, mas certamente o desgaste mental pode pesar. Creio que ele não entrará domingo com um desgaste tão absurdo assim, pois ele disputa poucos pontos em “ralis” e tanto Nadal quanto Djokovic correram muito hoje.
    Abs

    Responder
  10. Luiz Fernando

    Ao contrário do q um dos amigos citou, não vejo a quadra fechada como desvantagem p Rafa e sua performance nos 3 sets demonstrou isso. A devolução do Djoko é q está fazendo a diferença, tanto q o sérvio teve mais breaks, aliás bem mais breaks do q Nadal. Jogo equilibrado, quase empatado em winners e ENF, com vantagem do Djoko por 21. Rafa pode virar? Claro, embora me pareça mais lógico a vitória do sérvio. Só nos resta torcer e acima, torcer p q a sina das paralisações (na final de Roma e contra o gringuinho em RG) q tem beneficiado Nadal se repita…

    Responder
  11. Luiz Fernando

    Wimbledon e suas frescuras milenares q cheiram a mofo: sem jogo no primeiro domingo, sem jogos noturnos e esta estupidez do quinto set longo, o q compartilha com AO e RG, igualmente retrógrados nesse particular. Os americanos, q sabem perfeitamente q tempo é dinheiro, já aboliram isso no USO. E como a grama facilita esses sacadores q em geral não são protagonistas em outros lugares, hj tivemos algo similar, embora em menor grau, a insanidade prévia Isner vs Mahut. Creio q por sorte não haverá um prejuizo tão grande a Anderson, pois Rafa e Djoko só terminarão sábado e aí haverá alguma compensação pelas 6 hs em quadra, mas essa maratona tende a reduzir bem as chances do sul-africano, pois Rafa ou Djoko, além de mais experientes em finais, entrarão em melhor condição física do q ele.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A questão das 23h não é culpa de Wimbledon, é lei municipal e lá na Inglaterra eles obedecem as leis, Luiz Fernando… rsrs…

      Responder
      1. Bruno Louzada

        E pelo mesmo motivo nao tem luzes nas quadras de Paris…nao teria logica instalar postes de luz tendo apenas mais meia hora pra jogar ( em paris so pode jogar as 22 horas)

        Responder
  12. Bruno Louzada

    A sensação é que o Nadal foi melhor no terceiro set, melhor nas trocas de bola, mais agressivo, mais ousado, arriscou mais.

    Mas o saque do Djokovic salvou e aquele drop shot no set point contra foi de muita coragem ( ou seria loucura kkk).

    AJDE DJOKOVIC !!!

    Responder
  13. Maurício Luís *

    Tenho certeza de que o Isner deve ter se lembrado daquele jogo contra o Mahut, que durou 11 h em 3 dias. Só que desta vez ele não levou a melhor.

    Responder
  14. Fernando Brack

    Grande Djoko! Venceu por um triz o 3° set. Só pra variar, o jogo é interrompido num momento desfavorável ao Nadal. Amanhã, ele volta voando eqto o sérvio precisará de meia hora pra readquirir o ritmo. Quando abrir os olhos, estará na hora de ir à rede cumprimentar o ogro.

    Responder
  15. Alexandre

    Amigos, vamos deixar todo o fanatismo de lado e reverenciar estas duas lendas do tênis que junto com RF dominaram e dominam mais de uma década!
    Que jogo que tie break, como alguns de vocês podem falar mal destes 2 tenistas? Rafa jogando muito agressivo e nole fechando a porta,qualquer resultado pode acontecer ainda, mas por favor só reverenciem estas lendas!!
    Melhor jogo do ano Dalcim? mesmo sem ter acabado!

    Responder
  16. Rubens Leme

    Dalim, acho que este é melhor duelo entre os dois que já vi. Ambos estão agressivos, buscando a rede (Nadal faz ótimos voleios e Djoko até acertou uns swings volleys), buscando a definição rápida. O sérvio está sacando bem e o backhand de Nadal está dando ótimas alternativas, especialmente cruzado.

    Embora fisicamente pareça um pouco mais magro do que antes, Djokovic vem mostrando que o “eater liver” está voltando. Espero que deixem o jogo seguir depois das 23 h, porque o pau está comendo e amanhã pode perder boa parte desta intensidade.

    Responder
  17. Fernando Brack

    Depois de perder o 1° set, Nadal passou a jogar muito. É impressionante o que ele acerta suas bolas pesadíssimas nas linhas. Merece levar este jogo e o título. Djoko ainda precisa trabalhar mais para voltar ao seu melhor.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que não dá para inventar regra, Louzada. Já existe uma estabelecida, então que se siga. Se dois tenistas chegam a 6/6 num quinto set, o equilíbrio já está muito bem definido e então que se jogue o tiebreak. O US Open funciona assim desde 1970.

      Responder
      1. Marcos Junior

        Dalcim, boa noite! Que “clássico” é esse entre nadal x Djoko, que rivalidade, os dois jogador vibrando entre cada ponto, gostaria que durasse 10 horas esse jogo 9 que vc acha do duelo de hoje? O Djoko está lembrando muito aquele de 2011, 2015 e 2016, acho que o Djoko leva esse Wimbledon, mas é apenas um ponto de vista! Mais uma pergunta vc acha essa rivalidade maior que Fedal?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Falarei do jogo daqui a pouco, Marcos. Olha, acho que Fedal atrai mais devido ao duelo de estilos e por serem rivais bem mais antigos que Nadal e Djokovic.

          Responder
          1. Marcos Junior

            Boa Dalcim, aguardo comentários, gostei muito da atitude do Nole hoje, acho que tem tudo para voltar aos grande s títulos, de fato Fedal atrai mais devido aos estilos, mas como é gostoso ver duelos entre esses 3 jogadores fenomenais! Não é mesmo?!

  18. Fernando Brack

    Mais um absurdo bancado pela obsessão tradicionalista de WB. Quando eles vão acabar com essa loucura de 5° set longo? Haja gás pra aguentar essas maratonas. Mas, por incrível que pareça, os dois mantiveram o altíssimo nível de seus saques até o último ponto. Pena que um deles tinha que perder.

    Responder
  19. Luiz Totti

    E com 53 aces, o Isner pelo menos bateu o recorde de Wimbledon, certo, Dalcim? Com os 161 anteriores, ele foi a 214! E sem fazer a final, ou seja, com um jogo a menos! Cacetace! Muita coisa, nao e? O Sul Africano vai ter que apelar para todas as entidades para ter bracos e pernas no Domingo, pois ja teve 21 horas de quadra nesse torneio. Nadal, ate antes da Semi tinha 13 horas e Djoko pouco mais de 10 horas. Ou seja, para equilibrar as coisas na final, o jogo de Nadal e Djoko deveria demorar entre 8 e 11 horas! rsrssrsrs. Numa Sexta-Feira 13 pode ate ser possivel.. ahahahaha

    Responder
  20. Rafael

    Pra alegria do meu caro Pessanha, o maratênis esá mais vivo do que nunca, promovido pelo “templo do tênis”.

    Quinto set sem tie-break é uma imbecilidade, uma antiguidade, um despropósito, uma desnecessidade, onde obviamente não é o melhor que ganha, mas aquilo que os amantes do tênis clássico mais odeiam – ou assim dizem – o jogo decidido pela parte física.

    Dois grandes sacadores, nenhum dos dois um grande devolvedor. Perspectiva clara de maratona. John Isner em sua segunda, pelos motivos errados.

    Os narradores começam a se repetir, o telespectador fica cansado, eu mesmo fiquei entre a dó de um dos dois perder depois de tudo aquilo e a vontade que acabasse para o jogo de Djoko e Nadal, que provavelmente durará dois dias.

    E o pedaço que eu esperava ainda pegar não vai dar, pq tenho que trabalhar.

    Wimbledon, onde tudo começou. Wimbledon, que parou no tempo. Um país que gasta milhões de libras por ano para manter uma monarquia figurativa e que serve apenas para dar assunto a tabloides sensacionalistas, bom, faz sentido não ter sentido.

    Pffff….

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Concordo muito contigo, Rafael. Wimbledon parou no tempo nesse aspecto. Entretanto, daqui a 50 anos, Isner será lembrado por suas duas maratonas (contra Mahut e Anderson) e Anderson será lembrado por ter ganho uma semi em Wimbedlon após quase 7 horas de jogo.
      Com relação ao Maratênis, esse esporte caracteriza-se por pontos extremamente longos, exatamente o oposto do que fazem Anderson e Isner. rs.
      Abs

      Responder
      1. Rafael

        Vc vê, Pessanha, aí é que eu quero chegar. Isner e Anderson resolvendo os pontos rápido ficam mais de 6 horas e meia em quadra, devido à tradição paleozoica do templo do tênis.

        Começo a desconfiar que esse templo do tênis tenha uma seção de catacumbas, com os restos de antigos faraós tenistas, e que haja a ameaça de uma maldição recair sobre aquele que ousar mudar as regras.

        Abs!

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Esta’ havendo um grande equívoco, Rafael. Os SLAM e a Copa Davis pertencem a ITF e não a ATP. Até no FINALS existe Tie-Break no Set Final .Os Norte Americanos deram um bico na ITF desde a década de 70 no USOPEN. Agora que até a Davis está sendo alterada, os outros TRÊS SLAM terão que aderir. O problema não é Wimbledon isoladamente. Abs!

          Responder
  21. marco

    Gente. Djoko deu sorte. Vão fechar o teto devido a falta de luz natural e as condições ficarão favoráveis a ele, como no Finals. A coisa ficou ruim para Nadal.

    Responder
  22. Bruno Louzada

    Caramba Dalcim….é impressionante wimbledon.

    Da pra fazer uma lista de uns 20 jogos INSANOS que aconteceram em wimbledon de uns 5 anos pra ca.

    Australia Open e Us open tbm costumam ter muitos jogos espetaculares em boa quantidade.

    Mas quando se lembra em Roland Garros com menos frequencia jogo memoravel, …..principalmente em fases finais, geralmente eles acontecem no começo do torneio. Tendo em vista que o saibro tem muita troca de bola e alternativas nao deveria ser um slam com muitos jogos espetaculares???qual a razão para isso?

    Responder
  23. Rubens Leme

    Anderson acaba de quebrar em 25-24, com Isner mal conseguindo andar e o público berra.. de alívio ou felicidade?

    E que bola do Anderson, hein, mesmo caído.

    49 games no quinto set contra 49 no quatro primeiros.

    Responder
  24. José Eduardo Pessanha

    E aí, Mestre… está melhor assistir a 7 horas de Anderson – Isner ou você preferiria assistir a um Murray – Simon? Páreo duro, hein…. kkk
    Abs

    Responder
  25. Miguel BsB

    Bom, essa semi interminável só confirma o que falei anteriormente sobre o jogo na grama…muitos discordaram de mim, o que faz parte e respeito, outros, como acontece muito por aqui, apelaram, amaldiçoaram a inclusão digital kkkkk, e disseram que eu tenho que estudar pois não entendo nada de tênis rs, que da grama sagrada ninguém fala mal…
    Somente na grama um jogo bizarro desses acontece. Dois gigantes de mais de 2m, que praticamente vivem do seu supersaque, e talvez de uma boa direita pra acompanhar, ficam confirmando saques, anotando aces e service winners durante horas. Qual a graça disso? O jogo disputado nessa superfície obrigará os jogadores do futuro a terem altura e biotipo de jogadores de basquete? As quartas disputadas por Isner, Anderson, Raonic (Delpo tb é muito alto, mas esse sim joga Tênis, os outros são sacadores)
    No saibro, esse tipo de jogador não se cria…No saibro, esse tipo monótono de jogo não acontece. No barrão, o cara só ter saque não vai levá-lo muito longe….
    Todo mundo esperando o superclássico, mas é capaz desse jogo ser adiado até que algum dos gigantes resolva perder o serviço…

    Responder
  26. Luiz Fernando

    23-22 pro Isner que aparenta estar morto em pé, mascresistindo. KA parece mais inteiro, mas não consegue se impor. Ambos parecem dois zumbis…

    Responder
  27. Rubens Leme

    Uma partida que lembra o Emerson, Lake & Palmer, afinal os shows do trio eram conhecidos pelo slogan “The Shows That Never Ends”.

    Vai um Tarkus aí, Dalcim?

    Responder
      1. Rubens Leme

        Você é mais um fã de prog ou hard ou punk, Dalcim?

        E se pensarmos em shows longos, podemos pegar também os intermináveis do Greatful Dead. Tenho uns boots de 4h30.

        Responder
          1. Rubens Leme

            O III é meu favorito deles e um dos meus 15 discos prediletos. Depois vem o Physical Graffiti, o primeiro, o Presence e o Houses of the Holy.

          2. José Nilton Dalcim

            Não conseguiria classificar, cada disco tem um aspecto muito diferente e uma evolução evidente. Recomendo você ler o livro de entrevistas de Jimmy Page, em que ele conta musicalmente isso, é uma aula. Abs!

          3. Miguel BsB

            Mestre Dalcim, além de grande jornalista e conhecedor de tênis, tem um excelente gosto musical tb! Led Zeppelin, a maior banda de todos os tempos! Essa sim é a GOAT!

  28. Sérgio Cipriani

    Não sei o que é pior…. Assistir Anderson e Isner na grama, ou Bautista-Agut enfrentando Carreno-Busta no saibro…. Tá louco… Ainda acho que prefiro a segunda opção…. kkkk

    Responder
  29. Rubens Leme

    Dalcim, você não acha que Wimbledon deveria adotar o tiebreak no quinto set? Além de poupar um pouco mais a grama, corre o risco de não adiar uma outra partida pro dia seguinte. No momento, está 15-15 e são quase sete da noite, em Londres, ou seja, se Djokovic e Nadal forem para o quinto set, o jogo fatalmente só terminará amanhã.

    Sem falar no desgaste de Isner e Anderson para a final.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, eu sou favorável ao tiebreak no quinto set faz tempo, Leme. Claro que há emoção e um diferencial no set longo, mas no tênis atual isso pune o vencedor, que dificilmente tem pernas no jogo seguinte ou duas rodadas depois. Imagine então numa final de Wimbledon. Podemos ter um jogo completamente sem graça no domingo.

      Responder
      1. Rubens Leme

        Pois é, vale lembrar a final olímpica de 2012, em que Federer se arrastou contra Murray por causa da semi inerminável contra Del Potro.

        Acho isso uma imbecilidade, uma falta de respeito a quem pagou caríssimo o ingresso da final e aos próprios fãs do esporte.

        Responder
          1. Rubens Leme

            Para se ter uma ideia, os quatro primeiros sets tiveram 49 games. Agora está 20-20 no quinto, ou seja 40 games.

            Mas a culpa é do Anderson que tinha 5-3 no terceiro, perdeu o serviço e o set. Poderia ter fechado o jogo no quarto set.

            Agora hoje, só amanhã, pelo visto.

      2. Carlos

        Deveria ser decretado empate nesse jogo e fazer um triangular final para decidir o título..rsrs
        Não tem cabimento um jogo de tênis durar seis horas ou mais rsrs
        O Anderson tá igual a Croácia, só na base da prorrogação rsrs

        Responder
      3. Jose Alexandre

        Acho que nem precisa ter jogo no domingo, essa primeira semifinal é uma réplica de Isner x Mahut, com Isner só entrando em quadra na outra rodada para “cumprir tabela”. Decepcionante e broxante o final do torneio.

        Responder
      1. Sandra

        Fisicamente eles não se cansam, para o próximo jogo??? Alias vou me embora, como torço para o Nole e a coisa ta feia para ele, ficar vendo ele jogar com aquele saque parece filme de terror rsssss, obrigada pela resoosta

        Responder
  30. Carlos Henrique

    Dalcim, o quanto da demora na primeira semifinal pode influenciar a segunda? O sol vai baixando e a temperatura diminuindo, quem leva vantagem entre rafa e nole?
    Uma coisa é certa, quem passar de isner e Anderson vai estar muito desgastado pra domingo!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Desculpe, não entendi. Você quis dizer final de Grand Slam? Bom, Anderson fez final do US Open com a Dunlop. Já a Prince pode ter sido Rafter em Wimbledon de 2001.

      Responder
  31. sandro mg

    ótimo post, Dalcim!! Nos grandes torneios, fico aguardando ansiosamente todo fim de noite para ver, através do blog, a sua opinião sobre os jogos do dia!!! Show de bola!!
    Dalcim, por qual motivo você acha que os jogadores de hoje optam menos pela agressividade (tipo saque voleio e afins – até o Federer disse há pouco tempo que falta agressividade na geração atual) ?
    Vejo muitos (naturalmente, o mais experientes, que viram borg, connors, etc) criticarem o tênis atual e até “culparem” nadal e djokovic por implementarem a obrigatoriedade do jogo de fundo de quadra…
    No fim das contas, é uma fase ou o jogo de fundo de quadra dá mais resultados (claro que levando em conta as quadras duras e a grama, pois no saibro, naturalmente, o jogo de fundo é o mais efetivo).
    abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O problema é que a devolução de saque evoluiu muito mais que o próprio saque com o novo material e ficou bem mais difícil ir à rede no tênis atual.

      Responder
  32. Luiz Fernando

    Isner e KA já vão p 3 horas de jogo e está 11 em sets, com 2 tiebreaks e um terceiro encaminhado. Se houver um quinto set daqueles de W Rafa e Djoko podem não terminar a partida hj…

    Responder
  33. Sandra

    Dalcim , no momento vejo a partida do Isner e Anderson, não acha uma verdadeira loteria??? Tudo no tie break??? E independentemente se Nole ou Nadal forem para final??? Como será possivel parar o saque deles??? Da para devolver um saque desses??

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É só você ver o histórico dos duelos entre Nadal ou Djokovic diante desses sacadores para você ver que é plenamente possível. Nadal por exemplo tem 7-0 e 5-0, Djoko tem 5-1 e 8-2.

      Responder
  34. Neymala

    Fico pensando o que estão pensando os caras que pedem quadras cada vez mais rápidas vendo esse Isner X Anderson. Devem ser os fanáticos por saque e vôlei com pontos com no máximo 4 trocas de bola. Acho que merecem semifinais com : Karlovic X Querrey e Isner X Anderson.

    Responder
  35. Rodolfo Marques (Belém-PA)

    Prezado Dalcim,

    Em relação ao jogo de logo mais, entre Rafael Nadal e Novak Djokovic, eu apresento duas questões:
    a) Em termos de força mental e de equilíbrio emocional, algum dos dois levaria vantagem hoje ou, nesses aspectos, haveria um “empate”?

    b) Quais seriam as principais armas técnicas e táticas que o Nadal poderia utilizar para neutralizar o adversário e vencer o Djokovic?

    Grato pela atenção e sucesso, sempre!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Djokovic estaria naturalmente mais ansioso, porque já são dois anos sem um título de Slam e sabe que Nadal vive um momento excepcional. Como disse antes, Nadal tem algumas possibilidades: usar bola no centro para tirar ângulo, usar slice na paralela para baixar a bola e impedir o ataque de backhand, usar a cruzada no backhand no ponto mais vulnerável de Djokovic, que é o forehand. Acredito ainda que ele tentará usar maior percentual de primeiro saque para evitar o ataque ao segundo serviço.

      Responder
  36. Alison Cordeiro

    O primeiro jogo que vi depois que voltei a ter tb a cabo foi uma final na grama entre Nadal e Nike. Naquele dia, e naquele momento (2008), Rad era superior a Djoko e levou a partida, mas foi um jogo duríssimo, disputado ponto a ponto. Desde sempre ambos fizeram jogos equilibrados, com detalhes decidindo os jogos. Nadal é favorito, vive outro momento “daqueles” que estes grandes campeões costumam viver e superar seus limites. Torço por Nole, mas cientes que precisará ser muito preciso para vencer o espanhol.

    Responder
  37. Rubens Leme

    Lembrando que Borg venceu três vezes em anos consecutivos, um feito ainda mais espetacular (1978-79-80) e impossível de se conseguir hoje, fato ainda mais impressionante porque a grama era uma latifúndio exclusivo dos voleadores.

    Dalcim, os 109 títulos do Connors parecem uma marca cada vez mais difícil de ser alcançada. Talvez daqui uns cinco ou seis anos, alguém possa chegar perto disso, não acha?

    Responder
    1. Carlos Reis

      Federer venceu Wimbledon e o US Open em 4 anos consecutivos, de 2004 a 2007. Fez 6 finais seguidas tanto em Wimbledon(2003-2008) quanto no US Open(2004-2009), infelizmente perdeu o Hexa nas duas oportunidades, Nadal e Del Potro o venceram no 5.set de ambos os torneios. Dez finais seguidas de GS, esse recorde é difícil de ser quebrado hein!? E a 2a marca, 8 finais seguidas tbm é do craque suiço. Ele conseguiu tudo isso mesmo sendo “fraco” mentalmente, se comparado a Djokovic e Nadal, o “homem que não cansa NUNCA”.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Essa marca foi considerada inalcançável pelos grandes Experts mesmo com Sampras terminando como N 1 do Mundo por 6 Temporadas Consecutivas. Como o Deus Borg não deve voltar a jogar mais, e o Craque Suíço está prometendo ir até Tóquio 2020, quem está mais próximo é o próprio. Faltam 11 em 2 anos e meio. Mas vale a sua Secada rsrsrs Abs!

      Responder
  38. Paolo Rossi

    Eu tenho certeza absoluta que o Djokovic vai ganhar amanhã. A linguagem corporal do Rafael Merdal, o Rafa dos nachos é negativa quando ele joga fora do saibro, em especial Roland Garros. Não diria que ele seja UNIDIMENSIONAL,mas sim muito UNIDIMENSIONAL.Djokovic ajudou deixar o ibérico virgem no Finals, os torcedores dele tem me dizer algum titulo relevante que o Merdal tirou do Djokovic, que ele ainda não tenha??????????????. Engraçado quando ele faz carinha de psicopata para tentar intimidar os adversários(kkkkkkkk)

    Não duvido nada que esse cidadão olhe a bunda no espelho para ver se tem celulite.Abs!

    Novak Djokovic Epic Points Won Against Rafael Nadal.

    https://www.youtube.com/watch?v=pdtvEWpb3og

    Responder
    1. Renan Vinicius

      Título importante e dificil que o Djokovice não tem: Ouro Olimpico!
      Nadal tirou o doce da boca do Sérvio em 2008…
      Chora mais que ta pouco….

      Responder
      1. alessandro sartori

        se o Djokovic tivesse só um finals, eu fosse ele, não trocaria pelo ouro olimpico, olimpíadas na maioria das vezes os tenistas nunca deram muito valor, até porque é um torneio de 4 em 4 anos, aleatório total, agora um tenista, do nível do Nadal não ter Finals, quinto torneio mais importante do circuito, e que se joga todos os anos… Isso mostra o quanto tem dificuldade o espanhol quando o piso se torna ainda mais rápido, por conta do teto fechado no Finals, tbm nunca ganhou M1000 Paris também com quadra coberta… E por falar em quadra coberta, vão fechar pra Djoko e Nadal agora…

        Responder
  39. Rodrigo S. Cruz

    [LUIZ FERNANDO] “E vc reagiu como quando aqui se fala de doping do cara? Será as federetes adoram o Nadal? Eu e o Chetnik não somos hipócritas e dissemos isso sem enrolação. Aqui não tem muitos santos, e vc não é um deles”.

    E você acha que afirmar que alguém se dopa tem o mesmo peso que odiar alguém?

    Desde quando um federista precisa adorar o Nadal?

    Desde quando um nadalista precisa gostar do Federer?

    Agora, odiar?

    Odiar eu odeio quem fez mal pra mim, pra coletividade, pra minha família, pra nação…

    Eu vou odiar o Djoko ou o Rafa por que?

    Só porque eles ganharam vezes muitas do Federer?

    Kkkkk

    Você não é um cara burro para fingir não enxergar o monte de FUROS nesta tua infeliz fala, Luiz…

    E ainda está em tempo de você ter uma atitude bacana e se retratar dessa besteira!

    Responder
  40. Isaias

    Dalcim, Cilic tem 1,98m como Del Potro, ou não??? se Cilic tiver 1,98m também ele é recordista empatado com Del Potro como os tenistas de maior estatura a ganhar um grand slam.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Realmente, o perfil no site da ATP diz isso. Preciso checar então porque eles consideram Delpo como o mais alto ganhador de Slam, Isaias.

      Responder
      1. Barocos

        Muito provavelmente porquê o título de Slam do Delpo veio primeiro, em 2009, enquanto que o do Cilic é de 2014, curiosamente, ambos no USOpen. Como é de praxe em estatística nestes casos, o primeiro leva.

        Responder
  41. Albert Dock

    Dalcim, eu li q o Nadal e o Moya tiveram um desentendimento em Roland Garros, algo a ver com o preciosimo e obsessão do Nadal em melhorar. Sabe se é por isso q o Moya nao está em Wimbledon?

    Responder
  42. Mario César Rodrigues

    Rafa Nadal,deve jogar bem pesado mas de uma forma mesclando força,paralela e o saque não precisa forçar muito não ele tem que blefar sim isto mesmo saque no corpo e nas trocas variar bastante e correr riscos mas vejo que Rafa deve quebrar a bola no meio várias vezes para Nole não ter Ângulo e na volta a bola vai estar pronta para matar o ponto.Rafa defendendo bem bem que eu falo não é jogar a bola do outro lado é para o Nole ter dificuldade e acho que deixadinhas só mesmo quando tiver certeza.Bem isto é só o que vejo que poderia dar certo.Mas na hora tudo pode mudar!

    Responder
  43. Maurício Luís *

    Estou torcendo muito pra Serena conseguir mais esta façanha. A mamãe Kim Clijsters já conseguiu isto no US Open, quem sabe Serena também. De qualquer forma, ainda que perca, só a Serena pra ter uma filha, passar por cirurgias e voltar com tudo. É uma guerreira talentosa e determinada, assim como a irmã Venus.
    Ao final de Wimbledon, teremos a número 1, a número 2 e a que é a melhor de todas: Serena.

    Responder
  44. Frederico Schnack

    Galera!
    Amanhã todos acordam e verão Rafa como N° 1 do mundo com certeza até o término do US Open!!
    Grande semi-final para se assistir em Wimbledon entre o Touro e o Djokokiller!!!

    Saudações Nadalistas a todos.!!

    Responder
  45. Luiz Evandro

    Djokovic não é mais o mesmo cara de dois anos atrás, aquele “homem borracha”, que devolvia tudo.
    Agora ele está mais humano, mais ainda assim com um nível excelente de tênis.
    Vejo o Nadal agora com muito mais armas para enfrentar Nole. Lembremos da semifinal em Doha, dois anos atrás, 6/2 6/1 para o Djokovic, foi uma humilhação.
    Djokovic hoje é 65% daquele jogador de 2016, e Nadal evoluiu muito desde então. Daria 55% de chances pro Nadal hoje contra o Djokovic.

    Responder
  46. Rafael

    “Quanto ao Federer, acredito que ele apostou que Anderson fosse sentir em algum momento, e isso não aconteceu.”

    Dalcim, respondendo a alguém no outro post.

    Curioso, no quinto set eu lembrei exatamente de Federer x Roddick, lá em Wimbledon mesmo, com Sampras na plateia, onde o 5o. set foi até o15 ou 16, sei lá, e a tensão de ver quem sucumbiria ao stress e erraria primeiro, tive certeza que seria Anderson, assim como lá foi Roddick, mas não.

    Anderson foi um bloco de gelo, Depois pareceu que se fosse a 30, ainda assim ele esperaria (ou faria) Federer errar primeiro.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      A diferença Rafael , é que o Suíço surpreendeu o grande Sacador com 50 Aces a 32. Confirmava o seu Serviço com muita facilidade para desespero do Norte-Americano. E sempre buscando a transição junto a rede. Anderson confirmou vários Serviços com extrema facilidade , com Federer plantado lá no fundo. A confiança mudou de lado. Os méritos foram todos do Gigante , a meu ver. Abs!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A receita é óbvia, mas o problema maior que vejo hoje é que Djokovic não tem sacado da mesma forma que antes e isso pode fazer falta, Igor.

      Responder
      1. Cassio

        Olha Dalcim, saque por saque eu não acho que o Djokovic largue atrás amanhã não.

        Algumas estatísticas:

        1st Serve Points Won
        N. Djokovic 225 of 270 = 83%
        Nadal nem tá no top 20.

        First Serves In
        N. Djokovic 270 of 378 = 71%
        R. Nadal 333 of 492 = 68%

        2nd Serve Points Won
        R. Nadal 106 of 159 = 67 %
        Djokovic nem tá no top 20.

        1st Serve Receiving Points Won
        N. Djokovic 124
        R. Nadal 109

        2nd Serve Return Points Won
        N. Djokovic 117
        R. Nadal 100

        Bom,. confesso que depois dessas quase duas semanas de jogos e da qualidade mostrada por cada um em quadra, esperava que você estivesse levando mais fé no Djokovic.

        Nadal passou sérios apuros contra o Delpo e convenhamos, Djokovic é muito mais difícil que o Delpo, não a toa o Nadal perdeu 26 pra um e apenas 5 pro outro.

        Amanhã é sem dúvida o Djokovic x Nadal mais aberto dos últimos anos. Impossível ter visto os jogos em Wimbledon, conhecer os históricos e não achar que tem tudo pra ser um jogo muito, muito parelho que será decidido em pequenos detalhes ao longo de cada set. Não aposto em vitória por sets diretos pra ninguém e essa foi a tônica dos últimos muitos encontros entre eles.

        Há uma previsão de dia nublado e possivelmente de chuva. Se fecharem a quadra o Djokovic ficaria com uma leve vantagem ao meu ver… bom, vamos lá! Estou muito ansioso. É o jogo que mais estou com expectativa desde a final do AO 2017!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Todos sabemos da grande competência do Djokovic e como seu jogo se encaixa bem diante do Nadal, Cássio, porém para mim o espanhol leva vantagem pelo momento da carreira que ambos atravessam. No entanto, o jogo se decide lá na quadra nem tão verde agora… rsrs… Só podemos esperar um duelo game a game.

          Responder
  47. Luiz Fernando

    O Dalcim respondeu a uma postagem minha no outro tópico de uma forma q eu não entendi. Sinceramente não me lembro de ninguém da torcida do Rafa atribuindo vitórias do Federer a doping, o que sempre foi uma constante no outro segmento. Mas ele deve ter um controle melhor do q o meu…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se não me falha a memória, você mesmo duvidou diversas vezes da contusão no joelho sofrida por ele depois da Austrália na brincadeira doméstica com os filhos, Luiz. E outros participantes cansaram de dizer que o afastamento do Djokovic seria por doping. Portanto, infelizmente, isso afeta a todos.

      Responder
  48. PIETER

    Ficarei genuinamente surpreso se Djokovic derrotar o Nadal.
    Na verdade, depois da derrota do Federer, considero o espanhol o maior favorito em Wimbledon.
    Mas no esporte o favoritismo é sempre teórico, nas quadras é que a realidade se impõe. A conferir.

    Responder
    1. Le Sant

      Qual é o historico do Nadal nos ultimos 8 Wimbledons?

      Qual é o historico do Djokovic nos ultimos 8 Wimbledons?

      Sinceramente, surpresa é Djokovic, um tenista muito mais adaptado a grama, perder pra um saibrista.

      Ali não é barro, ali é jogo de quem bate na bolinha com mais facilidade, a direita do Nadal leva um seculo pra ser executada.

      Seria surpreendente ele derrubar um tenista tao agil, flexivel e completo como Djokovic.

      Ainda mais sabendo que esse tenista tem H2H positivo sobre ele.

      Em alto nivel, como vem jogando estas duas semanas, Djokovic é superior ao Nadal e varias vezes foi superior até ao Federer, que é conhecido como Rei da grama.

      Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Linda demais!
      A imprensa é um negócio sério hein? Tem uma foto da Kerber indo cumprimentar a Radwanska ao final de um jogo, como algumas costumam fazer, trocando beijinhos no rosto. Ai congelaram a foto no momento da aproximação e insinuam “selinho” das duas, rsss.

      Responder
      1. Nando

        Torço pro Isner kkkkkk, aliás quem sair como vencedor já desta semi mto provavelmente estará no Finals…e o perdedor estará mto vivo por uma das vagas tbm.

        Responder
    1. Mario César Rodrigues

      Meu caro vc tem razão sem perder set eu disse um misero set.ele perdeu dois então faltou interpretação para vc!cara quem não perde set em WB algo de muito especial acontece.Já no saibro só Rafa nos dias de hoje consegue.e vai chupar manga com sal!

      Responder
  49. Cassio

    Dalcim, essa ampla vantagem do Nadal em Slams se deve ao fato dele ser o melhor do saibro e coincidentemente terem jogado a maioria das partidas de GS deles por lá.

    Temos 6-1 pro espanhol em partidas no saibro. Nos outros pisos um 3-3, sendo que como mencionou, uma foi por abandono do Djokovic. Enfim, há uma supremacia do Nadal no saibro, fora disso é bem equilibrado.

    Outro ponto, H2H deles de 2011 (quando Djokovic claramente subiu de nível) pra cá fora do saibro é 12-2 para o Nole. Sendo as duas vitórias do Nadal em 2013, Canadá e USO.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *