‘Big 3’ está de volta
Por José Nilton Dalcim
9 de julho de 2018 às 20:49

Mais de três anos depois, os maiores tenistas deste milênio estão novamente nas quartas de final de um Grand Slam. Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic tiveram partidas bem tranquilas e repetem o que não acontecia desde Roland Garros de 2015. Curiosamente, naquela ocasião, apenas o sérvio chegou na semi, mas o título acabou nas mãos de Stan Wawrinka.

O ‘Big 3’ soma 49 títulos de Grand Slam e desde aquele Paris venceu 10 dos 12 campeonatos disputados, com exceção de Wawrinka no US Open e de Andy Murray em Wimbledon, ambos em 2016. Como todos sabem, suíço e espanhol dividem os seis mais recentes Slam.

Qual a chance de não termos o ‘Big 3’ na semifinal de sexta-feira? Pequena, a meu ver, embora ainda não saibamos o adversário de Nadal. O suíço encara o conhecido Kevin Anderson, um respeitável adversário que saca muito, voleia bem e bate bem de fundo, porém não tem currículo na grama.

Djokovic vai pegar o ‘freguês’ Kei Nishikori para uma batalha de fundo de quadra. Vale observar que Nishikori já sente dores no ombro direito. Nadal está com um repertório vistoso e não acredito que Juan Martin del Potro muito menos Gilles Simon tenham golpes ou pernas para barrá-lo. Delpo não fechou o jogo em três sets e corre risco na retomada porque já pediu atendimento e o francês é muito competitivo.

O lado de cima de chave reúne grandes sacadores e adeptos de um tênis agressivo. Se Federer passar, vai encarar os ‘aces’ de Milos Raonic ou John Isner. O canadense voleia bem e já venceu o suíço em Wimbledon rumo à final de 2016. Já a parte inferior só vê típicos jogadores de base, ainda que Delpo seja melhor sacador do que todos os demais.

Então o desenho está traçado para a mais deliciosa batalha que o tênis masculino pode almejar: ataque contra defesa. Na grama então, a expectativa é de show.

Novidades nas meninas
Semifinal de Wimbledon será uma novidade para todas no feminino, menos Serena Williams e Angelique Kerber. Algumas têm experiências importantes em Grand Slam, como é o caso da campeã de Paris Jelena Ostapenko e a vice da Austrália Dominika Cibulkova. As duas se cruzam nesta terça-feira e única referência são as duas vitórias da eslovaca nos duelos diretos.

Talvez a grande surpresa agora seja a bela italiana Camila Giorci, 52ª do ranking e primeira presença em quartas de Slam. Tem um estilo muito agressivo, o que é essencial para tentar encurralar Serena. Mas o controle emocional não é seu forte.

Kiki Bertens já fez uma semi em Roland Garros, com escassos resultados expressivos em pisos mais velozes, o que parece agradar bem mais Julia Goerges, que nunca havia sequer atingido as oitavas de um Slam e vinha de uma sequência incrível de cinco derrotas na estreia de Wimbledon.

Assim, uma nova final entre Serena e Kerber é a melhor aposta do momento. A canhota alemã, finalista de 2016 quando perdeu justamente para Williams, tem tido altos e baixos ao longo do torneio, porém experiência é algo essencial e isso ainda falta à jovem russa Kasatkina.

Bruno na Central
Parceiro de um dos grandes nomes da casa, Bruno Soares terá a honra de disputar as quartas de final de duplas na Quadra Central nesta terça-feira. É um momento duplamente especial, porque o mineiro também busca sua primeira semi em Wimbledon. O escocês Jamie Murray já fez final, em 2015, e certamente deve ter um sonho especial ali. Os adversários merecem cuidado: os experientes Raven Klaasen e Michael Venus.

Cenas das oitavas
– Federer pela primeira vez encarou break-points em Wimbledon, mas manteve o serviço pela 81ª vez consecutiva. O recorde está distante: 114 de Sampras.
– Anderson enfim ganhou de Monfils num jogo decidido nos mínimos detalhes. Subiu 61 vezes à rede e ganhou 42 pontos.
– Raonic disparou mais 37 aces contra a surpresa McDonald e não cedeu um único break-point na partida.
– Isner faz primeira quartas em Wimbledon em 10 participações, mas curiosamente só fez cinco tiebreaks, tendo perdido dois.
– Nadal cedeu uma quebra, mas perdeu apenas 11 pontos com o primeiro serviço diante de Vesely.
– Sete duplas faltas parecem indicar que Nishikori realmente sentiu o ombro. Sua média de primeiro saque foi de 175 km/h.
– Djokovic colocou 71% do primeiro saque em quadra, com apenas dois aces. Dá para melhorar muito.
– A chance matemática de o tênis feminino ter a oitava diferente campeã de Grand Slam seguida é grande, mas terá de haver uma considerável surpresa. Kerber, Serena e Ostapenko justamente iniciam essa série, que depois teve Muguruza, Stephens, Wozniacki e Halep. Será?


Comentários
  1. Andre Barcellos

    Olhando os comentários e vendo a galera depreciar o tênis do Federer com apelidos de bailarina etc eu penso:
    Será que…além de ser eficiente, vitorioso, recordista….jogar bonito é demérito?
    Porque eficiente já está mais que provado que ele é, ao contrário de Dimitrov, por exemplo.

    Parece que fazer esses tais enxergarem a grandeza do suíço não é mais tarefa de argumentação, mas de exorcismo.

    Responder
    1. Mike

      A galera não tem o que fazer e adora depreciar, quando é pro lado do humor, até que vai, mas geralmente é pra menosprezar mesmo, como você bem falou o federer aliou as duas coisas: eficiencia e jogo plastico e por isso é tão vitorioso, o que tem de tenista talentoso mas não traduz em resultados não tá escrito…

      Responder
  2. Rubens Leme

    São as federetes de sempre, né? Estrebucham, ficam machinhas, mas diante dos números apresentados, nadam falam. Federer é freguês e motivo de alegria para Nadal e Djokovic quando se encontram em Slams.

    Ah, sim. Djokovic fechou o Grand Slam, assim como o Rod Laver. E Nadal tem o ouro olímpico. E ambos venceram mais Masters 1000. E Djokvic foi o primeiro a superar a marca dos 100 milhões de dólares em prêmios, mesmo tendo entrado bem mais tarde no circuito.

    Aposto que muitos aqui são os mesmo que consideram Senna o maior piloto de F-1 mesmo Schumacher tendo 50 vitórias a mais (91 a 41) e 4 títulos (7×3). O argumento? O clássico “ah, mas o alemão só ganhou tudo isso porque ele morreu antes”.

    Claro, claro…

    Responder
  3. João ando

    Karue sell perdeu …o paulista que já foi 27 do mundo tb …Dutra Silva ganhou ….não sei até quando o Thomaz vai aguentar isso…

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Oi gata estou em Sampa mesmo, de ingles no momento “only working” kkk! Vc está em W? Por favor não seca o Rafa, se não secar libero p vc os morangos com creme famosos no local…

      Responder
  4. Luiz Fabriciano

    Dalcim, você colocou que Djokovic jogou com 71% de aproveitamento de primeiros serviços e fez 2 aces apenas. Realmente dá para ser muito melhor, mas isso, sob meu ponto de vista não quer dizer algo a se preocupar. No jogo contra o Edmund, que eu considero melhor que o russo, foram, se não me engano, 15 aces. Então, é ajuste jogo a jogo.

    Responder
      1. RicardoCWB

        Dalcim, o que achas de uma possível volta do Becker ao staff do sérvio, agora que este parece, finalmente, ter posto a cabeça no lugar?
        Acho que seria muito interessante para ambos.

        Responder
  5. Sérgio Ribeiro

    Cravamos que não teríamos mais Zebras na outra chave e não deu outra. A não ser que Del Potro seja ela. E se Rafa Nadal batê-lo e em sequência Novak e Roger ninguém vai poder vir com aquele ridículo ” Chave Fraca ” pós Sorteio. Difícil saber quantos Aces Anderson , Isner ou Raonic farão. Mas acredito que o Craque saberá enrola-los. Mesmo que seja numa penca de Tie-breaks. Tsitsipas : ” Estou satisfeito de cumprir minha meta de chegar na segunda Semana de um SLAM. Agora espero ver Federer na Final pela TV. Vi seu jogo contra Sampras 3 vezes esta Semana ” . Garanto que Hewitt, e o Big Four pensavam bem diferente com os mesmo 19 anos do Grego rsrsrs Ao menos uma Nex Gen no Feminino junto às Trintonas. A Rainha está próxima de mais um feito extraordinário . Mas tem jogo ainda. Gostei do nível destas Quartas das meninas. Abs!

    Responder
  6. Rubens Leme

    É um absurdo chamar de melhor de todos os tempos alguém que tem desvantagem não apenas no H2H para seus maiores rivais, como ainda em Slams. Se perde por 9×6 (3×1 em finais) pra Djokovic, para Nadal é ainda mais vergonhoso, que o massacra por 9×3 (6×3 em finais).

    Federer é um autêntico parque de diversões para o espanhol, que faz dele gato e sapato e o suíço aproveita a desculpa de poupar os joelhos, para fugir do saibro. Aliás, ele poupa os joelhos sim, mas de tremedeira.

    E só para encerrar: contra Murray ele lidera apertado, 14×11. No total, contra todos do G4, ele venceu ainda 15 vezes Nadal e 22 o Djokovic, totalizando 51 vitórias, contra 57 derrotas (as 11 pro escocês, mais 23 para Nadal e Djokovic, cada um).

    É muita freguesia.

    PS: se lidera por 18×7 contra Del Potro, em finais perde por 4×2, sendo uma de Slam (US Open, 2009), e duas no “quintal de sua casa”: Basileia, 2012 e 2013.

    GOAT? Só se for comparado ao animal (que é menos feio do que ele, por sinal).

    Responder
    1. Lucas

      Então porque mesmo com retrospecto favorável contra Federer nem Djoko nem Nadal são Goat?Simplesmente porque o hXh não é o que define isso.Se Federer com os maiores feitos do tenis com 20 slams e 310 semanas como 1 não é ,não vai ser a vantagem no confronto com o suíço que vai fazer com que tanto o sérvio quanto o espanhol sejam.Tem que buscar o suíco em slams e número de semanas .Os dois quando o assunto é Federer , ainda olham pra cima .

      Responder
    2. Paulo F.

      Com o absurdo handicap desfavorável para o suíço, acho ridículo e fora da realidade que se cunhe o termo “rivalidade” nos confrontos Nadal x Federer.

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Cê jura?

      E por que será que o Nadal perdeu todas as partidas pro Federer em 2017, incluindo final de GS e M1000?

      Vai ver o “Parque de Diversões” estava fechado, né…

      Responder
    4. Fernando Pauli

      Parece que vc descobriu que GOAT significa bode em inglês agora na copa, que feio hein? Mas o verdadeiro significado de G O A T, no tênis, ainda vc não apreendeu, pois só H2H não é parâmetro para tal termo. Número de GS, semanas como número um, títulos, Finals, reconhecimento de público e imprensa, fora outras coisas como estilo de jogo, classe, esportividade e longevidade, coisas essas que vc não entende e nunca entenderá. Abs!

      Responder
    5. Bruno

      Parabéns pelo seus critérios.
      Se me permite vou envia lo para a atp para a ift para as revistas especializadas para tenistas aposentados e para os em atividades.
      Acho que todos lhe darão razão.
      No mais um abraço!

      Responder
    6. Sérgio Ribeiro

      O Colega vai acabar me convencendo que o melhor e maior foi mesmo BORG. Será que em vez de parar aos 26 fosse até aos 37 ,teria h2h maior pra cima do Big Mac, Lendl, Wilander, Becker , Edberg e CIA. E ganharia o USOPEN e o AOPEN ao menos 5 Vezes cada. E mais 3 Wimbledon ? Estou quase me convencendo com seus brilhantes comentários rs Abs !

      Responder
    7. Andre Barcellos

      Uma partida de diferença a favor de Novak, que é 6 anos mais novo…
      Realmente vergonhoso. Novak deveria estar à frente por muito mis.
      Quanto a Nadal, 987 disputadas no saibro…não precisa falar mais nada.
      Só pra constar. Nadal não ganha há 4 anos. Cinco derrotas seguidas.

      Responder
    8. Rafael

      UAU.

      Foi só elogiar….

      Nem acreditei que era mesmo um post seu, tive que conferir o nome duas vezes.

      Óbvio, opinião é opinião, torcida é torcida, mas vc usou termos que EU usaria respondendo a uma provocação, e eu me choquei pq te julgava bem acima disso, problema meu, lógico, me perdoe.

      Federer fujão? O tempo mostrou que não. Federer é inteligente. Na minha modesta visão, além de todas as outras razões, ele continua no circuito para garantir que as maiores marcas de todos os tempos não sejam batidas, ao menos por Nadal. E elas podem ser, é perfeitamente viável. Mas ele está fazendo de tudo para que não. Afora uma vaidade pessoal de querer os Nos. que corroborem sua alcunha de maior de todos os tempos, fecha contratos bilionários “às vésperas” de uma possível aposentadoria.

      Não é humilhante ter esse H2H contra o MAIOR SAIBRISTA QUE JÁ EXISTIU. O que esse H2H mostra? Que ele esteve LÁ, todas essas vezes (não é fujão) e o quão bom Roger também é no saibro. Fora isso, mais nada.

      O life spam de Roger Federer é outro quesito que me curvou: ok, não é só ele que se mantém /manteve jogando até essa idade, mas ele está no circuito há, digamos, VINTE anos, mais ou menos, em altíssimo grau de desempenho, sendo FAVORITO na MAIORIA dos jogos que disputa. Federer não tem a fama que tem vivendo do passado – ELE ENTREGA – ainda HOJE, às portas de fazer TRINTA E SETE anos.

      Tanto que o (mais um) bundão da LOST-GEN Stefano Tstsistsistsisisrsipirulitas vai pra casa e “espera assistir Federer na final”

      Um último dado: Federer, se está mentindo, mente e interpreta muito bem, pois parece ter PRAZER em jogar até agora. Borg foi retratado como sofrendo, tendo ataques de ansiedade, fúria, episódios depressivos, etc. Quanto disso era ligado ao desprazer, à pressão com que ele encarava o circuito? Quanto era ligado às drogas? Não sei. Mas Federer parece pairar acima dessas questões.

      E chega, que já ficou longo demais.

      Ass: Torcedor de Djokovic – e de tênis.

      Responder
      1. Rubens Leme

        Rafael, nunca quis saber as verdadeiras razões pelo qual Borg se aposentou. Ele disse que perdeu o tesão pelo esporte, sua ex-mulher disse que foi por causa das drogas e orgias infinitas. A vida pessoal dele só interessa a ele e pronto. O que guardo foram os momentos dele jogando e a tristeza que senti quando ele parou e dane-se o que as pessoas pensam ou deixam de pensar.

        Me irrita essa coisa atual de querer santificar ídolos. No futebol meu favorito sempre foi o Maradona, o eterno porra louca que fez (ainda faz) e fala um monte de bobagens. Mas eu o adorava com a bola nos pés, fazendo cruzamentos de “chicote”, lançamentos de costas e outras coisas que ninguém chegou perto. Ou como bem disse Platini “o que eu e Zidane fizemos com uma bola, Maradona fazia com uma laranja”.

        Se te choquei, paciência. Aos 50 anos e com um monte de problemas na vida, me dou o direito de curtir a vida um pouco. Escrever aqui para mim é diversão e não compromisso com a verdade. Vale o famoso bordão: opinião é que nem c*. Cada um tem o seu.

        Entrevistei muitos ídolos que curtia, tanto no esporte como na música. Alguns, mais de uma vez. Alguns até fiquei amigo e ainda mantenho contato. Um deles morreu no ano passado, o Kid Vinil e eu tinha falado com eles três dias antes sobre uns discos que tinham sido relançados e ia enviar pelo correio uns discos para ele na semana seguinte, pois tinha me dado 8 vinis de presente de aniversário.

        Então é a vida. Como curto o blog do Dalcim – o melhor do Brasil em tênis – e temos alguns conhecidos em comum na imprensa esportiva, frequento aqui. E acho divertido ver o pessoal replicar. Não me incomodo nem um pouco, pelo contrário, dou risadas.

        Responder
  7. Renato

    Novak e Nadal na Central e Federer na quadra um. Estranho. O jogo de Nole e Roger serão no mesmo horário, as 9:00. Eusébio Resende já anunciou que o jogo transmitido será o de Federer, óbvio.

    Acho que vai ficar ainda mais perigoso para Roger jogar em outra quadra, mais veloz e que ele não está acostumado. Pode ser um complicador para o suíço, mas duvido que perca um set.

    Responder
  8. evaldo aparecido moreira

    Muito prazer, sou Williams, me chamo Serena Williams…….kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Essa italiana, menosprezou e ironizou legal na entrevista, conforme vi no site Bola Amarela, agora ela viu quem era a adversária, e sentiu o que jogar contra ela, da próxima vez, minha gata, seja mais simples, e pés no chão, pois Serenão, fora de forma tá desse jeito, e imagina se estivesse em forma.
    Dalcim, que jogão foi esse entre a Kerber x Kasaktina?
    FANTÁSTICOOOOOOOOOO DEMAIS……

    Responder
    1. Kelly

      Pelo menos, de agora em diante, a Giorgi poderá contar à coletiva de imprensa, quem é Serena Willams. Inclusive, devido a vivência de hoje, poderá discursar sobre o nível que a rainha se encontra no momento presente. Que show de Serena! Quando voltar ao apogeu, será um genocídio! rss

      Responder
      1. Carlos Reis

        Rainha!? hahaha, sinceramente, nunca achei que fosse… É quase um homem jogando com meninas, mas a “rainha” não ganha do n.1000 do masculino… Sorry!

        Responder
      1. Nando

        Nada…jogador tem q jogar em qlqr quadra, sem dar chiliques. É claro q td mundo quer sempre jogar na Central, mas tem q aceitar jogar em outras tbm.

        Responder
    1. Carlos Reis

      Por causa do adversário e porque o Djoko vai jogar apenas a 2a partida na central, Nadal é n.1 e joga com outro craque do tênis que é o Delpo…

      Responder
  9. Kennys

    Dalcim, continua com a mesma opinião que o Federer é mais favorito ao título que o Nadal e Djokovic? Ou já tem uma opinião diferente com o decorrer dos jogos?

    Responder
  10. ANTONIO GABRIEL

    Para o bem do tênis bem jogado parece que o “trio de ouro” esta de novo nas fases finais e jogando bem, acho difícil ter uma zebra nessas alturas do campeonato, então provavelmente teremos um confronto entre eles, agora Dalcim eu lhe pergunto, acho que apenas Djoko conseguiu vencer Nadal e Federer em um mesmo GS ? Caso ele consiga fazer esta proeza em Winbledon certamente sua confiança voltará ao patamar de torna-lo mais uma vez supercompetitivo, mas vamos aguardar até amanhã né. kkkk

    Responder
      1. Carlos Reis

        Nadal tirou o hexa seguido do Federer em Wimbledon/08, assim como o Delpo tirou o hexa seguido no US Open/09. Nadal nunca perdoei…rsrsrs

        Responder
  11. Kelly

    Neste ano, durante as partidas de Wimbledon que pude assistir, observei mais escorregões na grama, em relação ao ano passado. Realmente, as quedas aumentaram, Dalcim? Se sim, por quê? Obrigada.

    Responder
  12. Luiz Henrique

    Dalcim vi um lance num jogo entre Djoko e Nadal, que o sérvio subiu a rede e o Nadal jogou a bola no corpo dele.
    No tênis consideram isso anti-jogo ou anti-ético? Ou quem tá na água é pra se molhar?

    Responder
  13. Emerson

    Dalcim desde 2014 acho que essa é a melhor chance do Nishikori passar pelo Djokovic. Ele evoluiu muito na grama e acho que seu saque finalmente não está horrível. Dos 3 é o que tem mais chances de passar não acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele sacou em média a 175 km/h, Emerson. Com isso duvido que ele tenha chance contra o Djokovic, se o sérvio mantiver o nível das devoluções que vi até agora.

      Responder
  14. Leonardo

    Alguns comentadores insistem em ddizer que o maratenista da laje e o cotonete são ofensivos, mas observem a frase do Dalcim a se referir à uma final de Federer contra Nadal ou Nole:
    “Então o desenho está traçado para a mais deliciosa batalha que o tênis masculino pode almejar: ataque contra defesa”
    Espero quer não tenham mais dúvidas agora!

    Responder
    1. Rafael

      Fique tranquilo, o favorito absoluto é a Ana Botafogo dos Alpes, O Mikhail Baryshinkov do tênis, o Cisne Negro. Qualquer resultado que não seja a vitória sem perder sets del Maestro será uma zebra terrível.

      Responder
      1. Luiz Fabriciano

        Talvez resida ai o X da questão nos confrontos diretos entre Federer e os dois. A defesa é uma qualidade tenística de relevância como o ataque. Roger Federer contra os outros normais é indiscutivelmente superior, salvo alguns tropeços ao longo de sua longeva carreira (Berdych, Tsonga, Goffin etc), que não são suficientemente eficientes na defesa e sucumbem aos seus ataques. Acho muito depreciativo classificar o jogo de Nadal e Djokovic de maratênis, especialmente do último.
        Muitos atribuem uma característica de Federer, de finalizar pontos e jogos de forma rápida, como uma das suas principais qualidades, mas vejam que no retrospecto com Djokovic, em vários jogos, tiveram longos rallies e isso se deve exclusivamente ao fato desse ser sempre eficiente no setor em questão, cobrindo a quadra como poucos. O que não faz dele um ser unicamente defensivo. Naquela semi do US Open 2011, no winner de devolução de saque no match-point, deixando o suíço sem reação, muitos dão aquilo como um golpe de sorte, mas se reverem os rilights daquele jogo, verão que Djokovic fez aquilo várias vezes no decorrer daquela partida, e ganhou os pontos em todas elas, ou seja, mostrou eficiência também nesse aspecto.

        Responder
  15. Renato

    Segundo o Cossenza, Federer e Novak são os tenistas que estão jogando o tênis mais consistente. Concordo totalmemte! Acho uma baita zebra se a final não for entre os dois.

    Responder
  16. Rubens Leme

    Embora nao tenha visto todos os jogos, percebo que o Nadal oscila menos do que o Federer durante as partidas. Ontem mesmo o suíço se enrolou todo no segundo set, após o pneu do primeiro. Nadal me parece mais consistente e se passar bem por Del Potro e Djokovic (especialmente se não perder sets), leva para a casa a terceira taça. E se isso acontecer abre mais de 2500 pontos de vantagem sobre o suíço no ranking.

    Ainda vejo o Nadal superando o suíço não apenas em Slams, mas em títulos totais, podendo postular o título de maior de todos os tempos. A matemática fria mostra que é bem possível.

    Federer encerrou 2013 com 32 anos e 4 meses e 77 títulos e 17 Slams. Já Nadal fez 32 anos durante Roland Garros deste ano, soma 79 títulos e os mesmos 17 Slams do suíço até esta idade. Caso ganhe Wimbledon, chegaria a 18 e ainda defende seu título no US Open, deixando os 20 Slams de Federer bem perto. Ou seja, o espanhol tem chances reais de passar seu grande rival neste dois quesitos e igualar também o número de ano que terminou como número 1.

    Responder
    1. Márcio

      Mas isso seria escolher os números.
      Os números principais são as 237 semanas consecutivas, as 302 semanas totais na liderença do ranking, os 20 slams, os 6 Finals, e daí por diante.
      Pergunta pro Mestre se é mais difícil ganhar um slam ou virar número 1 do ranking.
      Abraço.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Verdade. Se o espanhol ganhar Wimbledon 2018, acho muito grande a possibilidade de eventualmente passar Federer em quantidade de Slams.

      Responder
    3. Marcos

      Cara, chance zero do Nadal ganhar WI e no máximo ganha mais 2 RG até o final da carreira, fechando com 19 GS.
      Federer vai bater Djoko na final.
      3×1 pro Mestre.

      Responder
    4. Sérgio Ribeiro

      E pelo jeito o Colega viu poucos jogos mesmo. O Suíço não teve seu Serviço quebrado até agora. Mesmo num Set mal jogado contra o Francês. Ao contrário de Novak e Rafa Nadal. Quanto as suas previsões , difíceis a nosso ver. A não ser que o Espanhol faça finalmente a tão adiada cirurgia nos joelhos. E o Super Consistente Bjorn Borg , o Maior e Melhor, depois de três FINAIS de SLAM perdidas em sequência para seu maior rival , John McEnroe ( três anos mais jovem) , tratou de se aposentar precocemente ( tinham jogado apenas 14 partidas com 7 x 7 ) . Já o Suíço depois de perder 4 consecutivas em Rolanga, continua firme aos 37. Abs!

      Responder
      1. Rubens Leme

        “Quanto as suas previsões , difíceis a nosso ver. A não ser que o Espanhol faça finalmente a tão adiada cirurgia nos joelhos.”

        Uma cirurgia deixaria Nadal mais forte é isso? Além de não ter falado em joelhos, não sei o que essa frase significa no contexto.
        E quem é este “a nosso ver”? Se tornou um porta-voz de outros fãs do velhinho, é isso?

        Ademais, 7×7 é bem melhor do que 15×23 e 3×6 em finais de Slams.

        Precisa urgentemente de um curso de português.

        Responder
    5. João ando

      Leme. Sei que sua análise e fria e isenta. Mas o goat tem até agora o maior número de vitórias em grand slans e masters mil eu acho …maior número de semanas como número um e o principal o segundo melhor de todos os trmpos que e rod laver diz que Roger e o melhor de todos os tempos …..só isso coloca Federer como o goat….não são so os fans como o prprio Roger diz mas sim seus numeros….. Att João .

      Responder
  17. Luis

    Dalcim Federer bem em Wimbledon da pra acreditar no 9 saque funcionando,Anderson talvez Raonic perigosos até final mas suíço tem grande chance mais uma final em Wimbledon,Dalcim qual e’ recorde sets seguidos em Wimbledon?

    Responder
  18. Marcos RJ

    Caso o craque suico chegue a mais uma final, o que eh bem provavel, tenho certeza que Wimbledon vai lotar ainda que a Inglaterra esteja na decisão da copa, faça chuva ou faça sol.

    Responder
  19. Andre Barcellos

    Hoje, ao ver o Anderson pela TV tive a mesma impressão que tive em 2014, quando vi Cilic ao vivo no US Open: Federer vão ter que jogar muito pra passar.
    Quanto ao restante das considerações, acho que o Nadal de hoje não é mais perigoso pra Federer que há 10 anos não. Ele é consideravelmente mais lento. Assim como Federer. Mas a lentidão atinge mais o jogo de Nadal, que é defensivo.
    Não acho que vá acontecer Fedal na final, mas se acontecer será épico. De novo.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Só que o Federer de 10 anos atrás também se mexia melhor…

      Considerando tudo:

      experiência, velocidade e técnica, acho que os dois podem proporcionar uma final muito mais interessante.

      Responder
  20. Babidi

    Dalcim, dizer que o ‘Big 3 está de volta’ significa dizer que pela primeira vez em muitos anos de desencontros vemos os três membros do Big 3 jogando um grande tênis simultaneamente? E sobre uma possível final entre Federer e Djokovic, você acredita que a pressão e o favoritismo em cima do suíço podem ser positivos para o sérvio? Eu acho que Federer se viu pressionado nas duas finais em que se enfrentaram (2014 e 2015) e o sérvio esteve sólido o tempo todo, apesar de ter não ter levado com sobras em nenhuma delas. Além disso, embora eu seja muito fã do suíço, acho que o Djokovic se sente muito a vontade contra o Federer no tal do jogo que se encaixa, e talvez esse confronto seja o que esteja faltando para que Nole recupere totalmente a confiança em seu jogo e retorne ao seu posto de dominância no circuito.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Talvez no caso de uma final agora entre Federer e Djokovic tenha pressão para os dois lados, porque Djoko está há mais de dois anos sem um Slam. Mas sem dúvida o fato de ter vencido Federer em duas decisões seguidas seja positivo para o sérvio.

      Responder
  21. Paulo Pauli

    Os maiores campeões de Slam (com mais de 11 títulos) em todas as categorias ainda em atividade são

    Serena 23 simples, 14 duplas e 1 mista = 38
    Vênus 7 simples, 14 duplas e 3 mistas = 24
    B. Bryan 16 duplas e 7 mistas = 23
    M. Bryan 16 duplas e 4 mistas = 20
    Federer 20 de simples
    Leander Paes 8 duplas e 10 mistas =18
    R. Nadal 17 de simples
    D. Nestor 8 duplas e 4 mistas = 12
    M. Bhupathi 4 duplas e 8 mistas =12
    N. Djokovic 12 de simpes
    MaxMirnyi 6 duplas e 5 mistas = 11
    Total Geral 207 títulos

    Responder
  22. Mike

    EM RG: nadal só pega galinha morta(ATÉ NA FINAL) / em WB: nadal só pega galinha morta( até as QF) << é impressionante como os caras simplesmente não aceitam de maneira nenhuma as vitórias do nadal, nem no saibro e principalmente na grama, tentam a todo momento descreditar até mesmo alguns títulos(us open 2017), é óbvio que existem chaves mais fáceis e adversários que exigem menos, mas não tem como isso acontecer PRA SEMPRE, e se ele ganhar WB em cima de federer ainda vão dizer: federer sacou mal, federer estava gripado, federer brigou com a esposa, federer tem 36 nadal tem 32( há dez anos isso de idade), mesmo que ele chegue na final sem perder sets. Então simplesmente não adianta o que o nadal ou até mesmo o djokovic faça, boa parte( sem generalizar obviamente)sempre vai entrar nessa crise de negação.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Não há como negar q em W Rafa e Federer só pegaram galinhas mortas mesmo nesse ano; em RG Rafa faz dos adversários galinhas mortas, aliás já fez isso 11 vezes…

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Bom,

      Pra começar quem primeiro cunhou esse termo “galinha morta” foi o LF, nadalista inveterado.

      Segunda coisa:

      Não se preocupe!

      Se o Nadal conseguir derrotar o Federer nesta edição de Wimbledon, nem todas as desculpas do mundo iriam colar.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Qual Charada , Kelly ? Federer e’ realmente 6 anos mais velho que Novak e 5 a mais que Rafa. Dificilmente algum deles será N 1 perto dos 37 ( quiça’ jogando ) . A conferir. Abs!

        Responder
  23. Mario César Rodrigues

    E o Delpo,milongueiro não só aquele tanto.pediu atendimento kk ele acha que engana quem?mas eu quero que Delpo ganha será que não aprendem que Delpo não aguenta Rafa!e olha Simon é perigoso para Rafa digo o pq.Porque é fraco digamos assim..então ele tem que estar preparado para o Delpo contra o Simon entraria mais relaxado esses são os perigos do Tênis!

    Responder
  24. PIETER

    Para mim, é cada vez mais provável vir a termos mais um sensacional Fedal na final.
    Mas penso que Nadal hoje é um jogador superior àquele de 2008, portanto mais ameaçador para o Federer. Confere, Dalcim?

    Responder
      1. Leonardo

        Vc acha msm dalcim, que esse nadal é superior ao de 2008 ?
        O de 2008 pra mim foi o nadal mais dominante, no auge da sua forma fisica, dando pneu em roland garros e ganhando wimbledon .
        Pq dalcim, vc acha esse nadal é superior ao de 2008 ?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Só a melhoria de seu backhand já seria suficiente para isso, Leonardo, sem falar que hoje ele usa cada vez melhor o slice como variante.

          Responder
          1. Andre Barcellos

            Mas o Nadal de hoje tem bem menos pernas (velocidade) que o de 2008. E Federer joga mais dentro da quadra hoje em dia.

  25. Renato

    Federer enfrentou um tenista mediano, sem armas, um passador de bolas. A impressão que deu foi que o suíço relaxou depois do primeiro set, devido a falta de combatividade do adversário.

    Nadal enfrentou um tenista que tem como arma o saque, mas que serviu muito mal. O tcheco é muito fraco, se movimenta mal, devolve mal e não tem potência nos golpes. Jamais será um tenista top.

    Novak sim enfrentou um ótimo tenista e atropelou. Aliás até agora foi o sérvio que enfrentou os melhores adversários. Segura o cara!

    Até agora, Federer jogou o melhor tênis, depois, Novak.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Nadal e Djokovic na semi, eu não saberia em quem apostar.

      Acho que o jogo iria pro quinto set, e decidido nos detalhes.

      Mas o meu ver, nenhum deles será páreo para o Federer na final.

      O vigésimo-primeiro vem aí…

      Responder
  26. Evaldo Aparecido Moreira

    Se as oitavas foi de grandes jogos, e as quartas então!?.
    O big four na área, destes, o Nadal vai ter moleza, pois se vier a torre de Tandil, fácil, se vier o francês então, e então pode colocar o espanhol na semi, o mesmo vai para o Djokovic, pois o japa, pediu atendimento no jogo, foi em frente e venceu, pois há dúvida quanto a recuperação.
    Cá entre nós, rsrsrs, será que joga fácil o homem,kkkkkkkkkkkk, e o Mannarino se enrolou todo, agora o suiço pega o anderson, go Roger.
    Olha Dalcim, como joga firme essa tal de Serena, kkkkkk, a russa não deu nem pro cheiro, saca forte, a amaricana tem uma direita pesada, imagina, se ela estivesse em forma?
    Dalcim, uma pergunta fora deste post, estava vendo a final de 2009, entre Federer e Roddick, e vi os staf juntos, olhei, olhei, e fica pergunta, porque hoje , não ficam mais juntos?, aconteceu algo, e por isso não ficam juntos mais?

    Responder
        1. evaldo aparecido moreira

          Boa tarde a todos,
          Marcos RJ, você não é o meu professor, e quando ia corrigir, soltei o play, e ai não tinha mais como voltar, se preocupe com as suas preocupações, que da minha estou cuidando faz tempo, o lugar para aparecer gente medonha, só pode ser falta do que fazer, impressionante, não gosto de ser deselegante com ninguém, e muito menos mal educado e grosseiro, graças a Deus fui muito bem educado em casa, e onde estudei, fato.

          Responder
  27. Rafael Wuthrich

    Que pena.o Gulbis hein Dalcim? Vivemos pra ver ele.lutando mesmo com lesão e não abandonando. Kyrgios podia conversar um pouco com ele…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Um pena mesmo.

      Aquela lesão no joelho do letão foi providencial para Kei Nishikori.

      Estou quase certo que o japa perderia a partida, caso Gulbis estivesse 100%.

      Pois perdeu o primeiro set por 6/4, e depois ganhou os dois sets seguintes apenas no desempate.

      Sendo que no segundo tie-break, o Gulbis teve dois set points com saque, mas não aproveitou…

      Depois disso, ele passou a se arrastar em quadra e quase levou um pneu.

      Responder
  28. Luiz Fernando

    Me perdoem os q vivem falando de nextgen ou de renovação (nesse particular só pensam no saibro, na grama pode ficar como está, claro kkk), mas um torneio de vulto com Rafa, Federer e Djoko em grande forma tem outro pique, outra atmosfera, é como se estivéssemos num outro planeta. Como exposto pelo Dalcim, não vejo como, salvo um problema físico, os 3 não estejam nas semis. Anderson está em franca evolução no ranking, mas seria mais infantil do q acreditar em papai Noel julgar q pode bater Federer na grama; Delpo, provavelmente muito desgastado fisicamente, ou Simon, são fregueses de Rafa, ambos não tem jogo nem físico para bate-lo em uma melhor de 5 sets disputada no calorão do sol londrino de 2018 (não custa lembrar q Delpo jogou dia sim dia não a noite no USO 2017 e chegou morto na semi com Rafa, imaginemos, se for ele o adversário, como estará jogando 3 dias seguidos sob o sol); o japa é outro frágil fisicamente e duvido q ocorra outro resultado como no USO 2014, quando venceu Djoko na semi. Assim tudo caminha para Rafa vs Djoko, partida na qual julgo q haja equilíbrio, mas com vantagem para o sérvio em razão do nível das devoluções q observei hj, e Federer vs Raonic/Isner, com vantagem do suíço contra qualquer um, embora pense q Raonic é mais perigoso. Federer ainda me parece o favorito para vencer o torneio, mas se enfrentar Rafa ou Djoko tudo pode acontecer!

    Responder
    1. Marcelo Araújo

      Análise quase perfeita, Luiz Fernando. Só tenho uma ressalva: a renovação no saibro é mais necessária porque o circuito nunca deixou de ter pelo menos 3 tenistas de ponta com boa performance na grama (RF, ND e AM), o que não acontece na terra batida, que teve no máximo dois quando Novak jogou de igual para igual e até superou Nadal. Veja como é possível analisar colocando o lado torcedor de lado. Você quase conseguiu…

      Responder
        1. Marcelo Araújo

          Quem falou de equilíbrio?? Leia novamente o que escrevi, por favor. Só afirmei que nos últimos anos a maioria dos tenistas top têm melhor performance na grama que no saibro. Só não vê quem não quer ou quem a paixão cega por um tenista espanhol não deixa ver!

          Responder
  29. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Caso a Inglaterra confirme o favoritismo e vá a Final da Copa, vc vê alguma possibilidade de Wimblendow ceder e mudar o horário do jogo da final? Tipo, invés de 10, iniciar às 9 da manhã. Estavam comentando sobre essa possibilidade hj na transmissão do Sportv . Mas acho que o torneio não vai voltar atrás, o que acha mestre?

    Responder
  30. Luiz Fernando

    Rafa está em franca evolução na grama, a cada partida (Sérgio, assisti todas) seu volume de jg e seu desempenho melhoram. Por mais incrível q pareça, estou achando o BH mais agressivo do q o FH, algo inimaginável em se tratando de Nadal, mas só hj foram vários winners de BH, quase todos bem angulados. O mais importante foi q devolveu muito melhor hj do q na semana passada e contra o melhor sacador dos seus 4 adversários até agora. Além disso, como só jogou com galinhas mortas (hj achei q seria diferente, mas não foi), está inteiro fisicamente, o q sempre conta muito, em especial para sua confiança. Comparando o q vi hj em relação ao q postei após o jg contra o magistral Sela, diria: 1) a qualidade do serviço se elevou muito, só hj foram 9 aces, algo não muito comum para Rafa; a falta de velocidade é coisa do passado; 2) a qualidade dos slices defensivos também melhorou demais, estão bem mais profundos e baixos, embora ainda longe do q há de melhor nesse fundamento (para mim os slices de Federer são disparado os melhores); 3) esses dois ítens explicam a queda exponencial do número de breaks oferecidos hj (um, absolutamente fortuito, fruto de dois erros incomuns de FH, quando comparados a 13 na segunda partida); 4) o jg de rede melhorou muito, com o detalhe q o aproveitando do cara nessas bolas é absurdo; 5) por fim, embora melhores a cada jg, as devoluções ainda não me inspiram confiança; assisti o último set do jg do Djoko e não há como comparar as devoluções do Rafa com as do sérvio. Assim, na minha modesta visão, faltam melhorias significantes em dois ítens: devoluções e FH. Se o FH melhorar, algo q considero provável e mais fácil de ocorrer, passa a ser candidato a vencer W.

    Responder
    1. Kelly

      Sim, o serviço do Nadal progrediu, assim como o BH, o voleio e os demais golpes nas subidas à rede, etc. Ele se reinventa, não permanece na zona de conforto, não se permite acomodar, após mais de uma década em altíssimo nível, continua em constante evolução!

      Responder
  31. Bruno Louzada

    Corremos o enorme risco de ter um fedal na final ou um federer x Djokovic. Até mesmo federer x Delpo seria sensacional.

    Mas graças a arrogância e a prepotência dos organizadores de wimbledon a final vai acabar ficando em segundo plano caso a Inglaterra vá pra final.

    Parabéns aos envolvidos que pensam mais no próprio orgulho.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Porque Espanha, Sérvia ou Suíça colocariam a final de Wimbledon em segundo plano se a Inglaterra for à final da Copa da Rússia? Não consigo entender a lógica, Louzada.

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Putz Bruno também não entendi sua argumentação. Primeiro nem sabemos se os ingleses vão estar na final da copa, segundo, se for o caso, com certeza haverá uma alteração do horário da final de W, adequando-o para q o público ingles possa acompanhar os 2 eventos, pois a final da copa tem muito mais apelo mundial. Se houver alguma sobreposição de horários, que será o caso se os horários atualmente previstos serem confirmados, quem for apaixonado por tenis assistirá W (eu mesmo serei um deles).

        Responder
        1. Bruno Louzada

          Sim Luiz fernando, nos que somos apaixonados por tenis vamos ver a final do tenis. Mas muito do publico da final de wimbledon é aquele casual, que não acompanha sempre o esporte mas da uma olhada na final. Se uma pessoa gosta de tenis mas não é fanatico como nos, e gosta de futebol, essa pessoa tende a acompanhar o jogo de futebol, por ser final de copa, a cada 4 anos .

          Responder
      2. Bruno Louzada

        Digo em relação ao local e ao restante do mundo. Wimbledon vive lotado mesmo do lado de fora do estadio.Com a inglaterra na final corre o risco de nao termos aquele clima espetacular de final local. Fora que a audiencia mundial da final de wimbledon cairia consideravelmente.

        Responder
    2. Fernando

      Por que os brasileiros vão assistir a final da Copa, já que Brasil está eliminado? Ninguém mais está falando em Copa, exceto uma minoria que acompanha Copa até o fim. Wimbledon está certo em manter o horário, e vc já pensou que muitas competições esportivas acontecem ao mesmo tempo que a final da Copa? Tênis tem o seu público fiel, e olha lá que muita gente esteve em Wimbledon.

      Responder
      1. Fernando larcher

        Voce precisa compreender que futebol tem um público infinitamente maior q UE o tênis praticamente no mundo inteiro, inclusive na Inglaterra. Adeptos dos dois esportes como eu, vão dar preferência cá FINAL da copa, mesmo sendo torcedor do federer, mesmo ele está do na final, verei a final da copa, e não me venha dizer que não acompanho tenis não acompanho e muito, leio notícias e vejo quantos jogos o tempo me permite, mas o futebol é prioritário pra mim. Ou você acha que tem mais gente que gosta de tênis do que de futebol? A final de wb vai ficar prejudicada sim.

        Responder
      2. Bruno Louzada

        Ai que ta…quem vai ver o tenis éo publico FIEl…mas o fiel MESMO, quem gosta dos dois esportes a grande maioria vai dar preferencia pro futebol. e aqueles q so ve tenis de vez em quando a grande maioria vai ver a final da copa.Imagina um federer x nadal, Federer x Djokovic…em uma final de wimbledon, o mundo todo seria voltado pra essa final…. mas nao adianta….não tem como competir com uma final de copa, apenas torcedores dos paises em questão …( suiça, espanha, sérvia ou talvez argentina) vão ver a final de wimbledon em peso, o resto do mundo vai estar com os olhos pro fial da copa, e isso é um fato.

        Responder
    3. Bruno

      Finalmente o chatonick reconheceu que ter o Federer numa final é algo sensacional.
      Parabéns,sabia que mais cedo ou mais tarde isso aconteceria.

      Responder
  32. Victor Martins

    Andei reparando no jogo do Federer, e prestei atenção na torcida. Como os torcedores ficam rindo, estasiados, e saboreando aquele momento. Saboreando o espetáculo.
    Eu, muitas vezes estou trabalhando, e coloco pra gravar o jogo do Rei Roger. E depois, mesmo sabendo que ele venceu, eu assisto o jogo todo. Por que eu sei que vai ter jogadas diferentes, um tênis vistoso, enfim, UM ESPETÁCULO.
    Só o Federer pra proporcionar isso.
    Vida longa ao Rei!!!

    Responder
  33. Sérgio Cipriani

    Pois é… E ainda teve uma sumidade dizendo que o big four estava virtualmente extinto… rsrs E o cara foi um grande tenista… Era pra entender de tênis…

    Responder
    1. Mike

      Também não acredito que esteja extinto, mas acredito que o que ele quis dizer foi a dominância dos 4 JUNTOS AO MESMO TEMPO, como o murray ainda não voltou, tecnicamente o BIG4 ainda não voltou, apenas o BIG 3

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *