Federer e Kyrgios crescem nas apostas
Por José Nilton Dalcim
8 de janeiro de 2018 às 10:19

Duas coisas ficaram bem claras nesta primeira semana da temporada, rumo ao Australian Open: Roger Federer é o favorito absoluto ao título e Nick Kyrgios continua com o potencial de enfim se tornar grande no circuito.

O suíço novamente apostou na preparação na Copa Hopman e conseguiu seus objetivos, com dois jogos duros, bom ritmo e muita diversão. Era fácil perceber que Federer estava solto em quadra. A partida de sábado diante de Alexander Zverev teve o tom de show que tanto maravilha os espectadores.

Aliás, pode não ter sido coincidência a sucessão de bolas curtas que Federer disparou em cima do irritado Zverev. Todos sabemos que a movimentação para a frente é o ponto frágil do alemão. No entanto, assim como me pareceu no ano passado que o backhand o suíço havia mudado, fiquei agora com a impressão que Roger treinou muito as deixadinhas. A execução do golpe estava muito bem ensaiada para ser apenas fruto do seu gigantesco talento natural.

Diante do quadro atual do tênis masculino, o favoritismo de Federer para o 20º troféu de Grand Slam é quase obrigatório, principalmente porque não se sabe se Rafael Nadal irá conseguir ritmo rapidamente. Ele e Novak Djokovic têm apenas um jogo de exibição previsto até a estreia em Melbourne. A capacidade dos dois é inegável, mas um piso mais veloz em Melbourne, como foi em 2017, promete dificultar ainda mais.

Aí entra Kyrgios. Antes de tudo, sua campanha em Brisbane exigiu três viradas, a última delas em cima de Grigor Dimitrov em partida de excelente qualidade. Isso mostra acima de tudo que sua cabeça está em ordem. Claro que vimos reclamações e descontrações exageradas, porém ele se manteve nas partidas o tempo todo. Tremendo volume de jogo, a partir de um saque devastador – e ele continua forçando com incrível competência o segundo serviço -, mas também com golpes pesados da base e muito toque junto à rede.

Seu primeiro troféu em casa pode servir para tirar o peso de jogar para a torcida, algo que ele sempre levou a Melbourne. O que preocupa no entanto é o joelho esquerdo. Economizar esforço nas primeiras rodadas será essencial, daí a necessidade de entrar em quadra com seriedade. Não irá conseguir entrar na lista dos 16 cabeças e então fica à mercê de adversários fortes já na terceira rodada.

Em entrevista ao site espanhol Punto de Break, o sueco Mats Wilander colocou David Goffin como o oponente mais perigoso para Federer no Australian Open. É uma opinião ousada, mas tem sentido. O belga cresceu muito na parte técnica e leva a vantagem de ficar longe dos holofotes ao menos na primeira semana. Optou por não disputar torneios antes de Melbourne e anotou três vitórias fáceis na Hopman, uma delas um tanto esmagadora em cima de Zverev.

O sorteio da chave, previsto para quinta-feira à noite local (por volta de 6h de Brasília) pode ser essencial para Goffin, que entrará como cabeça 7.

Quanto ao feminino, a notícia da semana foi a desistência de Serena Williams. O treinador Patrick Mouratoglou admitiu que a tentativa de volta no Grand Slam era exagerada e revelou que Serena teve complicações no pós-parto. Não gostei quando ele se disse incerto de que ela retornará às quadras.

P.S.: Muito bom ver a volta de Gael Monfils e Gilles Simon aos títulos, ainda que em torneios de menor nível. E Simona Halep suportou a pressão de defender o número 1 logo na semana inicial e faturou Shenzhen. Será que enfim virá seu troféu de Grand Slam?


Comentários
  1. Júlio César

    Saiu a chave do Austrália open e o Nadal se deu bem ,porém Federer e Djoko eu achei mais complicado.Façam suas apostas,pois a minha é que o Touro vai abocanhar mais um Slam.

    Responder
  2. Luiz Fernando

    Ao contrario de verdadeiros barris como Agassi e Safin, Hewitt esta em excelente forma, magro, com boa movimentação, algo q sempre foi sua melhor característica, conforme exposto por Sampras após perder o USO p ele. Provavelmente consumiu menos do excelente vinho australiano do q o russo consumiu da também excelente vodka de sua terra natal…

    Responder
  3. Chetnik

    Djoko tá de volta, acabou a festa no chiqueiro, kkkkk.

    Não vi o jogo. Apesar dos bons comentários, não me iludo. Desde que começou o seu calvário, ele teve alguns excelentes jogos, mas era sempre fogo de palha. E vi uma foto que ele usou proteção no braço inteiro, o que não me anima…

    Enfim, aguardando o AUSO.

    Responder
  4. Rafael

    Aliás, verdade seja dita

    Salvo problemas por contusão, caso o super-favorito GOAT não vença o AO, já entrará na lista do Oscar de maior mico de 2018.

    Federerlovers torcendo para um reencontro com Djokovic….Antes disso, Djoko tem que passar da estreia, calma….

    O H2H que nada importa na verdade importa, né?

    😉

    Responder
    1. JANAINA DIAS

      O maior mico de 2018 é alguém achar que o FEDERER, aos 36 anos!!, campeão, consagrado e genial tenha a OBRIGAÇÃO de ganhar qualquer coisa só porque os outros tenistas estão machucados…

      Todo mundo vai fazer o máximo pra ganhar o AO, estando machucado ou não, e mesmo que FEDERER perca, não é mico nenhum.,pois NENHUM TENISTA DA HISTÓRIA JOGOU NO NÍVEL SURREAL QUE ELE ESTÁ JOGANDO AOS 36 ANOS!! (REPITO), NEM O JIMBO, SORRY…

      Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Assistiu ao jogo, Rodrigo ? Thiem abandonou a Semi de Doha contra Monfa e agora a Exibição contra Pouille. Esse jogo não valeu. Del Potro sim, mandou o nosso russo Canadense de volta pra casa jogando muito. Uma Surra. Abs!

      Responder
  5. Rafael Wuthrich

    Dalcim, o que achou de Djokovic e Nadal? Em que pesem todas as ressalvas foi ótimo ver o sérvio num estado avançado de preparação contra um top 10 (ainda que nitidamente Thiem pouco tenha se esforçado) e assustador ver Nadal cometer 40 ENF contra o sempre limitado Gasquet, também voltando de lesão…

    Responder
  6. Sérgio Ribeiro

    Halep defender o N 1, somente surpreende a turminha da WatsApp rs . Aqueles que queriam que ela trocasse o Treinador que fez de Hewitt o mais jovem N 1 da Era Profissional. Agora, Simon ir até Aukland perder na primeira e voltar depois de 3 anos sem Títulos e’ muita cara de pau. Rafa Nadal volta pras sem “mangas” , Novak troca o Tênis ( e a raquete ) , Stan dizendo que foi sentir a quadra, sei não . Alguém ou cai de prima ou não entra no SLAM. Wawrinka me parece Pule de dez que não joga. A conferir ! Abs!

    Responder
  7. Rodrigo S. Cruz

    Antes tarde do que nunca…

    Melhor 15 x 1 do que 16 x 0.

    E que isto dê ao Gasquet confiança para que deixe de enxergar o espanhol como imbatível.

    Responder
  8. Oswaldo E Aranha

    Felizmente há uma turma de jovens russos surgindo no cenário com grandes possibilidades de participarem de ótimos jogos, a saber: 3 russos russos, um russo canadense: Shapovalov, um russo alemão e, na esteira desses, um sul coreano e um grego.
    Chega de mesmices.
    Um abraço de novo ano para o Dalcim, extensivo aos colegas do blog, afetos e desafetos.

    Responder
  9. Luiz Fernando

    Gostaria de fazer coro com os comentários abaixo do SR e do RC acerca do Goffin. Esse rapaz passou um bom tempo no ostracismo, mas sua evolução no final do ano foi de encher os olhos; ganhar do Nadal e do Federer num mesmo evento e pra poucos, me lembro apenas do Djoko no USO 2011, mas talvez tenha havido outros. Como o Sergio comentou, ele esta com uma capacidade de mudar a direção da bola no BH da cruzada p paralela como poucos. Olho nesse cara no AO.

    Responder
  10. Caubi Rocha Jr.

    Olá Mestre Dalcim… Lá vamos nós para a temporada 2018, com promessa de nova geração despontando e certas duvidas ainda sobre os consagrados
    Claro que tirando o GOAT Federer de Saturno…
    As condições rapidas de Melbourne favorecem o jogo de ambos , tanto Kyrgios quanto o GOAT FEDEX !!
    Percebii no torneio de Brisbane mestre, que Kyrgios melhorou sua devolução, tava mais solto e dentro da quadra para arriscar, era um fundamento que vce tinha comentado a respeito no final do ano passado, Lembra ?? Sem contar no mental que foi frio para fazer 3 viradas, ele solto é perigoso e o GOAT já provou desse veneno.
    Oq acha Mestre, os dois em lados opostos da chave, baita jogo pro 1 Grand Slam do ano não ??

    Responder
  11. Mario César Rodrigues

    Rafa perdeu para Gasquet 6×4 7×5 normal Rafa precisa de horas na quadra para atingir seu ritmo ele precisa disto …eu achei um bom começo,está bem fisicamente..agora é aguardar!Quando se tem muitos erros é falta de ritmo,e vai pegando aos poucos em um jogo de 5 sets no segundo ele já estará tinindo!

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Essa exibição em Kooyong não significa nada, o único detalhe relevante é q ele disse estar recuperado, pois jogar sem condições poderia comprometer todo o primeiro semestre. Ritmo ele pode perfeitamente adquirir durante o torneio, mas precisa ter uma chave favorável, ou seja, vai precisar de bons fluidos no sorteio.

      Responder
  12. Alexandre

    Salve Dalcin,

    Antes de mais nada gostaria de mandar um grande abraco a voce e desejar muitas felicidades em 2018. Que seja uma excelente ano para voce e todos aqueles que lhe sejam proximos e queridos!!!

    Gostaria de fugir completamente do assunto pedir a sua autorizacao para matar uma curiosidade minha: Acredito que voce bata la a sua bolinha, estou certo? Caso esteja, gostaria de perguntar-lhe quais sao as suas maiores dificuldades em melhorar o seu jogo de tenis e o que tem feito nesse sentido?

    Quais seriam as suas recomendacoes para “domingueiros” como nos?

    Tudo de bom!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A dificuldade maior é achar o ritmo. Ideal é começar no quadradinho e ir afastando para manter o controle e adequar a força pouco a pouco. Ideal é bater prlo menos 20 min sntes de jogar. E inclua devolução no aquecimento.

      Responder
  13. Márcio Souza

    Vamos torcer para os cachorrões (fora o Murray que vai ser operado) estarem em condições e jogarem o AO.

    Será muito chato termos mais um GS esvaziado de estrelas, no feminino ja não teremos Serena o que por si só ja é uma grande perda.

    Eu quero ver grandes jogos, grandes disputas, grandes confrontos, ja que vou ficar acordado nas madrugadas pra ver os jogos, que sejam jogos bons e que me mantenham acordado.

    Mil vezes assistir um Federer x Djoko numa madrugada do que Nadal x Carreno Busta kkk

    Que venha o AO e que o GOAT possa garantir o 20° caneco de GS, apesar de que eu considero Federer zebra kkk

    Deixem o favoritismo pros outros e o Craque jogar solto, afinal de contas ele ja não foi “aposentado” por alguns aqui no Blog?
    Porque esse muro de lamentações aqui agora? Kkkk

    Responder
  14. Jônatas

    Eu fico de olho no Monfa, o resto no Fedex, o Dalcim no torneio todo. =P

    Falando sério, só um pouco, eu vi uns highlights do torneio onde o Gael venceu e um pouco da partida contra o kokkinakis. Aparentemente o físico está em dia só a intensidade de jogo que não. Vamos ver se pegamos uma chave boa.

    Djoko só complica se chegar nas QF aí sei lá o que pode dar.
    Rafa é incógnita. O jogador sempre precisa de ritmo. Se estivéssemos no meio da temporada e os jogadores com jogos feitos neste piso até que vai ficar 2 a 3 semanas só treinando. Mas como é o primeiro GS, o povo vindo de férias, preparação física então está todo mundo meio enferrujadinho. Daí não dá para colocar o Rafa no mesmo nível do ano passado.

    Favorito: Federer

    O restante está balanceado.

    Responder
  15. Bruno

    Dalcim como a Victoria Azarenka não vai poder ir ao Australian Open porque está impedida de deixar a Califórnia, será que ela vai poder jogar em Indian Wells que fica no mesmo estado?

    Responder
  16. Lomeu Lima

    Muita cautela, muito equilíbrio. Para os idólatras do suíço nunca é demais lembrar que no FINALS/2017, sem Nadal, Murray e Djoko, o mega favorito Federer protagonizou o MICO do ano, sendo derrotado pelo belga Goffin. Torcendo para q Djoko caia no quadrante do favorito Federer. Havendo queda do suíço, esse Blog tornar-se-a um Muro de Lamentações. As escusas já são conhecidas.

    Responder
        1. Robson Couto

          Na verdade analisando friamente o confronto pode ser mais prejudicial ao Federe que ao Djokovic. Se o sérvio perde, tem o problema de falta de ritmo, volta de contusão, Federer voando… agora se Federer perde, já caem 1720 pontos de cara, aumenta a confiança do Djokovic que vai vir babando em busca do número 1 novamente. Sem contar que se o suiço perder nessas condições pode afetar a confiança em confrontos futuros entre eles.

          Responder
      1. Rafael

        O mico do SÉCULO foi perder um Finals que não tinha NEM Nadal, NEM Murray, NEM Djokovic, NEM Wawrinka, NEM Del Potro, NEM Ramos Vitrolas.

        Valeu

        Responder
        1. Nando

          Pior é chegar descansado na final do USO 2016 (após ter sido agraciado com 1 W.O e 2 desistências), e perder a final….isso pq não tinha ninguém lá hein, só o Stan na final.
          No caminho do cotonete não tinha Istomin, não tinha Kyrgios, não tinha Zverev, não tinha ninguém…pareo duro mesmo só na final.

          Responder
        2. Luiz Fabriciano

          Acho engraçado os caras ficarem zoando uma derrota para o Denis Istomin esse tempo todo, como se fosse a maior tragédia tenística da história. O próprio Dalcim elegeu esse como um dos melhores jogos de 2017.
          Mas espere ai, o Dalcim não entende nada de tênis, ok?

          Responder
  17. SPIDER

    Vamos que Vamos, o GOAT Está demais. Nesses primeiros jogos do ano ele não tem feito partidas, tem dado espetáculos. E o público recorde da Copa Hopman só confirma o enorme carisma dele. Que os Deuses do Tênis lhe proporcione um bom sorteio, para que ele possa mais uma vez nos brindar com seu talento único e possa levantar o 20° caneco.

    Responder
  18. Bruno

    Dalcim quem c acha que são os principais favoritos para Melbourne. No masculino aposto em Federer, já no feminino tenho minhas dúvidas mas acredito em Halep ou Wozniacki.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Federer com certeza, mas sempre bom avaliar isso depois das chaves. No feminino, não descartaria Muguruza e Pliskova se o piso estiver mesmo rápido. Aliás, Sharapova é perigosa nessas condições.

      Responder
  19. Alexandre Thiebaut

    Dalcim,

    Estava esperando uma notinha ao final do texto para comentar sobre o título do Sell no forte future de Los Angeles essa semana, e sobre o que acha do garoto. Depois de uma primeira má noticia no ano com o Bellucci pego no doping, temos pelo menos o Sell em franco crescimento, guardadas as devidas proporções. Já o viu jogar?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como salientei antes, não o vejo jogar desde o final da carreira juvenil. Então qualquer análise é impossível. Mas claro que os resultados falam por si e mostram que ele está evoluindo e que se adaptou muito bem às quadras duras.

      Responder
      1. Eduardo

        Esta adaptação as duras é uma ótima notįcia. Aliás, tenho visto em centros de treinamento no Brasil a insistência em só treinar em saibro. Se já é complicado fazer sucesso no profissioanl, ainda mais quando se ignora a quadra dura.

        Responder
  20. Ronildo

    Tomara que Halep e Wozniacki fiquem em chaves diferentes e cheguem à final. Mas se o título ficar com Kvitova, Kerber, Muguruza ou Pliskova, também será legal.

    Responder
  21. Ernesto

    Concordo com tudo que foi mencionado no post. A respeito de Goffin , acredito que , da nova geração , sera o que fará a melhor campanha. Ainda não possui cacife para vencer um Slam , mas que está a frente dos demais , eh uma verdade baseado no que fez no ATP Finals e por não ter tomado conhecimento de Zverev em 2018.

    Responder
      1. José Eduardo Pessanha

        kkkkk. Falo muito isso aqui. A galera do blog acha que Goffin é da nova geração e que o Thiem é da novíssima geração, mesmo tendo 24 anos. rs.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          A mesma ladainha de sempre. A verdade é que todo o Big Four e’ Trintao. Sendo que o melhor , a meu ver, tem 36. Jogadores com 24, 26 ( Goffin) , queiram ou não são de outra geração. Se é da nova , novíssima, ” perdida ” ou que nome tenha não importa . Da mesma e’ que não são. Dai que jogadores ridicularizados pelos sabichões, estão botando as manguinhas de fora a tempo de vencerem MASTERS 1000, FINALS e porque não SLAM , com todos ainda em atividade. Do mesmo jeito que o BigMac e Lendl , aprontaram com Borg e Connors, e foram batidos por Sampras e Agassi e etc… A conta e a Idade chegam para Todos. Até mesmo para Longevos como Laver , Connors, Agassi , Federer… Abs!

          Responder
          1. Luiz Fabriciano

            Então Sérgio, deveríamos falar, quando se trata de gerações, assim: existe o Big4, a outra, e a nova, composta por Shapovalov, Rublev, Zverev etc. Porque Goffin realmente já deixou esse status.

  22. Marcio

    E o Federer, entra ano sai ano, continua entrando como favorito em praticamente todos os torneios.
    Formidável!
    Vamos aos números.
    237.
    302.
    19.
    6.
    Em ordem de importância e dificuldades.
    Números difíceis de serem alterados.
    Curtamos o circuito!

    Responder
  23. Robson Couto

    Dalcim,
    Boa tarde e um ao de 2018 com muita saúde para você e sua família.
    Em relação ao Djokovic, se ele sentiu o cotovelo há duas semanas atrás então quer dizer que a lesão ainda não está 100% curada. Então não seria precipitado retornar justamente em jogos de 5 sets? Sou fã e gostaria de vê-lo em quadra, mas receio que isso possa levá-lo a um agravamento na contusão. Qual sua opinião, as desistências podem ter sido feitas por excesso de cuidado?
    Abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Robson, e desejo o mesmo a você. Sempre difícil opinar sem ter todos os dados. Me surpreendeu muito seu abandono de última hora em Abu Dhabi, talvez tenha sido apenas precaução por algum incômodo no treino derradeiro. Aliás, tomara que tenha sido isso mesmo. Sim, voltar em jogos tão longos e num piso teoricamente veloz – vamos lembrar que boa parte das dores no cotovelo são causadas por golpear bolas fora do centro ideal da raquete – é um tanto preocupante. Porém, imagino o quanto Nole gosta do AusOpen e sua enorme vontade de voltar ao circuito.

      Responder
  24. AKC

    Federer é Federer. Esse ano tem que ser o ano em que Kyrgios finalmente consegue um grande título. Muita torcida para a volta de Djoko. Espero que Nadal não esteja novamente bichado. E o comentário de Wilander faz parcialmente sentido, já que o estilo de jogo do belga lembra, guardadas as proporções, o do sueco outrora. Só que o Wilander era muito mais frio e mentalmente forte que Goffin. Imaginem Goffin sacando para um título de Slam?

    Responder
  25. Sérgio Ribeiro

    Acredito que Mats Wilander está apenas corroborando com o que salta aos olhos. O amadurecimento do Belga aos 26, depois de duas idas consecutivas ao FINALS. Com direito a bater na Semi o ate’ então invicto Suíço. Está mudando a direção da bolinha como poucos. Muito disciplinado taticamente, dando o bote certo nos breakpoints. Ainda peca no jogo de rede, assim como a maioria. É encrenca certa pra todo mundo. O Piso mais rápido também favorece a Kyrgios. Os Australianos não levam a anos. Dai…Abs!

    Responder
  26. Zezão

    Murray fora, Djoko e Nadal sem ritmo. De qualquer forma, o AO normalmente já é o Slam das zebras, então não seria uma surpresa se alguém fora dos Fab4 ganhasse o torneio.
    Federer é favorito ao BI, mas aos 36 anos não dá para dizer que é favorito absoluto.

    Dalcim, se o Federer for campeão existe chance dele se tornar número 1?

    Responder
  27. diego bezerra

    Oie Dalcim, boa tarde! De fato Roger é o maior favorito, Nadal e Nole são incógnitas e sem ritmo, Wawrinka e Murray de fora, não aposto em Goffin, vejo Dimitrov, Nick e Sasha nessa ordem após Roger. vale salientar que Nadal e Nole se tornarão perigosos se chegarem na segunda semana, mas para isso eles terão que permanecer pouco tempo em quadra!

    Responder
  28. Mario César Rodrigues

    Mais estou vendo alguns comentários os caras fazendo conta se Rafa parar na quarta e Federer Campeão Federer será número 1 pqp que insanidade é essa falta 9 semanas para Rafa igualar Big Mac nem por isto não vejo torcedores do Rafa fazerem isto aqui ficar com a calculadora pegando fogo para mim o que importa são torneios Rafa chegar e ser Campeão número1 o Rafa já foi 4 vezes agora o que importa é torneios nota-se a auto afirmação dos Federistas de que ainda tem dúvidas se ele é ou não melhor de todos os tempos que coisa!

    Responder
    1. Nando

      Blá blá blá blá blá blá….vc não fala coisa com coisa.
      Quer dizer então q quem está fazendo contas pro Federer chegar ao N1 após o AO é insano?
      Se a chance existe, pq não?

      Responder
    2. Renato

      Nenhum federista tem dúvidas que Roger é o melhor da história. Federer merece o número um porque é o melhor tenista do momento e foi o melhor ano passado. Outra coisa: Aqui as pessoas escrevem o que quiserem e o moderador que decide o que passa!

      Responder
  29. Alexandre Magalhães

    Olá José Nilton
    Tenho um palpite de que a Julia Goerges pode surpreender neste AO. Penso que ela pode chegar pelo menos às semi-finais.
    O que você acha dessa possibilidade?
    Abraço

    Responder
  30. Chico

    Bom dia Dalcim

    Antes de tudo, um Feliz 2018 e “Long Live The King Roger”

    Dalcim, o piso do AusOpen deste ano é o mesmo do ano passado? Rápido, veloz e ideal para Roger Federer?

    Obrigado!

    Responder
  31. henrique manoel

    quero que voce me diga sobre esses 3 jovens nessa temporada stefanos tsitsipas,andrey rublev e denis shapovalov o que voce espera deles esse ano a minha opiniao o grego acaba no top 30,top 25,o canadense no top 20 ou top 15, e andrey rublev no top 15 ou top 10 eu acredito que esse e o ano da nova geracao, ,alem do ”consagrdos” zverev e kyrgios desde ja agradeco apesar de parecer muito otimista esse grego e bem diferenciado e bem talentoso,shapovalov tem muito talento e jovem mas ja faz estragos,rublev nao tem muita variacao,porem luta ate o final e acredito em uma excelente temporada que ja comecou bem com o vice em doha

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Desses três, aposto mais no Shapovalov. Gosto do Rublev, mas o acho ainda um tanto imaturo. O Tsitsipas estará pela primeira vez jogando num nível mais alto, então precisamos aguardar para ver.

      Responder
  32. Renato

    Dalcim, duas perguntas: O que achou do backhand do Federer? No mesmo nível do começo do ano passado? Kyrgios demonstrou ter algum problema físico em Brisbane?

    Responder
    1. Mario César Rodrigues

      Luis ele jogou nesta copinha ai duvido se Djokovic estiver sem dor ele até uma semana estava na ponta das apostas.depois o Federer melhorou um pouquinho mas o Rafa realmente deve estar entre o 3 ou 4 bem falaram ai Falta de ritmo para um cara como Djokovic deixem estes caras Nole e Rafa passarem da primeira semana vamos ver se Federer aguenta ir a final é porque todos dizem que ele é favorito ok se fosse em RG o Favorito é Rafa no AO mesmo se estiver sem ritmo deveria ser o Nole,WB com Andy fora deveria ficar com Nole pois bateu 2 vezes o Federer realmente é muito fanatismo!

      Responder
    2. Márcio Souza

      Nadal é favoritaço por ser o número 1.

      Djoko por ser 6 vezes campeão se jogar todo mundo tem que cobrar dele que chegue pelo menos na final.

      Dimitrov venceu o Finals e também deve ser considerado favorito.

      Kyrgios joga em casa, muita pressão nele também.

      E o Federer é zebra, corre por fora, afinal tem 36 anos e isso deve ser levado em consideração.
      Deixem ele jogar o torneio de boa kkk ????

      Responder
      1. Sônia

        Concordo plenamente, favoritaço é o número 1, “aquele que nunca se cansa”, o “vitaminado ao quadrado” (com autorização, pobre Bellucci rsrs), que correrá novamente como uma lebre tentando chegar NELE rsrsrs, se não conseguir… VERGONHA. Depois colocaria Goffin, Kyrgios e Dimi. Federer, zebra total, na Hopman Cup dava sinais claros de cansaço, só não vê quem não quer mas como ELE é puro talento, sempre consegue reverter a situação. Beijos.

        Responder
  33. Evaldo

    Na minha opinião o título do AO ficará entre Federer, Goffin, Kyrgios ou Dimitrov. Se depender da minha torcida, Roger levará o 20o. título de Slam pra casa e vai se distanciar mais uma vez de Rafa.

    Responder
  34. Mário Fagundes

    “… fiquei agora com a impressão que Roger treinou muito as deixadinhas”. Ano após ano, Federer segue nos surpreendendo. Incrível a capacidade que ele tem de evoluir seu jogo. Se o BH fez estrago no ano passado e, pelo visto, também foi treinado na pré-temporada, o atalho pros títulos está traçado. Como a grande maioria dos adversários joga bem atrás da linha de base, pra desespero deles as deixadinhas também poderão ser uma grande arma neste AO. Só não gosto muito do favoritismo absoluto pra conquistar o título. Mas o suíço, mais do que ninguém, sabe muito bem lidar com pressão. Defender título é com ele mesmo.
    Aposto que Nadal e Djokovic não chegarão à segunda semana. E ainda não confio em Kyrgios. Wilander tem razão quando aponta Goffin como um forte candidato ao título.
    No feminino, com a asusência de Serena, grande chance de termos um torneio bem disputado e legal de se ver. Halep chega forte, mas gostaria que Wozniacki vencesse, enfim, um slam. Tomara que ela jogue aquele tênis praticado do fim da temporada passada.

    Responder
  35. Astério Silva

    Acho estranho que nas sugestões de favoritos não se coloque Del Potro, para mim, um dos 4 principais nesse AusOpen. Ele jogou muito no 2o semestre do ano passado. O que você acha ?

    Responder
    1. Jônatas

      Ele não tem físico amigo. Pode aguentar 1 ou outro jogo mas o incrível potencial que ele tem é limitado pelo seu físico. Ele se move mal para um nível alto de tênis entendeu? Pode tirar um dos favoritos mas ser UM DELES ainda não.

      Responder
  36. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    somente fazendo um apontamento sobre o chaveamento do Kyrgios. Acredito que ele só pegara um dos 8 primeiros classificados das oitavas em diante, e não na terceira rodada. Pelas regras do chaveamento nos Majors na terceira rodada do 1° ao 8° pega do 25° ao 32°, e do 9° ao 16° pega do 17° ao 24°. Não é assim?

    Responder
    1. Jônatas

      Como disse o Dalcim não é do 1º ao 8º que pode “dar ruim” para ele. Veja o ranking abaixo disso:

      – Del Potro
      – Busta
      – Anderson
      – Wawrinka (talvez)
      – Querrey
      – Tsonga
      – Djokovic
      – Pouille
      – Berdych
      – Raonic
      – Monfils

      etc

      Sentiu o drama?? É jogo pau-a-pau. Então muita hora nesta calma nestes momentos =P

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *