Pé esquerdo
Por José Nilton Dalcim
4 de janeiro de 2018 às 19:03

Depois de um 2017 de escasso sucesso, a nova temporada já começou com o pé esquerdo para o tênis brasileiro. Thomaz Bellucci anunciou nesta quinta-feira ter chegado a um acordo com a Federação Internacional cinco dias atrás e aceitou a suspensão de cinco meses por uso não intencional de substância proibida, que teria contaminado um suplemento de vitaminas que ingere por conta de seu problema de suor excessivo.

Já havia muita gente sussurrando nos bastidores de que essa parada de Bellucci havia sido muito repentina. Afinal, ele chegou a viajar para disputar o ATP de Shenzhen, na China, mas deu meia volta. Agora, sabe-se que foi justamente lá quando a ITF o notificou da suspensão preventiva – o exame fora feito em julho durante Bastad – e daí em diante a contusão no tornozelo virou a desculpa certa para justificar sua ausência forçada.

Ao fazer o acordo para pegar a pena mínima, já que felizmente conseguiu provar a falta de intenção e falou alto seu histórico na carreira, Bellucci se viu obrigado a desistir de disputar os torneios na Austrália e assim o retorno acontecerá no saibro de Quito, já na primeira semana de fevereiro.

Claro que a suspensão levou Bellucci a terminar a temporada fora do top 100 – ele chegou a se inscrever nos challengers sul-americanos, mas não pôde jogar devido ao julgamento não concluído – e ainda por cima terá de defender a semi e os 90 pontos de Quito logo de cara. Com 30 anos completados no penúltimo dia de 2017, o recomeço fica um pouco mais difícil. Ele ainda decidiu se mudar para a Flórida e a intenção de contratar um técnico espanhol.

Outra má notícia veio com Thiago Monteiro. O canhoto cearense encarou o duro quali de Pune, no piso sintético sufocante do verão indiano, ganhou uma boa primeira rodada e estava dando trabalho ao top 15 Kevin Anderson quando a dor no tornozelo esquerdo não o deixou prosseguir na partida e certamente preocupa para o quali do Australian Open da semana que vem.

Para compensar, Rogerinho Silva herdou a vaga de Kei Nishikori e garantiu ao menos duas presenças do tênis brasileiro no primeiro Grand Slam da temporada, somando-se a Bia Haddad. A canhota, que teve os resultados de simples mais expressivos de 2017, exigiu da experiente Aga Radwanska em Auckland. Parece que será apenas uma questão de ganhar maturidade e um pouco mais de confiança para Bia aprontar em cima das grandes.

Por fim, há de se lamentar também a esperada desistência de Andy Murray do Australian Open. O escocês está tentando de tudo para voltar a jogar e, como havia feito no US Open, viajou, treinou, chegou a fazer um set público e entrou até na chave de Brisbane antes de a realidade bater à porta.

Murray não tem mesmo condições de seguir carreira sem a cirurgia no quadril, nem mesmo num nível mediano. Então chegou a hora da verdade a ele: ou se submete não apenas à operação mas principalmente à sacrificante fisioterapia de recuperação, que levará no mínimo seis meses, ou terá de se aposentar.


Comentários
  1. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    com base no ranking atual existe a possibilidade de Federer ou Nadal pegar já nas oitavas o Djokovic. Mas seria muita falta de sorte.

    Responder
  2. Jônatas

    Já achava difícil o Rafa não estar no AO pois é muito ponto em jogo. Depois dos colegas colocarem que ele está treinando com intensidade creio que jogará sim mas em que estado é a dúvida. Sem nenhum torneio para ajustar creio que será quase como o Federer no USOpen mas o ritmo será pior pois este é o primeiro GS do ano. Se pegar uma chave complicada sei não.

    Engraçado como ser nº1 é importante. O Federer desistiu de tentar no final do ano pois seria muito sacrificante e o Nadal só não disputou Paris porque o Federer desistiu salvo engano. Como o Fedex está bem então PODE SER que se ele estaria forçando um pouco a barra. Será que não?

    Responder
  3. PIETER

    Maravilhosa a campanha do Karue Sell em um future de 25 mil na Califórnia. Saiu do quali, vencendo 3 jogos; na chave principal, ganhou de três cabeças de chave, todos mais experientes e muito melhor ranqueados que ele e, na final, derrotou um tenista da casa, 5o favorito, depois de perder no tie-breaker o 1o set. E ainda venceu em duplas.
    Tudo isso sem patrocínio nem apoio nenhum.
    É de se imaginar o seu potencial e o que conseguiria no circuito se viajasse, ao menos, com um técnico e tivesse alguma ajuda de custo. Coisas do esporte brasileiro…
    Dalcim, o que você acha dele como jogador?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não o vejo jogar desde os tempos de juvenil, Pieter, então é impossível fazer qualquer análise no momento. Mas feliz com o sucesso dele.

      Responder
  4. Neto

    Olhei agora a pouco os melhores momentos da vitória do Federer , realmente foi aquilo tudo Dalcim? Ele castigou zverev no segundo e terceiro sets, vc acha que o nível do sverev caiu ou Federer elevou o nível demais do seu jogo ? Grande abraço meu caro

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, um pouco dos dois, Neto. Federer subiu o nível de agressividade e não deixou Zverev jogar parado. O que ele deu de deixadinhas e voleios foi um espetáculo. Abs!

      Responder
  5. Luiz Fernando

    Tenis e um esporte implacável mesmo, Harrison, q ha uns bons anos era um jogador promissor e depois caiu na mesmice, jogava um tênis primoroso ate o 32 no primeiro set, dai em diante voltou ao seu normal, mesmo frente ao desleixo e inconsequência habituais do jogo de Kyrgios, a quem talento e velocidade da bola não faltam. O segundo set foi um passeio p o australiano.

    Responder
  6. Márcio Souza

    Nadal treinou por quase 3 horas, boa notícia!

    Com certeza vai jogar o AO com uma proteção no joelho.
    O discurso em caso de derrota ja esta pronto e a desculpa no jeito, não resistiu as dores no joelho.

    O problema será se ele for ganhando os jogos e numa entrevista antes da final algum jornalista perguntar como esta o joelho, e ele falar:
    – Que joelho? Kkkkkkk

    Bom AO a todos!!!

    Responder
  7. Rafael Wuthrich

    Dalcim, acho que Kyrgios, Dimitrov e Federer largam na frente na preparação pro AO. Jogaram bem, mostraram boa forma e principalmente poder mental, virando jogos.

    Mas o que dizer de Zverev? Partidas instáveis em toda a Hopman, erros continuos no FH e de novo irritação e falta de concentração. A partida nas duplas mistas foi até mais bizarra que os 2 últimos sets contra Federer: várias vezes tomava a bola que era de Kerber, cometia erros nas devoluções e bolas baixas na rede ainda são um problema. Considero que ele não apenas estagnou, mas involuiu. Concorda?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho precoce essa avaliação. Afinal tirou um set do Federer num piso bem veloz. Até ali jogava num nível bem alto, não acha?

      Responder
      1. Nando

        Mestre, na minha opinião, falando só do 1° set Zverev se complicava sempre q a bola vinha na sua direita…se Federer tivesse explorado mais ali, teria ganho o set.
        Qnd a bola ia no BH dele, aí sim mandava boas bolas, mas ele jogou bem sim esse 1° set.

        Responder
  8. alessandro sartori

    E caiu o nível do cicuito masculino de tenis, francesada ganhando títulos…outra coisa, o Federer vai jogar até os 40 fácil e ganhando, aliás no AO acho que o único que tem condição de ganhar dele é o Kyrgios, já o Zverev, assim como no ATPFinals hj tbm parecia uma criança de 12 anos tomando aula…

    Responder
  9. Sérgio Ribeiro

    Felizmente gratas surpresas como o Grego e Rublev ( para ficar só nestes ) , aparecendo no Circuito em profusao. E os trintões demonstrando o quanto vale o famoso h2h. As derrotas de Cilic e Anderson para Simon( este jamais havia batido o Sul-Africano ), demonstra que só em Clube da Esquina. Simon não vencia um ATP a anos. Mas incrivelmente os 13 em 19 Finais , demonstra que não é apenas um passador de bolinhas. Mas, a meu ver, um grande Contra-Golpeador. O Título da Copa Davis deu tanta moral para os Franceses, que o grande Monfa entrando como Convidado, leva Doha 2018. A Final de 2017 durou 3 Horas , entre Novak e Andy… Abs!

    Responder
  10. Marcos Marinho

    Muito triste a situação de Andy Murray. No melhor momento de sua carreira, quando era o #1 do mundo, com grande sequência de vitórias em 2016… Viram o post que ele deixou no Instagram? De partir o coração. Infelizmente prevejo um fim melancólico para sua carreira. Uma pena, pois é o cara que mais tem coisas legais a dizer, inclusive sobre assuntos fora do tênis. Grande jogador, sempre muito inteligente e bem humorado ao seu estilo. Fará muita falta.

    Pra quem não viu, acho que vale dar uma olhada: https://www.instagram.com/p/BdcSGu6lMYj/?taken-by=andymurray

    Responder
  11. Rodrigo S. Cruz

    E o craque suíço continua impressionando, aos 35 anos de idade.

    Fez um jogaço contra Alexander Zverev, cheio de lances de apuradíssima técnica e talento.

    Vem aí a vigésima consagração…

    Responder
  12. Sérgio Ribeiro

    Postamos da obrigatoriedade de vencer as 4 partidas da Hopman Cup , em função de Kerber está bem superior a Bencic. Esta tem os mesmos 20 anos que Martina Hings tinha em 2001. A diferença é que o Craque pulou dos 19 de então para 36, impressionante. E mais uma vez em nada o Piso mais rápido prejudicou o Espetáculo. Sua Genialidade ( Zverev sentiu na pele ) , e um melhor jogo de Pernas comparando ao FINALS 2017, demonstra o acerto na preparação para o AOPEN 2018. O Back batido na Paralela e Cruzado ficaram mais para o SLAM ? Em se tratando de Roger Federer da’ pra acreditar e conferir ! Abs!

    Responder
  13. Ricardo

    Que jogaço entre Kyrgios e Dimitrov. Torcendo por uma ótima campanha do Australiano no AO (quem sabe até o título, por que não?!) quem sabe assim ele se anima e, enfim, coloca a cabeça no lugar. Pra mim, ele é, disparado, o jogador mais talentoso da nova geração.
    Dalcim, acha que o Kyrgios tem chances reais de título no AO? Ou a cabeça pode atrapalhar?
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, ele conseguiu três viradas seguidas nesta semana. É um sinal bem positivo. Os cinco sets dos Slam são um problema a administrar. Gostaria muito qie ele embalasse.

      Responder
  14. Luiz Fernando

    Temos q convir q o Bello e um caso a parte, em geral os q se dopam tendem a tornar-se mais competitivos, em qualquer esporte, o cara conseguiu a façanha de fazer o inverso…

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Verdade.

      Em se tratando de doping, ele anda muito mal assessorado…

      Se eu fosse ele, eu pegaria umas dicas com o Nadal.

      Este sim com expertise no assunto.

      Responder
  15. Nando

    E sobre Zverev, tem q trabalhar muuuuuuuito o FH…erra mta bola fácil ali e só consegue ser agressivo com o BH.
    E anda mto chiliquento tbm.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Tem apenas 20 anos, Nando. Esqueceu do Craque nesta idade quebrando também raquetes. E mesmo tendo muito a melhorar, já é TOP 4. E em 7 contra Federer ( contando as duas da Hopman Cup ) , levou 3. Abs!

      Responder
    1. PIETER

      O Federer está voando baixo jogando tênis. E pelas entrevistas pós-jogos, ainda na quadra, ficou evidente como ele está de bem com a vida, leve e muito feliz por estar jogando. Isso se reflete no prazer com que joga. Se se mantiver saudável – grande desafio aos 37 anos incompletos – terá uma grande temporada de novo em 2018.

      Responder
  16. João ando

    Ok. Rubens. Bom voltando ao Thomaz parece que sim ele sabia o que estava tomando….furosemida …um diurético para mascarar outras substâncias….em uma reportagem na UOL as farmácias de manipulação dizem que e muito difícil ter contaminação cruzada…o que vc acha dalcim?

    Responder
      1. PIETER

        Um nos Estados Unidos e o outro no Canadá. Mas foi o próprio Bellucci quem enviou as amostras diretamente aos laboratórios, optando por não entregá-las à ITF para que esta as enviasse. E ficou estranho ele ter declarado que não sabia do caso de doping do Demoliner alguns anos atrás, também com mesmo laboratório carioca.

        Responder
  17. O LÓGICO

    Penso que já está na hora de revelar qual foi o meu pedido principal a papai do céu para este ano: que o LOBO DA ESTEPE sequer chegue às quartas do AO 2017 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Uma contusão “real” não seria nada mau se ocorresse, como castigo àquele que vive inventando desculpazinhas pras suas derrotas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Quem não iria gostar nadinha seria o M Cristão kkkkkkkk e o L Falador kkkkkkkkkk

    Responder
  18. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    me corrija se estiver errado, mas pelos meus cálculos Federer somente será número 1, caso seja campeão do AO2018, e o Nadal faça no máximo oitavas de final. Situação ao meu ver um tanto difícil de acontecer, no entanto possível. Está certo meu cálculo Dalcim?

    Responder
  19. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, por que será que o Vesely não emplacou? Quando ele surgiu, me passou a impressão de que faria mais sucesso. Foi até campeão em Auckland 2015, massacrando o Mannarino na final. Abs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Chet,

      É igual aqueles caras que nunca souberam como colar em prova, e se aventuram…

      O Bello é “verde” demais para se dopar.

      Deveria ter procurado o Nadal para saber como fazer a coisa com eficiência e sigilo.

      Responder
    1. JANAINA DIAS

      Concordo inteiramente com você Luiz Fernando, essa lesão do NADAL só aparece nos momentos convenientes pra ele, quando quer justificar suas derrotas…Um atleta que está com dores fortes no joelho não consegue treinar por 3 horas seguidas..
      Acredito que ele estará muito bem no AO e será, de novo, um dos candidatos ao título..

      Responder
    2. Rafael Wuthrich

      Luis, não tenho duvidas quanto à participação de Rafa. Porém, Paris e o Finals mostraram que ir sem condições plenas só o prejudica e o expõe desnecessariamente. Acho que Nadal na melhor das hipóteses está a 70%. Sem jogar e com os joelhos podendo sofrer a qualquer momento, já que não teve preparação ideal, e sem ritmo – o que sempre foi seu calcanhar de aquiles, acho pouco provável uma boa companha do espanhol em Melbourne.

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Rafael creio q se estivesse 70% nao iria ao AO, mesmo com os péssimos antecedentes em matéria de bom senso. Ainda mais q devem estar muito vivos nele os desastres de Paris e Finals, causados pela falta de critério. O simples fato de ter pulado AD e Brisbane mostra um pouco de cuidado por parte de Rafa e seu staff. Prefiro ficar mais otimista.

        Responder
        1. Rafael Wuthrich

          Acho seu argumento coerente, embora no caso de Nadal eu sempre opte pela “metade meio vazia do copo”. Embora ele tenha sido prudente, acho que as desistências foram mais obrigatórias que cautela. Enfim. Aguardemos.

          Responder
    3. Mario César Rodrigues

      Caro Luis fernando quem não acompanha a carreira do Rafa realmente dou um desconto mas como falei ele estava pronto para A Exibição e Brisbane foi uma opção dele.Chegar mais cedo em Na Austrália e treinar mais!Quanto ao ritmo de jogo você verá que ele vai estar pulando como canguru!Dalcim meu caro Rublev irá ser um grande jogador ainda tem muita coisa para melhorar mas o tempo vai se encarregar disto.Hoje assisti o jogo dele contra o Pella mas como se defende o Argentino!

      Responder
  20. Renato Vieira

    Será muito ruim para o tênis se o Murray tiver que aposentar. Algo que eu acho que não vai acontecer. Espero que ele faça o que precisa ser feito pra voltar a jogar. Dificilmente ele voltaria ganhando grandes torneios, mas ainda assim, sua qualidade técnica indiscutível faz falta.

    Responder
  21. Sandra

    Dalcim, cirurgia de joelho os atletas se recuperam bem, não sei se estou errada mas no caso do Stan talvez esteja mais difícil pois ele por exemplo e mais pesado que o Federer, a de punho o Delpo a tranco e barrancos superou, e a de cotovelo, vc já viu alguém operar, e como foi depois???

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Joelho não é nada fácil, Sandra, é uma das articulações mais exigidas no tênis de alto nível. Quadril realmente é complicado por causa da longa recuperação.

      Responder
  22. Fernando Brack

    Que pena o Murray. Já começa a pintar o encurtamento de sua carreira. Embora difícil de prever, me parece que ao voltar, se voltar, não terá mais o mesmo desempenho.

    Responder
  23. Fernando Brack

    Não gostei do enredo dessa estória. Porque atletas insistem em informar o público e fãs tardiamente sobre problemas desse tipo? O que tanto custa a esse pessoal dizer simplesmente que foi pego num exame e que se dedicará a cuidar de sua defesa?

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Talvez seja por medo da pressão da torcida e da imprensa. Ainda mais aqui no Brasil, país que sempre procura colocar alguém de bode expiatório.

      Responder
  24. Fabio Herdy

    Gosto do Bellucci, as vezes perde a linha e se descontrola, mas é um ótimo tenista, tem garra!
    Já o Murray, que barra hein!? Qual o tempo de recuperação de uma operação destas?! Um ano, dois?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É bem provável que haja algum componente na execução técnica, mas a maioria dos especialistas fala que isso é genético mesmo.

      Responder
  25. Marcos RJ

    Bellucci deveria SIM processar o laboratorio -ainda mais nos EU- por perda de premios, patrocinio e principalmente por dano de imagem, alem do sofrimento pessoal. Foram varios os tropecos na carreira, mas nesse caso acredito na sua total inocencia ou a pena teria sido muito mais severa. O caso Bellucci nao tem qualquer semelhanca com a historia da carochinha contada pela Sharapova. Espero que ele tenha um bom recomeco de carreira e pode ser uma boa ele recomecar o ano justamente no saibro onde tem os melhores resultados.
    Sinto muito pelo Murray, ele vai fazer bastante falta no circuito. Infelizmente, acho que a melhor opcao poderia ser pendurar a raquete e iniciar uma carreira ligada a federacao de tenis no UK, onde a maezona Judy Murray ja vem fazendo um bom papel. Doi no coracao encerrar uma careira brilhante precocemente, mas o Murray nao merece ter um final de carreira como coadjuvante. Alem do mais, seria otimo poder manter o quadril original por mais alguns anos e brincar com os filhos pequenos, alem de outros pequenos prazeres. Com certeza nao vai lhe faltar prestigio no Reino Unido para o resto da vida, com ou sem Brexit.

    Responder
    1. Rafael

      Concordo. É de cortar o coração. Mas as coisas parecem se encaminhar para isso. O post dele dá sinais de uma certa desesperança. Só ele sabe o que deve estar passando.

      Não concordo com quem, mesmo brincando, colocava o Murray como maratenista. Pelo contrário, acho que o Murray unia o melhor de dois mundos: físico espetacular e técnica apuradíssima – depois de Federer, o mais completo jogador do circuito.

      Responder
  26. Mario Cesar Rodrigues

    Quando eu falo podem escrever,só peço ao SR não venha com ar de Poliglóta,Bellucci eu realmente sabia o que se passava mas até dar uma noticia dessas é perigoso demais.Enfim Andy Murray falei tem 2 meses que não jogaria AO ele se inscrevia para engrandecer os torneios e agradar aos Patrocinadores.Rafael Nadal estará voando!há mas tem uma que essa vai ser a surpresa mas não falo!Uma pena!

    Responder
  27. Sérgio Ribeiro

    Saindo do Pé esquerdo um pouco pro direito, coisas que acontecem com o Suíço: conseguiu com a escolha da Hopmam Cup fazer 4 partidas de Simples e possivelmente 4 de Duplas. Para vencer o Evento nessesariamente precisa bater 2 dos 3 TOPs 8 que resolveram aparecer este ano. Sock e Zverev ou Goffin. O ” Limitadíssimo ” anda jogando muito para alegria do Conterrâneo Pessanha rsrsrs ( vencer um Evento 17 anos depois nem o velho Jimbo que jogou acima dos 40 ) . De quebra bateu o recorde de Público dos 30 anos da Copa. Enquanto isso o SuperEstimado está na Semi de Doha contra Gael ( enfiou o braço pra cima do talentoso Grego ). Dimitrov , Goffin , Thiem e Zverev parecem querer demonstrar que a Geração Perdida e a Novíssima estão na boca de aprontar. Nem citei Kyrgios que me parece ainda fora de foco. Abs!

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      kkkk. Goffin é limitado e Thiem é SuperesTHIEMado. Isso está mais do que provado. rs. E Thiem tem a obrigação de ganhar do ex-jogador em atividade Gael “Djavan” Monfils. Quanto ao AO, quem sabe pinta uma final FedEx x Delpo. Torçamos para isso. Abs

      Responder
  28. Mário Fagundes

    Federer fez um bom jogo diante de Jack Sock. O ponto da quebra, no 6/5 do segundo set, quando se defendeu no fundo-de-quadra, nos dois lados, demonstram que ele está bem de pernas. Prevejo um começo de ano tão bom quanto foi em 2017. A diferença é que agora ele vai ao AO saudável e confiante, o que o torna um natural favorito ao título.

    Responder
  29. Mário Fagundes

    Com o afastamento de Murray para fazer uma possível cirurgia complexa, de difícil recuperação, sendo um trintão e com o estilo que tem, acho improvável que consiga recuperar o bom nível de jogo ainda este ano. O chamado Big Four começa a ser desmantelado de vez, pois daqui pra frente dificilmente teremos os quatro jogando em alto nível por uma temporada inteira.

    Responder
  30. Arthur

    Muito triste essa notícia do Murray, Dalcim. Será realmente uma pena vê-lo aposentado tão cedo.
    E, ironia das ironias, isso pode fazer com que o mais novo do Big4 acabe sendo o primeiro a cair fora do circuito.

    Um abraço.

    Responder
  31. Sandra

    Dalcim, não sei escrever o nome dele correto, então não vou escrever,só sei que e , o australiano não operou o quadril??? E ele ainda conseguiu jogar bastante tempo mais, e não só isso , o nível dele não baixou tanto quanto o do guga e do Magnus Norman , o nome do jogador eu não sei mas tinha apelido de limão .

    Responder
  32. Carlos Lima

    Por isso que fica difícil acreditar nas lesões do Nadal. Teve uns dois anos que ele parou por seis meses depois de ter feito uma campanha espetacular em Roland Garros. Sei não.

    Responder
  33. André Barcellos

    Passou um período afastado do circuito alegando lesão, mas na verdade foi notificado…
    Escondeu a notificação…
    Não joga, mas a contusão piora..
    Cumpre a pena e ninguém fica sabendo…

    Ah, estamos falando do Bellucci. Ok.

    Responder
  34. Erick Fioretti

    Grande mestre,

    Que pena do Murray! Depoimento comovente, na medida do esforço para fugir da cirurgia e voltar a jogar.

    Tomara que tome uma boa decisão a respeito.

    Abraço

    Responder
  35. Rafael Wuthrich

    Dalcim, e Djokovic, Nadal e Stan? Qual sua expectativa, eis que os 3 anunciaram participação em exibições rápidas a 5 dias do AO (e a 3 do sorteio das chaves) mas não se prepararam adequadamenre, claramente não estão 100% e ainda sequer pisam em quadra desde 2017 (no caso de.Djokovic e Wawrinka, desde julho)?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obviamente, não chegarão ao AusOpen em condições reais de competição, exceto Nadal que traz a confiança de 2017. Daí será importante pegar uma boa chave, sem adversários muito perigosos logo de cara. Sorteio é daqui uma semana, Wuthrich.

      Responder
  36. Rodrigo S. Cruz

    Bom, pelo menos está finalmente explicada aquela parada tão longa do Bellucci.

    Esta questão do doping é sempre polêmica, pois qualquer atleta pode acabar se contaminando com alguma substância, sem ter qualquer responsabilidade por isto.

    Porém, se ele testar positivo, não importando a culpa, ele é sempre severamente punido.

    Deu pra ver claramente que o brasileiro não agiu de má-fé.

    Além disso, a substância encontrada sequer daria a ele vantagem de performance.

    Responder
    1. Sônia

      A substância encontrada, hidroclorotiazide, é um “agente mascarante”, ou seja, … quero ver agora ele fazer sinais de “silêncio” para a torcida. Beijos

      Responder
  37. Eduardo

    O que salvou o Bellucci de uma pena maior foi que ficou evidente que ele não usou a substância para melhorar seu jogo… Assistiram os jogos dele na temporada e viram que faz tempo que o jogo dele só piora … kkkkkkkkkk

    Responder
    1. Mário Fagundes

      Hahahaha! Os caras devem ter pensado: “se dopado, só joga “isso”, então um ganchinho resolve”. Brincadeiras à parte, que ele cumpra a pena e volte mais forte ao circuito.

      Responder
  38. Rodrigo S. Cruz

    Eu fico triste pelo Murray.

    A cirurgia no quadril é a mais foda, a de mais difícil recuperação.

    A gente gosta de brincar que ele um ” maratenista”, que o estilo é assim e assado.

    Mas a verdade é que o britânico é um excelente jogador, e tem talento.

    Além disso, ele ama o que faz e parece ser um cara muito legal.

    Desejo a ele toda a sorte.

    Responder
  39. Luis

    Claro que todos possuem direito de defesa!! Claro que histórico conta!!. O errado é subestimar a inteligência das pessoas!! Ninguém em sã consciência toma diurético, um remédio que aumenta a eliminação de água, sofrendo de desidratação e sudorese excessiva!. Ou o Belucci é muito mal assessorado, ou a história não é bem assim, ou de fato, houve contaminação!. Muito bem, se foi contaminação mesmo, o mínimo que eu espero é que a farmácia seja processado pelo staff do tenista! O cara vai ficar seis meses sem jogar, com prejuízo de sua imagem devido à falha de uma empresa e vai ficar tudo por isso mesmo??. O tempo dirá!!

    Responder
  40. Gilvan

    E mais uma vez fica clara a facilidade com que tenistas e a ATP conseguem jogar para debaixo do tapete investigacoes de doping.
    Basta um simples afastamento por `lesao`, um periodo no estaleiro e fica tudo bem. Nao foram poucas as vezes em que vimos tenistas ficarem afastados do circuito alegando lesoes e cirurgias suspeitas, inclusive grandes nomes do esporte (alguem falou em apendicite?).
    Afinal, o show tem que continuar!

    Responder
  41. Luiz Fernando

    “Multivitaminico contaminado com diuretico”, e feito por um laboratório americano kkk!!! Imagino o teor das postagens se algo similar tivesse acontecido com Rafa kkkk…

    Responder
  42. Nando

    Eeeeeeee Bellucci hein…qnt a ele, pararei nisso.
    E qnt a Murray, complicado mesmo…hoje (acho até q isso é questionado faz tempo) é quase unânime q ele deveria ter operado logo após WB né? Quem sabe estaria bem melhor.
    O mesmo vale pro cotonete, q deveria ter operado o cotovelo tbm após o Slam na grama.
    Enquanto isso, na Hopman, Federer vai se preparando pro AO, seguindo o mesmo cronograma da temporada passada…venceu Sock num jogo bacana, vai pegando ritmo e calibrando os golpes, melhorando o jogo de pernas, pois ele será zebra no AO, assim como foi em 2017.

    Responder
        1. Luiz Fabriciano

          Então quer dizer que se for vice, independente do adversário, será perfeitamente dentro do esperado, mas se for campeão, será mais notável façanha, pois está voltando de férias? Entendi.
          E quem não está voltando de férias?

          Responder
        2. José Eduardo Pessanha

          Nando, todos estão voltando de férias agora. rs. E Federer nunca será zebra em um Slam, nem mesmo com 40 anos em Roland Garros. rs. Djokovic e Nadal devem ganhar no máximo 1 ou 2 jogos, se ganharem. E o restante dos tenistas está num nível bem abaixo do Craque Suíço. Sem contar a torcida, 100% a favor de FedEx contra qualquer adversário. Juntando todos esses fatores, Federer é amplo favorito a ganhar o torneio, mesmo isso não significando que ele será o campeão.
          Valeu.

          Responder
  43. Rubens Leme

    Menos mal que ele não tenha realmente se dopado. Não acho impossível ele dar uma arrancada com 30 anos, desde que amadureça e pare de jogar tão mal em momentos chaves nos jogos.

    Bellucci é bom jogador, com bom saque e forehand e se realmente estiver com vontade de dar a volta por cima, com um bom treinador e o físico também ajudar pode sim voltar ao top 50, afinal o que não falta é tenista que despontou com essa idade nos últimos anos,, casos de Gilles Muller ou o Zeverev mais velho.

    Responder
    1. João ando

      Rubens .desculpa mas o Mischa e o Muller despontaram mais cedo….o belluci volta a fica entre os 90/100.ja o Murray deve operar tentar voltar …calvário igual do Guga e depois de 2/3 anos aposenta

      Responder
      1. Rubens Leme

        Não estou não João Ando e te provo com os dados abaixo, tirados do site da ATP com os links para conferir.

        Gilles Muller nasceu em 05 de setembro de 1983, está com 34 anos no momento. Até os 28 anos ele lutava para ser top 2000. Com 30 anos ele oscilava entre 60 e 90 e só a partir e só com 31 anos ele voltou ao Top 100 tendo seus melhores resultados a partir de 2015, já com 31 para 32 anos. Seus dois únicos títulos de simples foram comquistados apenas no ano passado, já com 34 anos.

        Você pode ver a carreira toda dele aqui – http://www.atpworldtour.com/en/players/gilles-muller/ma30/rankings-history

        Já o Zverev que nasceu em 22 de agosto de 1987, tem 30 anos hoje, tinha uma carreira medíocre até 17 de outubro de 2016, quando entrou no Top 100 pela primeira vez aos 20 anos, oscilou demais foi quase a 600 se firmou agora, aos 29 anos e jamais venceu um título de simples.

        http://www.atpworldtour.com/en/players/mischa-zverev/z168/rankings-history

        Com 30 anos, Bellucci já tem 4 títulos, 4 vices e uma carreira mais consistente do que a dos dois. Costumamos falar mal dele que tem uma carreira respeitável e decente.

        Responder
    2. Jônatas

      Melhor fase do Fish e do Ferrer foi depois dos 30 por exemplo. Eu acho que está mais na cabeça que no físico a coisa. Já ouvi médico especialista em preparação física (mas não disse para tênis especificamente), dizer que o auge começa +- por volta dos 34, 35 anos embora ali o contexto seja mais voltado para musculação na época da entrevista.

      Acho que entra fatores de como você se preparou ao longo dos anos, desgaste físico, psicológico, etc.

      Doping não ajuda com certeza hehehehe

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *