O fator Djokovic
Por José Nilton Dalcim
28 de dezembro de 2017 às 11:58

A cada dia que se aproxima a temporada 2018, fico com a impressão maior de que Novak Djokovic será o peso que poderá desequilibrar a balança que pende cada vez mais a favor de Roger Federer.

Diante do quadro pintado até agora, o suíço entrará como grande favorito para o Australian Open e quem sabe para toda a temporada de quadras duras que vai até março.

Rafa Nadal colocou outro caminhão de incertezas sobre o problemático joelho. Fez o lógico, pulou todos os preparativos e tenta se poupar para Melbourne. Ainda assim a exigência de cinco sets na quadra dura será um esforço preocupante para a persistente contusão. Pior ainda, não dá para ele simplesmente ficar esperando o saibro chegar, a menos que opte pelos ATPs sul-americanos e salte para Monte Carlo.

As participações de Andy Murray e Stan Wawrinka também estão evidentemente comprometidas. O escocês não dá menor sinal de estar se preparando com o apuro necessário para sonhar com uma grande campanha e já fala em apenas ‘ser feliz’ jogando tênis, sem maiores ambições. Stan seguiu a previsão: não está recuperado do joelho e pode nem mesmo ir a Melbourne. É outro candidato a só estar bem no saibro.

Claro que há candidatos fortes na ‘nova geração’, principalmente Alexander Zverev e Grigor Dimitrov. O búlgaro, que terminou em alta, fez um grande AusOpen em 2017 aproveitando as condições mais velozes que tanto o agradam. O alemão ainda deve uma campanha decente em Grand Slam, porém é um jogador de grandes golpes à espera de uma chave bem certinha.

Ainda assim, acho que Djokovic fará a diferença. Sua missão em Melbourne evidentemente é tão difícil quanto a de Federer ou Nadal 11 meses atrás, quando vinham de longa parada sem qualquer perspectiva. Nole no entanto tem aquele diferencial dos gigantes, com excepcional poder mental. Se embalar e ganhar confiança – e tem dois torneios preparatórios para isso -, ficará perigoso e enriquecerá o torneio.

Na verdade, Djoko é fiel da balança para toda a temporada. E isso inclui não apenas Indian Wells ou Miami, mas também todo o saibro europeu. Recuperado, se tornará a ameaça real e constante para Rafa. E seu notável currículo em Wimbledon também o faz o principal adversário a ser temido por Federer.

Portanto, para o bem do tênis masculino em 2018, torçamos por um retorno digno do sérvio.

E mais…
A tenebrosa lista de problemas para janeiro inclui também os punhos: Kei Nishikori não vai mais a Brisbane e Milos Raonic está fora de Abu Dhabi. Até Richard Gasquet sofre com as costas, mas esse ao menos já retomou os treinamentos intensivos.

E para mostrar o quanto o tênis moderno é fisicamente sacrificante, o garoto Felix Auger-Aliassime também lesionou o joelho e não estará no quali do Australian Open. Em agosto, abriu mão do convite para Montréal por contusão no punho esquerdo. Promessa de enorme qualidade, tem apenas 17 anos!


Comentários
  1. Joaquim Saraiva

    Dalcim, com o perdão do maquiavelismo, mas já percebeste como os atletas flagrados no antidoping nunca têm culpa? Tempos atrás, o Demoliner, que por sinal é amigo e parceiro de duplas do Bellucci, foi pego no doping pelo uso da mesma substância encontrada na urina do Thomaz. Na ocasião, o Marcelo se valeu exatamente da desculpa dada pelo tenista de Tietê. Francamente, não me parece que um laboratório como a Body Lab, com ótimo histórico no mercado (trabalhou com a seleção brasileira de futebol em 1998 e com o Botafogo), tenha cometido um erro dessa magnitude, principalmente por ser uma empresa que trabalha com poucos pedidos. Acho mesmo que o ex-top 30 falhou e, se fosse outro esportista, é dizer, mais ídolo, teria não apenas o meu apoio, mas o de muitas pessoas apaixonadas pelo esporte. Agora, no auge dos seus 30 anos, para recomeçar, Bellucci terá que buscar forças de onde nunca teve, o que fará debaixo dos olhares ainda mais desconfiados dos brasileiros.

    Responder
  2. Guilherme

    Dalcim me tira uma dúvida o piso do AO e o mesmo q está sendo a copa hopmam ? Esta muito veloz q encaixa muito com o jogo do federer claro q ninguém ganha o campeonato antes mas o suíço está voando rs

    Responder
  3. Jônatas

    Ô Dalcim, cadê a moçada do circuito? Tiafoe, Zverev, Pouille, Edmund, Donaldson, Shapovalov ? Estão bem?
    E o doido do Kyrgios?
    Quando a nossa dupla fatal estreará em 2018?? Aqui o FH e BH estão no nível Fedex de técnica XD

    Responder
  4. Jônatas

    Feliz 2018 povo e Dalcim.

    Que coisa, Murray fora, Nishikori fora, Raonic capegando, nem ouvi falar do Nadal e do Djokovic. Será que vão entrar no AUSOpen?

    Federer está jogando muito muito solto. FH andando, BH andando, saque preciso, antecipação ok, ataque e contra-ataque no fino. Olha, vamos ver quando tivermos uma competição pra valer mesmo mas tudo indica que é sim o favorito.

    Não vi ainda o Delpo e Dimitrov, e fora Nadal e Djokovic que são incógnitas, são os que podem complicar o rapazinho helvético de 36 anos.

    Temo dizer que o Federer está em sua melhor forma. Talvez não tão rápido e explosivo como em 2006 e 2007 mas tecnicamente melhor. O timing, posicionamento, etc estão bem ok.

    Responder
  5. Renatinho

    Dalcim, creio que com os problemas físicos do Murray ( que já desistiu do AO), Stan , Nadal e Djo ( desde que não recuperem o melhor nível) o favoritismo do Federer aumenta, mas como nada vem de graça nesta vida ainda assim mesmo que Federer jogasse bem sua tarefa não seria essa moleza toda. Existem alguns jogadores que num bom dia podem surpreender, mesmo o Federe não tendo Nadal , Stan , Murray e Djo no páreo. Tem uma lista disso , mas obviamente vou mencionar um nome em específico. Trata-se de um jogador que parece estar jogando o melhor tênis da sua vida desde a parte final da temporada passada. Sinceramente acho ele um jogador bastante perigoso se continuar mantendo este novo nível de tênis que alcançou. Chama-se David Goffin. Dalcim, você concorda que o Goffin se tornou um jogador perigoso de se enfrentar ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Renatinho. Ele trabalhou muito no serviço, que era um ponto frágil, e ficou também mais agressivo, usando bem o backhand na paralela. Ainda pode melhorar muito o jogo de rede.

      Responder
  6. Luiz Fernando

    Esse AO está zicado, o Japa e Murray já desistiram, Rafa e Djoko são incógnitas, o genial Wawrinka e o não menos genial Raonic baleados, depois, até por exclusão e por ser o único do Big4 “intacto”, quando se aponta o favoritismo de Federer, algo lógico e já mencionado pelo Dalcim, os bobos de sempre ficam postando bobagens e fazendo ironias kkk…

    Responder
  7. Marcos RJ

    2018 mal começou e já dá sinais que chegou a temida transição de reinado do big four e sua corte. Que pena que o Kyrgios, maior talento da nova geração, siga desperdiçando essa oportunidade de ouro com sua preguiça e falta de caráter. No auge dos 22 anos de idade, já iniciou a temporada se arrastando em quadra com problema na parte posterior da coxa, jogando contra um esforçado mas limitado compatriota.
    Só resta torcer para que Federer tenha pelo menos mais um ano saudável jogando em alto nível e quem sabe Dimitrov finalmente ganhe confiança, até que Zverev e as jovens promessas estejam prontos para dominar.

    Responder
  8. Sônia

    Acompanhando a Hopman Cup e Lindinho é só alegria, adoro. Goffin (lindo demais) continua embalado e jogando super bem, pelo visto os pés estão bem. Zverev, Dimi, Tsonga, Thiem… torcendo muito aqui que estejam muito bem em 2018. Até agora só notícias maravilhosas, esse ano será muito legal. Única coisa triste é o problema do Murray, fica minha torcida para que não seja muito grave e que ele volte muito bem em 2018. Beijos.

    Responder
  9. PIETER

    Quando vejo a paraguaia Veronica Cepede-Royg (78a do mundo) jogando na elite do tênis feminino, em Auckland, e vencendo!, é que fico esperançoso em rever a nossa Teliana Pereira novamente no top 100, porque não? Aliás a brasileira tem ampla vantagem no confronto direto com a paraguaia (7X2), tendo vencido todas desde 2013. E a Veronica não é qualquer uma , não; em RG, ano passado, foi até as oitavas só perdendo para a poderosa Pliskova de 6/4 no 3o set.
    Dalcim, estou equivocado em meu raciocínio?

    Responder
  10. Sérgio Ribeiro

    Da maneira emocionada como Novak e Rafa responderam a Andy , o Big Four dificilmente retorna. O mesmo quadril que abreviou as carreiras de GUGA e Normam. Com a diferença que o Manezinho ainda entrou na faca. E o Britânico parece descartar esta hipótese. Com o Suíço caminhando para 37 ( foi o único que arriscou com os meniscos aos 35 , sem perder tempo ) , difícil acreditar que os vejamos naquele nível absurdo ao mesmo tempo. E na previsão de Especialistas de que a conta chegaria, duvido que algum cravou que pegaria todos ao mesmo tempo. Lembrando que Novak e Rafa optaram também em não fazer cirurgias, as ” Muitas Dúvidas ” do Dalcim já estão na pista. A presença por contrato no evento dos TieBreaks, não garante a de ninguém no AOPEN 2018. Abs!

    Responder
  11. Lucas Z.

    Que pena essa situação do Murray, hein, Dalcim?

    Será que não é hora dele assumir de vez o problema pra si mesmo e se ausentar por completo até que esteja recuperado, mesmo que isso leve todo o ano de 2018, por exemplo?

    Ele tem 30 anos apenas, se recuperando bem esse ano pode conseguir jogar em bom nível por mais algum tempo.

    Responder
  12. Luiz Fernando

    Dalcim q situação a do Murray hein, ele inclusive parece meio sem saber como agir em relação ao prognóstico da contusão, vejo até chances de encerrar a carreira, vc concorda?

    Responder
  13. Renato

    SÓ para lembrar os colegas, que depois de operar o pulso, Delpo sentiu muitas vezes a contusão antes de ficar bem novamente. Sem desespero com Novak!

    Responder
  14. Rubens Leme

    É o segundo torneio consecutivo que Murray chega sem condições físicas e abandona na véspera e, nas duas vezes, como cabeça número 2. Sinceramente, ele merecia uma advertência da ATP. Se não tem a menor condição de jogar e contra Agut isso ficou evidente, que volte para casa e procure uma solução ao invés de criar buracos nas chaves e frustrar organizadores e público.

    Responder
  15. Sandra

    Dalcim, você teria uma explicação, para o Murry e o Djocovic??? Esperaram seis meses e não conseguiram se recuperar. Se tivessem operado a chance de recuperação não teria sido maior e eles não teriam perdido tanto tempo..?

    Responder
  16. Valmir

    Dalcim, bom ano novo!

    Me explica uma coisa.

    Como pode o Djoko sentir dores no cotovelo, na vėspera da temporada,
    já que ficou quase 6 meses sem competir… teve muito descanso… melhores mėdicos e equipamentos.

    Duvido que não tenha batido umas bolinhas antes.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Totalmente normal. Conforme você treina, vai aumentando o ritmo e a exigência. E a repetição do esforço pode causar novamente a lesão, principalmente no caso de o movimento estar com alguma falha na execução técnica.

      Responder
      1. Gustavo

        Boa tarde, Dalcim!

        Aproveitando o gancho, e com quantos Grand Slams você acha que encerrarão a carreira o Nadal e o Djokovic, em especial considerando as recentes declarações de ambos?Relembrando, Nadal disse que não se vê jogando com a atual idade do Federer e Djokovic falou que pretende jogar ainda mais do que Agassi (36) e Stepanek(38)? Levando em conta o estilo tenístico de cada um e o histórico de lesões na conta final!

        Aguardo!

        Obrigado!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Muito difícil responder isso, Gustavo, mas Nadal pode ganhar mais um ou dois Roland Garros e Djokovic, três ou quatro Slam a meu ver.

          Responder
  17. PIETER

    Neste 1o dia do ano, passo aqui para desejar um Feliz Ano Novo a todos os colegas do blog e profissionais que fazem o Tênisbrasil.
    Que tenhamos um ano com muitas alegrias, emoções e conquistas no tênis !

    Responder
  18. Márcio Souza

    E 2018 irá começar mas as perguntas de 2017 irão continuar, Djokovic, Murray, Stan, Raonic, Nishikori voltarão bem de lesão?

    Ninguém sabe e esse favoritismo exagerado dado ao Federer eu acho estranho, mas até um ano atrás ele não era o aposentado, o porque de agora os abutres e as aves de rapina ficarem choramingando?

    Deixem o GOAT em paz, coloque o favoritismo em outro e deixem ele jogar de boa.

    A chance disso tudo dar certo e ele levar o 20° caneco é muito grande então vamos torcer pelo sucesso do GOAT mas sem exageros.

    Um ótimo 2018 para todos e que todos nós possamos estar aqui no ano que vem.

    FELIZ ANO NOVO!!!!!!

    Responder
    1. PIETER

      Bem colocado, “os abutres e as aves de rapina” já estão secando o Maestro suíço como se ele jogasse o AusOpen sozinho e não houvesse mais 127 outros jogadores na chave.

      Responder
    2. Jairo@boqnews.com

      As contusões desses tenistas é mais sérias do que se fala por aí.Nao acredito na recuperação a curto prazo deles, vão sofrer muito.Nao dá para comparar com Federer.O tempo dirá

      Responder
    1. Pedro Paulo

      Vi agora que os slams não são transmitidos no tennistv. Alguém sabe uma boa alternativa pra assistí-los, sem ter TV por assinatura e sem ter que recorrer anos streaming piratas?

      Responder
      1. Pedro Paulo

        Dalcim, tens alguma informação da compra dos direitos de transmissão da ATP world tour pela Amazon? Estou querendo assinar tennistv, mas talvez com essa compra, eu dê uma repensada. Sabe se isso é válido pra todos os países ou se é só na Inglaterra e Irlanda?

        Responder
        1. Marcos Castillo

          Pedro Paulo, peço licença para compartilhar minha experiência com a tennistv: assinei no ano passado, vale muuuuito a pena. Se conseguir espelhar na tv então, é só preparar a pipoca. Excelente.

          Responder
  19. José Eduardo Pessanha

    Há muitos anos digo que Federer irá continuar jogando após a aposentadoria dos três maratenistas. Isso vai acontecer, para o deleite de todos os amantes do tênis clássico. Abs.

    Responder
  20. Aurélio Passos

    Djokovic não quer mais. O buraco dele é muito mais embaixo, é psicológico, alêm de físico. É saturação mental, é tipo aconteceu com o Bjorn Borg.
    O guru picareta espanhol e a esposa pedindo mais tempo pros filhos porque ele já ganhou tudo, tiraram a gana de matador que o sérvio tinha.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Caro Amoedo. Não dá pra comparar os terríveis problemas de Borg extra-quadra ( separações e drogas ) e dentro delas ( aos 25 perdeu 2 Finais consecutivas para o BigMac além do espantoso surgimento de Lendl) , com os de Novak. Este além de fazer todo a sua preparação em Casa ( Monte Carlo) , sua mulher se diz orgulhosa de presidir a sua Espetacular Fundação. Fatos novos tendem a surgir. Abs!

      Responder
      1. Mario Cesar Rodrigues

        Sr na boa faça uma promessa neste ano que se inicia,deixem as pessoas comentarem,e fica na sua cara você é indesejável,cara só tu faz isto.preste atenção faça um esforço não custa!Tu acha que a sua palavra é o que vale,vai dar pitaco no dominó mas que cara insuportável!Aparece um comentário está lá você rebatendo e para ficar pior sua irônia manda abs!

        Responder
        1. Marcos RJ

          Ora bolas… se nao concorda entao que escreva os seus argumentos – de preferência de forma inteligível.
          Mandar o outro se calar nao faz parte da etiqueta do blog.
          Paz e amor e Feliz Ano Novo
          ; )

          Responder
        2. Sérgio Ribeiro

          Na boa, Caro MC . Estamos num fórum de debates . Já te avisei pra ir procurar tua turminha de adoradores do Espanhol kkkkkkk E as surpresas realmente não pararam. Andy confirmou e hoje voltou atrás de jogar em Brisbane. A possível presença de Novak e Rafa na exibição antes do SLAM comprovam que esconder jogo não é o caso. Ambos , assim como Stan, não estão 100 %. Abs!

          Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Rapidinho ele vai anunciar a cirurgia, pois a fisioterapia já se provou ineficaz.

      6 meses é muito tempo.

      Quando vejo grandes tenistas baleados assim, sempre me vem à memória o caso do Guga.

      Eu só não sei se lesões no cotovelo costumam ser tão delicadas quanto ao do quadril, por exemplo.

      O Murray também me preocupa…

      A depender da gravidade das lesões, só resta torcer pra eles não deixarem de ser os jogadores que eram.

      Responder
      1. Rafael Wuthrich

        É complicada como uma de joelho. Muito comum no beisebol profissional. Não sei exatamente o que Djokovic tem, mas se for tennis elbow (http://www.qzpne.com/arthritis/should-i-have-surgery-to-treat-tennis-elbow.html) ou ligamento que exija a temida cirurgia Tommy John (http://www.segundabase.com.br/algumas-verdades-sobre-a-cirurgia-tommy-john/), o certo é que 1) dá pra voltar em alto nível mas 2) é necessário longo tempo de recuperação, no mínimo 6 meses.

        Considerando qualquer cenário, duvido que Nole jogue em alto nível no 1o semestre de 2018.

        Ps: Dalcim, feliz 2018 pra você, sua família e toda a equipe tenisbrasil!

        Responder
      2. Chetnik

        Então ele é menos inteligente do que eu imaginava – apesar que isso é mais ganância (digo esportiva, não financeira) do que burrice. Ele ficou praticamente um ano jogando sem condições, achando que por um milagre o cotovelo melhoraria? Depois resolve para 6 meses pra “se tratar”. Não opera e já vai começar o ano estourado…

        Ele deixou pra trás o Nadal na “burrice” neste tocante.

        Responder
      3. Chileno

        Sem muito conhecimento de causa, digo que do que me consta, lesões no quadril são mais problemáticas que no cotovelo. Porém, não domino muito o assunto.

        Responder
      4. Rafael Wuthrich

        Quadril é muito pior, porque influi na movimentação do corpo, na postura e nas pernas. Sem contar que é uma cirurgia desgraçada para se fazer, vide Guga e Norman.

        Responder
  21. Marcos Castillo

    Caraca!
    A temporada 2018 nem começou, mas com o futuro incerto do joelho de um e do cotovelo do outro, a torcida destes coloca aquele que já davam como aposentado (e que completa 37 anos em agosto) como o favoritaço para ganhar tudo no primeiro trimestre.
    Vai entender, né?

    Responder
    1. PIETER

      Assisti a todo o jogo e o backhand dele pareceu-me melhor, sem dúvida, comparativamente ao final do ano embora não no mesmo nível, ainda, do AusOpen do ano passado. Mas ainda há tempo para evolução.

      Responder
  22. JANAINA DIAS

    Oi Dalcim e colegas do blog:
    É certo que 6 meses passam rápido, e que DJOKO e STAN pouco treinaram nesse tempo, mas espero que as lesões deles e do NADAL não estejam tão graves assim e que suas desistências agora sejam pra poupar um pouco mais o corpo pro Australian Open..
    DJOKO e STAN certamente estão fora de ritmo e talvez preferiram não arriscar o corpo até o Slam australiano, não mostrando também aos adversários como realmente estão fisicamente.
    Quanto ao NADAL, ele já está com essa lesão no joelho há séculos e continua jogando em alto nível, então..
    Agora, a situacão do MURRAY é pra se lamentar mesmo, pois mostrou estar mal do quadril desde sua partida de exibição contra o FEDERER em novembro/17, e , pelo visto, não vai conseguir prolongar a carreira sem uma cirurgia..

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Federer hoje comentou a diferença em relação ao ano assado , quando optou em não ir a Brisbane ( caiu para TOP 17 ) , por absoluta falta de confiança , Janaina. Já Novak não. Estava muito confiante em defender o título em Doha e acreditava em boa performance no AOPEN. Wawrinka pensou ate’ em parar. A meu ver, teremos mais surpresas ainda . Não acredito em ninguém escondendo jogo. Rafa Nadal terminou a temporada no bagaço e com seus problemas de joelho no ápice. Divulga outro estranho Calendário e de repente alega que precisa se curar. Gostaria de estar com o seu otimismo. Mas assim como o Dalcim, imagino que teremos várias desistências no AOPEN 2018. Abs!

      Responder
      1. JANAINA DIAS

        Na verdade Sérgio, é mais esperança e desconfiança do que otimismo…Mas,como você explanou, a situação deles não é fácil mesmo, e pelo visto os 6 meses fora não foram suficientes pra recuperação total deles. Ainda mais se você considerar que as lesões do DJOKO, NADAL e STAN foram de repetição, ao contrário da do FEDERER, que foi de impacto..
        Só achei estranho, no caso do STAN, porque depois da cirurgia, ele vinha postando mensagens de que tinha voltado aos treinos e que estava otimista com sua recuperação..
        Quanto ao NADAL ainda estou acreditando mais que ele está escondendo o jogo..Mas o AO 2018 tá chegando e logo vamos ver o que vai rolar..kk
        Um abraço pra você.

        Responder
        1. Chileno

          Olá Janaína. Eu estou com o Sérgio nessa. Acho que na maioria das situações, deve ser mais vantajoso o tenista jogar torneios menores antes de um Grand Slam para pegar ritmo, sentir os golpes, testar novas técnicas e táticas do que tentar surpreender os outros com um preparo físico melhor do que os outros esperam. Por isso, creio que se eles estão desistindo dos torneios preparatórios, provavelmente não estão muito bem mesmo.

          Responder
          1. JANAINA DIAS

            Oi Chileno, também acho que é preciso jogar pra ganhar ritmo; atirar o corpo parado e ” frio” num torneio grande é difícil e perigoso (lesões). Mas agora, DJOKO, NADAL e STAN anunciaram que vão jogar um torneio de preparação pro AO 18 no dia 10 de janeiro/18.. Então, de alguma forma eles acham que tem uma condição miníma de competir no AO..
            Com certeza não voltarão 100%, mas pelo visto querem disputar mesmo assim.

  23. Eduardo Feitoza dos Santos

    Bom dia ! Quem viu o jogo de exibição MURRAY x FEDERER ,observou o quanto a cirurgia no quadril incomoda. Vimos o MURRAY mancando e todo duro com
    muitas dificuldades de movimentação. Nós brasileiros tivemos infelizmente esse gosto amargo com o GUGA ,depois das cirurgias nunca voltou ao normal.
    Ppr isso acredito que o final da carreira do MURRAY está próximo. DJOKOVIC anunciou mais uma desistência é mais um que pelo caminhar das situações me
    parece que vai ser difícil voltar em alto nível.NADAL é mais um,sempre foi fominha querendo jogar todos os torneios sem dar o devido descanso para o corpo.
    Na lista ainda tem STAN , RAONIC e NISHI todos sofrendo co m lesões. Isso tudo significa que atualmente o nível dos mais jovens está muito baixo e os melhores sofrendo e me parece com a aposentadoria chegando por conta disso ,a qualidade de um bom ou ótimo nível de tênis está acabando.
    Então apreciamos o melhor FEDERER desfilar em quadra. Hoje na HOPMAN CUP jogou muito bem ,com velocidade,com arte,condicionamento em dia vai ficar
    difícil para os adversários. ele impõe um ritmo alto com muita velocidade é extremamente prazeroso vê-lo jogar . Infelismente irá chegar o dia de parar ,ai o nível irá diminuir muito,portanto enquanto estiver em quadra teremos a qualidade . Espero que jogue mais alguns anos .

    Responder
  24. Marcos Marinho

    Djokovic desistiu também do ATP de Doha alegando que as dores ainda não pararam. Parece certo que não estará 100% pra Austrália, isso se jogar lá. Infelizmente o Australian Open 2018 parece que não vai empolgar. A menos que a nova geração já comece a mostrar ousadia desde o início.

    Dimitrov e Zverev tem boa chance, pq a grande dificuldade dos grandes torneios para os demais é sempre a necessidade de vencer no mínimo dois do Big Four em melhor de cinco sets. Neste Australian Open parece que não haverá esse obstáculo. Vamos ver no que dá.

    Responder
  25. PIETER

    Lamentável mesmo a falta de sorte da Bia Haddad no sorteio da 1a rodada, no torneio de Auckland. Pegou logo a 4a cabeça de chave, ninguém menos que a aguerrida Agnieska Radwanska, jogadora talentosa e que adora uma quadra rápida e sintética como as de lá.
    Mas, como todos sabemos, quem quer evoluir e ganhar no circuito mundial não pode escolher adversário. Como a polonesa não tem grande potência nos golpes nem no saque, Bia terá suas chances se for (muito) agressiva e consistente na linha de base. Vai ser um excelente teste de início de temporada para a brasileira.

    Responder
  26. evaldo moreira

    Boa noite,
    Dificil de entender, o Djokovic sentir essa lesão de novo, Dalcim, o fato de ele ficar 06 meses parado, mas ele chegou a fazer a cirurgia?, ou apenas ficou na terapia mesmo, acho, que essas dores, devem sr pelo motivo de ausência de atividades, porque ele ficou muito tempo parado, só os especialistas para dizer.
    Dizer que pode entregar a taça para o Federer, soa exagero, pois tem adversários de respeito pelo caminho, a conferir.
    Mestre Dalcim, um ótimo fim de ano, de boas festas, que em 2018 seja pra você, um ano de muitas realizações pessoais e profissionais mais ainda, que este blog, continue sempre a nos proporcionar riquezas infinitas de seus textos, e desejo a todos que participam aqui conosco.

    Responder
  27. Marquinhos Melo

    Dalcim, você concorda com a lista da ATP dos possíveis n1 ao fim do ano com Zverev, Federer, Nadal, Dimitrov, Wawrinka, Djokovic e Murray????
    Pra você quais serão os tenistas que conseguiram chegar ao n1 esse ano?

    Responder
  28. Arthur

    É, Dalcim, pelo jeito o AO2018 vai ficar mamão-com-açúcar pro Federer, mesmo.
    Com essa desistência do Djokovic de Abu Dhabi, especialmente em razão do problemático cotovelo, vai ficar difícil pro sérvio repetir a façanha do suíço deste ano.
    A conferir…

    Um abraço

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não sei se manterão o piso um pouco mais rápido em 2018 , caro Arthur. Se mantiverem , o Suíço e’ sem dúvida o favorito mesmo aos 36. Mas muito longe de ser , o que já foi e não venceu. Os Trintões estão caindo pelas tabelas. Andy , hoje , mostrou o quão longe está do seu melhor. Novak derrotou a minha tese de que estaria em grande forma. Cancelou , assim como Rafa, uma exibição . Vale mais o POST anterior do Dalcim intitulado pelo próprio como ” Muitas Dúvidas ” . Estou perplexo. ABS !

      Responder
      1. Arthur

        Lembrar só, meu caro Sérgio, que a velocidade acima do normal no AO no ano passado não foi devido ao piso, mas à bola.
        E, ao que parece, nada indica que os aussie venham a mudá-la para este ano. 😉

        Um abraço.

        Responder
    2. PIETER

      Discordo desse favoritismo absoluto e, a meu ver, precipitado atribuído ao Federer em um eventual AusOpen esvaziado. Ainda há muitos bons jogadores que podem vir a surpreendê-lo, a exemplo do que aconteceu no ATP Finals, em que ele foi brilhantemente derrotado por um inspirado Goffin. E também temos que torcer para que ele próprio esteja saudável pois já é um “senhor” de 36 anos atuando em um circuito muito duro e extenuante.
      Um Grand Slam é uma batalha de duas semanas e sete jogos em que muitas surpresas podem ocorrer.

      Responder
  29. Sandra

    Dalcim, não é estranha essa contusão do cotovelo do Djokovic?? Ele teve seis meses para se reabilitar, e me pareceu pelas notícias que ele já estava bem, agora voltou derepente??? Nadal , Stan, e Murry, pelo visto não estão nada bem, não será melhor entregar todos os trofeus para o Federer???

    Responder
  30. Fernando Pauli

    Ué mas não foi ele que disse que estava animado para esse começo de temporada? Que vislumbrava já uma final no A.O.? Essa animação não durou nem uma semana. Esse Djokovic continua abraçando árvore!

    Responder
  31. André Luiz

    Bom, parece que o fiel da balança também não estará cem por cento em Melbourne. Djoko voltou a sentir o cotovelo, mesmo depois de seis meses parado.

    Responder
  32. Luiz Nunes

    Boa tarde, prezado Dalcim!!!

    Então, o fiel da balança para este início de temporada já começou a ratiar???
    abçs e um ótimo Ano Novo para vc e para todos os participantes do Blog.

    Responder
  33. Rodrigo S. Cruz

    Poxa,

    Tanto tempo parado (mais de 6 meses), e o Djokovic, ao que parece, não se recuperou nada da sua lesão no cotovelo.

    Voltou a sentir as dores, e desistiu do torneio desta semana.

    Desta forma, ele também é uma séria dúvida pro Australian Open.

    Uma baita pena.

    Gostaria de ver o sérvio no seu melhor novamente, e sendo desafiado por Federer e Nadal…

    Responder
  34. Dionei Maicon

    Pelo visto o Djoko ainda continua sendo uma incognita para 2018, acabou de desistir do torneio exibição por ainda sentir dores no cotovelo. Uma pena…

    Responder
  35. Rafael Wuthrich

    E agora, Dalcim? Djokovic derrubou seu post com uma bomba que surpreendeu e abalou o mundo do tênis. Pôs em risco até o início da temporada (leia-se AO e muito provavelmente os Masters americanos).

    Essa temporada louca parece não ter fim…

    Responder
  36. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Essa notícia do Djokovic foi bombástica mesmo. Não houve recuperação total do cotovelo. Com os problemas do Nadal e do Murray, acredito que nunca o Federer chegou tão favorito a um Major, pelo menos nos últimos seis ou sete anos. Desde sua época de domínio no circuito na década passada. O que acha mestre? Djokovic chegou inclusive avisar que pode mudar o seu início de calendário. Ou seja, quem sabe nem a vá ao AO2018.

    Responder
  37. Luiz Evandro

    Impossível saber o que se passa com o Nadal, às vezes não é nada, mas pode ser tudo. Dalcim, o Bellucci trocou de técnico, mudou tudo, mas fica com o Sá até o final de 2018? É isso mesmo? Não entendi porque ficar com mais um técnico tampão. De qualquer forma, Bellucci é o que temos de melhor, tecnicamente falando. Abraços e feliz ano Novo Dalcim, que venham grandes colunas em 2018.

    Responder
  38. Sônia

    Dalcim, o sérvio só vencerá muito se estiver com aquele “preparo físico” de 2011, caso contrário, terá uma temporada normal (esse tipo de tenista depende demais do físico). Amanhã por exemplo, aposto no Bautista rsrsrs. Quanto ao Lindinho, não espero nada DELE no ano que vem, o que vier será lucro, mas como sempre, estarei na torcida. Mudando de assunto, não poderia deixar de dar uma passadinha aqui para lhe agradecer por 2017 e desejar a voce e a todos do blog um 2018 maravilhoso. Beijos.

    Responder
  39. Robson

    Depois de um tempo de retiro,retorno ao blog na carona do retorno de Novak Djokovic ao circuito(até que enfim).
    Espero que o AO seja espetacular com todos os melhores e maiores tenistas bem física e mentalmente, especialmente Novak é claro.
    Daqui a poucos horas já poderemos ter uma ideia de como Novak está,essa exibição em Abu Dhabi mostrará alguns fatos.

    Responder
  40. Nilson Reis

    Mestre Dalcim, vi o Djokovi em uma foto de treino com uma raquete diferente da qual ele normalmente joga, vocês têm informação se trocou de raquete? Feliz 2018 para você e toda família.

    Responder
  41. Gabi

    Luiz Fernando, Sérgio Ribeiro e Alessandro Sartori:

    Não vamos sair de frente da tv hehehe.
    Muito boas festas a vcs, a todos do blog, ao Dalcim e à equipe do tenisbrasil.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Querida desejo o mesmo a vc, ao Dalcim e aos amigos do blog. Que no final de 2018 estejamos todos aqui com saude, realizações e muitas alegrias

      Responder
  42. Rubens Leme

    Todos achavam que bastava ficar um semestre fora do circuito, como fez Federer, para voltarem na ponta dos cascos.

    Além da diferença técnica – o suíço é muito mais agressivo do que todos eles, notadamente de fundo de quadra – há a questão física. Embora o site da ATP insista absurdamente, que ele e Nadal tenham praticamente o mesmo peso, 85 kg (188 libras para o espanhol e 187 para Roger), o suíço não deve chegar aos 80 que, combinado com sua técnica e estilo favoreceram o baixo número de lesões na carreira, ao contrário dos rivais.

    Agora é esperar pra ver até porque a “nova geração” pegou gosto e quer ocupar seu espaço. Pessoalmente acho que Murray e Kei entrarão na faca.

    Bom final de ano e um bom Ano Novo, Dalcim. Vamos torcer para um grande tênis em 2018 e que Weverton, Marcos Rocha, Emerson Santos e Diogo Barbosa nos deixem menos tensos lá atrás e com mais troféus. 2017 foi de doer.

    Responder
  43. Rica

    Estive em Abu Dhabi hoje e tive a surpresa de ver o Andy Murray treinando por lá. Mas, infelizmente, o que vi não foi nada animador. Apesar de ter treinado por mais de duas horas, ele está mancando muito, e só mesmo um milagre pra fazer ele chegar 100% em Melbourne. Isso, se ele jogar o AO…

    Responder
    1. Mauro Amoedo

      Vai jogar o torneio exibição no lugar do sérvio…

      Esse “manquitolar” já é próprio do britânico… Deve ser algum “tic”… rs rs

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Meu caro, Amoedo. Depois me dá o endereço da sua bola de ” Cristal” . Não é que o Britânico entrou mesmo no lugar do Sérvio rsrsrs..,Abs !!!

        Responder
  44. Luiz Fabriciano

    Vejo que o Mestre Dalcim mudou um pouco de opinião em relação ao sérvio, mesmo antes desse jogar seu primeiro ponto após longa parada.
    Eu também acredito que ele vai vencer muito na próxima temporada.
    Grande abraço e um 2018 repleto de situações desafiadoras e empolgantes ao grande blogueiro.

    Responder
  45. Mario Cesar Rodrigues

    Bem,prefiro acreditar que Rafael Nadal está sabendo fazer é que quer passar a imagem que não esteja bem,impossivel quem viu o video Rafa treinando ontem não tem como está sentindo Moyá batalhou muito treinou mais de uma hora e não vi nada exatamente nada vejo isto como precaução.Quanto ao Nole eu sinceramente prefiro aguardar sabe,todos desportista nunca volta igual ao outro e este ao outro,mas espero que esteja bem e se ele ameaçar Rafa no saibro que bom pois Federer nunca ameaçou Rafa no saibro segundo Federer ele irá jogar alguns torneios veremos dúvido!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Nem esperou 2018 e já voltou despejando as mesmas… MC ? kkkkkkkkk ” Observou” Rafa em Paris e contrariou até’ o Dalcim. Depois deu um migue’ que foi enganado kkkkkk Rafa ao contrário de Novak , cancelou tudo porque está mal dos joelhos. Mesmo perdendo a Final do AOPEN 2009 para o Espanhol, Federer terminou como N 1 graças ao Saibro. Começou batendo em Madri o então Espanhol N 1 em Sets diretos. Depois bateu Soderling em Rolanga que havia tirado Rafa, também em Sets diretos. Venceu Wimbledon e Cincy retomando o N 1 com apenas 4 Títulos na Temporada .Mas fez Final também com Del Potro no USOPEN . Todas as Finais foram em 5 Sets exceto em Roland Garros. Ou seja, o parceiro anda um pouco sem memória rsrsrs Abs!

      Responder
  46. Sérgio Ribeiro

    Além dos 3 Tres Treinadores ( Mario Ancic pro Serviço ) e um avaliador de performance, o novo Staff parece ter trazido a confiança do Sérvio de volta. Dizer que pensa no N 1 e num SLAM a médio prazo, não soa como arrogância. Já’ também Trintao , sabe que sem dores, pode voltar com tudo. Treinou muito e as exibições e Doha , provavelmente mostrarão um Novak na ponta dos Cascos. A conferir. Abs!

    Responder
  47. Wladner

    Grande Dalcim! Já estavamos com saudade dos seus textos! Entrando um pouco no contexto “grande rivalidades”, muito se falou em como Federer alterou seu jogo para lidar com Nadal, principalmente o backhand. Você acha que Federer junto com sua equipe, já fazendo essa mesma leitura que você colocou, poderá trazer alguma alteração para tentar surpreender Djoko? Digo isso até pelo retrospecto negativo nos último encontros em Slam nos últimos 3 anos entre os dois, incluindo semifinal do AO e final wimbledon, ambos 2015 se não estou enganado. Abs

    Responder
  48. Rafael Wüthrich

    Eu acho que é a chance da vida do búlgaro. Por mais que saibamos da qualidade de Djokovic e do obstáculo que Federer impõe, a verdade é que o nº 3 do mundo tem uma oportunidade de ouro para finalmente subir de patamar. O sérvio vem de longa parada, e ainda que saibamos sua notória qualidade e poder mental, a inatividade prolongada pode cobrar o preço. Federer por sua vez é uma incógnita quanto ao desgaste. Se estiver bem descansado, é franco favorito; se ainda tiver fadiga, que o afetem na movimentação e no saque, fica bem vulnerável. Por isso acho o búlgaro a grande aposta depois dos dois nomes citados.

    Sobre Nadal, o que dizer? Me divulga um calendário idêntico ao de 2017, que já lhe causou imenso desgaste, e ainda paga um preço altíssimo por ter virado número 1 ao fim de 2017 (aliás, o que já tinha acontecido com Murray este ano pelo esforço despendido em 2016). Minha dúvida passa a ser não sua participação no AO (comprometida, ele indo ou não, já que não treinou o suficiente e nem está fisicamente 100%), mas a sequência da temporada: vai se matar em Acapulco, no piso duro rápido? Jogar Indian Wells e principalmente Miami, que machuca bem o joelho? Arrisco a dizer que uma decisão mal tomada aqui pode afetar inclusive a temporada do saibro.

    Responder
  49. Nando

    Sobre Federer, este repete o q fez, começa a temporada em Perth onde tem garantido 3 jogos em simples e outros em duplas mistas…tomara q o faça obter o mesmo sucesso desse AO (ali q o BH dele “ressurgiu”).

    Responder
  50. Nando

    Mestre, acha q o sérvio pode ser “determinante” pro Federer chegar ao N1? Digo isso pq ele pode tirar pts do nadal no saibro (assim como tbm pode tirar pts do Federer nesse início nas duras).

    Responder
  51. Willian Lopes

    É preocupante demais o que vem acontecendo com o Nadal, Murray e Stan, e o pior é que as incertezas só aumentam a cada semana que passa. Tomara que saiam dessa e não desistam do tennis, especialmente Murray e Stan. Nadal já está mais acostumado com as lesões e sabe lidar com elas. No final das contas a manutenção do número 1 até o final de 2017 acabou custando muito caro pra ele. Espero que se recuperem.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *