Cada vez melhor
Por José Nilton Dalcim
8 de outubro de 2017 às 20:08

Doze jogos como número 1 do mundo, doze vitórias e dois títulos de peso sobre a quadra dura. Rafael Nadal deixou para trás aquele jejum de três anos e meio sem conquistas no piso sintético, mostra um tênis cada vez mais completo e o resultado é que disparou de vez na ponta do ranking. Como todo mundo sabe, quando a confiança está alta, é muito difícil competir com ele.

Claro que Nadal teve sorte lá na primeira rodada de Pequim, quando Lucas Pouille errou um forehand a dois metros da rede, extremamente fácil para seu nível, que permitiria fechar a partida. Mas é também justo analisar Rafa a partir desse momento. Abraçou a chance, dominou o terceiro set e daí em diante mostrou um tênis fluente e muitas vezes agressivo.

Ninguém pode dizer que sua chave foi fácil. Passou pela juventude de Karen Khachanov, pelo saque bombástico de John Isner, pelo jogo versátil de Grigor Dimitrov e anulou o agressivo Nick Kyrgios numa final impecável. Fato que o australiano sacou muito abaixo – 45% de acerto é um desastre para seu estilo -, porém o canhoto espanhol trabalhou cada bola, fez o adversário se mexer, enlouqueceu com defesas incríveis, contra-atacou na menor oportunidade. “Rafa me destruiu”, foi a definição mais que perfeita de Kyrgios.

Nadal segue direto para Xangai, onde também tem chave difícil, podendo reencontrar Pouille logo na segunda partida, Dimitrov nas quartas e Kyrgios na semi. O piso sintético bem mais veloz será um teste interessante. É essencial destacar a excelente produtividade do backhand do espanhol em Pequim. O golpe deixou mesmo de ser um ponto vulnerável e hoje produz winners e uma variação inteligente para a paralela.

Prêmio ao esforço
A outra importante notícia do fim de semana foi a nova troca de liderança no ranking feminino. Aliás, a quinta da temporada e a terceira em apenas um mês! O ano começo com Serena Williams na ponta, superada por Angelique Kerber. Depois, vieram um curto reinado de oito semanas de Karolina Pliskova, quatro de Garbiñe Muguruza e nesta segunda-feira enfim Simona Halep realizará seu sonho.

Sem dúvida, é até estranho que uma jogadora atinja o número 1 com apenas um título conquistado desde janeiro e ainda por cima com derrota neste domingo. Mas Halep tem um jogo baseado na regularidade e o ranking reflete exatamente isso. Ela ganhou Madri e foi à final de Paris, Roma, Cincinnati e Pequim. Muito legal ler em sua entrevista à WTA que a derrota na final de Paris a deixou muito desanimada, mas ergueu a cabeça.

Eliminada logo na estreia do US Open por Maria Sharapova, percebeu enfim que teria de trabalhar duro com o serviço e passou a treinar o saque uma hora por dia. Se não possui o tênis mais vistoso do circuito, Halep ensina que determinação é a chave do sucesso.

O mesmo elogio cabe a David Goffin, outro jogador que também não possui golpes espetaculares e costuma pecar no mental. Depois de três anos e seis vices sucessivos, ele ganhou seus dois últimos torneios, em Shenzhen e em Tóquio, recuperou o posto no top 10 e se candidatou de vez a uma vaga no Finals de Londres.

Por fim, lembro de ter escrito em novembro do ano passado que Caroline Garcia era uma tenista a se ficar de olho em 2017. E eis que ela deu o salto de qualidade que eu esperava nesta reta final. Jogadora de muitos recursos, também ótima duplista, entrou para o top 10 com o título em Pequim e está na luta para ir ao WTA Finals. O ranking feminino agora tem metade de suas 10 primeiras colocadas abaixo dos 26 anos e três com menos de 24.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    E tem alguns que ainda se deixam levar pelo Trintao Fabio Fognini e seu grande Talento. Sem mexer as pernas , um abraço. Que Kyrgios abra o olho. Apenas 7 subidas a rede ( Simon foi 8 apenas num set ) , Sacando muito e com a quadra a feição. O Suíço, pós lesão , parece sem condições de voltar ao padrão do AOPEN, Miami e etc… O deslocamento lateral deficiente , o impede de chegar em condições de executar o mortal Back chapado ( e cruzado ) de então. Para um jogador aos 36 , acho que ainda faz muito ( Dolga não viu a cor da bolinha ). Pode atingir a Final ? Claro que sim ( Montreal que o diga ) . Manter o h2h de 4 consecutivas contra o confiante Espanhol ? Muito improvável . Esse papo entre Profissionais e’ ridículo. A meu ver, vence quem está melhor no momento. Até mesmo Novak , em seu melhor, teria sérios problemas com Rafa Nadal neste instante. Leitura perfeita do jogo, e taticamente impecável . Abs!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Sim.

      Do jeito que está jogando, não vejo ninguém que possa fazer frente ao Ogro…

      Exceto, o Federer do primeiro semestre.

      Por falar nisto, aonde será que ele anda?

      (rs)

      Responder
  2. Nando

    Mestre, a lista dos cabeças no AO 2018 sai antes ou depois dos ATPs preparatórios? (Doha, Brisbane, Chennai, Sydney)
    Pergunto isso pq Murray defende o vice e o sérvio defende o título em Doha, e esses pts são importantes pra não cairem mais no ranking antes do AO.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os cabeças são baseados no ranking da segunda-feira do sorteio da chave, portanto depois dos preparatórios mais importantes. Haverá chance de Djoko, Murray e Stan recuperarem alguns pontos, mas há o risco claro de não estarem entre os oito primeiros.

      Responder
  3. Renato

    Ótimo jogo de Roger. Sacou e devolveu muito bem! Ainda está um tanto irregular nos golpes de base, principalmente quando tem que bater a bola na corrida. Se continuar evoluindo assim, com certeza brigara pelo título.

    Responder
  4. Rodrigo S. Cruz

    Eu não poderia deixar de emitir um lamento sobre o triste dia para o Brasil, com a vergonhosa decisão do Supremo Tribunal Federal.

    O que fica provado, é que vivemos numa sociedade de castas.

    E a função do Supremo é somente referendar os crimes desta classe.

    Puníveis, na prática, são apenas as pessoas comuns.

    Graças a juristas fraudulentos que votarão sempre de acordo com as conveniências da conjuntura política.

    Porém, nunca em conformidade com a Constituição, ou a própria jurisprudência. E MUITO MENOS em atenção aos anseios da sociedade.

    Quando afastou dois putrefatos cadáveres políticos de Eduardo Cunha e Delcídio do Amaral há 1 ano, a corte não teve qualquer escrúpulo em rasgar a Constituição.

    Assim como agora, também não vê problema nenhum em desdizer o que havia assentado!

    Que dias tenebrosos vivemos, senhores.

    Que dias tenebrosos…

    Responder
    1. Renato

      Concordo com você, caro Rodrigo. E ontem tive o desprazer de assistir o final da seção. A ministra Carmen Lúcia me decepcionou muito. Parecia confusa, com medo de desagradar o lixo do senado. Muito fraquinha para ser ministra, quanto mais presidenta do supremo. Pode ter certeza de uma coisa: O pior ainda está por vir. Precisaremos chegar até o fundo do poço para enfim começar uma mudança. A corrupção escancarada, o crime organizado crescendo. …….

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Não se podia esperar muita coisa depois que a cúpula do Senado se reuniu com a Carmen Lúcia às vésperas da votação. Colocaram panos quentes.

        Responder
    2. Barocos

      Muito triste a situação do nosso imenso Brasil onde os poderosos não querem nada que não seja privatizar o que deveria ser público e socializar os prejuízos.

      Quando lhes convém, não cabe interpretação de intencionalmente mal escritos verbetes e, outrossim, não obstante as contradições escandalosas escancaradas, tornam a justiça em cega, surda, muda, analfabeta e maltrapilha.

      Têm ainda o desplante de imputar tais decisões à causa maior da governabilidade ou da justiça social quando julgarem que tal discurso ou ameniza suas ações covardes ou lhes empresta os ouvidos de incautos que possam manter o “status quo”, pois que para eles, diferentemente da imensa maioria dos cidadãos de nosso rico e miserável país, mais vale manter a situação presente, onde seus privilégios permanecem intactos, do que arriscar-se a promover mudanças que poderiam resultar em uma nação mais justa para o restante de seus concidadãos.

      Supostamente parafraseando Maquiavel, “Aos amigos, os favores, aos inimigos, a lei.”

      Responder
    3. Marcio

      Os três Poderes completamente sujos e desmoralizados, evidenciando que o sistema tal como se apresenta não funciona ou o povo brasileiro não presta mesmo, o que é triste.
      O judiciário que tem seus quadros preenchidos pelo mérito, pelo concurso, comporta – se muito pior que um cafetao de zona, ou um traficante pequeno do morro.
      Triste.

      Responder
    4. Roberto Rocha

      Como eu sempre disse, o judiciário é o poder mais repugnante da República.
      Agora precisamos mudar o nome para Ínfimo Tribunal Federal. Porque de supremo não tem nada..
      Falando de tênis, mais um dia de treinamento para Nadal e Federer. Amanhã o espanhol será realmente testado, se Dimitrov repetir a atuação que teve contra ele em Pequim.
      Aguardemos…

      Responder
  5. Rodrigo Lightman

    Eu comento pouco aqui e geralmente é sobre tênis. Hoje vou mudar meu foco. Quando vejo os comentários me sinto à beira de um córrego cercado de beatas lavando roupa suja e louvando seus Semi Deuses. Tenistas são meros humanos que correm atrás de uma bolinha em uma arena. Acho muito mais importante médicos, dentistas, educadores, bombeiros, policiais e outras profissões do que jogadores, atores, apresentadores, bbrothers. É normal gostar mais de um tenista e ter mais antipatia por outro, a empatia é da natureza humana. Agora ficar rindo com uma hiena e denegrindo jogadores usando palavras astronômicas e uma saudação de origem judaica chega a ser patético. Lógico que um pouco de brincadeira e ironia nao faz mal a ninguém mas a crítica passional envenena a alma.

    Responder
  6. David Dilkin

    Boa noite Dalcim,

    Esse comment será bem off-topic, e em duas partes.

    Primeira: Vc, assim como eu, sente falta do sueco Soderling no circuito? Acho que se não tivesse tido Mono, ainda hoje incomodaria os cachorrões…

    Segunda: Quem, no auge da sua forma física vc considera mais tenista, o supracitado Soderling, ou o Juan Martin?

    Abraços.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, o Soderling fez muita falta no circuito. Mas não sei sinceramente se ele ainda estaria no auge hoje. Seu jogo era bem consistente de base, mas não se adaptava bem no jogo de rede e isso no tênis de hoje faz diferença. Quanto à comparação, penso que no auge Juan Martin foi mais tenista que o sueco. Abs!

      Responder
  7. Pedro

    Dalcim, não vi o jogo do Federer, mas pelo placar não pareceu tão fácil assim. O suiço está oscilando? Pelo que parece o Nadal está em um patamar superior aos outros neste fim de temporada, não? Está ganhando tudo e fácil.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Foi um jogo duro, mas sem sustos para Federer. Ele obteve uma quebra precoce no primeiro set, até então jogando firme, mas aí perdeu o serviço com erros bobos, incluindo um smash, e aí pareceu perder um pouco da confiança. Mas no geral foi uma boa partida. Schwartzman é um adversário de respeito.

      Responder
      1. Pedro

        O argentino está em uma fase muito boa mesmo. É também um bom exemplo para os que tem baixa estatura, mostrando que pode-se jogar bem tênis mesmo sendo baixo. Lógico que os mais altos levam vantagem, mas, ainda assim é possível. Qual o seu palpite para Delpo x Zverev?

        Responder
  8. André Barcellos

    Rafael Nadal está jogando melhor nesta segunda metade da temporada que em qualquer outra que já tenha feito.
    Já Federer não está inspirando a mesma confiança que no início do ano. Desde que ganhou WImbledon ainda não vi o suíço convencer.
    Caso se encontrem na final há uma excelente chance do espanhol fazer frente ao suíço neste ano.

    Responder
      1. André Barcellos

        É verdade. Mas nas duras do fim do ano que ainda não fez, talvez, o que vem fazendo agora.
        Ou que pode fazer.
        Mas ainda é ced pra falar. Principalmente nas Indoor

        Responder
  9. Marcio

    Como é bom ver mais um jogo de Federer.
    A intensidade já não é mais a mesma, nem a concentração, mas como o suíço faz um simples jogo ser especial até para o seu adversário. Não é raro vermos seu oponente fazendo também belas jogadas, tentando coisas diferentes, talvez absorvido por um clima especial, uma presença maior, mais importante até que o próprio resultado.
    Devemos aproveitar, é diferente e vai acabar.
    Curtamos!

    Responder
  10. Joao carlos

    Vejo esse blog ja faz bastante tempo (12 13 anos tvz). Faz 20 anos que acompanho o circuito. Sempre gostei do estilo de jogo do Sampras, agressivo, sem medo de perder pontos e ser competitivo em um circuito q n houve somente 3 ou 4 jogadores tops em um intervalo de 15 anos.
    Lembro,antes, que esse blog tinha pessoas que discutiam aspectos taticos e tecnicos do tennis.. hj, salvo o texto do blogueiro, so tem ofensas e bobagens.. de.meninos q tvz nunca jogaram um set a serio e opinam sobre nadal djokovic federer e do thiago monteiro.. santa paciencia.. Dalcin, salve seu blog dessas pessoas que tocaram numa raquete de tennis somente pelo videogame. Conserve, pondere, Restrinja qualquer comentario que agrida aos tenistas.. Essas pessoas jamais irao entender o tennis como.um todo. Preze pela qualidade do seu blog, caso contrario ele vai parecer quarteirao onde os vizinhos nao se entendem.. santa ignorancia.

    Responder
      1. Ziggy Stardust

        Querido Lógico,
        o comentário do “experto” João Carlos trouxe-me à tona a grata constatação da onisciência de Mencken: “mostre-me um puritano e eu apontar-lhe-ei um f.d.p.”
        Nada pessoal,João, mas odeio pretensos entendedores tanto quanto abomino políticos.

        Responder
  11. Nando

    Pois é mestre, parece q Stan terminará o ano no top 10 kkkkkk, Anderson/Goffin/Carreño perderam e aí só mais 2 torneios no ano (fora o Finals) pra pontuarem.

    Responder
      1. Nando

        No meu tbm rsrs…aliás, arrisco dizer q se ele tivesse o mínimo de condição (de muletas mesmo, rsrs) poderia jogar Basel e garantir uns pontinhos pro Finals hein kkkk

        Responder
  12. Luiz Fernando

    Parece q Rafa teve mais um treino de luxo hj, mas o pior é q sempre q começa bem os torneios ele termina mal kkk. Amanhã enfrenta outra pedra constante no seu sapato, outro cara de lua, esse italiano pode complicar qualquer um num dia inspirado. Mas se jogar como vem fazendo o espanhol deve passar sem sustos. Como Kyrgios já era, se tudo seguir a lógica apenas Dimitrov o separa da final.

    Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    O Fognini começou com o pé direito em Xangai.

    Superou o Verdasco na primeira rodada.

    Depois passou sem qualquer problema pelo Poulle…

    E todo mundo esperava mais do francês, depois que ele chegou a ter 2 matchpoints contra o Nadal, semana passada.

    Fognini x Nadal tem tudo pra ser um jogão.

    Responder
  14. O LÓGICO

    VERDADES LÓGICAS, DO LÓGICO, APARECENDO kkkkkkkkkk
    “Ele fez a final do Australian Open e já mostrou que pode jogar em quadras duras, algo que faz muito bem há 15 anos. Nadal é muito mais do que o ‘rei do saibro’. O problema é que ele ganhou Roland Garros 10 vezes e algumas pessoas acham que ele não sabe jogar em quadras rápidas” ( Ele, o Rei, sendo educado com o UNIDIMENSIONAL KKKKKKKKKKKKKKKK)

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  15. Mario Cesar Rodrigues

    Para verem o que ou melhor quem é profissional de verdade.O Sock estava se arrastando em quadra e ia jogar Duplas com o Isner..e falando do Isner não sei como conseguiu ganhar este jogo,lingua de fora,Kyrgios é isto também estes caras são vislumbres do que poderia ser um verdadeiro profissional,já dizia Borg talento resolve,mas tem outras coisas para ser um verdadeiro campeão!

    Responder
  16. Nando

    E o Kyrgios hein Dalcim?
    Antes da final em Pequim, eu pensei: Agora vai! Pois estava bem e tbm achei q a Laver Cup tivesse feito mto bem a ele.
    E eis q hoje ele abandona…mal cumprimentou o Johnson e vazou.
    O q acontece?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A justificativa foi de forte dor no estômago. Só não entendo por que o rapaz foi jogar duplas ontem em Xangai, vindo da final no domingo… Inexplicável.

      Responder
      1. Marcos Ribeiro

        Desse pode ser esperado tudo. Se ele vier a mostrar um comportamento maduro por 3 meses seguidos, pode-se ter alguma esperança de amadurecimento, mesmo assim sujeito a grandes recaídas. Antes disso, considero confiança excessiva, tendendo para ilusão. O grau de imaturidade dos comportamentos deste jogador indica problemas muuuiiito enraizados, iniciados, e não resolvidos, lá na infância. Mudar isso é muito difícil, o cara passa a se identificar com os problemas que tem e fica achando que resolvê-los seria deixar de ser ele mesmo.

        Responder
  17. Jefe

    Acho que vamos começar a chamar o Luis Fernando de LOUIS LANE – a mulher do Super homem!!!
    Já que está sendo aceito que ele chame os outros de idiota e até faça ameaças, está tudo liberado!

    Responder
  18. Roberto Rocha

    Consegui assistir aos highlights ontem à noite e algumas coisas podem ser pensadas…
    Dimitrov jogou muito contra o espanhol. Movimentação, agressividade, intensidade, golpes potentes…ele só poderia ser derrotado pelos Cachorrões, jogando naquele nível.
    Nadal está voando. Velocidade de pernas incrível, o que faz com que cubra a quadra toda e chegue a tempo de bater seus golpes equilibrado.
    Seu backhand está muito calibrado. Quem vai ali buscar um ponto fraco, leva bordoada cruzada ou na paralela. Impressionante a força e colocação desse golpe. Parece que o espanhol inspirou-se no suíço e evoluiu nesse golpe também.
    Está subindo bem à rede.
    E evoluindo na devolução. Ainda está na arquibancada, mas avança rapidamente após a devolução e busca agredir assim que possível.
    Resta esperar um futuro embate com Federer. Se os 2 chegarem em boas condições nesse confronto, a possibilidade de um jogo sensacional é imensa.
    Antes que perguntem, apenas analisei
    os jogos. Não desejei entrar em análises fora do jogo. E todo mundo sabe do que estou falando…

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Kyrgios proporcionou mais em espetáculo lamentavel na manhã de hj, ao abandonar a quadra, demonstrando pq sua carreira, a despeito do enorme potencial, não decola. Igualmente lamentavel é a atitude não deste, mas de todos os juízes, que aplicam a regra ao pé da letra com jogadores como ele e se acovardam com os cachorrões. Basta ver o acontece com Rafa, que sempre excede o tempo p servir, sempre leva o primeiro warning mas nunca o segundo.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Kyrgios estava com um problema estomacal.

      Foi por isso que ele abandonou.

      E dizer que carreira dele não decola, sendo que o cara está entre os 20 melhores tenistas do planeta, é exagero, para dizer o mínimo…

      Responder
      1. Marcio

        O brasileiro nato, acha que um top 20 é fracassado.
        Essa mentalidade futebolística que leva a tantas críticas ao belluci – o melhor após Guga!

        Responder
  20. Luiz Fernando

    Há dois dias um dos blogueiros rotulou como baixarias termos como “aloprado”, “zumbi” e “alienado”. Ontem o amiguinho, a duplinha dele usou o termo “covarde”, será q isso significa algum elogio kkkkk? Será q o coerente rapaz virá a público condenar o amiguinho kkkk? Grande expectativa, e o cavalinho tomando chuva kkk…

    Responder
  21. Eduardo

    Os gênios RF e RN se respeitam, se tratam com absoluta reverência. O exemplo da Laver Cup foi uma demonstração da grandeza desees dois tenistas. enquanto isso, os torcedores se digladiam……o ser humano é curioso!

    Responder
    1. Viana

      Tem muitos aqui que encarnam uma rivalidade… na verdade, encarnam uma paixão tão feroz por seu ídolo que todo o resto é lixo! Aí perdem a chance de apreciar a beleza dos jogos dos outros tenistas.
      Eles não gostam de tênis, eles gostam do seu ídolo!
      Como eu acho sensacional analisar as principais armas de cada um desses monstros e ver como eles as utilizam…

      Muitos dizem Nadal não sabe jogar na rede, é baloeiro??? Quem fala isso nao sabe nada, repito, NADA de tênis! O q Nadal vem fazendo na rede é um absurdo! Batendo o backhand chapado… Isso mostra sua evolução!
      Muitos dizem que o Federer é arrogante, não tem preparo mental, e que o backhand de uma mão estava acabado… O cara esbanja simpatia na Laver Cup, o cara que ganhou tantos Grands Slans jamais terá fraqueza mental e ele reinventou seu back esse ano!!!
      Poderia falar muitas baboseiras ditas do Djoko tb!!! Que é outro monstro!!! Joga demais!! Já colocou Federer e Nadal no bolso diversas vezes!!
      Todos esses já ganharam um do outro várias vezes e você pode ter sua preferência, normal, porém jamais poderá negar a importância desses 3 monstros da história do tênis!!!

      Responder
  22. Pedro

    Dalcim, vi o chinês Di Wu jogar hoje contra um francês, e ele jogou bem. Fez vários aces. Depois fui olhar o ranking e ele aparece como 233, sendo que ano passado chegou a 140. E só tem notícia dele a partir de 2013. Pensei que ele tivesse uns 20 anos e fosse alguma promessa, mas vi que ele já tem 26 anos, aí fica um pouco mais complicado. Fiz uma pesquisa rápida e vi que o tênis feminino na China teve sucesso mas o masculino nem tanto, por que?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não há uma explucação razoável. Parece que os homens chineses ss interessaram menos pelo esporte. Caso semelhante acontece com a Suécia, que jamais produziu uma grande tenista.

      Responder
      1. João ando

        E verdade dalcim. Desde a época do borg depois da época do wilander …nunca houve uma grande tenista sueca…efeito semelhante ao que ocorre no Brasil.Já no Japão sempre houve uma igualdade…

        Responder
  23. Vítor Barsotti

    De vez em quando salvo algum comentário que considero interessante para depois revisitá-lo e verificar sua “verdade” ao longo do tempo. Esse especialmente merece destaque:

    “Considerando-se que Murray nunca integrou o tal do “Big Four”, podemos divisar os períodos de dominância entre os três principais jogadores das últimas duas décadas: Federer, Nadal e Djokovic.
    Acho que todo mundo pode concordar que o período dominante de cada jogar começa no primeiro ano em que ele vence pelo menos 2 slams. Por conseguinte, também acho pacífico dizer que o período de dominância se encerra no último ano em que o jogador venceu pelo menos os mesmos 2 slams. Isso não exclui, portanto, períodos de dominância alternada, uma vez que é possível ver dois jogadores dividindo entre si os 4 títulos no mesmo ano.
    Aplicando-se esses dois critérios, vemos que Federer iniciou seu período dominante em 2004, ano em que venceu 3 dos 4 slams, e terminou em 2009, a última vez em que ganhou 2 majors no mesmo ano). São seis anos no total, que vão dos 23 aos 28 anos do suíço, totalizando 14 títulos.
    Nadal, por sua vez, ganhou dois slams pela primeira vez em 2008. Teve um pico em 2010, quando ganhou 3, e obteve seu último período de dominância em 2013, quando ganhou novamente 2 majors. Assim como Federer, são seis anos, que compreendem dos seus 22 aos 27, totalizando 10 títulos. Nesse caso, houve a intercessão de dois anos de dominância entre o espanhol e o suíço, nos anos de 2008 e 2009.
    No caso de Djokovic, seu período de dominância certamente se iniciou em 2011, quando venceu 3 dos 4 Slams. De lá pra cá, foram cinco anos e meio (pois ainda falta metade desta temporada), que compreendem dos seus 24 aos 29, totalizando 10 títulos, com um período de intercessão de três anos com Nadal (2011 a 2013).
    Esses números mostram três coisas:
    1 – Djoko foi o que começou o seu período de dominância mais tarde (aos 24 anos);
    2 – O “aproveitamento” do período dominante do Federer ainda é o maior (14 títulos, contra 10 de Nadal e Djokovic);
    3 – Se não ganhar mais nenhum Slam este ano, mas ganhar pelo menos mais 2 no ano que vem, o sérvio entrará em seu sétimo ano de dominância, algo que nenhum dos outros dois integrantes do “Big 3″ conseguiu (POIS NINGUÉM IMAGINA QUE FEDERER OU NADAL CONSEGUIRÃO GANHAR DOIS SLAMS EM UM MESMO ANO DAQUI PRA FRENTE).
    Esses dados impressionam porque permitem concluir que Djoko foi o que alcançou o sucesso mais tarde e o que está chegando mais velho ao seu final.”

    Esse comentário é do ano passado, logo depois da conquista de Djoko em RG, se não me engano (desculpe não indicar a autoria, mas acabei não anotando o nome do colega que a postou). E, apesar da bela análise, quem poderia sequer imaginar que cairia por terra tão rapidamente? Pois Federer E Nadal conquistaram 2 slams cada já na temporada seguinte. Coisa de louco esse esporte e essas lendas que temos o privilégio de poder acompanhar…

    Responder
  24. Rodrigo S. Cruz

    O backhand do Ogro melhorou muito mesmo. Foi a primeira coisa que me saltou aos olhos, quando eu assisti a final.

    Com isso, ele fica mais chato ainda de se enfrentar porque continua correndo feito um louco, e ainda ganhou mais essa arma.

    Inegável que o Kyrgios também jogou abaixo do que é capaz.

    Poderia ter explorado bem melhor o que no jargão tenístico chamamos de “corta-físico”.

    Ou seja, a capacidade do grande sacador de ganhar vários pontos com o serviço, e não dar ritmo ao adversário…

    Pois com a confiança do espanhol em alta, deixar ele sentir bem a bolinha é a primeira coisa a não se fazer!

    Agora, acho que todo mundo torce para o Federer estar bem fisicamente, e os dois fazerem a final de Xangai.

    Incluindo o sociopata brilhantemente lembrado pelo participante Fernando Pimentel…

    O tenista da Basileia é o único da temporada para quem o espanhol perdeu 3 vezes, e não venceu nem uma.

    Os anti-Federer certamente estão com o suíço entalado na garganta.

    Responder
  25. Renato

    Como bem disse o Dalcim em resposta ao “hominho”, não existe torcida mais ou menos fanática, ou torcida que ofenda os jogadores mais do que a outra. Proporcionalmente, está tudo igual. Como a torcida do Federer é bem maior que as outras, é natural que tenha mais “fanáticos” na torcida federista. Atribuir as ofensas a apenas uma torcida é coisa de gente ignorante e sem argumentos. Tem gente que gasta 1 minuto para falar da boa fase do seu jogador preferido e, 1 hora para criticar os torcedores do outro. Tem alguma coisa errada aí, né?

    Responder
  26. Renato

    Tem gente tendo ‘orgasmo’ com o título do grande, almejado por todos, ATP-500 de Pequim. Kkk Como o próprio Dalcim disse no seu post, Pouiile perdeu o jogo pro espanhol na primeira rodada. Se o careca tivesse saído na primeira rodada, sua torcida estaria chorando e lamentando a perda do grande, almejado por todos, ATP-500 de Pequim.

    Responder
    1. Anderson P

      Cara, que coisa mimada são seus comentários. Queria ignorar mas confesso que é difícil. Mas parece mais difícil ainda você reconhecer os méritos de um tenista que dedica sua vida ao esporte. É triste e chato ver isso.

      Responder
    2. Roberto Rocha

      Fraquíssimo torneio…Isner, Dimitrov, Kirgyos em seqüência…
      E conseguir superar match-point contra e vencer só é algo importante para os demais jogadores, não é?
      Se Federer fizesse isso, seriam cantados louvores eternos.
      Nadal jogou muito nesse torneio. Essa é a constatação que se faz necessária.

      Responder
  27. Daiane

    Dalcim. Na sua opinião, por quê Roger Federer é o melhor tenista de todos os tempos? Os recordes?

    Bela e merecida vitória do espanhol.

    Apesar da boa fase de Rafa, tenho certeza que foi Roger que apresentou o melhor nível de tênis no ano, no primeiro trimestre.

    Responder
  28. Renato

    Sim, Mário. Nadal é o tenista “mais forte de todos os tempos”. Mas não sabemos os meios que ele usa para conseguir tal força, e o tênis não é halterofilismo.

    Responder
  29. Sérgio Ribeio

    Realmente um Tênis de primeiríssima linha apresentado pelo Espanhol. Deu um nó em Kyrgios reconhecido pelo próprio. Se o Suíço pode fazer ajustes em seu Back nesta altura do Campeonato, não seria Rafa Nadal que não conseguiria. Sem Novak, Andy e STAN, entra com amplo favoritismo e confiante para os MASTERS. O Suíço vai precisar tirar novos coelhos da inesgotável Cartola. Desta vez me parece menos provável. Abs!

    Responder
  30. Carlos Lima

    Na boa, esses velhinhos vão continuar até os 50. Essa molecada nova é fraca. Não têm consistência. Quando Djocko, Federer, Murray estão mal, eles não ganham porque tem Nadal, não sei muito se é merito dele o demérito dos outros. Mas era uma grande oportunidade para aparecer alguém e não aparece.
    Triste isso para o tênis.

    Responder
  31. Renato

    Nando, nunca vi um ser mais hipócrita que o rapaz que vc respondeu abaixo. Ataca os torcedores de Roger mas faz “vista” grossa” quando é o contrário. Um verdadeiro covarde que não diria o que diz pessoalmente.

    Responder
      1. Chetnik

        Luiz, você lembra quem gostava de falar essas coisas de “não tem coragem de falar pela frente”? Pois é, o nosso colega australiano “sumido”, kkkkk.

        O cara nem disfarça, kkkkkk.

        Responder
  32. Renato

    Não assisti o jogo, até porque, não aprecio o jogo covarde, sem variação, sem jogadas bonitas e sem habilidade do siri. Jogo resumido a passar bola para o outro lado da quadra, na correria, esgotando o adversário fisicamente. Pois bem, creio que Nadal fez o melhor jogo do ano, enquanto Kyrgios, o pior. O saque do australiano também deveria estar uma m… Bom, reafirmo: Kyrgios tem muito mais recursos técnicos e talento que o espanhol!

    Responder
  33. Barocos

    Que o Rafael Nadal joga muito é indiscutível. Quem tem um físico privilegiado é inegável. Quem tem mérito por suas conquistas é inquestionável.

    Ainda assim, convenhamos , suas recentes conquistas foram muito facilitadas pela ausência dos outros três grandes jogadores desta era em muitos destes torneios: Federer (que finalmente entendeu que não deve jogar todos os torneios possíveis e com isso vai nos brindar com uma carreira ainda mais longa), Djokovic (que eu espero que faça o mesmo que Federer) e Murray (idem).

    Não que o Nadal tenha qualquer culpa nisto, obviamente.

    Responder
    1. Rafael

      Por esse ótica, vc tb acaba desmerecendo os dois últimos nos de Djokovic, que dominou completamente o circuito, enquanto Nadal é Federer estavam em profundas baixas… não que Djokovic tenha alguma culpa…

      Responder
      1. Barocos

        Acho que não fui suficientemente claro, os duelos este ano não estão acontecendo como nos outros anos, isto não tem nada a ver com uma melhor ou pior fase do jogador, o que é normal nas carreiras esportivas. Eles, Nadal e Djokovic, jogaram entre si 7 vezes no período por você citado e jogaram apenas uma vez neste ano. No caso de Federer e Djokovic, eles se cruzaram 8 vezes em 2015 e apenas uma em 2016, mas tanto Nadal quanto Murray continuaram muito ativos no período. Este ano está completamente atípico no que tange ao confronto dos realmente grandes desta era. Sendo assim, sim, o que eu escrevi me parece bastante razoável quando pensamos no domínio que Nadal está tendo este ano em função do pequeno número de jogos entre ele e seus principais adversários. E vale lembrar que Nadal foi derrotado por Federer nos 3 últimos duelos entre eles neste ano, aliás, nos 4 últimos confrontos.

        Responder
      1. Gustavo

        Boa tarde!

        Agora, muitos fãs do Blog devem estar se questionando: além do back do Djokovic, quais os outros 2?

        Obrigado pela resposta!

        Abraços

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Murray, que para mim é quase tão bom como o de Djokovic. Acho que Nishikori e até mesmo Zverev ainda têm um backhand mais consistente que o do novo Nadal.

          Responder
  34. Pedro

    Dalcim, o Nadal está bem a frente do Federer na corrida, mesmo tendo disputado apenas 2 torneios a mais. Ele deve ter ficado melhor colocado nos torneios em que foi eliminado. Aliás, os dois jogaram bem pouco se comparado ao Zverev. Mostra o quanto eles são efetivos nos torneios. Em relação a mudança na parte de comentários daqui, acho que o antigo formato com aquelas janelas azuis era mais fácil de achar as perguntas e respostas.

    Responder
    1. Nando

      “Em relação a mudança na parte de comentários daqui, acho que o antigo formato com aquelas janelas azuis era mais fácil de achar as perguntas e respostas.”
      Concordo.

      Responder
  35. Luiz Fernando

    Esqueci outra previsão brilhante e precisa referente a nadal: “poderá vencer algum ATP 250 no barro” kkkk. De fato, venceu os ATP 250 de MC, Madri e RG, quem sabe um dia eu não essa perspicácia e precisão p comentar. parabéns a esses grandes e isentos conhecedores do tenis.

    Responder
    1. Bruno

      Vc deveria ter mais bom senso.
      Desde 2012 vc chama federer de aposentado e vem cobrar coerencia de quem acha que Nadal estava acabado?
      Como diz alguns aí vc é realnente o maior passador de recibo do blog.

      Responder
    2. Sérgio Ribeio

      É que devido ao seu amplo conhecimento , os Caras acabam te copiando, mestre LF . Você categoricamente afirmou em 2013 , que o Suíço não venceria nada além de ATPs 250. No máximo Quinhentinhos. Dai acrescentou as Babaquices de Aposentado e Cansadao. Era óbvio que repetiriam os comentários abalizados com Rafa Nadal. Abs!

      Responder
  36. Geraldo Carvalho

    Bom dia. O meu comentário anterior foi uma resposta ao Luiz Fernando. Saiu um pouquinho deslocado em relação ao comentário dele, mas é pra ele msm a resposta. Abs a todos.

    Responder
  37. Paulo F.

    Não à toa, a ATP força a barra com essa meleca de “NextGen”, inclusive fazendo um Finals de Piás.
    Não bastasse estarem enfrentando talvez, a melhor geração da história representado por um Trio de verdadeiros Titãs, ainda são um bando de moleques fracos.

    Responder
  38. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    ao meu ver a briga pelo número 1 praticamente terminou. Nadal já abriu mais de 2 mil pontos para Federer. E o Roger disputa somente mais 4 mil pontos, sendo que não se sabe se vai jogar mesmo o Master de Paris, aí seriam somente 3 mil pontos. Como o Nadal está jogando acho muito difícil não conseguir ganhar nada. Diria mais, mesmo ano que vem será muito difícil Roger supera-lo no inicio do ano pois defende 4 mil pontos (AUS OPEN, 2 Masters). Ele só teria uma chance se repetisse a campanha fenomenal do inicio ano e Rafa tivesse uma queda no saibro, conjunto ao meu ver totalmente improvável. O que acha mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida alguma, Nadal deu um passo decisivo para fechar como número 1 ao ganhar US Open e Pequim. Federer agora terá de contar com alguma derrota precoce do espanhol para poder recuperar terreno ou então ganhar todos os quatro torneios e contar com ao menos uma semi e demais vices de Nadal.

      Responder
      1. sandra

        Pelo visto Nadal vai fazer a mesma coisa que Djokovic e Murry,já fizeram , ganharam tudo no segundo semestre, a propósito Murry volta ainda esse ano????

        Responder
  39. alessandro sartori

    Ao que parece Rafael Nadal vai ter chance de ganhar torneios nunca antes vencido por ele….esse 500 de Pequim ganho ontem, nem sabia que ele já tinha, pois desde que acompanho o tenis só via Djokovic atropelar a todos por lá…Shangai, Nadal me parece que nunca ganhou, o outro Masters, o último da temporada Paris, só lembro do Nadal numa final, acho que foi em 2007, onde Nalbandian o venceu com direito a pneu no último set e completar ainda tem o Finals, já comentado por todos como o grande torneio que ele ainda não tem, com os “fortes´´ todos fora e Federer escolhendo torneios, Nadal tem a faca e o queijo pra ganhar torneios onde nem chance teve ao longo da carreira…

    Responder
  40. Rubens Leme

    Foi uma final estranha. Os primeiros cinco games consumiram 42 minutos e parecia que a partida levaria horas.

    Mas, ai o australiano começou a se desestabilizar, mesmo jogando bem, com seu forehand (que já é um dos mais poderosos do circuito), saque e até deixadinha, até o sexto game, quando reclamou demais, foi displicente com uma deixadinha boba na rede, permitiu Nadal abrir em 4/2 e matar a partida.

    O restante do jogo foi frustrante.

    Responder
  41. Efraim Oliveira

    Desde de 2013 quando comecei a assitir os jogos de tênis, percebi no jogo contra Novak, que o ponto fraco de Nadal era o backhand. Pensava eu, que se ele melhorasse esse golpe e jogasse de forma mais agressiva, seria ainda mais difícil de batê-lo – até o próprio Novak. Lamentável não ter havido embate dos dois este ano. Eu acho o jogo Nadal vs Novak mais interessante que o Fedal, porque eles tem um placar mais parelho.

    Responder
    1. Sérgio Ribeio

      Concordo plenamente. Principalmente a Final do AOPEN 2017 comprova a sua brilhante Teoria. Que começou com a fraquíssima FINAL de Wimbledon 2008, ou seja, já não era parelho a NOVE anos. Abs!

      Responder
      1. Efraim Oliveira

        O Federer ganhar do Nadal a final Austrália Open não tornou o placar entre eles mais parelho, assim como é entre Nadal e Novak…. Ou por acaso tu acha que 23 x 14 estão próximos, assim como estão próximos 26 x 24? O fedal eh mais brilhante porque decidiram mais Slams, porque é isso que mais importa.

        Responder
  42. Paulo

    De fato, o backhand do Nadal foi o golpe que mais evoluiu em seu jogo ultimamente e isto, a meu ver, tem ajudado na melhora da movimentação em quadra.
    Ao não ter que fugir sempre para bater de forehand, acaba cobrindo melhor a quadra e se mantém mais equilibrado durante os pontos.
    Por fim, assim como você Luis Fernando eu também não esperava estar tendo tantas alegrias com o Rafa nesta fase da carreira, mas que bom que está acontecendo.
    Agora toca somar mais uns pontinhos em Shangai e consolidar o quarto ano ostentando o número 1 ao final da temporada.
    Vamos Rafa!!!!

    Responder
  43. Nando

    Mestre, e essa história do Zverev disputar os 2 Finals? Vai ficar puxado pra ele disputar esses torneios em sequência, não?
    E o Kyrgios decepcionou hein?

    Responder
  44. Renan Singer

    Só corrigindo sobre o feminino, quem começou no topo foi a Kerber, aí ela perdeu o posto pra Serena em Melbourne, depois voltou e novamente perdeu pra Pliskova, aí vieram Muguruza e Kerber. E realmente sobre o masculino, Kyrgios, na minha opinião, insistiu muito no Backhand do Nadal. Claro que ainda é o ponto mais fraco, mas não tava surtindo efeito a tática. Eu teria mudado algo ali, além de ter aumentado a margem do primeiro serviço. Não era necessário sacar toda vez a 220km/h, aí teve que jogar muitos pontos com o segundo. Enfim, mesmo não torcendo pra ele, é impossível não admirar esse cara. Nadal merece muito respeito.

    Responder
  45. O LÓGICO

    DÚVIDAS NADALZÉTICAS KKKKKKKKKKKK

    Se elas forem dotadas de raciocínio LÓGICO e CIENTÍFICO KKKKKK, sobre o que não aposto nenhuma fichinha kkkkkk, devem estar se perguntando: será que meu ídolo – vulgo UNIDIMENSIONAL kkkk – realmente aprendeu a jogar tênis nas duras, como os grandes?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Henrique

      Mais fácil perguntar se os demais jogadores, exceto Federer e Djokovic, aprenderam a jogar na Hard como o Grande Nadal, 3º melhor jogador na hard desta Era.

      Responder
    2. julio

      Ooooohhhh LÒGICO, vc bem que poderia fazer jus ao seu nome, e ser mais lógico do queILÓGICO.
      Aprenda com a lógica.
      Como dizia o nosso querido Einstein, Tolo é aquele que faz 1 milhão de vezes a mesma coisa e quer resultados diferentes
      Como eu tenho certeza de que vc é um cara muito inteligente, e que consegue ser melhor do que vc aparenta, tente ver coisas boas nas pessoas, seu lado positivo em vez de enaltecer o negativo, pois críticas não ajudam a ninguém, pois elas geralmente são feitas de forma a não construir nada, a não ser denegrir uma imagem.
      E pessoas muito críticas são ingelizes, pois se elas não são críticos de cinema, ou algo parecido, fazendo disso uma profissão, elas somente conseguem um bílis mais amarga, problemas de fígado, etc.
      Tente ver como a vida é bela, pois não adianta vc espernear e grunhir à toa, pois se o Nadal tiver de ganhar ele vai ganhar e pronto.
      Nem me lembro para quem vc torçe, mas tente mandar energias positivas ao seu ídolo, para assim ele ganhar, e vc ficar mais feliz.
      Não fico nem um pouco feliz em ter de lhe dizer estas palavras, de jeito nenhum, pois o que eu mais gostaria é de parabenizar no dia que vc mudar essa sua atitude ILÓGICA de tentar mudar o Universo, ele é assim porque o CRIADOR o fez para que nós meros mortais aprendamos a conviver como seres racionais e começamos a viver como os animais vivem, em harmonia, pois um leâo somente mata quando está com fome.
      Eu sinto em lhe dizer que essa sua atitude somente mostra como vc não consegue suportar uma perda, e nós temos que aprender a conviver com as nossas perdas diárias, devemos acolhê-las, pois aceitar uma dor acaba doendo menos.
      Pense nisso, tenho certeza de que vc é um cara muito inteligente, e que não deve ter maldade em seu coração, isso deve ser no mínimo uma brincadeira sua, e me desculpe e perdoe se por algum motivo eu lhe ofendi pois este não é o motivo, e tenho certeza que o dia que vc mudar essa sua atitude, não agradeça a mim não, agradeça a você mesmo, pois nós somos o nosso maior inimigo, e pode ter certeza, mudar é muito difícil.
      Não mpude assistir ao jogo por um problema técnico, mas através dos comentários vi que o Nadal está jogando bem, e tomar que tenhamos cada vez mais jogos como a de HALEP COM A OSTAPENKO, para que o pouco tempo que nos sobram na frente de uma tv seja de alegria, com um belo tênis, não importando a quem tenha vencido, mas importando o espetáculo, pois Halep mostrou que merece ser a número 1, pois for firme e sólida em toda a partida, e mesmo a Ostapenko mostrando um belo tênis, ela ganhou com propriedade.
      Devemos amar primeiramente ao Tênis, e depois aos nossos jogadores preferidos, pois o esporte sempre deve ser maior que os seus ídolos.
      Abraço a todos.

      Responder
  46. RUBEM CORVETO DE AZEREDO

    Dalcim, fiz um comentário em junho deste ano, em um Blog seu, com um palpite arriscando – que seria renovado em mais da metade os prováveis finalistas deste ano. Incluindo na lista do top 10, Zverev, Thiem, Kyrgios, Carreno, Dmitrov, Goffin, Junto com Federer, Nadal, Stan, Djoko. Arrisquei que o então líder Murray poderia ficar fora do top e até do Finals .
    Incrível a margem de acertos. A única decepção tem sido o instável Nick Kyrgios. Acho que as finais deste ano serão as mais fracas .

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, realmente você se saiu muito bem, Rubem. Sem dúvida, o Finals será bem renovado, mas teremos de esperar para ver se ficarão realmente enfraquecidos. Abs!

      Responder
      1. RUBEM CORVETO DE AZEREDO

        Obrigado. Meus palpites vieram de uma análise estatística do primeiro semestre, com os dados e aproveitamento de cada tenista. Número de vitórias/ jogos; sets vencidos/ sets jogados ; e até o número de games, etc . Naquele momento Nadal e Federer disparavam. Os novos, Thiem e Zverev também Se destacavam.

        Responder
  47. Luiz Fernando

    O Mario Cesar so pode ser um brincalhão, quando posta em outros locais ele escreve direitinho, com concordâncias corretas etc, quando posta aqui ele banca o confuso kkk. Mario parabéns pela vitoria do Rafa, eu e vc somos os únicos sobraram da velha guarda da torcida do Rafa, outros (Geraldo, Mariliense, Ricardo, Spencer, Igor e outros q não me recordo) não tiveram paciência ou estômago para aguentar as baixarias das federetes!

    Responder
    1. Nando

      Quem frequenta aki há tempos, sabe q vc tbm é expert em “baixarias” hein LF?
      Ou vc acha “normal” chamar os outros de zumbis, aloprados, imbecis e outros?
      Kkkkkkkkkkkk é cada coisa q se lê aki.

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Vc é muito novo no blog, não conhece a realidade anterior a censura prévia, implantada pelo Dalcim em razão dos palavrões postados pelas federetes na época em que Federer não estava competitivo. Assim, não havia outra forma de reagir, o mesmo pau q bate em Chico bate em Francisco. Creio q vc também está muito sensível, desde quando “aloprado”, termo q sai todo dia na imprensa, ou “zumbi”, termo q eu nunca usei, são baixarias? Aceito sua crítica quanto aos termos “idiota” e “imbecil” que já usei, mas me pareceram apropriados frente ao q motivou seu uso.

        Responder
        1. Sérgio Ribeio

          Dalcim implantou a moderação por causa de ” Federeres” ? Ao menos você já não é mais um Adolescente. Com o tempo virou um excelente Comediante. Kkkkkkkk Abs!

          Responder
        2. Alvaro Armbrust Junior

          Luis Fernando, então quando você chama outros participantes deste blog de idiotas e imbecis é porque o uso destas expressões se justifica.
          Agora, quando os outros usam contra você, aí não!! Aí é fanatismo, falta de respeito, etc..
          Quem é o ser superior e cheio de sabedoria que decide quando se justifica ou não ofender? Vossa senhoria?
          Para mim, nunca se justifica, simples assim.

          Responder
  48. Luiz Fernando

    Por mais incrível que possa parecer, o BH do Rafa, antes um ponto claramente vulnerável do seu jg, tornou-se uma arma das mais interessantes, pois tem entrado mais flat q o FH, machucando, e muito, os oponentes, algo q venho postando desde a fase do saibro. Some-se a isso a movimentação absolutamente fenomenal na quadra, fruto de um preparo fisico impar, e temos em quadra um grande campeão de volta. Hj inclusive a devolução de serviço, algo q vinha pecando, foi de alto nível. Méritos dele, do Tio Toni e do acréscimo do desacreditado Moya. Este merece um comentário a parte, basta ver o desempenho do ex-pupilo Raonic com e sem sua tutela. Como postei ontem, se jogasse no nível de sabado Rafa venceria, e nao deu outra, nao apenas venceu, dominou, massacrou, vencendo um adversário que vinha em grande fase. Nadal esta provando o obvio: acreditar e se dedicar a um objetivo sempre vale a pena. E pra mim q mesmo torcendo, e muito, nao esperava um outro ano espetacular do cara, q sensação maravilhosa…

    Responder
    1. O LÓGICO

      L Feliz, se você tivesse que atribuir um sabor para essa sua sensação de felicidade, não achas que ele seria de AÇAÍ ESPANHOL? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
      1. Luiz Fernando

        Açaí é ótimo vc não acha? Mas saboroso mesmo é o gosto do desespero e do sofrimento de vcs kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        Responder
        1. Sérgio Ribeio

          Desespero LF ? Porque foi utilizado o Backhand cruzado na FINAL do AOPEN e em Miami ? Aguarde o FINALS antes de despejar as costumeiras…Abs!

          Responder
    2. Marcelo Araújo

      Embora eu torça muito contra Nadal por achar que ele já ganhou mais títulos do que merecia levando em consideração a qualidade técnica do seu jogo, não tenho nenhuma ressalva a fazer ao seu comentário! Rafa está aliando cada vez mais técnica ao seu jogo extremamente físico e mental!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *